Cláudia Mello

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Claudia Mello)
Cláudia Mello
Cláudia Mello, na peça A Alma Boa de Setsuan em setembro de 2010.
Nome completo Cláudia Bertollosi Mello
Nascimento 27 de fevereiro de 1950 (72 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação
Atividade 1970–presente
Cônjuge Juca de Oliveira (c. 1970–71)

Cláudia Bertollosi Mello (São Paulo, 27 de fevereiro de 1950) é uma atriz e comediante brasileira. Estreou na vida artística em 1970, tanto no teatro com a peça A Cozinha, de Arnold Wesker; no cinema, por interpretar Clementina no longa A Moreninha, de Glauco Mirko Laurelli; quanto pela televisão como Cláudia em Simplesmente Maria, além de integrar o elenco de Toninho on The Rocks, telenovelas da Rede Tupi. Em 2013, foi protagonista da série Três Teresas, do canal fechado GNT.

Na televisão, destacou-se no seriado humorístico A Diarista entre 2004 a 2007, na pele de Dalila, atuando ao lado da atriz Cláudia Rodrigues, Dira Paes e Helena Fernandes. Posteriormente, teve papéis em destaque nas telenovelas A Vida da Gente como Moema, Sete Vidas como Guida, A Força do Querer como Zuleide, além de viver Isabel na obra religiosa Jesus. Também participou da série Batendo Ponto na pele de Flora.

No cinema, consagrou-se pela primeira vez em 1994 após atuação no longa A Causa Secreta, sendo eleita 'Melhor Atriz' pelo Festival de Brasília. Posteriormente, também conquistou outras premiações no filme Quanto Vale ou É Por Quilo?, de Sérgio Bianchi, em 2005, ao receber o prêmio na categoria de 'Melhor Atriz Coadjuvante', do FIESP/SESI do Cinema Paulista.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cláudia Mello nasceu na cidade de São Paulo, em 27 de fevereiro de 1950. Quando cursava a Faculdade de Arquitetura na Universidade Mackenzie, integra o grupo de teatro amador da instituição e decide abandonar o curso e dedicar-se exclusivamente ao teatro.

Carreira na televisão[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua trajetória em 1970 como Cláudia em Simplesmente Maria, além de atuar em Toninho on The Rocks, ambas telenovelas da Rede Tupi.[1][2] Nos dois anos seguintes, esteve no elenco de Hospital e Dora em Vitória Bonelli.[3][4] Posteriormente, retornaria a televisão somente na década de 1990 pela telessérie Grande Pai.[5]

Em 1994, foi para o SBT interpretar a professora Benedita na telenovela Éramos Seis e, no ano seguinte, atuou como Brásia em As Pupilas do Senhor Reitor.[6][7] Em 1996, viveu Jandira em Razão de Viver, concluindo o decênio na pele de Cornelinha em Serras Azuis, obra da Rede Bandeirantes.[8][9]

No início da década de 2000, viveu Corina na série Meu Cunhado, do SBT, transferindo-se para a Rede Globo em 2004 para interpretar Dalila em A Diarista até 2007.[10][11] Em 2008, voltou para a emissora de Silvio Santos na pele de Conceição Nogueira na telenovela Revelação e, no ano seguinte, dando vida como Glória em Vende-se um Véu de Noiva.[12][13]

No início da década de 2010, retornou para a Rede Globo na pele de Durvalina na telenovela Passione, além de viver Moema em A Vida da Gente e Flora Cavalcanti na série Batendo Ponto.[14][15][16] Em 2013, foi protagonista da série Três Teresas, do canal fechado GNT como Teresinha e, dois anos mais tarde, atuou como Guida em Sete Vidas.[17][18] Em 2017, interpretou Zuleide em A Força do Querer, concluindo o decênio encarnando Isabel (prima de Maria de Nazaré e esposa do sacerdote Zacarias) em Jesus, da RecordTV; e como Dona Clementina em Topíssima.[19][20][21]

Carreira no cinema[editar | editar código-fonte]

Estreou nas telonas em 1970 atuando como Clementina no filme A Moreninha.[22] Retornou aos longas somente em 1994 no filme A Causa Secreta, sendo eleita 'Melhor Atriz' pelo Festival de Brasília.[23] Em 2000, fez uma participação especial em Cronicamente Inviável como a senhora do atropelamento e, cinco anos mais tarde, esteve no elenco de Quanto Vale ou É por Quilo?.[24][25] Em 2009, atuou na pele de Consuelo em Os Inquilinos, concluindo sua participação no cinema en 2012 na obra E a Vida Continua, no papel de Alzira.[26][27]

Carreira no teatro[editar | editar código-fonte]

Cláudia (direita) na peça A Alma Boa de Setsuan, em 2008

Fez sua estreia no teatro profissional em 1970, na montagem de A Cozinha, de Arnold Wesker, com direção de Antunes Filho. No ano seguinte, após atuação no espetáculo O Pelicano, de August Strinberg, com direção de Antônio Abujamra, recebeu o Prêmio APCT de 'Melhor Atriz Revelação'.

