Prêmio Bibi Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Prêmio Bibi Ferreira é a mais importante premiação do teatro musical do Brasil, que leva o nome da atriz Bibi Ferreira, considerada a grande dama do teatro musical brasileiro.

O Prêmio foi concebido pelo ator e produtor Marllos Silva. A cerimônia de premiação inclui, além da entrega das 21 categorias, os números musicais dos 5 musicais indicados a melhor musical.

O Prêmio é produzido pela Marcenaria de Cultura e desde 2016 passou a contar com a parceria da recém-fundada APTM - Associação de Produtores de Teatro Musical. O Prêmio é entregue a produções e profissionais que realizaram temporada na cidade de São Paulo. Também são entregues o Prêmio de Honra e a Medalha Arthur Azevedo em reconhecimento a ações em pró do crescimento e fortalecimento do teatro musical no país. Apesar do pouco tempo de existência, já é considerado o Prêmio mais importante do teatro musical brasileiro e uma dos mais importantes do Teatro. É considerado o equivalente ao Tony Awards nos EUA, o Laurence Olivier Awards no Reino Unido ou o Moliere Award na França.

Categorias de Premiação[editar | editar código-fonte]

Nas duas primeira edições o prêmio contou com 17 categorias, e ao longo dos anos a cada edição vem recebendo novas categorias e se atualizando cada vez mais, incluindo categorias que não são premiadas em outras premiações como coreografia, desenho de som, música original. A partir de 2017 o Prêmio passará a contar com 21 categorias, com a inclusão de visagismo. 

Lista de categorias

Melhor Musical

Melhor Musical - Voto Popular

Melhor Musical Brasileiro

Melhor Atriz

Melhor Ator

Melhor Atriz Coadjuvante

Melhor Ator Coadjuvante

Atriz ou Ator Revelação

Melhor Direção

Melhor Direção Musical

Melhor Coreografia

Melhor Letra e Música Original

Melhor Arranjo Original

Melhor Roteiro Original

Melhor Versão

Melhor Cenografia

Melhor Figurino

Melhor Visagismo

Melhor Desenho de Luz

Melhor Desenho de Som

Prêmios Especiais

Prêmio de Honra

Medalha Arthur Azevedo

História[editar | editar código-fonte]

Criado em 2012, buscando celebrar as produções e profissionais de teatro musical da cidade de São Paulo. O Prêmio Bibi Ferreira, é tratado pela classe artística apenas como Prêmio Bibi ou apenas Bibi. É o primeiro prêmio voltado apenas para produções e profissionais de teatro musical do país e já se tornou o maior desejo e objetivo dos atores que se dedicam a teatro musical no país.

As duas primeira cerimônias de premiação foram realizadas no Theatro São Pedro, a partir da segunda edição o Prêmio passou a contar com a apresentação dos musicais indicados a Melhor Musical durante a cerimônia de premiação. A terceira edição foi realizada no Theatro Municipal de São Paulo. E a quarta edição no Teatro Santander.

Desde do início o Prêmio contou com a atriz e cantora Alessandra Maestrini como Mestre de Cerimônias, possui dois itens que se tornaram marcas registradas da cerimônia. O número de abertura composto por Daniel Salve que a cada ano dá o tom da festa e o número de homenagem reunindo o elenco original de alguma das montagens que já foram encenadas.

Detalhes sobre o Prêmio Bibi[editar | editar código-fonte]

Para se elegível a produção não deve ter participado de uma edição anterior. Ter um mínimo de 16 apresentações com público presente, durante a temporada elegível. Os responsáveis por determinar os indicados e premiados são os membros do Comitê de Indicação. O comitê é formado por profissionais de teatro musical e jornalistas.

Período de Elegibilidade - Para ser elegível ao Prêmio Bibi a produção deve estrear entre o período de elegibilidade, que fica entre 1 de julho de um ano até o dia 31 de junho do ano seguinte.

