Umberto Magnani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Umberto Magnani
Magnani na peça teatral Elza e Fred, 2014
Nome completo Umberto Magnani Netto
Nascimento 25 de abril de 1941
Santa Cruz do Rio Pardo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Morte 27 de abril de 2016 (75 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Ocupação Ator e produtor
Atividade 1965 – 2016
Cônjuge Cecília Maciel Magnani (1970–2016)
Outros prêmios
Prêmio Molière

1981: Melhor ator — Lua de Cetim

Troféu Mambembe

1981: Melhor ator — Lua de Cetim
1988: Melhor ator — Às Margens do Ipiranga

Prêmio Governador do Estado

1988: Melhor ator — Às Margens do Ipiranga 1989: Melhor ator — Nossa Cidade

IMDb: (inglês)

Umberto Magnani Netto (Santa Cruz do Rio Pardo, 25 de abril de 1941Rio de Janeiro, 27 de abril de 2016) foi um ator e produtor brasileiro. Teve extensa trajetória no teatro, televisão e cinema. Muito premiado, ele marcou a dramaturgia nacional como intérprete e, também, como produtor de espetáculos consagrados.

Umberto teve intensa atividade como professor e nas áreas administrativas e até política ligadas ao setor. Ele foi diretor da Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo (APETESP), entre os anos de 1972 e 1988; diretor regional em São Paulo da Fundação Nacional de Artes Cênicas (Fundacen), do Ministério da Cultura de 1977 a 1990; presidente da Comissão de Teatro da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, em 1985; membro da Comissão de Reconhecimento dos Cursos de Artes Cênicas em São Paulo do Ministério da Educação (MEC), em 1987 e 1988; membro do Conselho Diretor do Laboratório Cênico de Campinas, da Prefeitura Municipal de Campinas em 1988 e 1989; coordenador das oficinas de Teatro Comunitário do Programa Universidade Solidária de 1996 e 1999. Foi Secretário da Cultura e Turismo em Santa Cruz do Rio Pardo, São Paulo, nos anos de 2001 e 2002.[1]

Entre os prêmios que ganhou, está o Troféu Mambembe e o Prêmio Molière de melhor ator em 1981, por sua atuação no espetáculo Lua de Cetim. Em 1988, recebeu o Troféu Mambembe e o Prêmio Governador do Estado de melhor ator em Às Margens do Ipiranga. Levou também o Prêmio Governador do Estado de melhor ator em 1989 pela peça Nossa Cidade.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, no interior de São Paulo. A família tem origem italiana, o pai era alfaiate. Aos 13 anos, começou a trabalhar como locutor de um programa infantil no rádio. O ator era casado com a atriz Cecília Maciel Magnani e tiveram três filhos: Ana Júlia, Beto (ator) e Graciana (atriz). Umberto começou sua carreira ao se formar como ator na Escola de Arte Dramática (EAD), em São Paulo, na década de 1960, e trabalhou produzindo, dirigindo e atuando em peças de teatro.[3]

Umberto Magnani e Suely Franco na peça Elza e Fred.

Em 1968, entrou para o Teatro de Arena substituindo Antonio Fagundes na peça Primeira Feira Paulista de Opinião, de Lauro César Muniz.[4] Atuou nas peças Frank V (1973), Concerto nº 1 para Piano e Orquestra (1976) e destacou-se como ator em 1977, em O Santo Inquérito, de Dias Gomes. Sua primeira produção nos palcos foi a peça Palhaços, em 1971. Em muitos de seus espetáculos como intérprete, atuou também como produtor. É o caso de Mocinhos Bandidos (1979), Lua de Cetim (1981), Cabeça e Corpo (1983), Louco Circo do Desejo (1985) e O Jogo (1994). Em 1996, ao lado do filho, Beto Magnani, Umberto atuou no espetáculo Avesso. Em 2014, participou da montagem da peça Elza e Fred, com Suely Franco. No cinema, Umberto atuou em Quanto Vale Ou É Por Quilo? (2005), Cristina Quer Casar (2003), Cronicamente Inviável (2000), Kuarup (1989), A Hora da Estrela (1985), entre outros.[3]

Estreou na televisão em 1973, interpretando o personagem Zé Luis na primeira versão da novela Mulheres de Areia, na extinta TV Tupi. Na Globo, ele participou de consagradas novelas, como Felicidade (1991), História de Amor (1996), Por Amor (1997), Mulheres Apaixonadas (2003), Cabocla (2004), Alma Gêmea (2005) e Páginas da Vida (2006). Também participou de minisséries como Presença de Anita (2001) e do seriado Sandy & Júnior (1999). Na Rede Record atuou nas novelas Chamas da Vida (2008), Ribeirão do Tempo (2010), Máscaras (2012) e Balacobaco (2012). O seu último trabalho na Record foi na elogiada série Conselho Tutelar (2015). Em 2016, após 10 anos na Rede Record, retorna à Globo para atuar na novela Velho Chico.[5]

No dia 25 de abril de 2016, Umberto Magnani foi afastado da novela Velho Chico e substituído pelo ator Carlos Vereza após sofrer um AVE (acidente vascular encefálico), na trama ele era o personagem Padre Romão e seu personagem virou padre emérito.[6] No mesmo dia, ele comemorava o aniversário de 75 anos. O ator foi submetido a uma cirurgia na madrugada do dia 26 para o dia 27 de abril de 2016, mas não resistiu e morreu dois dias depois.[2] Seu corpo foi velado no centro cultural batizado com seu nome, em sua cidade natal, sendo sepultado no cemitério municipal[7] Sua esposa Cecília faleceu cerca de 6 meses depois, no dia 8 de novembro, devido à complicações provocadas por uma pneumonia.[8]

Música[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Novelas, Séries e Minisséries
Ano Título Papel Notas
2017 A Grande Viagem (série) Mário[9]
2016 Velho Chico Padre Romão[10]
Conselho Tutelar Juca
2015 Milagres de Jesus Timeu Episódio: "O Cego de Jericó"[11]
2012 Balacobaco Genivaldo Aragão
Máscaras Administrador Jeremias
2010 Ribeirão do Tempo Delegado Luis Ajuricaba
2008 Chamas da Vida Dionísio Cardoso de Oliveira
2007 Amigas e Rivais Pedro Gonçalves
2006 Páginas da Vida Zé Ribeiro
2005 Alma Gêmea Elias
2004 Cabocla Chico Bento
2003 Mulheres Apaixonadas Argemiro Batista
2001 Presença de Anita Eugênio
2000 Laços de Família Eládio
1999 Sandy & Junior Otacílio
1997 Por Amor Antenor Andrade
1996 História de Amor Mauro Moretti
1994 Éramos Seis Alonso
1991 Felicidade Ataxerxes
1990 Rosa dos Rumos Olegário
1986 Memórias de um Gigolô Bezerra
1985 Joana Sérgio
Grande Sertão: Veredas Borromeu
1984 Anarquistas Graças a Deus Tio Guerrando
1983 Razão de Viver Bruno
1982 Caso Verdade
1973 Mulheres de Areia Zé Luis

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmes
Ano Título Papel
2011 A Grande Viagem Vovô Mário
2009 Os Inquilinos Dimas
2005 Quanto Vale Ou É Por Quilo?
2003 Cristina Quer Casar
2000 Cronicamente Inviável Alfredo
1989 Kuarup Fontoura
1985 A Hora da Estrela Seu Raimundo
Jogo Duro
1976 Chão Bruto

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons