A Terra Prometida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o local, veja Terra prometida.
A Terra Prometida
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Renato Modesto
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Alexandre Avancini
Câmera Multicâmera
Elenco Sidney Sampaio
Thaís Melchior
Milhem Cortaz
Kadu Moliterno
Miriam Freeland
Paloma Bernardi
Maytê Piragibe
Beth Goulart
Nívea Stelmann
Alexandre Slaviero
Leonardo Miggiorin
Rafaela Mandelli
Flávia Monteiro
Iran Malfitano
Cristiana Oliveira
Guilherme Boury
Leonardo Miggiorin
Rafael Sardão
Elizângela
Walter Breda
Bernardo Velasco
Ver mais
Tema de abertura "Veludo Aca Mil/Veludo Abe" - Rannieri Oliveira
Compositor da música tema Daniel Figueiredo
Empresa(s) de produção Casablanca
Exibição
Emissora de televisão original RecordTV
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 5 de julho de 201613 de março de 2017
N.º de episódios 179
Cronologia
Os Dez Mandamentos
O Rico e Lázaro

A Terra Prometida é uma telenovela brasileira produzida pela Casablanca e exibida pela RecordTV entre 5 de julho de 2016 e 13 de março de 2017, em 179 capítulos, substituindo a 2ª temporada de Os Dez Mandamentos, e sendo substituída por O Rico e Lázaro. Escrita por Renato Modesto com a colaboração de Aimar Labaki, Ecila Pedroso, Jaqueline Vargas, Marcos Lazarini e Stephanie Mendes, supervisão de Cristiane Cardoso e direção geral de Alexandre Avancini.

Contou com Sidney Sampaio, Thaís Melchior, Milhem Cortaz, Paloma Bernardi, Maytê Piragibe, Beth Goulart, Rafaela Mandelli, Flávia Monteiro, Cristiana Oliveira, Mario Frias, Rafael Sardão, Brendha Haddad, Raphael Viana e Miriam Freeland nos papéis centrais.

Antecedentes e contexto[editar | editar código-fonte]

"Novelas das oito" anteriores[editar | editar código-fonte]

Ainda em 2005, com a contratação do dramaturgo Lauro César Muniz, a Record anunciou seus planos de passar a ter, em sua programação, dois horários distintos destinados à exibição de telenovelas.[1][2] A emissora já possuía, à época, o "RecNov", um estúdio localizado no Rio de Janeiro destinado à produção de sua teledramaturgia, de forma similar ao que a Globo já fazia nos estúdios "Projac". A estrutura, entretanto, ainda não estava totalmente definida, e as filmagens de Prova de Amor a ocupavam integralmente. Uma vez que as obras de ampliação não iriam estar concluídas em tempo hábil[3] para o início das filmagens de Cidadão Brasileiro, a telenovela escrita por Muniz, outros locais foram utilizados pela emissora como cenário.[4][5][6] Em março do ano seguinte, Cidadão Brasileiro começou a ser exibida nesse segundo horário.[7] A telenovela foi exibida, em seu mês de estreia, às 20h30, mas sofreria nos meses seguintes uma série de mudanças em seu horário até regularizar-se às 22h. Esse horário foi seguido pela produção que a sucedeu, Vidas Opostas,[8] enquanto o horário "das oito" seria posteriormente ocupado por Luz do Sol, que começou a ser exibida em 21 de março de 2007.[9][10]

Entre 2006 e 2009, sucedendo à Cidadão Brasileiro, cinco telenovelas estrearam no horário de 20h30[11] e em novembro de 2009 a emissora anunciou que já tinha capacidade de realizar até seis produções ao mesmo tempo,[12] reforçando o projeto de implementar não apenas dois, mas três horários destinados à exibição de telenovelas, algo que vinha sendo cogitado desde 2005, quando Margareth Boury foi anunciada como a autora de uma produção com temática juvenil até então denominada "E aí?", que seria exibida à tarde,[7] mas que acabou não sendo produzida. Boury escreveria, em 2006, Alta Estação, telenovela que inauguraria um terceiro horário distinto destinado à exibição de produções do gênero.[13] Embora bem recebida pela crítica, a telenovela não alcançou índices de audiência considerados satisfatórios pela emissora, não conseguindo se consolidar como a segunda maior audiência do horário - o que levou ao seu cancelamento em maio do ano seguinte, pouco antes do término de sua primeira temporada e com os roteiros da segunda já sendo produzidos.[14] O site "NaTelinha", do portal de notícias UOL, chegaria a mencionar que tal cancelamento representaria uma decisão "precipitada" e "lamentável", colocando "um ponto final na terceira faixa de novelas, projeto audacioso da Record que dificilmente terá continuidade".[15]

Desde então, a emissora não conseguiria exibir, simultaneamente, três telenovelas inéditas. Entre 2007 e 2010, apenas dois horários da programação da emissora foram destinados à exibição de telenovelas.[16] Bela, a Feia, telenovela baseada em La fea más bella, inicialmente representaria um retorno ao terceiro horário de telenovelas, mas atrasos na sua produção fizeram com que fosse reposicionada na programação.[17] Uma segunda coprodução México-Brasil entraria no lugar de Bela, a Feia, mas, em janeiro de 2010, o jornalista José Armando Vannucci noticiou que a Record não apenas não conseguiria exibir três telenovelas ao mesmo tempo, como abandonaria o segundo horário destinado ao gênero, deixando para exibir, no mínimo por todo o primeiro semestre de 2010, apenas uma telenovela: Ribeirão do Tempo.[18] Em janeiro de 2010, a emissora emitiu um "Comunicado à Imprensa" anunciando que, com o término de Poder Paralelo, não iria mais exibir uma telenovela no horário das 22h, com Ribeirão do Tempo substituindo Bela, a Feia, mas que ainda no primeiro semestre exibiria uma nova produção, no horário das 19h.[16]

