Chamas da Vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Chamas da Vida
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 50 minutos
Criador(es) Cristianne Fridman
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Edgard Miranda
Produtor(es) Claudia Augustinis
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Camilo Pellegrini
Nélio Abbade
Paula Richard
Renata Dias Gomes
Valéria Motta
Elenco
Tema de abertura "Fogo e Paixão", Fábio Júnior
Empresa(s) produtora(s) RecordTV
Localização Rio de Janeiro, RJ
Exibição
Emissora original Brasil RecordTV
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 8 de julho de 2008 – 28 de abril de 2009
Episódios 253

Chamas da Vida é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela RecordTV, entre 8 de julho de 2008 e 28 de abril de 2009, em 253 capítulos, substituindo Amor e Intrigas e sendo substituída por Poder Paralelo. Foi a 12ª telenovela transmitida pela emissora desde a retomada da produção de obras de teledramaturgia, em 2004. Foi escrita por Cristianne Fridman, com a colaboração de Paula Richard, Renata Dias Gomes, Nélio Abbade, Camilo Pellegrini e Valéria Motta. Contou com a direção de Roberto Bomtempo, Rudi Lagemann, Rogério Passos e direção geral de Edgard Miranda.

Contou com Juliana Silveira, Leonardo Brício, Lucinha Lins, Bruno Ferrari, Amandha Lee, Andréia Horta, Letícia Colin e André Di Mauro nos papeis principais.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

O quartel do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro foi utilizado como cenário para as gravações.

A telenovela se situava no Rio de Janeiro, mais especificamente na Baixada Fluminense, tendo como cenários bairros como Tinguá, Urca e Flamengo.[2] Tinguá é um dos grandes destaques da trama, com a corporação de bombeiros da qual faz parte o protagonista, Pedro, sendo responsável por essa área, onde também se situa a Reserva Biológica Federal do Tinguá, local das primeiras cenas que foram ao ar (uma simulação de resgate).

Na semana que antecedeu à estreia da telenovela, o Jornal da Record levou ao ar uma série de reportagens destacando a importância do trabalho dos bombeiros para a sociedade.[3] Os atores que fizeram parte do núcleo de bombeiros da trama receberam treinamento no Quartel Central do Rio de Janeiro. As filmagens envolveram a compra de um moderno caminhão, importado da Dinamarca, e as cenas envolvendo incêndios na cidade cenográfica foram todas reais. A emissora também obteve permissão para gravar sete simulações de incêndio promovidas pelo Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Amigos de infância, Pedro (Leonardo Brício) e Carolina (Juliana Silveira) cresceram em Tinguá, na baixada fluminense, mas tomaram rumos diferentes na vida. Pedro tornou-se soldado bombeiro e passou a criar os três irmãos após a morte dos pais. Já Carolina formou-se como cineasta e se mudou com os pais, Arlete (Jussara Freire e Walter (Antônio Grassi) - proprietário da fábrica de sorvetes Gelado Gostoso ('GG') - para a Barra da Tijuca. O caminho dos dois volta a se cruzar após um incêndio na GG, no qual Pedro salva Carolina, mas perde seu melhor amigo, o bombeiro Wallace (Rodrigo Faro) na tragédia. Ele, no entanto, namora a explosiva suburbana Ivonete (Amandha Lee), irmã de Wallace, que passa a culpar Carolina pela morte de seu irmão. Já Carol namora o playboy Tomás (Bruno Ferrari), um mauricinho mau-caráter e manipulado pela mãe Vilma (Lucinha Lins).

Fria e sem escrúpulos, Vilma é uma mulher ardilosa e de gênio forte, que alimenta no filho mais velho o desejo de vingança contra Walter. O finado marido de Vilma, João, era sócio de Walter, mas foi acusado de se envolver em negociatas ilícitas e se matou. Sentindo-se culpado, Walter nomeou Vilma como administradora da fábrica e passou a ajuda-los financeiramente, sequer imaginando que ela na verdade o despreza e o rouba. Almejando tornar Tomás o presidente da GG, Vilma não vê com bons olhos a reaproximação de Pedro e Carolina e passa a criar armadilhas para separar o casal, não imaginando que seu filho acabasse se apaixonando por Ivonete.

