Ida Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ida Gomes
Nome completo Ida Szafran
Nascimento 25 de setembro de 1923
Kraśnik,  Polónia[1]
Morte 22 de fevereiro de 2009 (85 anos)[1]
Rio de Janeiro, RJ,  Brasil
Ocupação atriz, dubladora
IMDb: (inglês)

Ida Szafran, mais conhecida como Ida Gomes (Kraśnik, Polônia, 25 de setembro de 1923[1]Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 2009[1]) foi uma consagrada atriz e dubladora polonesa naturalizada brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida na Polônia, passou seus primeiros 13 anos na França, para onde sua família se transferiu em 1924. Em Paris, aperfeiçoou a língua materna, o francês, e teve contato a dramaturgia clássica francesa do século XVII - Racine, Corneille e Molière.[1][2]

Transferiu-se para o Brasil com a família no fim dos anos 1930. Em 1938, incentivada pela mãe, participou e venceu um concurso de talentos lendo uma poesia no programa de Celso Guimarães na Rádio Tupi, onde assinou contrato para trabalhar em radionovelas, adotando o nome Ida Gomes. Durante 20 anos, trabalhou como radioatriz, passando pela Rádio Tupi; pela Rádio Globo, onde integrou ao elenco de Amaral Gurgel; e pela Rádio Nacional, que vivia no auge da sua programação.[3] Em 1948, com uma bolsa de estudos, foi para os Estados Unidos e, em 1951, seguiu para um estágio como locutora na Rádio BBC em Londres.[3]

De volta ao Brasil, em 1953, iniciou sua carreira na televisão, entrando para a TV Tupi, onde atuou no Grande Teatro Tupi, teleteatro dirigido por Sérgio Britto, e no Câmera Um, seriado dirigido por Jacy Campos que encenava contos de terror. Atuou também nas novelas Coração Delator (1954) e A Canção de Bernadete (1957). Estreiou nos palcos em 1957 no Teatro do Estudante, de Paschoal Carlos Magno com as peças O Primo da Califórnia, de Joaquim Manuel de Macedo e Catarina da Rússia, ao lado do galã Herval Rossano.[3] Em 1986, trabalhou na peça Lily, Lily, que lhe rendeu alguns prêmios e, em 1989, fundou o Teatro Israelita de Comédia, para difundir a obra e a dramaturgia de autores judeus. Em 2003, atuou no espetáculo Tio Vânia, de Tchecov, com direção de Aderbal Freire Filho. Em 2006, fez parte do elenco de Rainha Esther, com direção de Leon Góes. Entre 2007 e 2009, participou de 7, o Musical, seu último trabalho no teatro, da dupla Charles Möeller e Cláudio Botelho.[2]

Ida Gomes (ao centro) assina contrato de exclusividade de patrocínio, em 1943, junto ao ator Leandro Montenegro, com quem fazia par romântico no rádio.

No cinema, estreou em 1963 no filme Bonitinha, mas Ordinária. Atuou em outros grandes sucessos como O Mundo Alegre de Helô (1967), A Penúltima Donzela (1969), O Casal (1975), Copacabana (2001), dentre outros.

Estreou em 1967 na TV Globo em A Rainha Louca. Atuou em várias telenovelas e minisséries da emissora carioca, interpretando personagens inesquecíveis como a anciã rainha Sílvia Candiano em A Ponte dos Suspiros (1968), a inescrupulosa Jandira Serrano em Verão Vermelho (1969), a divertida Madre Encarnación em Estúpido Cupido (1976), a solteirona Tia Magda em O Astro (1977), a grã-fina Zizi de La Rocha em Memórias de um Gigolô (1986), dentre outros. Em 1973, interpretou o seu maior sucesso na televisão: a impagável Dorotéia Cajazeira,uma das três irmãs Cajazeiras – as outras eram vividas pelas atrizes Dirce Migliaccio e Dorinha Duval –, solteironas reprimidas, amigas do prefeito de Sucupira, e que defendiam a moral e os bons costumes, com certa hipocrisia[1] – de O Bem-Amado, primeira novela em cores, escrita por Dias Gomes e dirigida por Régis Cardoso. O sucesso da novela foi tão grande que ganhou formato de seriado sete anos depois, com Ida e os mesmos protagonistas: Paulo Gracindo, Lima Duarte, Emiliano Queiroz e Dirce Migliaccio.[3]

Apesar de judia, Ida foi uma das atrizes mais escaladas para viver freiras na TV. Em entrevista a Jô Soares em seu Programa do Jô, em 2001, Ida declarou, brincando, quando o apresentador lhe fez uma pergunta sobre as suas freiras na televisão: "Eu sou judia, mas sempre me chamam para fazer a irmã de caridade, a madre superiora. A Globo tentou me converter mas não conseguiu". Seu trabalho mais recente na TV foi na primeira fase da minissérie JK, na qual era a Irmã Maria - uma freira francesa radicada em Minas Gerais que ajudava o médico Juscelino Kubitschek (vivido por Wagner Moura) a cuidar dos feridos na batalha militar entre os Estados de Minas e São Paulo.