Lista de premiados[editar | editar código-fonte]

Lista de Premiados
Categoria 2013 2014 2015 2016 2017
Melhor Musical Quase Normal (Next to Normal) Crazy For You O Homem de La Mancha (Man of La Mancha) Wicked[1] Les Misérables – T4F Entretenimento
Melhor Musical Brasileiro Lampião e Lancelote Gonzagão, A Lenda Bilac Vê Estrelas Gabriela, Um Musical AUÊ – Sarau Agência e Companhia Barca dos Corações Partidos
Melhor Musical - Voto Popular Os Boêmios de Adoniram A Madrinha Embriagada (The Drowsy Chaperone) O Homem de La Mancha (Man of La Mancha) Wicked Cartola – O Mundo é um moinho
Melhor Atriz Vanessa Gerbelli (Quase Normal) Laila Garin (Elis, A Musical) Bruna Guerin (Urinal, O Musical - Urinetown, The Musical) Fabi Bang (Wicked Laila Garin – Gota D'Água [À Seco]
Melhor Ator Tiago Abravanel (Tim Maia, O Musical) Jarbas Homem de Mello (Crazy For You) Emilio Dantas (Cazuza, O Musical) Leandro Luna (Meu amigo Charlie Brown - My Good Friend Charlie Brown) Paulo Szot – My Fair Lady
Melhor Atriz Coadjuvante Lucinha Lins (Rock In Rio, O Musical) Kiara Sasso (A Madrinha Embriagada) Adriana Quadros (Mudança de Hábito) Jana Amorim (Antes tarde do que nunca - Nice work if you can get it) Andrezza Massei – Les Misérables
Melhor Ator Coadjuvante Claudio Galvan (A Famíli Addams - THe Addams Family) Frederico Silveira ( Jesus Christ Superstar) Daniel Costa (Urinal, O Musical - Urinetown, The Musical) Patrick Amstalden (O Musical Mamonas) Ivan Parente – Les Misérables
Melhor Ator ou Atriz Revelação Daniel Infantini (Lampião e Lancelote) Tiago Barbosa (O Rei Leão) Ana Luiza Ferreira (Mudança de Hábito) Ruy Brissac (O Musical Mamonas) Filipe Bragança – Les Misérables
Melhor Direção João Fonseca (Tim Maia, O Musical) João Falcão (Gonzagão, A Lenda) Miguel Falabella (O Homem de La Mancha - Man of La Mancha) João Falcão (Gabriela Um Musical) Jorge Takla – My Fair Lady
Melhor Direção Musical Guilherme Terra (Vingança, O Musical) Alexandre Elias (Gonzagão, A Lenda) Carlos Bauzys (O Homem de La Mancha - Man of La Mancha) Nando Duarte (Gilberto Gil, Aquele Abraço - O Musical) Luis Gustavo Petri – My Fair Lady
Melhor Coreografia Anselmo Zolla e Kika Sampaio (New York, New York) Alonso Barros (Crazy For You) Katia Barros (O Homem de La Mancha - Man of La Mancha) Fernanda Chamma (Antes tarde do que nunca - Nice work if you can get it) Alonso Barros – Alegria, Alegria
Melhor Cenografia Rogerio Falcão (Nada Será Como Antes) Marcos Flaksman (Elis, A Musical) Matt Kinley (Chaplin, O Musical) Rogério Falcão (Cinderella, de Rodgers e Hammerstein) Nicolás Boni – My Fair Lady
Melhor Figurino Marcio Vinicius (Lampião e Lancelote) Fause Haten (A Madrinha Embriagada) Claudio Tovar (O Homem de La Mancha - Man of La Mancha) Fabio Namatame (Antes tarde do que nunca - Nice work if you can get it) Fabio Namatame – My Fair Lady
Melhor Arranjo Original Jules Vandystad e Thiago Trajano (Todos os musicais de Chico Buarque em 90 minutos) Nando Duarte (Gilberto Gil, Aquele Abraço - O Musical) Alfredo Del Penho e Beto Lemos com colaboração de Duda Maia e a Barca do Corações Partidos – AUÊ
Melhor Música Original Ney Lopes (Bilac Vê Estrelas) Josimar Carneiro (Memórias de um Gigôlo) Alfredo Del Penho e Beto Lemos, Duda Maia e a Barca dos Corações Partidos – AUÊ
Melhor Roteiro Original Alessandro Toller e Nilton Moreno (O Grande Circo Místico) Eduardo Bakr (4 Faces do Amor) Fernanda Maia – Lembro Todo Dia de Você
Melhor Versão Claudio Botelho (A Família Addams) Claudio Botelho (Shrek) Bianca Tadini e Luciano Andrey (Mudança de Hábito) Mariana Elisabetsky (Meu Amigo Charlie Brown) Claudio Botelho – Les Misérables
Melhor Desenho de Luz Paulo Cesar Medeiros (Rock In Rio, O Musical) Ney Bonfante (Jesus Cristo Superstar) Drika Matheus (O Homem de La Mancha) Cesar de Ramires (Gabriela Um Musical) Wagner Antônio – Gota D´Água [À Seco]
Melhor Desenho de Som Gabriel D´Angelo (A Madrinha Embriagada) Marcelo Claret (Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos) Branco Ferreira (Gilberto Gil, Aquele Abraço) Tocko Michelazzo – My Fair Lady
Melhor Visagismo Hugo Daniel e Paulette Pink – Forever Young

