Cássia Kis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cássia Kiss)
Cássia Kis
Cássia em 2019.
Nome completo Cássia Kis [1]
Nascimento 6 de janeiro de 1958 (63 anos)
São Caetano do Sul, SP
Residência Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Ocupação atriz
Período de atividade 1979–presente
Principais trabalhos
Prêmios Lista

Cássia Kis [nota 1][2][3] (São Caetano do Sul, 6 de janeiro de 1958) é uma atriz brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de Josep Kiss, mecânico, Cássia é neta paterna de húngaros.[4] A atriz é tia do modelo internacional Márcio Kiss, ex-jogador de basquete e modelo da Major Model Brasil, uma agência de São Paulo.[5] Cássia teve uma infância muito pobre e um lar sem amor. Morava num cortiço na roça, onde sua casa era um quarto-cozinha, sendo a filha mais nova de quatro irmãos. Ela e os irmãos eram obrigados a fazer serviços domésticos desde muito pequenos. Sua mãe era uma dona de casa revoltada, que sempre teve um relacionamento conturbado com os filhos, principalmente com Cássia, que declarou ter apanhado muito de seus pais, principalmente de sua mãe, que era impaciente demais. Aos 11 anos já lavava, passava e cozinhava, tendo que levar o almoço do pai na oficina, e se fizesse algum desses serviços errado, apanhava da mãe. Com 14 anos já trabalhava fora, em uma loja como vendedora. Nessa época, tentando escapar dos problemas domésticos, fumava cigarros e bebia cachaça escondida, se reunindo com os amigos para se divertir, tendo que uma vez pular da janela de casa para a mãe não descobrir que ela fumava e bebia. Por conta de tantas desavenças, Cássia foi expulsa de casa aos 15 anos. Cássia disse em entrevistas que ao sair de casa só lhe foi permitido levar um colchão e um jogo de lençóis e que ficou mais de cinco anos sem dar notícias à família.[6]

Ao sair de casa, foi morar com sua melhor amiga. Após três meses foi viver com um casal de amigos, que eram músicos, ainda em São Caetano do Sul. Nesse tempo ela tornou-se hippie, passando a frequentar os shows de seus amigos músicos, que tocavam suas músicas agitadas em bares da região. Nestas saídas noturnas foi onde Cássia começou a consumir álcool e fumar maconha. Seis meses depois, foi demitida de seu trabalho como vendedora e decidiu se mudar para São Paulo tentar encontrar melhores oportunidades para trabalhar e estudar. Na cidade alugou uma kitnet, onde ficou morando sozinha. Conforme revelou em entrevistas, esse período de sua vida foi muito depressivo, já que se sentia sozinha demais. Tendo que crescer cedo, arrumou um emprego, dessa vez como secretária em um escritório, onde trabalhava o dia todo e a noite estudava o ensino médio, assim podendo pagar seu aluguel.[7] Teve seu primeiro namorado aos 16 anos, o que modificou sua vida radicalmente, ao descobrir uma gravidez não planejada, após seis meses de namoro. O namorado, que tinha 20 anos, não quis assumir o bebê, terminando o relacionamento. Cássia não tinha nenhuma estrutura financeira e emocional para ter um filho, além de não querer ser mãe. Abandonada grávida pelo pai da criança, estava desesperada, sozinha e sem ninguém para lhe ajudar. Tomou uma decisão: Procurou uma clínica clandestina e realizou um aborto, ao recém completar 17 anos, por ainda ser muito jovem e inexperiente. Em entrevistas contou que demorou muitos anos para se arrepender desse ato, mas que não entendia o porquê após este acontecimento em sua vida ter desenvolvido depressão, tentando o suicídio por diversas vezes, onde também desenvolveu bulimia, doença na qual lutou por mais de dez anos.[8]

Nesta época continuou sua vida, morando só e tentando ser feliz. Mesmo trabalhando o dia todo, sempre foi estudiosa, e nas horas vagas gostava de ler e escrever, além de rever os cadernos escolares antigos. Aos 18 anos conseguiu passar no vestibular da USP, nos cursos de matemática e história, mas estava em dúvida entre a área de exatas, humanas e artística, até que percebeu que sempre gostou de artes cênicas, e optou por cursar teatro em um curso profissionalizante, fazendo aulas semanalmente, chegando cada vez mais perto do sonho de ser atriz profissional. Durante essa época de sua adolescência, tinha como hobby estudar astrologia. Neste período que mudou-se sozinha para São Paulo, pôde curtir sua juventude sem problemas, passando a frequentas boates e shows de rock and roll, onde intensificou o uso de bebidas alcoólicas, maconha e cigarros, quando começou a usar LSD, onde posteriormente começou a tomar ayahuasca e chá de cogumelo para conseguir sentir-se mais tranquila, o que surtia efeito. Revelou em entrevistas que todos deveriam fazer isso ao menos uma vez na vida, mas contou ter percebido que usar drogas era um caminho sem volta, pois estava levando-a a ter curiosidade de experimentar substâncias mais fortes, onde ficou com medo de algo ruim acontecer. A atriz conseguiu largar o álcool, os cigarros e os entorpecentes aos 21 anos de idade, ao perceber que aquilo não fazia bem a ninguém.[9]