Rebelde foi a novela em questão a reinaugurar o segundo horário de novelas da Record na época, porém sua estreia só ocorreu em 21 de março de 2011.[19] A partir de 11 de julho de 2011, a emissora anunciou que começaria a exibir Rebelde às 20h30.[20][21] A novela que chegou a ser sucesso foi perdendo audiência em sua segunda temporada e em 12 de outubro de 2012, saiu do ar antes do previsto e consequente acabou-se o segundo horário de telenovelas da emissora.[22] Com o fim de Rebelde restou a Record na época o seu único horário às 22h30 em que estava sendo exibida a telenovela Balacobaco e posteriormente foi exibida Dona Xepa e o começo de Pecado Mortal.[23] Com a baixa audiência Pecado Mortal, a telenovela em 3 de fevereiro de 2014 foi transferida para às 21h15. Enfrentando o principal horário de telenovelas da Globo nem ela e nem sua sucessora Vitória foram bem e para a telenovela Os Dez Mandamentos ficou decidido que o melhor horário para ela seria exibi-la às 20h30.[24]

Popularização da teledramaturgia épica[editar | editar código-fonte]

A Terra Prometida é classificada como parte da "teledramaturgia bíblica", um gênero específico fortemente associado à Rede Record. Segundo Arthur Vivaqua, do site brasileiro "RD1", a exibição de produções que fossem adaptações de histórias da Bíblia foi uma das estratégias mais bem-sucedidas da emissora: "A princípio, a proposta de transformar sagas de cunho religioso em minisséries voltadas para o grande público causou certa estranheza, mas a aposta acabou se tornando um dos maiores acertos da emissora, que encontrou um filão inexplorado por suas concorrentes", disse, em texto produzido antes da estreia de Os Dez Mandamentos. O investimento no gênero que acabaria se tornando uma característica associada à teledramaturgia da emissora teve início no ano de 2010, com a exibição de uma minissérie em dez capítulos, intitulada A História de Ester.[25] Embora criticada por sua produção deficiente, em especial pelas barbas postiças utilizadas pelos atores, a primeira produção alcançou índices satisfatórios de audiência, e levou a emissora a continuar a investir no gênero. Assim, seguiram-se as minisséries Sansão e Dalila, Rei Davi, José do Egito e Milagres de Jesus. Cada produção possuía mais capítulos que a anterior, e, conforme se mostravam bem-sucedidas, maiores eram os investimentos feitos pela emissora. Em 2011, Sansão e Dalila teve 18 episódios produzidos ao custo anunciado de 12 milhões de reais, e seguiu a produção de Rei Davi no ano seguintes. Os resultados de Rei Davi levaram a emissora a investir 28 milhões de reais para produzir os 24 capítulos de José do Egito. Ao ser exibida em 2013, entretanto, a minissérie teria sido reeditada de forma a ter 37 capítulos.[25]

Embora fosse menos bem-sucedida junto ao público que Rei Davi, os resultados obtidos por José do Egito foram considerados suficientemente satisfatórios pela emissora para assegurar novas produções do gênero. As chamadas "produções bíblicas", segundo Keila Jimenez, da Folha de S.Paulo, podiam inclusive substituir a produção de telenovelas convencionais: "Responsáveis pelas maiores audiências da emissora nos últimos anos, as minisséries bíblicas estão cada vez mais extensas, com mais capítulos, e (...) há quem aposte que essas produções bíblicas podem acabar tomando de vez o lugar das novelas convencionais na Record, uma vez que as últimas apostas do gênero (...) não vêm correspondendo em audiência".[26] A partir de 2014 a emissora exibiria Milagres de Jesus, uma produção elogiada pela crítica, mas incapaz de alcançar de forma bem-sucedida o público.[25] Após a exibição da primeira temporada, a emissora anunciaria a produção de novos episódios para o ano seguinte, bem como a de uma telenovela intitulada Os Dez Mandamentos.[27]

Sucesso imediato e consolidação do horário para novelas bíblicas[editar | editar código-fonte]

Os Dez Mandamentos foi um sucesso imediato e fez história na televisão brasileira. Com a novela, a emissora bateu um recorde de audiência ao ultrapassar pela primeira vez em 40 anos a principal novela da Globo.[28] Com o sucesso da novela, a Record decidiu em outubro de 2015 que o horário das 20h30 seria apenas dedicado às produções bíblicas e anunciou para 2016 a estreia de uma nova novela bíblica A Terra Prometida, enquanto isso o horário passaria a ser ocupado pela reprise da minissérie Rei Davi e em seguida vieram em sequência as reprises de José do Egito e Sansão e Dalila.[29][30][31]

A parte introdutória de A Terra Prometida, que conta a história dos 40 anos pelo deserto, acabou desmembrada formando uma nova temporada de Os Dez Mandamentos chamada Os Dez Mandamentos - Nova Temporada e que foi exibida de 4 de abril a 4 de julho de 2016.[32] Em seguida inicia-se A Terra Prometida que narra a história do povo hebreu já sob o comando de Josué, ele tem a missão de comandar as doze tribos de Israel  na conquista de Canaã, a Terra Prometida.[33]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

"A mensagem principal, no sentido mais simbólico, que eu procuro passar com a novela, é uma mensagem de otimismo. Eu sempre digo que a história de Josué e dos hebreus é a história de todos nós. Todos nós, na vida, temos que ultrapassar rio Jordão, temos que derrubar muralhas de Jericó. Todos nós enfrentamos grandes desafios, de grandes dificuldades. E, para superar os desafios da vida, precisamos ter muita perseverança, muita coragem, muita fé. Para mim, a grande mensagem da novela é essa. Uma mensagem de perseverança"

Renato Modesto, Autor da novela.[34]

Aproximadamente 1200 a.C. – Acampamento hebreu em Sitim, no deserto de Moabe. Após a morte de Moisés, Josué é o novo líder dos hebreus. Ele é um guerreiro experiente, dotado de coragem, determinação e de uma fé poderosa. Mas não é tarefa fácil.

conduzir um povo ao seu destino! Com seus aliados mais próximos e de confiança, o sacerdote levita Eleazar e o líder da tribo Judá Calebe, Josué tem que cumprir uma difícil missão ordenada por Deus: comandar as doze tribos de Israel na conquista de Canaã, a Terra Prometida.

