Fala Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fala Brasil
Informação geral
Também conhecido(a) como Fala Brasil Edição de Sábado (sábados)
Formato telejornal
Duração 90 minutos (diária)
265 minutos (sábados)
Criador(es) Grupo Record
País de origem  Brasil
Idioma original (em português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Antonio Guerreiro
Apresentador(es) Mariana Godoy
Sérgio Aguiar

Sábados:
Paloma Poeta
Fabiana Oliveira
Elenco Rodrigo Hinkel (esportes)
Tema de abertura Instrumental
Localização Teatro Dermeval Gonçalves, São Paulo, SP
Exibição
Emissora original RecordTV
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 15 de abril de 1990 – 19 de dezembro de 1993
4 de maio de 1998 – presente

Fala Brasil é um telejornal matutino brasileiro, produzido e exibido de segunda a sábado pela RecordTV. Estreou em 1990, com Sílvia Poppovic em um formato de programa jornalístico de entrevistas com políticos e economistas para falar sobre assuntos socioeconômicos. Apenas em 2000, viria a se tornar um telejornal tradicional diário. Atualmente é ancorado por Mariana Godoy e Sérgio Aguiar durante a semana e Paloma Poeta e Fabiana Oliveira aos sábados.[1]

Formato[editar | editar código-fonte]

O telejornal mostra as últimas notícias do dia que ocorreram no fim da noite anterior e no início da manhã. Tem como objetivo apresentar as principais notícias nacionais e internacionais com um avanço em comparação às manchetes dos principais jornais do país e projetar o dia, antecipando os fatos que vão mobilizar a atenção dos brasileiros. Diariamente, repórteres de várias capitais entram ao vivo com as principais notícias dos diferentes estados brasileiros. Além disso, mostra as últimas notícias do esporte, dicas de saúde e beleza e notícias sobre as celebridades. Também reprisa matérias exibidas anteriormente pelo Jornal da Record e Domingo Espetacular, expediente mais utilizado na edição de sábado devido a sua extensa duração de quatro horas.

História[editar | editar código-fonte]

Em 15 de abril de 1990, o Fala Brasil estreou sob o comando de Silvia Poppovic em um formato diferente do que o consagraria, sendo um programa jornalístico de entrevistas com políticos, economistas e sociológicos para debater assuntos socioeconômicos relativos ao Brasil naquele momento. Silvia, porém, migrou para o SBT logo depois. Em 1993, passou a ser apresentado por Regina Mamede diretamente de Brasília, porém saiu do ar meses depois.

Em 4 de maio de 1998, o Fala Brasil voltou ao ar, porém dessa vez como uma revista eletrônica, inspirada no estadunidense Good Morning America e comandado por Rosana Hermann e Bob Floriano e tendo como colunistas Rafael Moreno, Renata Vianello, Duda Seidl, Virgínia Novick e Doris Giesse em temas específicos. Em 1999, o time de apresentadores foi reformulado, restando apenas Rosana Hermann e Bob Floriano, que passaram a ter Tatiana Ferraz como colega de equipe. Durante o ano de 1999, houve o Fala Brasil: Edição de Domingo, apresentado por José Luiz Datena, Adriana de Castro e Rosana Hermann, sendo exibido das 19h às 20h30 e que ficou apenas poucos meses no ar.

Em janeiro de 2000, o programa foi reformulado novamente, trocando o formato de revista eletrônica por um telejornal tradicional diário e matutino com bancada, sendo que Eleonora Paschoal e Miguel Dias ficaram como eventuais por um mês até que em fevereiro, Mônica Waldvogel e Rodolpho Gamberini assumiram a bancada por três anos.[2] Em 2003, Mônica assinou com o SBT e com a transferência de Rodolpho para o Edição de Notícias, o Fala Brasil ganhou a apresentação de Alexandre Giachetto e Fernanda Fernandes. No ano seguinte, o matinal passou a ser apresentado por Janine Borba e Marcos Hummel,[3] mas depois, em 2006, Janine deixou a bancada do telejornal para assumir o Domingo Espetacular e foi substituída por Luciana Liviero.

Em 2007, o Fala Brasil passou a ter uma edição aos sábados,[4] e no ano de 2008, chegou a ter uma edição dominical que ficou pouco tempo no ar.[5] Em janeiro de 2009, o telejornal foi reformulado, com Luciana Liviero substituída por Carla Cecato[6] e Marcos Hummel substituído por Roberta Piza. O telejornal passou a ter então uma bancada de apresentadoras, o que se tornou sua marca registrada até os dias atuais. No mesmo período, o informativo também estreou novo cenário. Em 2010, Carla Cecato foi substituída interinamente por Thalita Oliveira (apresentadora do bloco de esportes), pois a titular do telejornal cumpriu licença-maternidade.[7] A partir de 28 de setembro, o Fala Brasil passou a ser transmitido em HD. Em maio, a apresentadora do bloco de esportes, Thalita Oliveira, deixou o programa[8] e foi para a Record News.[9] Não demorou para ela voltar, pois a Rede Record não encontrou substituta para o bloco de esportes do telejornal.[carece de fontes?]

