Jô Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Jô Soares
Nascimento 16 de janeiro de 1938 (78 anos)
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Cônjuge Teresa Austregésilo (1959-1979)
Sílvia Bandeira (1980-1983)
Cláudia Raia (1984-1986)
Flávia Junqueira (1987-1998)
Ocupação Humorista
Apresentador
Escritor
Artista plástico
Dramaturgo
Diretor teatral
Ator
Músico

José Eugênio Soares, mais conhecido como Jô Soares ou simplesmente (Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 1938), é um humorista, apresentador de televisão, escritor, dramaturgo, diretor teatral, ator, músico e pintor brasileiro. Apresenta desde 2000 o Programa do Jô na Globo[1].

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Filho do empresário paraibano Orlando Soares e da dona de casa Mercedes Leal, Jô queria ser diplomata quando criança.[2]

Estudou no Colégio de São Bento do Rio de Janeiro, no Colégio São José de Petrópolis e em Lausana, na Suíça, no Lycée Jaccard, com este objetivo. Porém, percebeu que o senso de humor apurado e a criatividade inata o apontavam para outra direção.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Detentor de um talento versátil, além de atuar, dirigir, escrever roteiros, livros e peças de teatro, Jô Soares também é um apreciador de jazz e chegou a apresentar um programa de rádio na extinta Jornal do Brasil AM, no Rio de Janeiro, além de uma experiência na também extinta Antena 1 Rio de Janeiro.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

Programas[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Emissora Nota
1966-1970 Família Trapo Rede Record Gordon o Mordomo
1957-1979 Praça da Alegria Rede Record Alemão
1970-1973 Faça Humor, Não Faça Guerra Rede Globo Vários Personagens
1973-1975 Satiricom Rede Globo Vários Personagens
1976-1982 Planeta dos Homens Rede Globo Vários Personagens
1977-1978 Praça da Alegria Rede Globo Alemão
1981-1987 Viva o Gordo Rede Globo Vários Personagens
1982-1983 Chico Anysio Show Rede Globo Coronel Pantoja (participação)
1983 Plunct, Plact, Zuuum Rede Globo Mestre Cuca/Rei
1983-1987 Jornal da Globo Rede Globo Comentários
1988-1990 Veja o Gordo SBT Vários Personagens
1988-1999 Jô Soares Onze e Meia SBT Apresentador
1988 A Praça é Nossa SBT Alemão (participação)
2000-2016 Programa do Jô Rede Globo Apresentador
2000 Sai de Baixo Rede Globo Papai Noel (participação)
2003 Malhação Rede Globo Jô Soares (participação)

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Entre 1959 e 1979, Jô Soares foi casado com a atriz Teresa Austregésilo, com quem teve um filho: Rafael Soares (1964-2014), que era autista[4]. Entre 1980 a 1983, foi casado com atriz Sílvia Bandeira, doze anos mais nova. Em 1984 começou a namorar a atriz Claudia Raia, romance que durou dois anos.[5] Já namorou a atriz Mika Lins e em 1987, casou-se com a designer gráfica Flávia Junqueira Pedras Soares, de quem se separou em 1998.

O apresentador admitiu sofrer de TOC. Em sua casa os quadros, precisam estar tombados levemente para a direita.[6]

Jô é sobrinho de Togo Renan Soares, conhecido como "Kanela", ex-treinador da seleção brasileira de basquetebol. No dia 1 de outubro de 2012, levou ao ar um programa especial que reprisou uma entrevista com Lolita Rodrigues e Nair Bello em homenagem à apresentadora Hebe Camargo, com quem declarou ter vivido intensas alegrias.

O apresentador fala, com diferentes níveis de fluência, cinco idiomas: português, inglês, francês, italiano e espanhol, além de bons conhecimentos de alemão. Traduziu um álbum de histórias em quadrinhos de Barbarella, criação do francês Jean-Claude Forest.[7]

Jô Soares é católico, sendo devoto de Santa Rita de Cássia.[8]

No dia 25 de julho de 2014, Jô Soares foi internado no Hospital Sírio-Libanês, para tratar de uma pneumonia, permanecendo no hospital por 22 dias.[9][10]

No dia 31 de outubro de 2014, morreu seu único filho, Rafael Soares, no Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio de Janeiro. No dia 3 de novembro, Jô dedicou o programa ao seu filho, ao qual fez um discurso contando um pouco da história do filho.[11]

No dia 4 de agosto de 2016, foi eleito para a Academia Paulista de Letras, assumindo a cadeira cadeira 33, que pertenceu ao escritor Francisco Martins[12].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jô Soares