Lady Francisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lady Francisco
Lady Francisco no 25.º Prêmio da Música Brasileira
Nome completo Leyde Chuquer Volla Borelli Francisco de Bourbon
Nascimento 7 de janeiro de 1935[nota 1]
Belo Horizonte, MG
Nacionalidade brasileira
Morte 25 de maio de 2019 (84 anos)[nota 1]
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação atriz
produtora
diretora
Atividade 1959–2018

Leyde Chuquer Volla Borelli Francisco de Bourbon[1][2] (Belo Horizonte, 7 de janeiro de 1935 [nota 1]Rio de Janeiro, 25 de maio de 2019), mais conhecida como Lady Francisco, foi uma atriz, produtora e diretora brasileira.

Entre 1972 e 1973, já na cidade do Rio de Janeiro, atuou na novela Jerônimo, o Herói do Sertão na TV Tupi. Depois transferiu-se para a TV Globo, onde atuou na novela A Escrava Isaura (1976), Marrom Glacê (1979), Baila Comigo (1981) e Louco Amor (1983). Entre 2015 e 2016, participou da série República do Peru, exibida pela TV Brasil em 26 episódios. Sua última participação na televisão foi em Malhação: Vidas Brasileiras (2018), da Rede Globo.

Já no cinema, sua estreia deu-se na década de 1970, atuando nos filmes Um Varão Entre as Mulheres (1974), O Padre que Queria Pecar (1975), O Crime do Zé Bigorna (1977) e Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia (1977). Também participou na direção de O Preço do Prazer (1979). Na década de 1980, atuou em Anjos do Sexo (1981) - que também co-dirigiu - Os Rapazes das Calçadas (1981), Profissão Mulher (1982) e Punk - Os Filhos da Noite (1986). Seu último trabalho no cinema foi em 2019, no filme Goitaca.

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Lady Francisco começou a carreira artística na sua cidade natal, Belo Horizonte, no rádio e na TV Itacolomi, do grupo Diários Associados.[3]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Lady Francisco já trabalhou ao lado de Renato Aragão e Dedé Santana (foto) no humorístico Os Trapalhões.

Iniciou sua trajetória em 1972 na telenovela Jerônimo, o Herói do Sertão como Suzana e Ana Beatriz.[4] Três anos mais tarde, deu vida às personagens Rose em Pecado Capital; e Berta Lammar em Cuca Legal.[5][6] Em 1976, viveu Juliana em Escrava Isaura e Tude em O Feijão e o Sonho e, no ano seguinte, atuou como Carla em Locomotivas.[7][8][9] Em 1978, interpretou Helena e Wânia em Pecado Rasgado; e foi Regina em O Pulo do Gato.[10][11] Concluiu esta década na pele de Leonora em Marron Glacê, além de fazer participação na série Plantão de Polícia, no episódio "Sábado Louco".[12][13]

No início da década de 1980, trabalhou ao lado dos atores Renato Aragão e Dedé Santana no humorístico Os Trapalhões até 1982; além da atuação como Ondira de Moraes na telenovela Baila Comigo; viver Gisela em Louco Amor e Liana em Transas e Caretas.[14][15][16][17] Na década de 1990, começou na pele de Yara em Barriga de Aluguel e como uma dona de pensão na minissérie As Noivas de Copacabana.[18][19] Em 1995, esteve no papel de Carmen em Explode Coração e, dois anos mais tarde, como Candê em O Amor Está no Ar.[20][21] Encerrou o milênio como a cartomante Madame Consuelo em Por Amor.[22]