É um grande desafio porque, para chegar a Canaã, é preciso cruzar antes de tudo o Rio Jordão que está caudaloso como nunca, em época de cheia. Depois os hebreus terão que guerrear contra os cananeus que dominam aquela terra, povos pagãos, idólatras e extremamente violentos. Ao longo da novela, enfrentarão reis, rainhas, nobres e generais perigosos, vingativos e exóticos como o rei Marek, a rainha Kalesi e o comandante chefe Tibar, de Jericó; o rei Durgal e seu irmão, o governador Kamir, do reino de Ai; entre outros vilões ameaçadores.

O primeiro grande confronto de Israel é contra o fortificado reino de Jericó, protegido por lendárias muralhas duplas que, além de altíssimas, possuem quatro metros de largura cada uma, um obstáculo aparentemente intransponível. Porém nada é impossível para aqueles que são escolhidos pelo Senhor e nele depositam uma fé verdadeira. Auxiliados por prodigiosos milagres do Senhor, Josué e os hebreus atravessam o Jordão, veem as muralhas desabarem ao som de suas trombetas e gritos e vão vencendo bravamente cada um dos reinos inimigos que encontram no seu caminho.

Mas não é só com os cananeus que Josué e seus aliados terão que se preocupar. Dentro do próprio acampamento hebreu, existem fortes opositores ao comando de Josué, sendo que o principal deles é o vilão Acã, que tem como cúmplices seus filhos Melquias e Gibar.

Em paralelo às suas responsabilidades como líder de Israel, Josué vive uma emocionante história de amor com a linda Aruna, uma mocinha corajosa e determinada, exímia com a espada, capaz de guerrear ao lado os soldados homens quando necessário. O problema é que a irmã de criação de Aruna, a geniosa e briguenta Samara também é apaixonada por Josué. Tendo sua traiçoeira mãe Leia como cúmplice, Samara vai fazer de tudo para separar o casal central.

Outras emocionantes histórias de amor vão agitar a novela. Salmon, um dos mais importantes guerreiros hebreus, vai se apaixonar por Raabe, uma prostituta de Jericó que, por auxiliar a ele e outro espião de Israel, recebe o prêmio de ser acolhida com sua família em Israel. O casal vai enfrentar todo tipo de oposição e de preconceito, principalmente da ex-namorada de Salmom, a ciumenta Jéssica, e da pessimista e fofoqueira Mara.

Também teremos a paixão proibida de Livana e Maquir, jovens de tribos diferentes que são, por isso, proibidos de viver seu amor. Com o tempo, Livana vai descobrir que Maquir não é tão honesto como ela imaginava e, a partir daí, ela terá que lutar para ser feliz ao lado de outro guerreiro, Rune.

Vamos acompanhar a tristeza da bondosa Sama que, por não poder ter filhos, é forçada a aceitar que seu querido marido Boã arrume uma segunda esposa, a dissimulada Ruth.

Vamos rir com as dificuldades da delicada Tirda, às voltas com um marido brutamontes e mal-educado, Haniel. E vamos chorar com as desventuras de Chaia e Zaqueu, um casal apaixonado que acaba sendo separado pelas armações de um vilão vingativo, o soldado Tobias.

Muita ação e aventura também vão rechear a trama. Além das épicas cenas de guerra, teremos também fantasia e humor. O fraco e tímido guerreiro Otniel e as crianças Lila, Nobá e Gael vão descobrir o sentido da verdadeira amizade com um gigante bondoso, Talmal. E, no lado cananeu, vamos acompanhar as aventuras de um divertido bando de meninos de rua, os Lagartos Gosmentos.

Voltando à trama central, Josué e seus aliados conseguem vencer gloriosamente Jericó, cujas muralhas vão abaixo graças a um milagre do Senhor. Em seguida, eles atacam o reino de Ai, dominado pelo excêntrico rei Durgal, onde para surpresa geral, sofrem uma grande e vergonhosa derrota.

Josué fica arrasado, mas logo o próprio Deus explica a ele que o culpado do fracasso foi o vilão Acã que, contrariando a vontade divina, roubou espólios de guerra de Jericó. Como castigo, Acã e seus filhos são executados. Livres assim do pecado, os hebreus investem novamente contra Ai e, dessa vez, alcançam uma gloriosa vitória, sendo que na batalha final, Deus realiza outro de seus milagres, permitindo que Josué pare o sol no meio do céu por um dia inteiro.

A fama dos hebreus já percorre agora toda Canaã e deixa os inimigos amedrontados. É por medo que o rei de Gibeão, Zareg, tenta aplicar um golpe: ele e sua corte abandonam sua cidade e vão ao encontro dos hebreus disfarçados, fingindo ser um povo que vem de muito longe, de fora de Canaã. Levam sacos velhos sobre seus jumentos e jarros surrados e manchados. Suas roupas estão puídas e suas sandálias velhas e remendadas. Todo o pão que levam está seco e bolorento.