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1981, aos 23 anos. Cássia estava disposta a mudar de vida, continuar a estudar teatro e trabalhar. Assim que chegou à cidade, passou a dormir nas ruas, em bancos de praça, pois não conhecia o Rio, e não tinha dinheiro para nada. Foi ajudada por um poeta popular, que a colocou num quarto de empregada no apartamento dele, onde ela dividia espaço com três domésticas. Passou a tentar se entender e começou a fazer meditação e ioga nas horas vagas. Começou a trabalhar como faxineira, lavando banheiro na casa de ricos para se sustentar e pagar o templo onde fazia meditação e ioga. Largou a meditação, a ioga e o trabalho de faxineira após seis meses, e começou a vender sanduíche natural na praia, por um ano, para pagar o curso de teatro e se sustentar. Nessa época arranjou um novo namorado e após um mês de namoro foram morar juntos em um apartamento alugado. Após 7 meses de uma união estável, sofrendo com seus ciúmes possessivos e agressões, Cássia se separou dele.[9]

Aos 24 anos, já fazendo peças teatrais pelo Rio, foi aprovada, e conseguiu tornar-se aluna da Fundação das Artes, uma das melhores escolas de música e teatro da América Latina. Assim ela pôde ter uma formação profissional, desempenhando mais e mais seu talento. Começou a fazer escola de teatro com o diretor Silnei Siqueira para aprimoramento de técnicas de dramaturgia e artes cênicas. Nesta época voltou a procurar sua mãe, ligando para ela após nove anos sem dar notícias, e disse que a perdoava por tudo, e perguntou se ela queria pedir perdão, mas a mãe nada disse. Apesar disso, três anos depois sua mãe entrou em contato, e lhe pediu perdão.[10]

Converteu-se ao espiritismo e tornou-se vegetariana em 1989, aos 31 anos de idade.[11] Em 1990 descobriu ser portadora de transtorno bipolar do tipo misto. Desde o início da adolescência estava sofrendo com essa doença psiquiátrica, pois negava a si mesma que tinha fortes problemas emocionais. Neste mesmo ano começou a fazer psicoterapia, e isso a ajudou superar muitos problemas.[12]

Contou que herdou seus problemas psicológicos de sua mãe e de sua avó, já que descobriu-se que sua mãe era muito nervosa pois também sofria de transtorno bipolar, mas desde que descobriu a doença, a atriz se trata com psicólogos, fazendo terapia, e com psiquiatras, se tratando com antidepressivos, ansiolíticos e lítio. A atriz diz que toma cuidado para detectar se algum de seus filhos terão algum problema psiquiátrico, para se tratarem cedo. Cássia hoje é mais amiga da mãe, que mora sozinha e é viúva.[13]

Sempre preocupada com as questões sociais, participou, em 1989, de uma campanha do Ministério da Saúde brasileiro, sobre a prevenção do câncer de mama. Em 2006, foi madrinha, no Brasil, da Semana Mundial do Aleitamento Materno, promovida pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pelo Ministério da Saúde.[14][15][16]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Com sua carreira de atriz em ascensão, a artista morava sozinha no Rio de Janeiro desde 1981, vivendo em um apartamento junto com seu gato. Apesar de manter relacionamentos casuais com homens anônimos e famosos, não queria manter nenhum compromisso sério, até que em 1983 conheceu um astrólogo. Após três meses de namoro, eles decidiram morar juntos, mas se separaram em 1985.[17] Nesse mesmo ano, conheceu o engenheiro José Luís Tadeu. O casal namorou de 1986 a 1987. Logo após a separação, começou a namorar um empresário chamado José. Eles foram morar juntos em 1988, e Cássia, sem planejar, engravidou novamente. Seu marido não queria ser pai, e Cássia tampouco desejava ser mãe, por ter sido infeliz com seus pais e achar que filhos davam muito trabalho. O casal, então, em comum acordo, optou por fazer um aborto em uma clínica clandestina, quando a atriz tinha 30 anos. Em entrevistas, revelou que se arrependeu muito de ter feito esse aborto, e que nessa época arrependeu-se também do primeiro aborto que fez, e que por isso procurou uma renovação interior para melhorar sua vida e saúde mental, tornando-se vegetariana e espírita um ano depois.[18] Um mês após ter feito o aborto, seu relacionamento entrou em colapso devido as crises de ciúmes de seu marido, e as constantes crises depressivas de Cássia.[12]

Cássia em 2011.