O bad-boy Antônio (Dado Dolabella) é um jovem rebelde e delinquente que nunca superou a morte dos pais e possui sérios conflitos com o irmão Pedro. Com várias passagens pela polícia, Antônio passou a integrar uma gangue criminosa que pratica diversos rachas e atos de vandalismo por Nova Iguaçu, junto com os amigos Marreta (Vítor Hugo), Manu (Juliana Lohmann), Léo (Rafael Queiroga), Jairo (Igor Cotrim) e Telma (Lisandra Cortez). Filha de Vilma, com quem também tem vários conflitos, a rebelde Beatriz (Andréia Horta) acaba se envolvendo com Antônio e tenta de várias maneiras desmascarar a mãe, que sempre a humilhara. Enquanto isso, a adolescente Vivi (Letícia Colin), irmã de Pedro, passa pelos típicos problemas da idade e navegando na internet passa a conversar com o pedófilo Lipe (André Di Mauro), homem problemático que passa a persegui-la obsessivamente, fazendo com que a menina se torne retraída e depressiva.

A trama ainda mostra o drama do bombeiro Guilherme (Roger Gobeth), rapaz mulherengo que descobre ser HIV positivo e não sabe como contar para a namorada, Michelle (Luíza Curvo), e para a família, sofrendo em silêncio. Já Miguel (Floriano Peixoto) é um homem misterioso que vive na Reserva Biológica Federal do Tinguá e possui um forte ligação com Vilma, de quem foi amante no passado e por quem teve a vida arruinada, isolando-se de toda a sociedade e passando a proteger a mata de caçadores ilegais.

Ao longo da trama, Vilma torna-se cada vez mais perigosa e irada pelo poder, aflorando seu lado piromaníaca e usando o fogo para assassinar seus inimigos, sempre deixando uma placa de aço com o desenho de uma fênix nos locais como marca registrada. Porém, a vida da vilã torna-se um inferno quando suas placas de fênix são roubadas e um incendiário misterioso passa a cometer uma série de crimes e para incrimina-la e fazê-la sofrer.

Exibição[editar | editar código-fonte]

A emissora pretendia reapresentar a novela em julho de 2015 como primeira telenovela da nova faixa de reprises, porém teve que desistir dos planos após ser barrada pelo Ministério da Justiça pelas cenas de violência impróprias para o horário da tarde, entrando Prova de Amor em seu lugar.[5][6] No mesmo ano foi exibida pela Investigação Discovery entre 31 de agosto de 2015 e 7 de agosto de 2016 às 12h55, contando com um final diferente da original, onde o incendiário é outro personagem.[7] Em setembro, após realizar alguns cortes nas cenas fortes, a RecordTV conseguiu a liberação do Ministério, reexibindo-a entre 26 de outubro de 2015 à 27 de setembro de 2016 em 230 capítulos, substituindo Dona Xepa e sendo substituída por Vidas em Jogo às 15h45, contando com o mesmo final da Investigação Discovery.