Dizendo que são aliados, os gibeonitas conseguem ser recebidos entre os hebreus. Seu golpe, porém, logo é desvendado e, como castigo, eles se tornam servos, carregadores de lenha e de água.

A chegada dos gibeonitas traz novos personagens e reviravoltas para a trama: a vilã Mara, influenciada pelos estrangeiros, decide aprender a arte da feitiçaria, algo que acaba por lhe trazer imenso sofrimento. Enquanto isso, Adonizedeque, rei de Jerusalém, convoca outros quatro grandes reis e forma uma coalizão para enfrentar os hebreus. Estes reis são Pirã, Debir, Hoão e Jafia.

Nesse momento da história, os vilões Samara e Tobias armam um golpe que faz Josué pensar que sua amada Aruna foi morta. É o momento mais difícil da trajetória do protagonista, mas ele segue firme em sua fé e não esmorece em sua missão.

Na batalha contra os reis da coalizão (Jerusalém, Pirã, Debir, Hoão e Jafia) o Deus dos hebreus prova que só Ele é invencível e Israel alcança nova vitória. É então que Aruna volta, para grande alegria de Josué.

Ele segue liderando o povo e uma passagem de tempo mostra que Israel vai vencendo mais de quarenta reinos inimigos, um por um, confirmando cada vez mais o domínio sobre Canaã.

Agora faltam poucos inimigos ainda por exterminar e Josué percebe que está chegando a hora daquela terra repousar da guerra. Depois de outra passagem de tempo, Josué já está mais velho, feliz ao lado da sua também já mais velha esposa Aruna. Ele então divide as terras de Canaã entre as doze tribos, cumprindo a vontade do Senhor.

Depois de mais uma passagem de tempo, Josué já é um ancião. Sentindo que já está próximo o dia da sua morte, ele chama os líderes de todas as tribos, os oficiais e os juízes para seu discurso final.

Nele, Josué relembra as muitas vitórias que alcançaram e relembra as muitas aventuras e batalhas que viveram desde a saída do Egito e durante toda a conquista de Canaã. Dali em diante, todos devem seguir servindo ao Senhor, o Deus santo e zeloso que não perdoará transgressões ou pecados do seu povo. Josué apanha então uma grande pedra como testemunho da aliança feita entre todo o povo e a coloca debaixo de um carvalho, tornando aquele lugar santo. Depois dessas coisas, Josué , este servo do Senhor, grandioso líder militar e espiritual, falece  com a idade de cento e dez anos, ficando para sempre como inspiração para todos, como exemplo perfeito de fé, perseverança e coragem.[35]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco principal [editar | editar código-fonte]

Atores Personagem
Sidney Sampaio Josué
Thaís Melchior Aruna
Paloma Bernardi Samara
Milhem Cortaz Calebe
Rafael Sardão Salmom
Paulo César Grande Haniel
Nívea Stelmann Noemi
Maytê Piragibe Jéssica
Cláudio Gabriel Elói
Raphael Viana Tobias
Brendha Haddad Inês
Marisol Ribeiro Acsa
Raymundo de Souza Quemuel
Luciana Braga Yana
Ricky Tavares Zaqueu
Elizângela Milah
Walter Breda Orias
Bernardo Velasco Eleazar
Guilherme Boury Iru
Leonardo Miggiorin Otniel
Gabriel Gracindo Melquias
Rodrigo Phavanello Gibar
Ernani Moraes Pedael
Guilherme Leme Elidade
Valéria Alencar Laila
Letícia Medina Livana
Day Mesquita Ioná
Alexandre Slaviero Maquir
Fábio Villa Verde Aiúde
Juliana Boller Chaia
Andréa Avancini Sama
Gilberto Torres Mibar
Daniel Erthal Isaque
Alexandre Tigano Muralha
Paulo Goulart Filho Talmal
Douglas Sampaio Rune
Ariela Massotti Laís
André Ramiro Jesana
Tatsu Carvalho Boã
Ana Barroso Darda
João Bourbonnais Elias
Rafael Queiroz Finéias
Louise Marrie Ruth
Juliana Kelling Neziá
Altair Rodrigues Eliazafe
Guggo Morales Samuel
Iran Gomes Zuma
Caetano O'Maihlan Setur
Lino Correa Paltiel
Ray Erlich Adélia
Armando Amaral Elizafã
Dudu Oliveira Jogli
Edu Porto Abel
Zeca Carvalho Quenaz
Osmar Silveira Temá
Lucas Montandon Baltazar
Karen Mota Mandisa
Antônio Carlos Bomani
Regiane Cesnique Elisa
Cristiane Machado Deborah
Malu Stanchi Lila
Mário Meireles Gael

Elenco Cananeu[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Igor Rickli Rei Marek, de Jericó
Juliana Silveira Rainha Kalési, de Jericó
Roberto Frota Rei Durgal, de Ai
Iran Malfitano Rei Yussuf, de Ai
Flávia Monteiro Rainha Ravena, de Ai
Carla Diaz Princesa Melina, de Ai
Leonardo Franco Tibar
Pedro Henrique Moutinho Sandor
Marcos Winter Merodaque
Alexandre Liuzzi Jordi
Danilo Sacramento Arauto
Fernanda Nizzato Tiléia
Leticia Tomazella Liora
Yaçanã Martins Adara
Nica Bonfim Zaira
Cássia Sanches Najara
Antonio Gonzalez Grok
Diego Amaral Eunuco Tupak
Daniel Villas Racom
Marcos Reis Kadmo
Castrinho Farduk
Gedivan Albuquerque Orebe
Roberto Lopes Kruga
Leandro Baumgratz Rafi
Ricardo Duque Rei Zareg, de Gibeom
Marcelo Argenta Bogotai
Gustavo Novaes Racal
Joelson Medeiros Abul
Eduardo Magalhães Mireu
Naiumi Goldoni Lina
Flávio Guedes Durgo
Marcelo Torreão Rei Hoão, de Hebron
Gil Hernandes Rei Pirã, de Jarmute
Rohan Horta Rei Jafia, de Laquis
Fernando Val Rei Debir, de Eglom