O casal ficou separado por seis meses, e em entrevistas, a atriz confessou que nesse período se relacionou com dois homens que eram portadores do vírus HIV, mas que sempre soube se cuidar e não contaminou-se. Ela se envolveu com um amigo de muitos anos, e eles começaram a ficar. Ele queria algo sério com Cássia e até ter filhos com ela, mas Cássia não queria ter filhos e nem nada sério com ele. Os dois se separaram após dois meses juntos, quando ele confessou a Cássia ser bissexual e portador de HIV. Cássia ficou muito assustada e chocada, não querendo que seu amigo morresse, mas apesar disso, ele estava bem de saúde e ambos continuaram a ser amigos. Depois dele, Cássia se apaixonou por Carlos Augusto Strazzer, onde se relacionaram por um mês, ficando amigos após o término. Após um tempo, decidiu dar uma chance ao marido, e reatou o casamento com José. Nessa época participou de uma campanha realizada pelo publicitário João Alberto Fonseca, vinte anos mais velho que a atriz. Cássia, mesmo casada, se interessou por ele, mas João tinha esposa, e Cássia desistiu. Em 1992 Cássia se separou de vez do marido, devido aos ciúmes possessivos do mesmo. Cássia também descobriu que João tinha terminado seu casamento. Cássia, então, voltou a procurá-lo. Eles começaram a namorar e após dois meses de namoro, foram morar juntos no mesmo ano de 1992.[12]

Cássia, após fazer duas novelas em que interpretava o papel de mãe, decidiu se abrir para a maternidade e junto com João tiveram dois filhos: Joaquim Maria Kis Fonseca, nascido em 1996, e Maria Cândida Kis Fonseca, nascida em 1997. Cássia conta que sua vida mudou para melhor após ter filhos e que antes sua vida não tinha graça. Se separaram em 1999 devido ao fato de o relacionamento não dar mais certo, por causa de brigas constantes por motivos banais, que desgastaram o relacionamento. Em 2000 iniciou um namoro com o jornalista Sérgio Brandão. Eles foram morar juntos em 2001, e tiveram dois filhos: Pedro Gabriel Kis Brandão, que nasceu em 2003, e Pedro Miguel Kis Brandão, nascido em 2004. O casal separou-se em 2007, devido a constantes divergências conjugais.[1] Seus quatro filhos nasceram de parto cesariana, no Rio de Janeiro. Em entrevistas revelou que todas as suas gestações vieram de forma natural, não precisando realizar tratamentos, e que desejava ter parto normal, mas não conseguiu. Também contou que amamentou seus filhos por mais de um ano, destacando a importância do ato para a saúde da criança e para o fortalecimento do vínculo afetivo entre a mãe e o bebê.[12]

Em 2007 iniciou um namoro com o psicanalista João Baptista Magro Filho. Em entrevistas revelou que pela primeira vez estava amando verdadeiramente, e que por isso desejou realizar seu antigo sonho se casar-se oficialmente, e não apenas morar junto como sempre fez, e em 3 de setembro dd 2009 oficializaram a união, em uma cerimônia íntima, com a presença de um juiz, realizada no apartamento da atriz, na Barra da Tijuca.[1][5][19]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no teatro amador, integrando-se em um grupo que apresentava espetáculos na periferia e participava de festivais amadores. Durante dez anos, fez vários trabalhos em teatro, incluindo espetáculos infantis em escolas. Foi convidada pelo diretor Ulysses Cruz para integrar a sua companhia amadora, substituindo a atriz Haydée Figueiredo na peça Alice, O Que Uma Menina Bonitinha como Você Faz num País como Esse, de Paulo Afonso Grisolli. Depois, atuaria na peça Coronel dos Coronéis (1980), de autoria de Maurício Segall, muito elogiada na época. Fez sua estreia na televisão em 1979, na novela Cara a Cara, da Rede Bandeirantes. Na trama, interpretou a empregada doméstica da personagem de Fernanda Montenegro. Ainda em São Paulo, chegou a trabalhar em anúncios comerciais. Em 1981, mudou-se para o Rio de Janeiro. Seu primeiro trabalho profissional no Rio foi no espetáculo Quem Governa o Rei?, de Paulo Afonso Grisolli. No início, para complementar seu orçamento doméstico, trabalhava na cozinha de um restaurante natural, em troca de alimentação e dinheiro para condução. Ainda no início dos anos 1980, por intermédio do ator Luiz Armando Queiroz, fez um teste e foi aprovada para trabalhar no elenco do programa As Aventuras do Tio Maneco, da TV Educativa.[20]