Paralelo à televisão, fez dublagens e integrou o elenco estelar da Cine Castro, dirigida por Carla Civelli, onde dubla ao lado de Nathalia Timberg, Alberto Pérez, Cláudio Corrêa e Castro, Ângela Bonatti, José Miziara, Daniel Filho e Cláudio Cavalcanti. Tornou-se a voz oficial de Bette Davis e Joan Crawford em seus principais desempenhos no cinema para as versões na televisão.[3]

Criadora de personagens marcantes na televisão e no teatro, dedicou-se integralmente à carreira e ao convívio com os amigos, sendo considerada por todos uma mulher de forte personalidade e de talento comprovado.[3] Era irmã]do ator Felipe Wagner e tia da atriz Débora Olivieri e do músico Daniel Szafran.

Faleceu em 22 de novembro de 2009, vítima de uma parada cardíaca, consequência de uma pneumonia, aos 85 anos de idade e 65 de carreira, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. Foi enterrada em São João de Meriti. Ida Gomes já tinha sido escolhida como a grande homenageada da 21ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio, pela contribuição ao teatro brasileiro. De acordo com parentes, ela estava preparando o discurso de agradecimento com muita alegria.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na Televisão[3][5][editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1951 Grande Teatro Tupi Vários Personagens
1953 Coração Delator Noca
1957 A Canção de Bernadete Irmã Má
1967 A Rainha Louca Astrid
1968 A Gata de Vison Rose Parker
A Ponte dos Suspiros Rainha Sílvia Candiano
1969 A Última Valsa Condessa Matilde
Verão Vermelho Jandira Serrano
1970 Pigmalião 70 Júlia
A Próxima Atração Zilda
1971 O Homem que Deve Morrer Júlia
1972 Selva de Pedra Mme. Heloise Katzuki
Caso Especial (episódio:A Dama das Camélias)
1973 O Bem-Amado Doroteia Cajazeira
1974 Fogo Sobre Terra Frida
Caso Especial Enquanto a Cegonha não Vem
Feliz Na Ilusão
1975 Helena Úrsula
Senhora Emília Camargo
O Grito Branca
1976 Estúpido Cupido Madre Encarnación
1977 Dona Xepa Isabel Becker
O Astro Tia Magda
1978 Pecado Rasgado Aída
1980 O Bem-Amado Doroteia Cajazeira 1980-1984
1985 De Quina pra Lua Urânia
1986 Memórias de um Gigolô Zizi de La Rocha
Hipertensão Ma Mére
1987 Expresso Brasil Doroteia Cajazeira
1989 República Dona Marianinha da Fonseca
1990 Delegacia de Mulheres Eva Braun {episódio:Formicida e Guaraná)
Gente Fina Eudóxia
1992 Você Decide (episódio:Achados e Perdidos)
De Corpo e Alma Bela Lopes Jordão
1994 Você Decide (episódio:Anjos sem Asas)
1995 (episódio:O Gosto da Vingança)
Cara e Coroa Irmã Domitília
1998 Você Decide (episódio:O Rapto da Sogra)
1999 (episódio:Dupla Traição)
2001 A Padroeira Zuleika
2003 Os Normais Dona Mimi (episódio:O Magnífico Antepenúltimo)
2005 A Diarista Dona Amélia (episódio:Asilo é se Lhe Parece)
Bang Bang Irmã Encarnación
Malhação Helga
2006 JK Irmã Maria
Sob Nova Direção Tia Esmeralda (episódio:Fiança Esperança)
Pé na Jaca Madre Superiora
2007 Duas Caras Dona Frida

No Cinema[6][editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
1963 Bonitinha Mas Ordinária Esposa de Heitor[7]
1967 O Mundo Alegre de Helô[8] Enfermeira
1969 A Penúltima Donzela Mãe de Wanda
1975 O Casal Mãe de Maria Lúcia
1977 O Seminarista
1979 Amante Latino Professora[9]
1988 Primeiro de Abril, Brasil
2001 Copacabana Fanny
2003 My Father, Rua Alguém 5555
2006 O Amigo Invisível

No Teatro[2][3][editar | editar código-fonte]

  • 1957 - O Primo da Califórnia
  • 1958 - Catarina da Rússia
  • 1965 - As Feiticeiras de Salém
  • 1971 - Um Violinista no Telhado
  • 1978 - A Pequena Loja de Horrores
  • 1986 - Lily, Lily
  • 1990 - No Natal a Gente Vem te Buscar!
  • 1991 - A Fada Mofada
  • 2002 - Bodas de Ouro
  • 2003 - O Avarento
  • 2003/2004 - Tio Vânia
  • 2006 - Rainha Esther
  • 2007/2009 - Sete, O Musical

Dublagens[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Memória Globo. «Memória Globo: Trajetória - Ida Gomes». Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  2. a b c Teatropédia. «Teatropédia - Ida Gomes». Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  3. a b c d e f g h Christine Junqueira. «Biografia de Ida Gomes». Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  4. O Globo (22 de fevereiro de 2009). «Morre aos 85 anos a atriz Ida Gomes.». Consultado em 19 de fevereiro de 2014 
  5. Memória Globo. «Memória Globo: Trabalhos na TV Globo - Ida Gomes». Consultado em 20 de fevereiro de 2014 
  6. Mulheres do CInema Brasileiro: Ida Gomes
  7. Cinemateca Brasileira Bonitinha, mas Ordinária [em linha]
  8. Cinemateca Brasileira O Mundo Alegre de Helô [em linha]
  9. Amante Latino
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.