As Crianças[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Frederico Volkmann Nobá
Myrella Victória Lila
Miguel Costa Gael
Fabricio Assis Kalu
Letícia Peroni Princesa Úrsula, de Jerusalém
Lorenzo Kronemberger Zilai
Giulia Gatti Nira
Yasmin Franklin Kira
Dudu Varello Lagartinho
Matheus Leandro Coiote
Mayke Carvalho Zucrim
Davi Lima Zimba
João Fernandes Galimedes

Apresentando[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Priscila Uba Tirda

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Roberto Bomtempo Rei Kamir, de Ai
Mario Frias Rei Adoni-zedeque, de Jerusalém
Rafaela Mandelli Ula

Ator Convidado[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Kadu Moliterno Acã

Atriz Convidada[editar | editar código-fonte]

Atriz Personagem
Cristiana Oliveira Mara
Miriam Freeland como Raabe
Beth Goulart como Léia

Galeria[editar | editar código-fonte]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência e impacto junto ao público[editar | editar código-fonte]

Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

Sucessora de Os Dez Mandamentos, a novela bíblica "A Terra Prometida" manteve a média de audiência da saga de Moisés que a antecedeu. A trama, de autoria de Renato Modesto e com direção geral de Alexandre Avancini, teve seu primeiro capítulo exibido na noite de 5 de julho de 2016, foi ao ar das 20h40 às 21h52 alcançando média de 18 pontos de audiência com pico de 19 pontos e share de 24% na Grande São Paulo, a trama manteve o canal em 2º lugar absoluto, cada ponto equivale a 69 mil domicílios.[36]

Com 130 capítulos ao custo de R$ 650 mil cada um, a história acompanha o personagem bíblico Josué na missão de liderar as 12 tribos de Israel na conquista de Canaã, a terra prometida do título. Até o destino final, o autor Renato Modesto avisa que as cenas de batalha estão garantidas.[37] Os internautas se emocionaram com a exibição do primeiro capítulo do folhetim, que mostra a saga do novo líder dos hebreus, Josué (Sidney Sampaio). A hashtag #ATerraPrometida ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter e os telespectadores se emocionaram com a novela.[38]

Com a milagrosa travessia do rio Jordão pelo povo hebreu exibida na noite de 22 de agosto de 2016, a novela A Terra Prometida, mais uma vez, teve um ótimo desempenho e consolidou o segundo lugar isolado na audiência. O capítulo exibido na faixa das 20h39 às 21h45, marcou média de 17 pontos, pico de 18 pontos e share de 22%, ocupando o segundo lugar absoluto com a cena.[39]

O sucesso de A Terra Prometida fez aumentar a cada dia a audiência da produção, mantendo o segundo lugar isolado em todo o país. Na semana de 3 a 9 de outubro de 2016, a novela registrou excelentes audiências segundo dados do PNT (Painel Nacional de Televisão), com as cenas que anteciparam a aguardada queda das Muralhas de Jericó. Em Belém, cidade em que a novela atinge os maiores índices, fechou a semana com 23,3 pontos de média. Em Vitória, registrou 18,6 pontos de média. Em Goiânia, a média foi de 17,5 pontos. No Recife, garantiu média de 16,4 pontos. No Rio de Janeiro, consolidou com média de 15,8 pontos. Em Belo Horizonte, a média foi de 15,4 pontos e em São Paulo, marcou 14,6 pontos de média.[40]

A RecordTV começou a exibir na noite de 17 de outubro de 2016, a esperada cena da queda das muralhas de Jericó, na novela “A Terra Prometida”. Assim como a abertura do Mar Vermelho em "Os Dez Mandamentos", a sequência de cenas da queda das muralhas foi muito aguardada e rendeu recorde de citações nas redes sociais e uma das melhores médias de audiência do folhetim. Exibidas nos minutos finais da novela bíblica, as cenas, que continuam no capítulo seguinte, chegaram ao trending topics do Twitter. A hashtag “Queda das Muralhas” liderou o Trending topics (ranking de assuntos mais comentados – do Twitter no Brasil).[41] Segundo dados do Ibope, o capítulo exibido entre 20h50 e 22h07, alcançou média de 16,9 pontos em São Paulo. O capítulo mostrou o início da batalha militar dos hebreus contra os cananeus às portas de Jericó. Segundo a narração do Velho Testamento, o exército de Josué entra na cidade depois que as muralhas caem ao som das trombetas.[42] O capítulo do dia 18 de outubro de 2016 continuou exibindo a invasão do exército hebreu a Jericó e a destruição total da cidade, garantindo a melhor audiência desde a estreia. Exibido das 20h50 às 21h56, o folhetim bíblico escrito por Renato Modesto cravou 17,8 pontos de média, 19 de pico e 25% de share.