No dia 30 de setembro de 2012, um domingo, com apresentação de Eduardo Ribeiro e Thalita Oliveira, foi exibida uma edição especial do Fala Brasil por causa da morte da apresentadora Hebe Camargo. O telejornal naquele dia foi exibido das 8h às 12h25, repercutindo o velório que aconteceu durante toda noite e madrugada, entrevistando personalidades e transmitindo, ao vivo, o cortejo do corpo da apresentadora e o sepultamento no cemitério Gethsemani. A partir do mês de agosto, Carla Cecato passou a se ausentar do Fala Brasil por causa de problemas na coluna, como a própria jornalista e a Rede Record já afirmaram.[carece de fontes?] Neste tempo, Thalita Oliveira novamente a substituiu, sucedida por Adriana Reid na apresentação do telejornal ao lado de Roberta Piza. Em outubro do mesmo ano, a emissora decidiu que Carla não voltaria mais para o jornalístico. A Record confirmou que Adriana Reid foi efetivada na apresentação do Fala Brasil ao lado de Roberta Piza, além de Thalita Oliveira, que continuou na apresentação do bloco de esportes do telejornal.[10]

Em agosto de 2013, Adriana Reid deixou a Record e foi substituída no Fala Brasil por Thalita Oliveira, que retornou pela terceira vez.[11] Meses depois, Carla retornou ao jornal na função de âncora titular, ao lado de Roberta Piza, e Thalita continuou na apresentação do bloco de esportes. Em maio de 2014, Thalita deixou sua função no Fala Brasil para apresentar o Domingo Espetacular, sendo substituída por Manuela Queiroz.[12] Em julho de 2017, Carla Cecato se despediu da bancada do Fala Brasil para assumir o novo SP Record, que voltou à grade de programação local da emissora,[13] e foi substituída por Larissa Alvarenga.

Com o fim do SP Record em janeiro de 2018, Carla voltou pela terceira vez para a bancada do matutino.[14] Em 5 de março deste mesmo ano, o Fala Brasil entrou no ar em novo horário, às 8h30, estendendo sua duração em 20 minutos. Em 27 de agosto de 2019, o telejornal passou a ser exibido em novo horário: de segunda a sexta, às 6h45, logo após o São Paulo no Ar, e aos sábados, continuou sendo exibido a partir das 7h30. Em 26 de setembro, Carla Cecato deixou novamente a apresentação do telejornal por motivos de saúde,[15] sendo substituída interinamente pela repórter Camila Busnello. A partir do dia 14 de outubro, Salcy Lima assumiu a apresentação do telejornal ao lado de Roberta Piza, quando o Fala Brasil estreou também novo cenário, pacotes gráficos e trilha sonora. Em janeiro de 2020, Celso Zucatelli passou a co-apresentar o telejornal, porém diretamente do estúdio do Balanço Geral Manhã.[16][17] Em 2 de maio, Carla Cecato retornou ao Fala Brasil, apresentando apenas as edições de sábado,[18] juntamente com Thalita Oliveira, que assumiu a apresentação do jornal ao lado da jornalista em julho deste ano.[19] Em 17 de agosto, o horário de início do telejornal foi antecipado em vinte minutos, começando às 8h25.[20]

Em fevereiro de 2021, a emissora anuncia uma reformulação no telejornal: Mariana Godoy e Sérgio Aguiar como novos apresentadores, remanejando Salcy Lima para a reportagem e para a apresentação do Jornal da Record aos sábados, Celso Zucatelli para o Entretenimento e Roberta Piza para um novo projeto jornalístico também aos sábados.[21]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2010, o telejornal fechou um ano na liderança no seu horário na Grande São Paulo, de acordo com dados do Ibope. A média do período foi de sete pontos.[22] Em novembro do mesmo ano, por sua vez, foi divulgado que o programa estava havia dezesseis meses ocupando a liderança no ranking de audiência na Região Metropolitana de São Paulo, também de acordo com dados consolidados do Ibope.[23]

