Meu Nome Não É Johnny

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Meu Nome Não É Johnny
Meu Nome Não É Johnny (BR)
 Brasil
2008 •  cor •  118 min 
Direção Mauro Lima
Roteiro Guilherme Fiúza
Mariza Leão
Mauro Lima
Elenco Selton Mello
Cléo Pires
Julia Lemmertz
Giulio Lopes
Gênero drama
suspense
Lançamento 4 de janeiro de 2008[1]
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Meu Nome Não É Johnny é um filme brasileiro de 2008, do gênero drama, dirigido por Mauro Lima, contando a história verídica de João Guilherme Estrella um traficante da Zona Sul do Rio. Foi baseado em um livro homônimo de Guilherme Fiuza.[carece de fontes?]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

João Guilherme Estrela é um jovem de classe média alta da cidade de Rio de Janeiro. Querido por seus pais e amigos, viveu a vida intensamente, passou por todas as loucuras permitidas e não permitidas, e durante 5 anos se aventurou no mundo do tráfico e tornou-se um "rei do tráfico". Investigado pela polícia e preso por dois anos João Guilherme vive agora uma vida voltada para a musica, produção de eventos e palestras relacionadas ao tema do livro e do filme que tratam da prevenção e da redução de danos. Hoje é aconselhador nessa área e roda o país em colégios, faculdades, empresas, tribunais de justiça.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Selton Mello João Guilherme Estrella
Cléo Pires Sofia
Júlia Lemmertz Mãe de João
Giulio Lopes Pai de João
Cássia Kiss juíza Marilena Soares
Rafaela Mandelli Laura
Ângelo Paes Leme Julinho
Luís Miranda Presidiário Alcides
Márcio Vito Rabino
Tammy Di Calafiori Laura (jovem)
Arthur Lopes João Guilherme Estrella (jovem)
Felipe Severo João Guilherme Estrella (criança)
Daniel Torres Boneco (jovem)
Felipe Lima Julinho (jovem)
Gillray Coutinho advogado Renato
Orã Figueiredo Policial civil Oswaldo
Hossen Minussi Wanderley
Eva Todor D.Marly
Kiko Mascarenhas Danilo
Flávio Bauraqui Charles
Aramis Trindade traficante Taínha
Neco Vila Lobos Carlos
Charly Braun Felipe
Felipe Martins Fernando
Roney Villela Hércules
Wendell Bendelack Sininho
Ivan de Almeida Carcereiro
Flávio Pardal Boneco
Rodrigo Amarante Rubão
Dida Camero Tia Carlota
Luciano Vidigal Vendedor de amendoim
Marcelo Vindicato Corretor de Imovéis
Regina Sampaio Senhora do Tarô
Alvaro Diniz Escrivão no Fórum
Diogo P. Gonçalves Cliente Militar
Fábio Mondego Membro da Banda
Rafael Mondego Membro da Banda
Gê Fonseca Membro da Banda
Nervoso Membro da Banda
Babu Santana Policial militar do boteco
André de Biase Alex Nelore
Ronaldo Tasso Cliente roqueiro
Robert Guimarães Agente Aeroporto
Agnese Casari loira em Veneza
Beto Bruno Policial federal
Adriano Garib Delegado
João Guilherme Estrella Enfermeiro do manicômio
Felipe Martins Interno do manicômio
Aldri Anunciação Interno do manicômio
Ciço Caseira Interno do manicômio
Duda Ribeiro Interno do manicômio
Eugenio Bretas Interno do manicômio
Henrique Lopes Interno do manicômio
Marcelo H. Interno do manicômio
Miguel Oninga Interno do manicômio
Oberdan Júnior Interno do manicômio
Henrique Neves agente Desipe
Willy Farouq preso africano
Fads preso africano
Cláudia Cruz Ela mesma apresentando o telejornal RJTV

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

No primeiro final de semana 151 200 pessoas assistiram o filme nos cinemas, totalizando 191 142 bilhetes vendidos ao completar uma semana em cartaz. A partir da quarta semana o número de ingressos vendidos de Meu Nome Não É Johnny passou a cair consecutivamente. Na quarta semana atingiu um milhão de espectadores. A bilheteria foi finalizada com um público de 1 997 933 espectadores após dez semanas em cartaz.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Selton Mello vive traficante "mocinho" em história real». Terra Cinema. 11 de dezembro de 2007. Consultado em 28 de abril de 2015. 
  2. Redação (2008). «Bilheterias de filme». AdoroCinema. www.adorocinema.com. Consultado em 28 de outubro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]