Volta a ser premiada em 1986, como o Prêmio Lei Sarney e Prêmio Shell de Melhor Atriz, por As Margens do Ipiranga, de Fauzi Arap. Em 1993, por Adorável Desgraçada, de Leilah Assumpção, com direção de Fauzi Arap, ganha o Prêmio APCA de Melhor Atriz. Em 2017 integra o elenco do espetáculo Mambo Italiano, de Steve Galluccio, com direção de Clarisse Abujamra.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Quando a TV Tupi fechou Cláudia se casou e foi morar na França. No país fez curso de teatro e estudou. Na França teve um filho. Ficou quase três anos em Paris. De volta ao Brasil foi convidada por Fauzi Arap para fazer a peça O Abajur Lilás, de Plínio Marcos. Cláudia Mello se casou duas vezes. Foi casada foi com o ator Juca de Oliveira de 1970 a 1971. A atriz tem dois filhos do segundo casamento.[28]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas Ref
1970 Simplesmente Maria Cláudia [1]
Toninho on the Rocks[29] Dirce [2]
1971 Hospital Lindalva [3]
1972 Vitória Bonelli Dora [4]
1991–92 Grande Pai Maria das Graças Santana [5]
1994 Éramos Seis Profª. Benedita [6]
1995 As Pupilas do Reitor Brásia [7]
1996 Razão de Viver Jandira [8]
1998 Serras Azuis Cornélia Salvador (Cornelinha) [9]
2004 Meu Cunhado Corina Maria de Jesus Temporada 1 [10]
2003 A Diarista: Piloto Dalila Sampaio Especial de fim de ano
2004–07 A Diarista Temporada 1–4 [11]
2008 Revelação Conceição Nogueira Episódios: "8 de dezembro–8 de janeiro" [12]
2009 Vende-se um Véu de Noiva Glória Fonseca [13]
2010 Passione Durvalina Pedrosa[30] Episódios: "14–22 de junho" [14]
2011 A Vida da Gente Moema[31] [15]
Batendo Ponto Flora Cavalcanti [16]
2013–14 Três Teresas Teresa Rodrigues (Teresinha)[32] [17]
2015 Sete Vidas Guida de Moraes Ribeiro [18]
2017 A Força do Querer Zuleide Oliveira (Zu) [19]
2018 Jesus Isabel de Jerusalém[33] [20]
2019 Topíssima Clementina Monteiro (Tina) [21]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Ref
1970 A Moreninha Clementina [22]
1994 A Causa Secreta Marisa / Maria Lúcia [23]
2000 Cronicamente Inviável Cinira [24]
2005 Quanto Vale ou É por Quilo? Tia Mônica Silveira [25]
2009 Os Inquilinos Consuelo [26]
2011 As Doze Estrelas Berenice
2012 E a Vida Continua... Alzira [27]
2019 Uma Noite Não é Nada Januária [34]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 2020: Mãos Limpas
  • 2008/2009: A Alma Boa de Setsuan - de Bertolt Brecht
  • 2007: Chorinho - de Fauzi Arap
  • 2006: As Turca - de Andrea Bassit
  • 2005: A Boa Alma de Setsuan - de Bertolt Brecht
  • 2004: A Babá - de Juca de Oliveira
  • 1997: Caixa Dois - de Juca de Oliveira
  • 1996: Péricles, o Príncipe de Tiro - de William Shakespeare Direção de Ulysses Cruz
  • 1993/1994: Adorável Desgraçada - de Leilah Assumpção. Direção de Fauzi Arap (Prêmio APCA de Melhor Atriz; indicação ao Prêmio Molierè de Melhor Atriz)
  • 1992: Laranja Mecânica - de Anthony Burgess. Direção de Olair Coan
  • 1988: Fulaninha e Dona Coisa - de Noemi Marinho. Direção de Fauzi Arap
  • 1986/1987: As Margens do Ipiranga - de Fauzi Arap. (Prêmio Lei Sarney de Melhor Atriz; Prêmio Shell de Melhor Atriz).
  • 1978: A Fila de Israel Horowitz. Direção de Jorge Takla
  • 1974: Vejo um Vulto na Janela - de Leilah Assumpção. Direção de Emilio di Biasi
  • 1971: O Pelicano - de Strinberg. Direção de Antonio Abujamra (Prêmio APCT de Atriz Revelação)
  • 1970: A Cozinha - de Arnold Wesker. Direção de Antunes Filho.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Categoria Trabalho Resultado Ref.
1971 Prêmio APCT Atriz Revelação O Pelicano Venceu
1986 Prêmio Lei Sarney Melhor Atriz As Margens do Ipiranga Venceu
Prêmio Shell Melhor Atriz As Margens do Ipiranga Indicado
1993 Prêmio APCA Melhor Atriz Adorável Desgraça Venceu
1994 Prêmio Molière Melhor Atriz Adorável Desgraça Indicado
2005 FIESP/SESI do Cinema Paulista Melhor Atriz Coadjuvante Quanto Vale ou É Por Quilo? Venceu
2021 Prêmio Bibi Ferreira Melhor Atriz Coadjuvante Mãos Limpas Pendente [35]