Na década de 2000, interpretou Marinalva na telenovela Marcas da Paixão.[23] Em 2004, participou da série Meu Cunhado e, no ano seguinte, esteve na pele de Generosa em Alma Gêmea.[24][25] Em 2007, viveu Odete em Duas Caras, encerrando seu trabalho nesta década dois anos mais tarde em Chamas da Vida como Safira.[26][27] No início da década de 2010, deu vida a Madame Kastrup em Cheias de Charme, além de atuar como Loreta em Louco por Elas e Silmara em Saramandaia.[28][29][30] Em 2014, foi Madá em Geração Brasil e, no ano seguinte, atuou como Arlete em República do Peru e foi uma dona de pensão em Totalmente Demais.[31][32][33] Seu último trabalho na televisão foi em 2018 como Lorraine em Malhação: Vidas Brasileiras.[34]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Estreou nas telonas em 1974 no filme Um Varão entre as Mulheres.[35] No ano seguinte, participou de cinco longas: Com as Calças na Mão, O Roubo das Calcinhas, O Padre que Queria Pecar como a esposa do síndico; As Deliciosas Traições do Amor e As Loucuras de um Sedutor.[36][37][38][39][40] Em 1977, deu vida a Lígia em Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia e Marlene em O Crime do Zé Bigorna, este último papel rendeu o prêmio de 'Melhor Atriz' no Festival de Brasília.[41][42] Posteriormente, fez participação em Os Melhores Momentos da Pornochanchada e em Desejo Violento.[43][44] Lady Francis Concluiu a década em quatro filmes: Uma Estranha História de Amor como Mônica; Viúvas Precisam de Consolo como Dolores; O Preço do Prazer e Os Foragidos da Violência como Paula.[45][46][47][48]

Iniciou a década de 1980 trabalhando como diretora, co-produtora e como atriz do longa Anjos do Sexo, interpretando Lourdes; além de exercer a função de assistente na direção e na dublagem do personagem Luís em Os Rapazes das Calçadas.[49][50] Em 1982, foi protagonista do filme Punk's - Os Filhos da Noite na pele da Rainha, assim como, deu vida a Vera em Profissão Mulher.[51][52] Dois anos mais tarde, participou em Amenic - Entre o Discurso e a Prática e em Aguenta Coração.[53][54] Concluiu o decênio na pele de Marta em O Verdadeiro Amante Sexual; além de fazer aparição no filme Sexo Selvagem dos Filhos da Noite.[55][56]

Após passar mais de duas décadas longe do cinema, retornou em 2010 interpretando uma velha no filme A Casa Errada.[57] Seu último papel no cinema em Goitaca, em 2019, dirigido por Rodrigo Rodrigues.[58]

Na música[editar | editar código-fonte]

Em 1983 a atriz lançou um compacto com duas músicas - Moça do Fuscão e Onde Andará - pela gravadora CID que continha um pôster de Lady Francisco. Fuscão Preto foi uma resposta a Fuscão Preto, hit na voz de Almir Rogério.[59]

Pornochanchadas[editar | editar código-fonte]

Lady Francisco foi um símbolo sexual do anos 1970. Depois de ser parte do júri do Flávio Cavalcanti e fazer sua primeira novela na TV Tupi, Jerônimo - o Herói do Sertão, a atriz participou de dezenas de pornochanchadas. Em 1975 quando fez a novela Cuca Legal e Pecado Capital, que se estendeu de novembro de 1975 até junho de 1976, Lady gravou seis filmes eróticos.[60] A atriz chegou a ouvir de atrizes auto denominadas "shakesperianas" que "o resto do elenco é que tinha que aparecer" e que ela estava ali para fazer o que elas mandassem. Quando levou o público às gargalhadas contracenando com um comediante, ouviu: "Quem está aqui para fazer rir sou eu, não você. Então, fica na sua!".[carece de fontes?]

