Marcos Winter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Marcos Winter
Marcos Winter em Brasília, 2005.
Nome completo Marcos César Simarelli Winter
Nascimento 31 de agosto de 1966 (48 anos)
São Paulo
 Brasil
Nacionalidade Brasil brasileira
Ocupação ator
diretor
IMDb: (inglês)

Marcos César Simarelli Winter (São Paulo, 31 de agosto de 1966) é um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cursou o ensino fundamental na Escola Estadual Santos Dumont e o ensino médio na Escola Estadual Nossa Senhora da Penha, ambos no bairro da Penha, em São Paulo. É formado em Artes Cênicas pela Universidade São Judas Tadeu, de São Paulo.

Filho de um funcionário de uma firma de engenharia e de uma dona de casa, Marcos começou a trabalhar como metalúrgico, fabricando pirâmides esotéricas, na adolescência. Com esforço, cursou a Faculdade de Artes Cênicas e se tornou ator.

Na televisão desde o final dos anos 80, foi em 1990, ao interpretar Joventino em Pantanal, da extinta Rede Manchete, que o ator deu novo impulso à sua carreira, sendo considerado um dos maiores galãs dos anos 90. Em 2009, assinou contrato com o SBT, para viver seu primeiro o vilão na TV, Homero Reis, da telenovela Vende-se Um Véu de Noiva de Janete Clair adaptada por Iris Abravanel. Em 2010 o ator reclamou de falta de espaço em novelas, onde atualmente, o campo de teledramaturgia está muito grande e disse estar vivendo um dos piores momentos de sua vida, passando por dificuldades financeiras. Em agosto de 2010, integrou o elenco de Malhação, no papel do professor de história Odilon. Idealizou a criação do Movimento Humanos Direitos.[1] Em 2014, grava a série da HBO, Magnífica 70, como o censor Vicente que após se apaixonar pela atriz de pornochanchada Dora Dumar (Simone Spoladore) se torna um diretor de filmes do gênero.[2] [3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Winter estreou no teatro aos 17 anos, em 1984, com Pic-Nic no Front, de Fernando Arrabal, sob a direção de Antônio Janô. Desde esta época vem trabalhando com diretores como Ulisses Cruz e Aderbal Freire Filho, em espetáculos consagrados, como Pedido de Casamento, de Tchekov; O Despertar da Primavera, de Frank Wedekind; O Anjo Negro, de Nelson Rodrigues; e Sonho de Uma Noite de Verão, de Shakespeare. O ator está em cartaz desde abril de 2010 com a peça de teatro Monólogos de marijuana, que aborda o assunto da descriminalização da maconha, dirigida por Emílio Gallo.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Telenovelas

Minisséries

Séries

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Humanosdireitos Página visitada em 03 de Junho de 2011.
  2. Fernando Oliveira (08 de agosto de 2014). Marcos Winter e Simone Spoladore estão em série da HBO sobre a Boca do Lixo R7 Mundo da TV. Visitado em 15 de agosto de 2014.
  3. Renato Damião (01 de agosto de 2014). HBO retoma Boca do Lixo para contar romance de censor da ditadura com atriz UOL Televisão. Visitado em 15 de agosto de 2014.
  4. SILVA, Jane Pessoa da. Ibsen no Brasil. Historiografia, seleção de textos críticos e Catálogo Bibliográfico. São Paulo: USP, 2007. p. 542
  5. Gshow (08 de maio de 2013). Personagem de Marcos Winter vai atormentar o namoro de Natália e Juliano Por Trás das Câmeras - Flor do Caribe. Visitado em 15 de agosto de 2014.
  6. Cinemateca Brasileira, Barrela [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marcos Winter
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.