Medalha Arthur Azevedo[editar | editar código-fonte]

Com o objetivo de reconhecer a contribuição de profissionais e/ou instituições, desde 2014 o Prêmio concedeu a MEDALHA ARTHUR AZEVEDO por serviços prestados ao teatro musical no Brasil.

ARTHUR AZEVEDO – Dramaturgo, poeta, contista e jornalista brasileiro. Consolidou a comédia de costumes brasileira, sendo no país o principal autor do Teatro de Revista, em sua primeira fase. Sua atividade jornalística foi intensa, devendo-se a ele a publicação de uma série de revistas especializadas, além da fundação de alguns jornais cariocas.

Foi por sua insistência, através dos seus artigos na imprensa que em 1894, foi criada a lei que previa a construção de um teatro municipal no Rio de Janeiro. tinha o teatrólogo a convicção de que somente a construção desse teatro poria fim a má fase em que se encontrava as artes cênicas na segunda metade do século XIX. Arthur Azevedo não assistiu a sua inauguração. Pois faleceu meses antes, aos 53 anos.

Premiados

2014

VICTOR BERBARA – Produtor responsável por implementar os musicais americanos no Brasil, alguns dos musicais produzidos pelo Sr. Berbara. Minha Querida Dama – 1962 (My Fair Lady), Alô, Dolly! – 1965 (Hello, Dolly!) Promisses, Promisses – 1970, Evita – 1983.

SESI/SP e ATÊLIER DE CULTURA – Pela implementação do curso de teatro musical. Receberam a Medalha Arthur Azevedo o Prof. Walter Vicione, representando o SESI/SP e Cleto Baccic representando o Atêlier de Cultura.

2015

REDE (Itaú): Pela realização do projeto de democratização e popularização dos musicais patrocinado através da lei de incentivo à cultura pela Rede.

2016

Fundação Lia Maria Aguiar: Pela implementação do curso de teatro musical gratuito em Campos do Jordão.[1]

Manto da Marília[editar | editar código-fonte]

A partir de 2016, o Prêmio passa a entregar a Atriz ou Ator Revelação o Manto da Marília. O Manto é uma galharufa oferecida pela comunidade de teatro musical. E leva o nome da atriz Marilia Pêra.

Durante todo o período de elegibilidade, é entregue a cada produção pedaço de tecido que é assinado pelos profissionais envolvidos em cada produção, a partir da junção destes tecidos é concebido o Manto, que tem como objetivo dar boas-vindas e abraçar este profissional que está começando a sua carreira como ator. Em 2016 o responsável por conceber o Manto foi o figurinista Marcio Vinicius. O primeiro a receber a galharufa foi o ator Ruy Brissac.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Fabiana Seragusa, Wicked eleito melhor musical, Folha de S.Paulo, 21 de setembro de 2016
  2. Marcelo Bartolomei, Bibi Ferreira, 93 anos: A gente acaba morre, mas eu viverei duas vezes, Revista Caras, 10 de outubro de 2015
  3. Caras On Line, Veja vencedores do Prêmio Bibi Ferreira, Revista Caras, 10 de setembro de 2013
  4. Globo Teatro, Prêmio Bibi anuncia indicados, globo Teatro, 27 de julho de 2016
  5. Jornal da Noite, Teatro Municipal de São Paulo recebe o Prêmio Bibi Ferreira, Rede TV, 14 de outubro de 2015
  6. Agencia Indusnet Fiesp, “Lampião e Lancelote” foi destaque nas categorias Melhor Musical, Ator revelação em Teatro Musical e Melhor Figurino, FIESP, 10 de setembro de 2013
  7. Dirceu Alves, Prêmio Bibi Consasgra Gabriela e Wicked, 21 de setembro de 2016

Links Externos[editar | editar código-fonte]