Estreou na Rede Globo em 1983, atuando em dois episódios do Caso Especial.[20] No ano seguinte, fez o papel de uma freira na minissérie Padre Cícero, e, logo em seguida, foi convidada pelo diretor Wolf Maya para trabalhar na novela Livre para Voar, quando viveu uma solteirona sisuda. Seu primeiro personagem de maior repercussão veio em 1985, na novela Roque Santeiro, em que interpretou Lulu, mulher do negociante Zé das Medalhas. Em 1987 foi Silvana na novela Brega e Chique de Cassiano Gabus Mendes onde viveu um triângulo amoroso com Tato Gabus Mendes e Cristina Mullins.

Cássia numa campanha em 2016.

Tornou-se ainda mais conhecida por sua atuação em Vale Tudo, de 1988,[20] que mobilizou os telespectadores em torno do assassinato da vilã Odete Roitman. A surpresa veio no último capítulo da trama: a assassina era ninguém menos do que Leila, sua personagem. Leila matara Odete por engano, na verdade ela pretendia matar Maria de Fátima, personagem de Glória Pires. O assassino é descoberto quando Eunice (Íris Bruzzi) e Bartolomeu (Cláudio Corrêa e Castro) começam a pressionar Leila para que ela confesse que o assassino de Odete era Marco Aurélio, em defesa do marido, Leila conta a verdade. Na trama, Leila acreditava que Marco Aurélio, seu marido, interpretado por Reginaldo Faria, tinha um caso com Fátima. Em um determinado dia ela segue o marido e o encontra no apartamento de Odete Roitman, no entanto, Leila acredita que o apartamento é dele e foi comprado justamente para poder se encontrar com Fátima. Odete havia tido uma discussão forte com Marco Aurélio depois de descobrir que esse roubava sua empresa há anos. Dessa forma, Odete passa mal e vai para o interior do apartamento. Leila chega e começa a discutir com Marco Aurélio. Uma arma de Marco Aurélio está em cima de um balcão da cozinha, Leila pega o revólver e ameaça o marido, porém, quando vê a sombra de Odete atrás de uma porta de vidro, desesperada ela dá três tiros contra a porta, pensando que matava Fátima. Leila, ao descobrir quem realmente foi assassinada, fica desesperada e se inicia um jogo de mentiras, subornos e falsos testemunhos promovidos por Marco Aurélio para que sua esposa não seja descoberta. No final da novela, Leila não é presa, ela foge do país junto com Marco Aurélio.

Em 1990, transferiu-se para a Rede Manchete, onde trabalhou na novela Pantanal, na qual interpretou Maria Marruá. No mesmo ano, voltou para a Rede Globo, a tempo de protagonizar, ao lado de Victor Fasano e Cláudia Abreu, a novela Barriga de Aluguel. Na trama, a atriz viveu o drama de uma mãe que decide alugar a barriga de uma mulher mais jovem, para realizar o sonho de ter seu filho.

Entre seus papéis preferidos, aponta a personagem central de Mamãe Coragem, em 1992, um dos episódios do Você Decide.[20] Na história, interpretou uma catadora de lixo, mãe de cinco filhos, cujo dilema é vender ou não uma das cinco crianças para salvar as demais. Em 1993, despontou na telinha como Ilka Tibiriçá, a cômica solteirona cheia de trejeitos e com visual anos 1960, da novela Fera Ferida. Em 1996 deu vida a ardilosa vilã Beatriz, na novela Quem É Você?. No ano de 1997, é escalada para o elenco da novela Por Amor, na qual interpreta a executiva Isabel, que rivaliza com Branca Letícia de Barros Mota, a vilã de Susana Vieira. Isabel, morena objetiva, oportunista e sedutora, mantém um caso com Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella), empreiteiro casado com Branca. No remake da novela Pecado Capital, interpretou a misteriosa Eunice. Em 2001, viveu a grande vilã assassina Adma Guerreiro da novela Porto dos Milagres, obteve grande repercussão na mídia, tanto por parte do público quanto da crítica, tendo recebido o Prêmio Contigo! e o Troféu Imprensa de Melhor Atriz. Nos anos 2000, além do trabalho em novelas, voltou a participar de minisséries da TV Globo. Trabalhou em Um Só Coração, de 2004, em Mad Maria, de 2005, de e em JK, de 2006, quando viveu uma mulher reprimida pelo marido, em outro de seus grandes momentos na TV. Em 2007, viveu a bruxa Zilda, vilã de Eterna Magia.