A novela "A Terra Prometida" alcançou o primeiro lugar isolado na audiência em Belém. Durante o mês de outubro, a trama de autoria de Renato Modesto e com direção geral de Alexandre Avancini, marcou média de 25 pontos com share de 36%, enquanto a Globo registrou 24 pontos de média com share de 35%. Em Goiânia, a novela também fechou o mês em primeiro lugar na audiência com 19 pontos de média e share de 29%. Em Vitória, a saga de Josué garantiu o segundo lugar isolado com média de 18 pontos e share de 26%. Em Recife e Rio de Janeiro, consolidou o segundo lugar isolado com média de 16 pontos. Em São Paulo, também consolidou o segundo lugar isolado com 15 pontos de média e share de 21%.[43]

No capítulo exibido em 21 de dezembro de 2016, em que Acã (Kadu Moliterno), Melquias (Gabriel Gracindo) e Gibar (Rodrigo Phavanello) são apedrejados, apresentou uma ótima audiência e garantiu a vice-liderança isolada nas duas principais praças do país: SP e RJ. A novela, assinada por Renato Modesto, exibida entre 20h39 e 21h42, marcou segundo dados consolidados do Kantar Ibope 13,3 pontos de média e chegou a picos de 15,3 pontos e share de 20% na Grande São Paulo, alcançando a marca de 3,1 milhões de espectadores. No mesmo horário a emissora terceira colocada registrou 10 pontos de média apenas. No Rio de Janeiro, a novela também conquistou o segundo lugar isolado com o dobro da média da terceira colocada. A trama conquistou 14 pontos de média, 16 de pico e share de 24%. A emissora terceira colocada marcou apenas 7 pontos de média. Os dados apresentados são consolidados e refletem a preferencia de um seleto grupo de espectadores situados na Região Metropolitana de São Paulo. Cada ponto na capital paulista equivale a 69,4 mil domicílios ou 197,8 mil espectadores.[carece de fontes?]

A média nacional da novela de julho a dezembro de 2016 é de 14 pontos. A explicação de Marcelo Silva, vice-presidente artístico e de produção da Record, foi simples. Ele ponderou: “O público demonstra que aceitou a ideia que escolhemos para contar histórias bíblicas, com um formato que desenvolve passagens marcantes da mais popular publicação do mundo”, disse ele, em entrevista ao UOL.[44]

O capítulo exibido em 3 de janeiro de 2017 garantiu média de 14 pontos, com pico de 16 e share de 20% em São Paulo, ficando em segundo lugar. Já no Rio de Janeiro, a novela conseguiu a vice-liderança isolada com 17 pontos, com pico de 19 e share de 24%.[45]

O último capítulo da novela A Terra Prometida foi exibido na noite de 13 de março de 2017, na faixa das 20h30 às 20h56. O capítulo marcou, em São Paulo,16 pontos de média, pico de 17 pontos e share de 21%, contra 11 pontos da terceira colocada. No Rio de Janeiro, marcou média de 18 pontos contra 8 pontos da terceira colocada.[46] O capítulo final apresentou uma espécie de revisão da trajetória de Josué (Sidney Sampaio) como líder dos hebreus e a passagem da liderança para Otniel (Leonardo Miggiorin). Além disso, mostrou flashbacks de cenas como as da queda da muralha de Jericó e, junto com eles, saltos no tempo foram utilizados como recursos narrativos. Após um desses saltos, o público viu Josué e Aruna (Thaís Melchior) conversando sentados à sombra da tamareira que plantaram muitos anos antes.[47]

Produção[editar | editar código-fonte]

A produção de uma das passagens mais emocionantes da Bíblia, a queda das muralhas de Jericó, foram gravadas por etapas e levou aproximadamente 20 dias. Em cada uma das cenas estavam envolvidos cerca de 250 profissionais.[48]

Efeitos Especiais[editar | editar código-fonte]

Segundo os profissionais responsáveis pela cena da abertura do Rio Jordão, tudo foi produzido no computador com o auxílio da Computação gráfica: "Tudo começa antes mesmo de as câmeras serem ligadas. As cenas mais difíceis são desenhadas com detalhes no computador. Elas recebem o nome de Storyboard, que nada mais é que o roteiro feito em forma de quadrinho. Depois de coloridos, os desenhos vão orientar as gravações e facilitar a execução dos efeitos, depois de coloridos, os desenhos vão orientar as gravações e facilitar a execução dos efeitos. É em um fundo todo verde que serão inseridos os efeitos da travessia do Rio Jordão. A missão dos profissionais é fazer com que tudo seja o mais real possível...Depois de tudo fotografado, a cena será reproduzida com todos os detalhes no computador...Além da água, outro ponto alto da tão esperada travessia é a quantidade de atores. O desafio é reproduzir um grupo de 2 milhões de hebreus. Para isso, é necessário o trabalho da computação gráfica, que cria os chamados dublês digitais".[49]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Acusação de plágio[editar | editar código-fonte]

Vários críticos de cinema, fãs de séries e o público telespectador em geral vem acusando a novela A Terra Prometida de plágio, já que algumas semelhanças são bastante visíveis com o sucesso global da HBO Game of Thrones. A imprensa tem noticiado que boa parte da trama é inspirada na série[50] de David Benioff e D. B. Weiss, sucesso mundial baseado na série de livros A Song of Ice and Fire de George R. R. Martin, que tem revolucionado as séries televisivas desde a sua estreia, em 2011. O autor Renato Modesto não nega ter se inspirado na série. Entre 2014 e 2015, foi divulgado que Game of Thrones serviria de inspiração para a minissérie "Reinos", coproduzida com a Swen Group,[51] que contaria com história da disputa de territórios após a morte do Rei Salomão,[52] além de outro projeto, a telenovela "Tribo", dessa vez ao invés de uma história da Bíblia, a trama seria ambientada na Idade Média,[53] em 2016, um novo projeto de telenovela medieval foi anunciado, "Belaventura" de Gustavo Reiz.[54]

As duas principais semelhanças entre Game of Thrones e A Terra Prometida são:

Kalési, a rainha das serpentes[editar | editar código-fonte]

A personagem Kalési, interpretada pela atriz Juliana Silveira, é claramente baseada em uma das personagens centrais da trama de Game of Thrones: Daenerys Targaryen, interpretada por Emilia Clarke. Além das semelhanças físicas a personagem da trama gospel possuí o mesmo nome do que um dos principais títulos da personagem Daenerys.[55] Na trama Daenerys é chamada de Khaleesi (leia-se Kalési), pelo fato de ter sido rainha dos Dothraki, um povo nômade semelhante aos antigos mongóis. Além destas semelhanças a personagem da Record é chamada de rainha das serpentes, em alusão à "mãe dos dragões", outro título dado à personagem de Game of Thrones.