No dia 26 de novembro o telejornal registrou uma das maiores audiências de sua história no Rio de Janeiro, devido à Guerra no Rio. O Fala Brasil conseguiu 16 pontos de média, com picos de 20, contra 9 da Rede Globo, que ficou em segundo lugar na capital fluminense. Esse índice assemelhou-se ao do dia 29 de novembro, que também conseguiu 16 pontos de média contra 11 da Globo no Rio de Janeiro. Em São Paulo, os índices foram baixos comparados com o Rio de Janeiro, mas também garantiu a liderança para a Rede Record no dia 29 de novembro, o telejornal registrou 10 pontos, com picos de 12, contra 7 da Rede Globo, na capital paulista.[24]

Em dezembro, o telejornal perde a liderança no IBOPE após 17 meses para a Rede Globo com o Mais Você. Porém a audiência entre os dois programas é acirrada e frequentemente atinge a liderança.[25] Até outubro de 2019, o telejornal perdeu 32% do público. Foi o pior resultado desde 2010.[26]

Exibição internacional[editar | editar código-fonte]

A RecordTV Internacional traz produções locais do telejornal em Cabo Verde, Moçambique, Portugal e Uganda.

Referências

  1. «Irmãs, Paloma e Patrícia Poeta disputam audiência aos sábados». Metropoles. Consultado em 19 de junho de 2021 
  2. «MÔNICA WALDVOGEL». Museu da TV. Consultado em 11 de março de 2018 
  3. O Povo - Coluna Canal 1, seção bate-rebate
  4. O Povo - Coluna Canal 1, seção bate-rebate
  5. NaTelinha - Record estreia versão de domingo do Fala Brasil
  6. Carla Cecato substitui Luciana Liviero no Fala Brasil
  7. Carla Cecato está grávida de seu primeiro filho
  8. Coluna do Flávio Ricco - 10/05/2011 - Cobriu um santo
  9. Coluna do Flávio Ricco - 09/05/2011 - Bem-acompanhado
  10. Flávio Ricco (17 de outubro de 2012). «Record reforça o "Programa da Tarde" com terceira apresentadora». UOL Televisão. UOL. Consultado em 17 de outubro de 2012 
  11. Flávio Ricco (16 de agosto de 2013). «Adriana Reid deixa o jornalismo da Record». UOL Televisão 
  12. «Fabiana Scaranzi deixa Record para se dedicar a "projetos pessoais"». UOL. 30 de maio de 2014 
  13. Flávio Ricco (10 de julho de 2017). «Record escolhe Carla Cecato para apresentar o seu novo jornal». UOL. Consultado em 10 de julho de 2017 
  14. Flávio Ricco (18 de janeiro de 2018). «Caminho natural». UOL. Consultado em 18 de janeiro de 2018 
  15. Naian Lucas (26 de setembro de 2019). «Carla Cecato deixa o comando do Fala Brasil: "Madrugada pesou"». Na Telinha. Consultado em 26 de setembro de 2019 
  16. «Celso Zucatelli é a próxima novidade do "Fala Brasil" na Record». UOL. Consultado em 31 de maio de 2020 
  17. «Record TV confirma Salcy Lima como nova titular do Fala Brasil». Observatório da TV. 3 de outubro de 2019. Consultado em 1 de março de 2020 
  18. «Band adota tática de sobrevivência para manter programas no ar». UOL. Consultado em 2 de maio de 2020 
  19. TV, Notícias da (19 de junho de 2020). «Carolina Ferraz é contratada pela Record para apresentar Domingo Espetacular». Notícias da TV. Consultado em 10 de agosto de 2020 
  20. «Fala Brasil entra no ar mais cedo, às 8h25, a partir de segunda (17)». R7.com. 13 de agosto de 2020. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  21. REDAÇÃO (9 de fevereiro de 2021). «Mariana Godoy é contratada pela Record um mês após deixar a Band». Notícias da TV. Consultado em 10 de fevereiro de 2021 
  22. «Fala Brasil comemorou em junho um ano de liderança na Grande São Paulo». NaTelinha. 5 de julho de 2010. Consultado em 30 de julho de 2010 
  23. R7 - Entretenimento (10 de novembro de 2010). «Fala Brasil mantém liderança por dezesseis meses». Consultado em 9 de agosto de 2011 [ligação inativa]
  24. NaTelinha (30 de novembro de 2010). «Fala Brasil em alta em São Paulo». Consultado em 9 de agosto de 2011 .
  25. R7 - Entretenimento (5 de janeiro de 2011). «Fala Brasil perde liderança na audiência após 17 meses». Consultado em 9 de agosto de 2011 
  26. Ricardo Feltrin (7 de outubro de 2019). «"Fala Brasil" perde 32% de ibope e tem pior resultado desde». TV E Famosos. Uol. Consultado em 26 de outubro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]