No cinema, esteve em mais de 15 filmes,[21][22] entre eles Bicho de Sete Cabeças (2001), de Laís Bodanzky, por ele ganhou o Troféu de Atriz Coadjuvante no Festival de Recife de 2001.[23]

Em 2009, viveu mais uma vilã a carola Mariana na segunda versão de Paraíso, em que sua personagem era mãe da protagonista Maria Rita "Santinha". Em 2011 despontou como a bondosa e humilde Dulce em Morde & Assopra, uma senhora sofrida que nem imagina ainda ser enganada por seu filho Guilherme, que dizia ser médico. Com seu jeito inocente e sua atuação dramática, o papel lhe rendeu o Prêmio Melhores do Ano do Domingão do Faustão na categoria Melhor Atriz Coadjuvante. Em 2012, interpretou a grande vilã diabólica Melissa, na trama das seis, Amor Eterno Amor.

Em 2014, viveu a ex-prostituta Carolina, na minissérie Amores Roubados.[24] Também em 2014, integra o elenco do remake de O Rebu, como a advogada Gilda,[25][26] além de ser escalada para Felizes Para Sempre, remake da minissérie Quem Ama não Mata, que foi ao ar no início de 2015.[27][28] E ainda em 2015 voltou ao ar na novela das 9, de João Emanuel Carneiro, como a doce Djanira, mulher sofrida, mãe dos protagonistas Tòia e Juliano, personagens de Vanessa Giácomo e Cauã Reymond, respectivamente, e faz par romântico com Zé Maria, interpretado por Tony Ramos.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota
1979 Cara a Cara Flávia[29]
1981 As Aventuras do Tio Maneco Nina[30]
1983 Caso Especial[31] Dora Episódio: "Domingo em Família"
Cláudia Episódio: "A Bolsa e a Vida"
1984 Padre Cícero Raquel[32]
Livre para Voar Verona
1985 Roque Santeiro Lugolina de Aragão (Lulu)
1987 Brega & Chique Silvana
1988 Caso Especial Diana Episódio: "Boi Santo"
Duarte & C.a Atriz na TV Episódio: "14"
Vale Tudo Leila Cantanhede
1990 Pantanal Maria Marruá
Barriga de Aluguel Ana Lúcia Paranhos de Alencar
1992 Você Decide Marina Episódio: "Armadilha do Destino"
Catadora de lixo Episódio: "Mamãe Coragem"
1993 Laura Episódio: "Laços de Sangue"
Fera Ferida Ilka Tibiriçá
1996 Quem É Você? Beatriz Maldonado
1997 Por Amor Isabel Lafayete
1998 Você Decide Sofia[33] Episódio: "Minhas Caras Amigas"
Pecado Capital Eunice Freitas
Mulher Lisete Episódio: "Casa de Ferreiro"[34]
1999 Teresa Episódio: "O Segredo"
2000 Esplendor Adelaide
Você Decide Glorinha Episódio: "Glorinha Vai às Compras"
2001 Porto dos Milagres Adma Guerreiro
2002 Sabor da Paixão Cecília Coelho
2004 Um Só Coração Guiomar Penteado
2005 Carga Pesada Dora[35] Episódio: "Estupidez"
Mad Maria Amália
2006 JK Maria
Cobras & Lagartos Henriqueta das Neves / Teresa Botelho Pacheco
2007 Eterna Magia Zilda Pelizari
2008 Casos e Acasos Débora Episódio: "A Prova, a Namorada e a Isca"
Marilene Episódio: "A Aliança, a Queixa e a Revista"
2009 Paraíso Mariana Godói
2010 Escrito nas Estrelas Francisca Aguillar
Sólida Ramírez
2011 Morde & Assopra Dulce Maria Pereira
2012 Amor Eterno Amor Melissa Borges Sobral[36]
2014 Amores Roubados Carolina Dantas[37]
O Rebu Gilda Rezende[38]
2015 Felizes para Sempre? Olga[39]
A Regra do Jogo Djanira da Silva[40]
2016 Nada Será Como Antes Odete dos Santos[41]
2017 Os Dias Eram Assim Vera Reis
2018 Segundo Sol Claudine Athayde Episódios: "16–22 de maio"
Ilha de Ferro Isabel Giordano Episódio: "A Terra que nos Devora"
2020 Desalma Haia Lachovicz[42][43][44]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1984 Memórias do Cárcere
1987 O País dos Tenentes Inês
Alta Rotação Isabel
Ele, o Boto Teresa
1991 A Grande Arte Mercedes
2000 A Hora Marcada Clarisse
2001 Bicho de Sete Cabeças Meire Souza
2006 Tapete Vermelho Malvina
Ódiquê? Mãe de Paulinho
2007 Chega de Saudade Marici
Não por Acaso Iolanda
2008 Meu Nome Não É Johnny Juíza
A Festa da Menina Morta Mãe
2009 Os Inquilinos Professora
2010 Bróder Dona Sônia
Chico Xavier Iara
2012 Billi Pig Bibi Correa
2014 Encantados Pajé Líder[45]
Boa Sorte Drª. Lorena[46]
2017 Redemoinho Marta[47]
Real: O Plano por Trás da História Valéria[48]
2021 O Auto da Boa Mentira Luzia[49]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1979 Alice, o que uma menina bonitinha como você faz num país como esse? [50]
1980 O Coronel dos Coronéis
1981 Quem Governa o Rei?
1986