A exposição como "gostosa" atraia telefonemas para contratar seus supostos serviços sexuais. "As cafetinas ligavam para a minha casa diariamente fazendo propostas. "Um dia, resolvi aceitar." No local marcado, muito constrangida, disse ao homem que esperava por seus serviços que "nunca tinha feito aquilo". Não aconteceu nada e os dois ficaram amigos. No dia da prova do vestido de noiva para um casamento que não aconteceu (o noivo já era casado) aprendeu com a costureira a fingir orgasmo. "Ela me ensinou tão bem que eu passei o resto da vida fingindo. Nunca tive prazer no sexo.”[61]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

Lady Francisco era uma das três filhas de Mathilde e José Francisco, que era descendente de espanhóis, italianos e sírios e trabalhava como mascate. Depois de vender mercadorias de porta em porta, abriu uma loja de artigos infantis em Belo Horizonte chamada Casa do Guri, e tornou-se rico e influente. Seu casarão no bairro nobre Floresta era frequentado por políticos, pelo prefeito, governador e senadores da República. Até mesmo o então deputado federal Juscelino Kubitschek era íntimo de seu pai. Por causa dessas ocasiões, o comerciante obrigava as filhas a se apresentarem muito bem vestidas. Lady relatou que sofria bullying de sua própria mãe, que a considerava a mais feia das irmãs. Na época, a menina apresentava um comportamento agitado e tinha desmaios que eram atribuídos a uma suposta mediunidade. Isso fez com que seus pais a levassem a consultas com um psiquiatra, em cujo consultório era submetida a choques elétricos.[62]

Casamento frustrado e início difícil na carreira[editar | editar código-fonte]

Mesmo tendo passado por aquelas experiências na infância, foi aeromoça e depois radialista. Participava também de concursos de beleza, em que conquistou diversos títulos, antes de tornar-se atriz na TV Itacolomi, pertencente ao grupo Diários Associados, de Assis Chateaubriand, que era amigo do seu pai e também frequentava a mansão da família.[62]

Lady Francisco em julho de 2004, no Programa do Jô[63]

Com cerca de vinte anos, Lady Francisco chegou a marcar casamento com um engenheiro, mas no dia da cerimônia descobriu que ele já tinha outra família. Não houve o casamento, mas passaram a viver juntos e tiveram dois filhos, Oscar Victor e Andrea. Separaram-se quando ela mudou-se para o Rio de Janeiro em 1972 sozinha, para ingressar na TV Tupi e depois na TV Globo. Nessa época, seu pai havia perdido quase toda a fortuna no jogo, perdendo as propriedades para pagar as dívidas, ficando a família praticamente na miséria. Lady foi para o Rio de Janeiro decidida a vencer na carreira artística, e teve um começo muito difícil na cidade, chegando a ser assaltada e viver de favores, mas sempre ia para a porta da TV Tupi, até que um dia foi chamada para compor o júri do programa de Flávio Cavalcanti.[62]

Casos de abuso sexual e vida sentimental[editar | editar código-fonte]

Sua trajetória a levou depois para a TV Globo onde, conta ela, chegou a sofrer abusos sexuais de um diretor de TV cujo nome ela só revelaria se ele morresse primeiro. A atriz revelou também que sofreu um abuso sexual ainda mais pavoroso, tendo sido estuprada por quatro homens na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, ao desembarcar de um táxi. Um mês depois descobriu que estava grávida e realizou um aborto. Lady nunca se casou, depois do relacionamento que teve em Belo Horizonte com o pai de seus filhos. Ela revelou que seu único "caso" mais sério foi com o dramaturgo Dias Gomes, depois que sua esposa e também dramaturga Janete Clair morreu. Sua maior paixão, segundo relata, eram os animais, pelos quais se declarava "violentamente apaixonada.[62] Para defender os animais e idosos, chegou a se candidatar a deputada estadual pelo Rio de Janeiro pelo PRB.[64]

Acidente e morte[editar | editar código-fonte]

No final de abril de 2019 a atriz sofreu uma queda num parque do Rio Janeiro, ao tentar defender seus cachorros em uma briga com outros cães, fraturando o fêmur.[65]. Em 2 de maio, ela foi internada em um hospital na Barra da Tijuca para realizar um tratamento para correção da fratura, mas sofreu complicações respiratórias e precisou ser transferida para a UTI. O boletim médico, uma semana depois, relatava que o estado de saúde da atriz até então era estável.[66] No entanto, três semanas depois da internação, o quadro clínico se agravou por causa de uma isquemia e foi necessário realizar uma traqueostomia.[67][68]