Estrutura social[editar | editar código-fonte]

A série Game of Thrones se passa nos Sete Reinos de Westeros, onde predomina uma estrutura social feudal formada por 7 grandes casas, sendo que cada grande casa possui um incontável número de casas vassalas. Na trama gospel não é diferente. No lugar dos Stark, Lannister e Targaryen, veremos na Record os Efraim, Judá, Levitas, Manassés, Benjamin, Naftali, Aser, Jericó e representantes de famílias de menor relevância.[56]

Exibição Internacional[editar | editar código-fonte]

País Canal Título local
 Brasil RecordTV A Terra Prometida[57]
 Portugal RecordTV Portugal
Cabo Verde Cabo Verde RecordTV Cabo Verde
 Angola RecordTV África
 Moçambique TV Miramar
 Japão RecordTV Japan
Uganda RecordTV Uganda
 Madagáscar RecordTV Madagascar
União Europeia RecordTV Europa
 Chile TVN Josué y la Tierra Prometida[58]
 Argentina Telefe

Referências

  1. Cristina Padiglione (11 de julho de 2005). «Novela de Lauro César na Record será gravada em SP». São Paulo. Estado de S.Paulo. Consultado em 5 de março de 2011 
  2. Simone Mousse (9 de outubro de 2005). «Reconstruindo Brasília em São peido». O Globo. Consultado em 5 de março de 2011 
  3. «Entrelinhas». O Estado de S.Paulo. 1 de junho de 2005. Consultado em 5 de março de 2011 
  4. Keila Jimenez (3 de outubro de 2005). «Record aluga cidade cenográfica». Estado de S.Paulo. Consultado em 5 de março de 2011 
  5. Keila Jimenez (10 de janeiro de 2006). «Record inicia Cidadão Brasileiro». São Paulo. O Estado de S. Paulo. Consultado em 5 de março de 2011 
  6. Simone Mousse (10 de janeiro de 2006). «Luzes, Câmera, Ação!». O Globo. Consultado em 5 de março de 2011 
  7. a b Thiago Stivaletti (7 de março de 2006). «Com "Cidadão Brasileiro", Record gasta o dobro de "Prova de Amor"». UOL. Consultado em 5 de março de 2011 
  8. Giovani Lettiere (17 de novembro de 2006). «Marcílio: 'Vidas opostas' tem potencial para 30 pontos de audiência». O Globo. Consultado em 6 de março de 2011 
  9. Rafael Simi. «Novela 'Luz do sol', que estreia nesta quarta, aposta em jovens atores que buscam o sucesso». Revista da TV. O Globo. Consultado em 6 de março de 2011 
  10. Redação Terra (21 de março de 2007). «Luz do Sol: Paloma Duarte estreia sua segunda protagonista na Record». Gente & TV. Terra. Consultado em 6 de março de 2011 
  11. Redação Folha Online (5 de agosto de 2008). «Estreia de "Bela, A Feia" perde para saga dos "Mutantes"». Ilustrada. Folha de S. Paulo. Folha.com. Consultado em 6 de março de 2011 
  12. Vanessa Sulina (3 de novembro de 2009). «Diretor revela novidades da teledramaturgia da Record». R7. Consultado em 6 de março de 2011 
  13. Diogo de Oliveira (14 de outubro de 2006). «Record lança "Alta Estação" e inaugura o 3º horário de novelas». Terra. Consultado em 6 de março de 2011 
  14. Redação NaTelinha (15 de maio de 2007). «Exclusivo: Autora de Alta Estação diz que mudanças no horário derrubaram audiência». NaTelinha. natelinha.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011 
  15. Redação NaTelinha (16 de maio de 2007). «Record decepciona com corte de Alta Estação». NaTelinha. natelinha.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011 
  16. a b José Armando Vannucci (21 de janeiro de 2010). «Record confirma em "Comunicado à Imprensa" linha de shows às 23h assim que acabar "Poder Paralelo"». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011 
  17. José Armando Vannucci (23 de junho de 2009). «Momento ruim nas novelas da Record». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011 
  18. José Armando Vannucci (21 de janeiro de 2010). «EXCLUSIVO: Record revê projeto e terá apenas um horário de novelas no primeiro semestre de 2010». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011 
  19. «Ousadia ou loucura». Coluna do Flávio Ricco. televisao.uol.com.br. 3 de março de 2011. Consultado em 3 de março de 2011 
  20. Redação R7. «Record muda programação e Rebelde vai brigar com JN». R7. Consultado em 11 de julho de 2011 
  21. Fernando Oliveira. «Record mexe na grade noturna para pegar carona na audiência do Cidade Alerta». Na TV - iG. Consultado em 13 de julho de 2011 
  22. Flávio Ricco; José Carlos Nery (2 de outubro de 2012). «Record tira a novela "Rebelde" do ar». Coluna do Flávio Ricco. televisão.uol.com.br. Consultado em 3 de outubro de 2012 
  23. Mauricio Stycer (28 de janeiro de 2014). «Depois de 91 capítulos, Record muda o horário de "Pecado Mortal"». UOL. Consultado em 23 de junho de 2015 
  24. «Record deverá escalar "Dez Mandamentos" para bater com "Chiquititas"». Natelinha. 31 de outubro de 2014. Consultado em 23 de junho de 2015 
  25. a b c RD1 (28 Fevereiro 2015). Relembre as minisséries bíblicas já produzidas pela Record. IG.