1987

1990

Fedra

Ligações perigosas

Pantaleão e as visitadoras

Arícia[51]
2001 Últimas Luas
2009


2019/2020

O Zoológico de Vidro

Meu quintal é maior do que o mundo

Meu quintal é maior do que o mundo

Amanda Wingfield[52]Manoel de Barros

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado Ref
2001 Prêmio Qualidade Brasil Melhor Atriz - RJ
Bicho de Sete Cabeças
Venceu [53]
Festival do Recife Melhor Atriz Coadjuvante Venceu
2002 Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante Indicada
Prêmio Guarani do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante Indicada [54]
Troféu Imprensa Melhor Atriz
Porto dos Milagres
Venceu [55]
Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz Venceu [56]
Melhor Vilã/Vilão Venceu [56]
Melhores do Ano Melhor Atriz Venceu
Prêmio Austregésilo de Athayde Melhor Atriz Venceu [57]
2008 Prêmio Arte Qualidade Brasil Melhor Atriz Coadjuvante
Meu Nome Não É Johnny
Venceu [58]
2009 Melhor Atriz Teatral Drama
Zoológico de vidro
Venceu [59]
Melhor Atriz Coadjuvante
Paraíso
Indicada [60]
Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz Indicada [61]
Prêmio Tudo de Bom do O Dia Melhor Atriz Venceu [62]
Troféu Redentor do Festival do Rio Melhor Atriz Coadjuvante
Os Inquilinos
Venceu [63]
Prêmio ACIE de Cinema Melhor Atriz
Chega de Saudade
Indicada [64]
8ª Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Indicada [65]
Prêmio Guarani do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Indicada
Festival Internacional de Cinema de Cartagena Melhor Atriz Coadjuvante Venceu
2010 Prêmio Guarani do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
A Festa da Menina Morta
Venceu [54]
2011 Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
Chico Xavier
Venceu
Prêmio Extra de Televisão Melhor Atriz
Morde & Assopra
Indicada [66]
Prêmio Melhores e Piores TV Press Melhor Atriz Coadjuvante Venceu [67]
Prêmio Arte Qualidade Brasil Melhor Atriz Coadjuvante Venceu [68]
Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz Venceu [69]
Melhores do Ano Melhor Atriz Coadjuvante Venceu [70]
Prêmio Contigo! de Cinema Nacional Melhor Atriz Coadjuvante
Bróder
Venceu [71]
2012 11º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante Indicada [72]
2012 Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz
Morde & Assopra
Indicada [73]
2013 Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz de Novela
Amor Eterno Amor
Indicada [74]
2014 Prêmio Extra de Televisão Melhor Atriz Coadjuvante
O Rebu
Indicada
Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz Coadjuvante Indicada [75]
Prêmio Melhores e Piores TV Press Melhor Atriz Coadjuvante Venceu
Troféu APCA Melhor Atriz Venceu [76]
Prêmio CinEuphoria Melhor Atriz Coadjuvante
Bróder
Indicada
2015 Troféu Mulher Observadora Homenagem
Ela mesma
Venceu [77]
17ª Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz de Série ou Minissérie
Felizes para Sempre?
Indicada [78]
Prêmio Extra de Televisão Melhor Atriz Coadjuvante
A Regra do Jogo
Indicada [79]
Melhores do Ano Melhor Atriz Coadjuvante Indicada [80]
Prêmio Quem de Televisão Melhor Atriz Indicada [81]
2018 Prêmio Guarani do Cinema Brasileiro Melhor Atriz Coadjuvante
Redemoinho
Indicada
Cine PE Troféu Calunga de Ouro
Homenagem
Venceu [82]
2020 Prêmio F5[83] Melhor Atriz de Série Dramática
Desalma
Indicada
Prêmio The Brazilian Critic[84] Melhor Atriz em Série de Drama Indicada
2021 Séries em Cena Awards[85] Melhor Atriz em Série Nacional Pendente