Está sendo reprisada pela segunda vez na RecordTV desde 28 de fevereiro de 2022, substituindo Prova de Amor ás 15h20.[8] Essa reprise foi escalada ás pressas, uma vez que a próxima novela da tarde seria Vitória (2014–15). No entanto, devido á polêmica entrevista do Flow Podcast, transmitida no dia 8 de fevereiro de 2022 pelo seu canal no YouTube, e sob protesto do elenco devido a abordagem do tema do neonazismo, a trama foi novamente vetada, uma vez que já havia sido em 2019 para evitar associações ao Massacre de Suzano, ocorrido uma semana antes.[9][10]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Intérprete Personagem
Juliana Silveira Carolina Monteiro Azevedo de Castro (Carol)[1]
Leonardo Brício Pedro Galvão Ferreira[1]
Lucinha Lins Vilma Oliveira Santos[1]
Bruno Ferrari Tomás Oliveira Santos[1]
Amandha Lee Ivonete Amaro da Silva[1]
Letícia Colin Viviane Galvão Ferreira (Vivi)[1]
André Di Mauro Felipe Resende (Lipe)[1]
Andréia Horta Beatriz Oliveira Santos[1]
Dado Dolabella Antônio Galvão Ferreira[1]
Juliana Lohmann Manuela Barbosa Castelli (Manu)[1]
Jussara Freire Arlete Monteiro Azevedo de Castro[1]
Antônio Grassi Walter Azevedo de Castro[1]
Giuseppe Oristanio Roberto Cardoso de Oliveira[1]
Floriano Peixoto Miguel Costa[1]
Roger Gobeth Guilherme Bueno Pimenta (Gui)[1]
Luíza Curvo Michele Cavalcante Gomes[1]
Lisandra Cortez Telma Dias[1]
Gabriel Gracindo Soldado Eurico Camargo Júnior (Junior)[1]
Ana Paula Tabalipa Raíssa Mendes[1]
Vítor Hugo Fernando Teixeira (Marreta)[1]
Ewerton de Castro Brito Pimenta[1]
Stella Freitas Roseclair Bueno Pimenta[1]
Íris Bruzzi Teresa Amaro da Silva (Vó Tuquinha)[1]
Marilu Bueno Catarina Amaro da Silva (Tia Catarina)[1]
Milhem Cortaz Sargento Carlos José Lima (Cazé)[1]
Nathália Rodrigues Suelen Almeida Batista[1]
Mariana Hein Andressa de Souza[1]
Nina de Pádua Lourdes Amaro da Silva[1]
Raymundo de Souza Comandante Eurico Camargo[1]
Umberto Magnani Dionísio Cardoso de Oliveira[1]
Dáblio Moreira Máicon das Dores Vieira (Demorô)[1]
Thiago de Los Reyes Gustavo Oliveira Santos Costa (Guga)[1]
Giordanna Forte Cíntia Rocha[1]
Rafael Queiroga Leonardo Frota (Léo)[1]
Edward Boggis Diego Cunha[1]
Catarina Abdala Margareth das Dores Vieira[1]
Ivone Hoffmann Odiléia Bueno[1]
André Luiz Miranda Lincoln Ribeiro[1]
Roberta Santiago Gildete Rodrigues[1]
Claudiana Cotrim Darlene Frota[1]
Zeca Carvalho Investigador Xavier[1]
Ricardo Pavão Delegado Fausto[1]
Vanessa Pascale Verônica[1]
Waldyr Gozzy Ricardo[1]
Denise Orthis Maria da Glória
João Vithor Oliveira Rafael Galvão Ferreira (Rafa)[1]
Gabriel Moura Gabriel Mendes[1]
Dudu Cury Joaquim[1]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Rodrigo Faro Tenente Wallace Amaro da Silva[1]
Sandra Pêra Mercedes Ferreira[1]
Roberto Bomtempo Docinho[1]
Igor Cotrim Jairo Koerich[1]
Guilherme Leme André Lemos[1]
Verônica Debom Carla Lemos[1]
Lívia Rossi Sargento Glória Benete[1]
Camilo Bevilacqua Gastão Rufino Albuquerque[1]
Alexandre Mandarino Tadeu Rufino Albuquerque[1]
Alexandre Zacchia Washington Teixeira[1]
Gustavo Ottoni Adeílson Pinto Rodrigues[1]
João Velho Lagarto[1]
Lady Francisco Safira[1]
Michel Gomes Emerson[1]
Maria Sílvia Miriam Resende[1]
Marcelo Batista Zeca[1]
Roney Villela Carlão[1]
Jalusa Barcellos Suzana Cavalcante Gomes[1]
Nathália Limaverde Isabel[1]
Antônio Pompeo Seu Aderbal[1]
Kito Junqueira Paulo Castelli[1]
Hélio Ribeiro Leopoldo Dalago[1]
Maíra Charken Emília[1]
Roberto Frota Pai de Lipe[1]
Gisela Reimann Alice[1]
Clara Garcia Zuleika[1]
Luka Ribeiro Marcondes[1]
Wesley Pereira Queiroz Victor Ribeiro[1]
Leandro Develly Kiko[1]
Daniel Iasi Tenente Marcos[1]
Marcelo Assunção Dantas / Augusto[1]
Victor Rocha Juca[1]
Sílvio Matos Hélio[1]
Cláudio Tovar Juiz Estevão[1]
Raul Labancca diretor do reformatório[1]
Carla Pompílio assistente social[1]
Jonathan Azevedo bandido[1]
Gregório Duvivier suicida[1]
Alexandre Dacosta empregado de Walter[1]
João Vítor Silva Tomás (criança)[1]
Eduarda Saboya Beatriz (criança)[1]
Dudu Nobre Ele mesmo[11]
Os Morenos Eles mesmos[12]