A atriz morreu na tarde de 25 de maio, segundo o boletim do hospital, "por falência de múltiplos órgãos, decorrente de isquemia enteromesentérica (transtorno vascular agudo dos intestinos)".[69][70] Sua morte ocorreu durante a exibição da segunda reprise da novela Por Amor (1997), em que Lady Francisco interpretava a cartomante Madame Consuelo.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2018 Malhação: Vidas Brasileiras Lorraine
2015 República do Peru Arlete[71]
Totalmente Demais Fátima[72]
2014 Geração Brasil Madá[73]
2013 Saramandaia Silmara[74]
Louco por Elas Loreta
2012 Cheias de Charme Madame Kastrup
2009 Chamas da Vida Safira
2007 Duas Caras Odete
2005 Alma Gêmea Generosa
2004 Meu Cunhado Dona Zulma (ep: "Terra à Vista")
2000 Marcas da Paixão Marinalva
1998 Por Amor Madame Consuelo
1997 O Amor Está no Ar Candoca Guimarães Ribeiro (Candê)
1995 Explode Coração Carmem
1992 As Noivas de Copacabana Dona da pensão
1990 Barriga de Aluguel Yara
1984 Transas e Caretas Liana
1983 Louco Amor Gisela Dumont
1981 Baila Comigo Ondina de Moraes
1979–82 Os Trapalhões Várias personagens
1979 Marron Glacê Eleonora
Plantão de Polícia[75]
1978 Pecado Rasgado Helena / Wânia
O Pulo do Gato Regina
1977 Locomotivas Carla Lambrini
1976 Escrava Isaura Juliana dos Anjos
O Feijão e o Sonho Tude
1975 Pecado Capital Rose
Cuca Legal Elizabeth Pappalardo / Berta Lammar
1972 Jerônimo, o Herói do Sertão Suzana / Ana Beatriz

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2019 Goitaca Mãe Ci / Iara
2017 Ódio Estela
2010 A Casa Errada Velha[76]
1987 Sexo Selvagem dos Filhos da Noite
1985 O Verdadeiro Amante Sexual Marta[77]
1984 Amenic - Entre o Discurso e a Prática
Aguenta, Coração Tutuca
1982 Punk's - Os Filhos da Noite
Profissão Mulher Vera
1981 Anjos do Sexo Lourdes[78]
Rapazes da Calçada Luís[79]
1979 Uma Estranha História de Amor Mônica[80]
Viúvas Precisam de Consolo Dolores[81]
O Preço do Prazer
Os Foragidos da Violência Paula[82]
1978 Os Melhores Momentos da Pornochanchada Ela mesma
Desejo Violento
1977 Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia Lígia[83]
O Crime do Zé Bigorna Marlene[84]
1975 Com as Calças na Mão Mulher no bar
O Roubo das Calcinhas Kátia
O Padre que Queria Pecar Esposa do síndico[85]
As Deliciosas Traições do Amor Petúnia[86]
As Loucuras de um Sedutor
1974 Um Varão entre as Mulheres Sandra

Teatro[editar | editar código-fonte]

Título[87] Ano
Os Dálmatas - O Musical 2000
Perdidos na Floresta (direção) 2000
Tricotando 2016
Os Dálmatas (direção e elenco) 1998
Apenas uma Mulher 1996
Uma Mulher de Vida Fácil 1994
Agora ou Nunca 1992
Uma Suíte para Duas 1988
Revelações 1986
Além da Vida 1982
A Infelicidade ao Alcance de Todos 1977
Grite na Hora Certa 1977
A Gaiola das Loucas 1974

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Festival de Brasília (1977)

  • Melhor atriz em O Crime de Zé Bigorna (1977)[42]

Notas e referências

Notas

  1. a b c Existem divergências entre várias fontes confiáveis quanto à idade da atriz ao morrer. Segundo o portal G1 e a revista Veja, ela teria 84 anos, portanto o ano de nascimento seria 1935, que também é confirmado no seu registro eleitoral no TSE. Este ano está sendo adotado no verbete como o mais provável, já que outras fontes, como o portal UOL Notícias e a revista IstoÉ afirmam que ela teria 79 anos ao morrer.