Notas

  1. Filha de Josep Kiss, Cássia foi registrada incorretamente em cartório como "Cássia Kis" (com apenas um "s"), mas não alterou seu registro de nascimento. Apesar disto, ela utilizava o nome artístico de Cássia Kiss. Entre 2010 e 2015 ela usou, no nome artístico, o sobrenome conforme foi registrado no cartório mais o sobrenome do atual marido: Cássia Kis Magro. A partir de 2015 passou a assinar apenas Cássia Kis.

Referências

  1. a b c Mariana Maziero (15 de abril de 2010). «Atriz agora se chama Cássia Kiss Magro». R7. Consultado em 14 de março de 2013 
  2. Cássia Kis muda o nome de novo e levanta suspeita de separação
  3. «Cássia Kis revela que seus filhos aprenderam com as lições de Dulce». Extra - TV e lazer. Consultado em 2 de julho de 2011 
  4. «Biografia». UOL. Caras. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  5. a b «Sobrinho de Cássia Kiss faz sucesso como modelo». Globo.com. EGO. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  6. Luara Calvi Anic (14 de dezembro de 2009). «Cássia Kiss». UOL. Revista TPM. Consultado em 14 de março de 2013 
  7. «Cássia Kis Magro revela a jornal que já fumou maconha e tomou chá de cogumelo». Abril. Contigo!. 18 de setembro de 2011. Consultado em 14 de março de 2013 
  8. André Leal (13 de abril de 2007). «As entrevistadas contam como fizeram o aborto». Globo.com. Época. Consultado em 14 de março de 2013 
  9. a b «Cássia Kiss diz que já tomou chá de cogumelo e fumou maconha». O Dia Online. Painel Notícias. 18 de setembro de 2011. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  10. Elena Corrêa. «"Eu era totalmente fora do eixo"». Quem. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  11. Renata Trindade. «Cássia Kiss: 'O Espiritismo me faz feliz, me tranquiliza'». Te Contei. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  12. a b c d Luara Calvi Anic (12 de dezembro de 2009). «Cássia Kiss - A atriz atropela os tabus e fala de sexo, bipolaridade, drogas, e bulimia». UOL. Revista TPM. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  13. Elena Corrêa. «"Eu era totalmente fora do eixo"». Quem. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  14. Revista Marie Claire, Rosane Queiroz (Maio de 2001). «O avesso da vilã». Consultado em 21 de outubro de 2008 
  15. Silvana Tavano (Abril de 2008). «Menos radicais». Revista Marie Claire. Consultado em 21 de outubro de 2008 
  16. Revista Quem, Elena Corrêa (1 de agosto de 2007). «"Tenho bulimia e sou bipolar"». Consultado em 21 de outubro de 2008 
  17. 6 de janeiro: Nascimentos
  18. [[1]]
  19. Poliana Costa (15 de setembro de 2009). «Cássia Kiss e João Baptista reúnem amigos em cerimônia de casamento». Abril. Contigo!. Consultado em 14 de março de 2013 
  20. a b c d «Cassia Kis deu vida a infame Adma Guerreiro, em Porto dos Milagres, de 2001. Atriz está na Globo desde 1983». Memoria Globo. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  21. Vivian Ortiz. «Cássia Kiss Magro no auge». Guia da Semana. Consultado em 12 de outubro de 2013 
  22. Filmes Cassia Kis
  23. Cinemateca Brasileira O Bicho de 7 Cabeças [em linha]
  24. Matheus Vieira (4 de janeiro de 2014). «'Amores roubados': Cássia Kiss Magro volta à TV como uma prostituta abandonada pelo filho». Extra. Consultado em 27 de julho de 2014 
  25. Louise Soares (15 de julho de 2014). «Quis esquecer que já montaram 'O Rebu', afirma Cássia Kis». F5 - televisão. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  26. Naiara Andrade (26 de junho de 2014). «Cassia Kis sobre cenas quentes com Daniel de Oliveira em 'O rebu': 'Não penso nas rugas e estrias'». Extra. Consultado em 12 de outubro de 2014 
  27. Fernando Oliveira (14 de agosto de 2014). «Remake de 'Quem Ama Não Mata' ganha mais nomes no elenco». R7. Mundo da TV. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  28. Patrícia Kogut (14 de agosto de 2014). «Perfeito Fortuna vai estrear na Globo em série de Euclydes Marinho». O Globo. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  29. Cassia Kis estreou na tv em 'Cara a Cara'