Música[editar | editar código-fonte]

Chamas da Vida
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento 20 de agosto de 2008
Gravação 52:05
Gênero(s)
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s)

A trilha sonora foi lançada em 20 de agosto de 2008, em parceria da Record Produções e Gravações com a Sony. Entre as canções destaca-se Fogo e Paixão, tema de abertura, cantada por Fabio Jr., a canção Carolina cantada por Seu Jorge e Escolhas, Provas e Promessas pela banda CPM 22. Entre outros cantores, ainda há Ana Carolina, Cassia Eller, Lenine, Jorge Aragão, Mikefoxx e Twiggy. Na capa estampam os protagonistas Juliana Silveira e Leonardo Brício.

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Fogo e Paixão"  Fábio JúniorAbertura 03:23
2. "Sinais de Fogo"  Ana Carolina e Seu JorgeCarolina e Pedro 02:38
3. "Sem Divida, Sem Duvida"  Jorge AragãoPensão da Vó Tuquinha 04:03
4. "Primeiros Erros"  MikefoxxAntônio e Beatriz 03:59
5. "Escolhas, Provas e Promessas"  CPM 22Ferro-velho 02:58
6. "Entre a Sola e o Sapato"  Alcione e Gilberto GilArlete 04:28
7. "Carolina"  Seu JorgeCarolina 05:53
8. "Escorregadia"  TwiggyJunior e Raíssa 04:00
9. "Qualquer Coisa"  Arnaldo AntunesIvonete e Tomás 02:55
10. "Faz o Pagode Explodir"  Dudu NobreIvonete 02:37
11. "Meu Mundo Ficaria Completo (Com Você)"  Cássia EllerCazé e Raíssa/Suelen 04:10
12. "Hoje Eu Quero Sair Só"  LenineMarreta e Manu 05:38
13. "Feelings"  Morris AlbertVilma 03:46
14. "Also Sprach Zarathustra"  HervahQuartel dos bombeiros 03:14
Outras canções não incluídas na trilha sonora

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

A novela Chamas da Vida não terminou em março de 2009, como inicialmente previsto. Com a alta audiência da novela, a Record esticou Chamas da Vida até 28 de abril de 2009, então, Chamas da Vida totalizou 253 capítulos.

Chamas da Vida foi considerada uma das melhores telenovelas já produzidas pela emissora RecordTV, ao lado de Essas Mulheres, Cidadão Brasileiro, Vidas Opostas, Vidas em Jogo, Pecado Mortal e Os Dez Mandamentos. A novela foi particularmente popular em Fortaleza[13] e no Rio de Janeiro,[14] cidades onde a Record chegou a superar a média de audiência da TV Globo.

A abordagem do tema da pedofilia através do polêmico vilão Lipe (interpretado por André Di Mauro) causou uma grande repercussão.[15]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Exibição original

O primeiro capítulo teve excelente média de 19 pontos, sete a mais que a estreia da anterior, Amor e Intrigas.[16] O segundo capítulo conseguiu manter o mesmo índice, com 28% de share.[17] Em 12 de novembro atingiu picos de 21 pontos durante as cenas de perseguição do pedófilo Lipe.[18] O último capítulo teve média de 18 pontos com picos de 22 e alcançou a liderança por 9 minutos.

Reprises

Reestreou com 5 pontos.[19] Sua maior audiência foi de 7 pontos no dia 27 de abril de 2016.[20] O último capítulo registrou 6 pontos, tendo média geral de 5 pontos.[21]

A estreia da segunda reprise marcou 5 pontos, mantendo a vice-liderança.[22] O segundo capítulo obteve 6 pontos.[23] Durante sua exibição, ficou alternando entre 4 e 5 pontos. Apesar de ser uma média considerada razoável em relação as novelas anteriores reapresentadas na faixa das 15h e ser também uma das únicas atrações a fechar na vice-liderança na RecordTV, que enfrentava uma crise de audiência, a novela tinha como concorrência pesada a reapresentação da novela O Cravo e a Rosa, que costumava registrar médias entre 13 e 15 pontos.[24][25]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado Ref.
2008 Prêmio Extra de Televisão Melhor Novela Chamas da Vida Indicado [26]
2009 Troféu Imprensa [27]
Troféu Internet
Prêmio Contigo! de TV Melhor Autor Cristianne Fridman [28]
Melhor Novela Chamas da Vida
Melhor Atriz Lucinha Lins
Melhor Ator Leonardo Brício
Melhor Atriz Coadjuvante Amandha Lee
Andréia Horta
Melhor Ator Coadjuvante André Di Mauro
Bruno Ferrari
Melhor Diretor Edgard Miranda