Referências

  1. G1 Globo
  2. TVE Famosos
  3. Marcelino, Adilson. «Lady Francisco». Mulheres do Cinema Brasileiro. Consultado em 24 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 18 de maio de 2019 
  4. Xavier, Nilson. «Jerônimo, o Herói do Sertão». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  5. Xavier, Nilson. «Pecado Capital (1975)». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  6. «Morre, no Rio, aos 84 anos, a atriz Lady Francisco». Correio do Estado. Estadão conteúdo. 25 de maio de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  7. Xavier, Nilson (25 de maio de 2019). «Morre, aos 84 anos, Lady Francisco, atriz popular no cinema e televisão». UOL. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  8. «Ficha Técnica - O Feijão e o Sonho». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  9. «Ficha Técnica - Locomotivas». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  10. Xavier, Nilson. «Pecado Rasgado». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  11. «Ficha Técnica - O Pulo do Gato». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  12. «Personagens - Marron Glacê». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  13. Xavier, Nilson. «Plantão de Polícia». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020. Clicar em Episódios 
  14. «Lady Francisco morre aos 84 anos no Rio». Folha de S.Paulo. 25 de maio de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  15. «Personagens - Baila Comigo». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  16. Xavier, Nilson. «Louco Amor». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  17. «Ficha Técnica - Transas e Caretas». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  18. «Morre Lady Francisco, a Yara de 'Barriga de Aluguel', aos 84 anos». Anamaria. 25 de maio de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  19. Xavier, Nilson. «As Noivas de Copacabana». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  20. «Ficha Técnica - Explode Coração». Memória Globo. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  21. Xavier, Nilson. «O Amor Está no Ar». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  22. de Castro, Thell (10 de maio de 2020). «Artistas do elenco de Por Amor que já morreram». TV História. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  23. Xavier, Nilson. «Marcas da Paixão». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  24. Xavier, Nilson. «Meu Cunhado». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  25. «Romeu revela segredo de Generosa». Central Globo de Comunicação. 8 de novembro de 2005. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  26. «Atriz de 65 anos vai mostrar os seios em 'Duas Caras'». Terra. 5 de outubro de 2007. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  27. Xavier, Nilson. «Chamas da Vida». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  28. «Madame Kastrup prevê separação das Empreguetes e Chayene é só alegria». Cheias de Charme. 15 de agosto de 2012. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  29. «Uma noite decisiva para Léo e Giovana, no ar 28/05». Comunicação Globo. 22 de maio de 2013. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  30. Xavier, Nilson. «Saramandaia (2013)». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  31. de Castro, Thell (13 de maio de 2020). «Artistas de Geração Brasil que já morreram». TV História. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  32. «Arlinda e Arlete formam dupla sertaneja em República do Peru». TV Brasil. 18 de maio de 2020. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  33. Xavier, Nilson. «Totalmente Demais». Teledramaturgia. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  34. «'Malhação': Getúlio pede Lorraine em casamento». Folha de S.Paulo. 19 de junho de 2018. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  35. «Filmografia - Um Varão entre as Mulheres». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  36. da Silva, Germano Correia (27 de outubro de 2017). «Com as Calças nas Mãos». Recanto das Letras. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  37. «Filmografia - O Roubo das Calcinhas». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  38. «Filmografia - O Padre que Queria Pecar». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  39. «Filmografia - Deliciosas Traições do Amor». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  40. «Filmografia - As Loucuras de um Sedutor». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  41. «Filmografia - Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  42. a b «Filmografia - O Crime do Zé Bigorna». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  43. «Lady Francisco deve mostrar os seios em cena de Duas Caras». Jornal de Brasília. 5 de outubro de 2007. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  44. «Filmografia - Desejo Violento». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  45. «Filmografia - Uma Estranha História de Amor». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  46. «Filmografia - Viúvas Precisam de Consolo». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  47. «Filmografia - O Preço do Prazer». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  48. «Filmografia - Os Foragidos da Violência». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  49. «Filmografia - Anjos do Sexo». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  50. «Filmografia - Os Rapazes das Calçadas». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  51. «Filmografia - Punk Os Filhos da Noite». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  52. «Filmografia - Profissão: Mulher». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  53. «Filmografia - Amenic: Entre o Discurso e a Prática». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  54. «Filmografia - Aguenta Coração». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  55. «Filmografia - O Verdadeiro Amante Sexual». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  56. «Filmografia - Sexo Selvagem dos Filhos da Noite». Cinemateca brasileira. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  57. «Hotel Sky recebeu coletiva do filme "A Casa Errada"». Display Card. 10 de maio de 2010. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  58. Índio, Cristina (25 de maio de 2019). «Atriz Lady Francisco morre no Rio». Agência Brasil. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  59. «A moça do Fuscão». Carros e Marcas. 27 de dezembro de 2016. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  60. «Lady Francisco (1940-2019)». Pipoca Moderna. 25 de maio de 2019. Consultado em 3 de setembro de 2020 
  61. «publicada em 19/9/2014atualizada em 19/9/2014 Lady Francisco diz a revista que sofreu dois estupros e nunca teve orgasmo». Portal Ego. 19 de setembro de 2014  line feed character character in |titulo= at position 46 (ajuda)
  62. a b c d Ex-símbolo sexual, Lady Francisco abre o jogo para a revista J.P
  63. Lady Francisco relata o que viu em 11 de setembro: 'O avião deu marcha à ré'
  64. Lady Francisco quer virar política para proteger animais e idosos
  65. «Atriz de "Malhação" está na UTI após apartar briga de cachorros». GaúchaZH. 7 de maio de 2019. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  66. «Lady Francisco continua internada em UTI e estado de saúde é estável». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  67. Lady Francisco é internada na UTI e respira por ventilação mecânica
  68. Lady Francisco tem piora em quadro; estado é "muito grave", diz boletim
  69. «Morre Lady Francisco, aos 84 anos». G1. 25 de maio de 2019. Consultado em 25 de maio de 2019 
  70. Nilson Xavier (25 de maio de 2019). «Morre, aos 84 anos, Lady Francisco, atriz popular no cinema e televisão». UOL. Consultado em 25 de maio de 2019 
  71. «Nasce a República». TV Brasil. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  72. «Eliza (Marina Ruy Barbosa) consegue encontrar a pensão de Fátima (Lady Francisco) seguindo as instruções de Bino (Stênio Garcia), na novela 'Totalmente Demais'». PurePeople.com. Consultado em 2 de Agosto de 2016 
  73. «Daisy Lúcidi e Lady Francisco voltarão em 'Geração Brasil». O Globo. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  74. «Saramandaia termina com recorde de efeitos especiais». Tribuna do Norte. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  75. «Plantão de Polícia». Memória Globo. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  76. «A Casa Errada». Correio do Povo. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  77. «O Verdadeiro Amante Sexual». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  78. «Anjos do Sexo». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  79. «Rapazes da Calçada». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  80. «Uma Estranha História de Amor». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  81. «Viúvas Precisam de Consolo». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  82. «Os Foragidos da Violência». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  83. «Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  84. «O Crime do Zé Bigorna». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  85. «O Padre Que Queria Pecar». Cinemateca Brasileira. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  86. «Deliciosas Traições do Amor». Cinemateca Brasileira. Consultado em 7 de dezembro de 2017 
  87. «Lady Francisco | Todo Teatro Carioca - Teatro, Espetáculos, Atores, Autores, Peças teatrais». www.todoteatrocarioca.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por:
Zezé Motta
por Xica da Silva
Troféu Candango de Melhor Atriz
por O Crime do Zé Bigorna

1977
Sucedida por:
Anecy Rocha
por A Lira do Delírio