Referências

  1. a b Xavier, Nilson. «Simplesmente Maria». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  2. a b «Toninho On the Rocks». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  3. a b Xavier, Nilson. «Hospital». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  4. a b Xavier, Nilson. «Vitória Bonelli». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  5. a b Xavier, Nilson. «Grande Pai». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  6. a b Xavier, Nilson. «Éramos Seis (1994)». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  7. a b Xavier, Nilson. «As Pupilas do Senhor Reitor (1994)». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  8. a b Xavier, Nilson. «Razão de Viver (1996)». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  9. a b Xavier, Nilson. «Serras Azuis». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  10. a b Takano, Andréia (14 de janeiro de 2006). «Meu Cunhado: Personagens são dominados pelo amor». Ofuxico. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  11. a b «Elenco de A Diarista volta às gravações». Central Globo de Comunicação. 22 de março de 2007. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  12. a b Xavier, Nilson. «Revelação». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  13. a b «Novela: Em "Vende-se um Véu de Noiva", Gustavo e Eliana oficializam a união». Folha de S.Paulo. 9 de setembro de 2009. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  14. a b «'Passione': Felícia denuncia parteira que fez aborto de Fátima». Terra. 17 de junho de 2010. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  15. a b «Outro casal em 'A Vida da Gente'». Jornal da Paraíba. 5 de fevereiro de 2012. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  16. a b Xavier, Nilson. «Batendo Ponto». Teledramaturgia. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  17. a b Pinheiro (26 de abril de 2013). «Denise Fraga e Luiz Villaça trabalham juntos em nova série '3 Teresas'». GNT. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  18. a b Cunha, Gustavo (22 de abril de 2015). «Cláudia Mello celebra a volta por cima de Guida, em 'Sete Vidas', após acidente: 'Ela vai rejuvenescer de alma!'». Extra. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  19. a b «Após agressão, Joyce se aproxima de Ivan em "A Força do Querer"». UOL TV e Famosos. 10 de outubro de 2017. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  20. a b «Conheça os personagens de Jesus». R7 novela Jesus. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  21. a b Machado, Guilherme (1.º de junho de 2019). «Expert em governantas, Claudia Mello repete profissão na Globo e na Record». UOL TV e Famosos. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  22. a b «Filmografia - A Moreninha». Cinemateca brasileira. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  23. a b «Filmografia - A Causa Secreta». Cinemateca brasileira. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  24. a b «Filmografia - Cronicamente Inviável». Cinemateca brasileira. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  25. a b «Filmografia - Quanto Vale ou É por Quilo?». Cinemateca brasileira. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  26. a b «Os Inquilinos». Academia Brasileira de Letras. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  27. a b «E a Vida Continua...: Elenco, atores, equipe técnica, produção». AdoroCinema. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  28. «Mulheres do Cinema Brasileiro - Entrevistas Depoimentos». www.mulheresdocinemabrasileiro.com.br. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  29. «Toninho on The Rocks». Teledramaturgia. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  30. «"É um alerta para o público, ela é barra pesada", diz Cláudia Mello sobre sua personagem em Passione». Gshow.com 
  31. Rede Globo (2012). «Moema». Consultado em 28 de junho de 2013 
  32. GNT. «Teresinha (Claudia Mello)». Consultado em 28 de junho de 2013 
  33. «Claudia Mello, a Zu de 'A Força do Querer', assina contrato com a Record TV». Consultado em 26 de outubro de 2017 
  34. «Uma Noite Não É Nada». AdoroCinema. Consultado em 26 de setembro de 2020 
  35. «8ª do Prêmio Bibi Ferreira». premiobibiferreira. Consultado em 16 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedida por
Lucélia Santos
Norma Bengell
& Maria Zilda Bethlem
por Vagas para Moças de Trato Fino
Troféu Candango de Melhor Atriz
por A Causa Secreta

1994
Sucedida por
Denise Fraga & Maitê Proença
por Felicidade É...
Ícone de esboço Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.