Cláudia Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cláudia Cruz
Nascimento 19 de junho de 1967 (48 anos)
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Cônjuge Eduardo Cunha
Ocupação Jornalista

Cláudia Cordeiro Cruz (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1967) é uma jornalista brasileira. Foi âncora do Fantástico, Jornal Hoje e RJTV. Cláudia é casada com o político Eduardo Cunha, com quem tem quatro filhos.

Egressa da TV Educativa do Rio de Janeiro, ela foi no final de 1989 a 2001 apresentadora da Rede Globo de Televisão sendo apresentadora dos telejornais Bom Dia Rio entre 1989 e 1991, o Jornal Hoje eventualmente entre 1989 e 2001, sendo fixa desse mesmo telejornal entre 1992 e 1994, RJTV 1ª edição entre 1989 e 2001 e RJTV 2ª edição entre 1999 e 2001, onde recebeu o título de "musa do RJTV", título dado a apresentadora que encarava com sensualidade,a apresentação do telejornal,cujo o título era de Valéria Monteiro; Cláudia também apresentou os programas Globo Ciência, Globo Comunidade, Jornal da Globo e Fantástico.

Após 2001, foi para a Rede Record ancorar a segunda edição do Jornal da Record, um concorrente direto do Jornal da Globo, que era ancorado por Ana Paula Padrão e era derrotado por este telejornal e pelo programa Noite Afora apresentado por Monique Evans na RedeTV! que derrotavam em audiencia o telejornal.

Porém a rejeição do público paulista ao estilo da apresentadora, fez com que a mesma fosse substituída por Paulo Henrique Amorim. Claudia deixou a emissora,após receber um convite para apresentar o jornal Informe Rio (hoje extinto) clone do RJTV e não aceitou pois saberia que seria derrotada pelo jornal que a consagrou mesmo tento o antipático Helter Duarte comandando o telejornal e ser repórter especial do Jornal da Record. Atualmente se dedica às artes plásticas.

Existem grupos de admiradores da apresentadora que em redes sociais chegaram a pedir a sua recontratação à Rede Globo.

Cláudia alem de ser âncora do RJTV foi a voz da companhia de telefonia TELERJ aonde conheceu seu atual marido e participou em uma ponta não creditada no filme Meu Nome Não É Johnny numa cena em que apresenta o RJTV

Carreira[editar | editar código-fonte]

Programas[editar | editar código-fonte]

Telejornais[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Carolina Ferraz
Apresentação do Fantástico
1996 - 1997
Sucedido por
Fátima Bernardes
Precedido por
Márcia Peltier
Apresentação do Jornal Hoje
19921993
2003 -
Sucedido por
Cristina Ranzolin
Precedido por
Leda Nagle
Apresentação do Bom Dia Rio
1989 - 1992
Sucedido por
Marcos Hummel
Precedido por
Liliana Rodrigues
Isabela Scalabrini
Apresentação do RJTV
1993 - 1996]
1997 - 2001
Sucedido por
Priscila Brandão/Cristhiane Pelajo/Helter Duarte
Renata Capucci
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.