  26. Keila Jimenez. (14 Dezembro 2013). Minisséries bíblicas terão mais espaço na Record. Outro Canal. Folha de S.Paulo.
  27. José Armando Vannucci (18 Março 2014). Record aposta em novelas, entretenimento, jornalismo e produções bíblicas.. Parabólica. Jovem Pan.
  28. «Histórico: 'Os Dez Mandamentos' atinge liderança na média consolidada». Consultado em 10 de julho de 2016 
  29. «Record adia Escrava Mãe e coloca Rei Davi no lugar de Os Dez Mandamentos». Consultado em 9 de março de 2017 
  30. @tvobservatorio, Redacao (12 de janeiro de 2016). «Estreia de José do Egito garante segundo lugar na audiência; Rei Davi crava 12 pontos | Observatório da Televisão». Observatório da Televisão 
  31. «"Coluna do Vannucci": "Sansão e Dalila" é a próxima reprise da Record no aguardo da segunda parte de "Os Dez Mandamentos"». Parabólica. 16 de fevereiro de 2016 
  32. «'Os dez mandamentos', que termina hoje, terá continuação em 2016». Extra Online 
  33. «A Terra Prometida estreia na terça-feira (5) na RICTV Record». RicMais. Consultado em 5 de junho de 2016 
  34. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome http:.2F.2Fentretenimento.r7.com.2Fa-terra-prometida.2Fautor-renato-modesto-adianta-grandes-eventos-de-a-terra-prometida-josue-vai-parar-o-sol-no-meio-do-ceu-09072016
  35. «Conheça a história da novela A Terra Prometida - Entretenimento - R7 A Terra Prometida». entretenimento.r7.com. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  36. «Estreia de A Terra Prometida chega a 19 pontos e abre vantagem de 7 pontos em relação à terceira colocada - Entretenimento - R7 Famosos e TV». entretenimento.r7.com. Consultado em 6 de julho de 2016 
  37. «Diretor de 'A terra prometida' promete trama mais ágil que 'Os dez mandamentos'». Consultado em 6 de julho de 2016 
  38. «Primeiro capítulo de A Terra Prometida conquista internautas: "Estreia deixando a gente sem fôlego" - Entretenimento - R7 Famosos e TV». entretenimento.r7.com. Consultado em 10 de julho de 2016 
  39. «Com travessia pelo rio Jordão, A Terra Prometida alcança 17 pontos de média e consolida segundo lugar isolado - Entretenimento - R7 Famosos e TV». entretenimento.r7.com. Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  40. @annystonreal, Endrigo Annyston (20 de outubro de 2016). «Audiência de A Terra Prometida cresce em todo o país e garante segundo lugar isolado | Observatório da Televisão». Observatório da Televisão 
  41. «Queda das muralhas em "A Terra Prometida" bate recorde – Keila Jimenez – R7». entretenimento.r7.com. Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  42. «Com queda de muralha, "Terra Prometida" tem sua segunda melhor audiência». Consultado em 16 de janeiro de 2017 
  43. @annystonreal, Endrigo Annyston (1 de dezembro de 2016). «Em outubro, A Terra Prometida lidera isoladamente a audiência em Belém | Observatório da Televisão». Observatório da Televisão 
  44. «"A Terra Prometida" fecha 2016 com ótimos índices para Record; confira! | HypeNews». HypeNews. 12 de janeiro de 2017 
  45. «A Terra Prometida tem alta audiência e garante a vice isolada nesta terça 03/01/2017 | TN Audiência». tnaudiencia.oportaln10.com.br. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  46. Fernandes, Wandreza (14 de março de 2017). «Último capítulo de 'A Terra Prometida' garante segundo lugar isolado em SP e RJ - Área Vip». Área Vip 
  47. «A Terra Prometida termina com reflexões sobre a existência» 
  48. «Gravação da queda das muralhas levou 20 dias para ficar pronta e envolveu centenas de profissionais - Fotos - R7 A Terra Prometida». entretenimento.r7.com. Consultado em 21 de março de 2017 
  49. «Com ajuda de efeitos especiais, travessia do rio Jordão contará com dois milhões de dublês digitais - Fotos - R7 A Terra Prometida». entretenimento.r7.com. Consultado em 21 de março de 2017 
  50. «Com 'A Terra Prometida', Record lança versão gospel de 'Game of Thrones' - Emais - Estadão». Consultado em 5 de julho de 2016 
  51. «Game of Bíblia - ISTOÉ Independente». 19 de junho de 2015 
  52. Diego Almeida (27 de agosto de 2015). Reinos - Game of Thrones terá versão brasileira
  53. TV, Notícias da (1 de abril de 2016). «Record vai fazer novela medieval inspirada na série Game of Thrones» 
  54. Globo e Record vão investir em novelas medievais
  55. «A Khaleesi da Record se chama Kalesi, a rainha das serpentes de "A Terra Prometida"». 4 de julho de 2016. Consultado em 5 de julho de 2016 
  56. «Record promete "Game of Thrones bíblico" para sua nova novela». 5 de julho de 2016. Consultado em 5 de julho de 2016 
  57. Vaquer, Gabriel. «Record comemora audiência de 'A Terra Prometida' em Portugal» 
  58. «A Terra Prometida estreia segunda-feira no Chile - Entretenimento - R7 Famosos e TV». entretenimento.r7.com. Consultado em 15 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]