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az ba bb bc bd be bf bg bh bi bj bk bl bm bn bo bp bq br bs bt bu bv bw bx by bz ca cb cc cd ce cf cg ch ci cj ck Chamas da Vida
  2. Tânia Ribeiro (21 de Março de 2008). «Nova trama da Record será ambientada na Baixada Fluminese». OFuxico. Terra Networks. Consultado em 23 de Março de 2007 
  3. [1]
  4. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome www1.folha.uol.com.br
  5. «Record define as duas novelas que vai reprisar de tarde». Consultado em 1 de julho de 2015 
  6. «Record reexibirá Prova de Amor no lugar de Chamas da Vida - blogs e colunas - UOL TV e Famosos». Consultado em 2 de outubro de 2015 
  7. «Novela da Record é exibida pelo canal pago ID - Investigação Discovery». Portal 4. Consultado em 5 de setembro de 2015 
  8. «'Chamas da Vida' vai substituir 'Prova de Amor' nas tardes da Record». R7.com. 17 de fevereiro de 2022. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  9. colunista, GABRIEL VAQUER (15 de fevereiro de 2022). «Novela adiada após massacre, reprise da Record tem núcleo neonazista». Notícias da TV. Consultado em 9 de julho de 2022 
  10. «Produção de 'Estômago' 2 começará em março - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 9 de julho de 2022 
  11. Virgínia Garbin (28 de agosto de 2008). «Arlete (Jussara Freire) contrata o pagodeiro Dudu Nobre em 'Chamas da vida'». O Globo. Consultado em 17 de setembro de 2019 
  12. Participação de Os Morenos na novela "Chamas da Vida no Youtube
  13. http://natelinha.uol.com.br/2009/02/27/not_20867.php
  14. http://natelinha.uol.com.br/2009/01/30/not_20300.php
  15. «André Di Mauro e a repercussão de seu polêmico vilão». M de Mulher. 1 de dezembro de 2008. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  16. «Estréia de Chamas da Vida dá o segundo lugar a Record». 180 Graus. 9 de julho de 2008. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  17. «Nova novela da Record fica em segundo lugar no Ibope». Bol. 10 de julho de 2008. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  18. «Perseguição a pedófilo rende a melhor audiência de "Chamas da Vida"». UOL. Consultado em 7 de maio de 2018 
  19. REDAÇÃO (27 de outubro de 2015). «Com décima praga, novela bíblica tem novo recorde e atinge marca histórica». Notícias da TV. Consultado em 2 de março de 2022 
  20. REDAÇÃO (28 de abril de 2016). «Com jogo ruim do Corinthians, Libertadores bate recorde na Globo». Notícias da TV. Consultado em 2 de março de 2022 
  21. REDAÇÃO (28 de setembro de 2016). «Batalha dos Cozinheiros termina com recorde no Ibope e futuro incerto». Notícias da TV. Consultado em 2 de março de 2022 
  22. «Silvio Santos acerta e SBT cresce 20% após trocar telejornal por desenho». TV Pop. 2 de março de 2022. Consultado em 2 de março de 2022 
  23. «Globo empilha recordes de ibope em dia de boicote dos fãs de Bolsonaro». TV Pop. 2 de março de 2022. Consultado em 2 de março de 2022 
  24. «Chamas da Vida supera 'era evangélica' das novelas da Record». NaTelinha. Consultado em 27 de agosto de 2022 
  25. «'Chamas da Vida' conquista 2º lugar absoluto na audiência». R7.com. 24 de maio de 2022. Consultado em 27 de agosto de 2022 
  26. «Ganhadores do Prêmio Extra de TV 2008». Extra. Consultado em 10 de março de 2018 
  27. «Troféu Imprensa de 2009». Mídia Interessante. Consultado em 10 de março de 2018 
  28. «Confira os vencedores do 11º Prêmio de TV Contigo!». Terra. Consultado em 10 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]