  30. Cassia Ki começou no teatro
  31. Trajetória Cassia Kis
  32. Cassia Kis, talentosa atriz
  33. «Você Decide - Minhas Caras Amigas». Memoria Globo. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  34. «1998 - Cássia Kis Magro em cena da série "Mulher", da Globo». Bol. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  35. «Bino se apaixona por Dora, interpretada por Cássia Kiss». Canal Viva. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  36. Gshow (13 de fevereiro de 2012). «Cassia Kis Magro muda visual para viver a vilã Melissa em Amor Eterno Amor». Fique por Dentro - Amor Eterno Amor. Consultado em 27 de julho de 2014 
  37. Natalia Castro (7 de janeiro de 2014). «Cauã Reymond conta que cortou relações com Cassia Kis Magro em gravações de 'Amores roubados'». O Globo. Consultado em 27 de julho de 2014 
  38. «Cássia Kis Magro e Daniel de Oliveira serão amantes em nova novela das 23h». F5 - televisão. 18 de junho de 2014. Consultado em 27 de julho de 2014 
  39. Flávia Muniz (20 de dezembro de 2014). «'Ficar sozinho por opção é burrice', dispara Cássia Kiss». O Dia. Consultado em 5 de janeiro de 2015 
  40. Lígia Mesquita (19 de agosto de 2015). «'Nunca fiz uma personagem que me interessasse tanto', diz Cássia Kis sobre 'A Regra do Jogo'». F5 - televisão. Outro Canal - Folha de S.Paulo. Consultado em 23 de agosto de 2015 
  41. Bruna Marquezine com Cássia Kiss na gravação de “Nada será como antes”
  42. Redação (22 de julho de 2019). «'Desalma': Cassia Kis vive bruxa na nova série sobrenatural original do Globoplay». Gshow. Consultado em 21 de abril de 2020 
  43. Redação (23 de julho de 2019). «Veja visual de Cássia Kis para viver bruxa em série sobrenatural da Globo». O Dia. Consultado em 28 de julho de 2019 
  44. Carla Bittencourt (30 de julho de 2019). «Cássia Kis é bruxa em nova série do Globoplay». Extra. Consultado em 30 de julho de 2019 
  45. Filme Encantados
  46. Filme Boa Sorte
  47. Cassia Kiss se prepara para filme
  48. «Real - O Plano por Trás da História : Elenco, atores, equipe técnica». Globo Filmes. 2016. Consultado em 27 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 26 de agosto de 2016 
  49. «Cassia Kis e Renato Góes repetem parceria em filme -». O Popular. Consultado em 27 de outubro de 2018 
  50. Peças de Cassia Kis
  51. «Fedra de Jean Racine, Tradução de Millôr Fernandes». Uol. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  52. Chega ao Rio, com Cássia Kiss, 'O zoológico de vidro'
  53. «Prêmios recebidos por Bicho de Sete cabeças». Buriti Filmes. Consultado em 27 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 10 de abril de 2011 
  54. a b IMDb :: Awards
  55. «Supla é a revelação do Troféu Imprensa». Estadão.com. 8 de abril de 2002. Consultado em 8 de abril de 2013 
  56. a b «4º Prêmio Contigo! - Vencedores». Contigo!. Consultado em 8 de abril de 2013. Arquivado do original em 14 de setembro de 2011 
  57. Premiações Artísticas :: Prêmio Austregésilo de Athayde
  58. «Categoria Cinema - 2008 - Prêmio Arte Qualidade Brasil». Prêmio Arte Qualidade Brasil. 2008. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  59. «Cássia Kiss, que ganhou o prêmio por Melhor atriz teatral drama em "Zoológico de vidro", contou que está totalmente realizada na vida». Revista Quem. 17 de novembro de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  60. «Categoria Televisão - 2009 - Prêmio Arte Qualidade Brasil». Prêmio Arte Qualidade Brasil. 2008. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  61. «Vencedores e indicados ao Prêmio Quem 2009». Quem. 5 de agosto de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  62. «Tudo de Bom: Gagliasso e Cássia Kiss levam prêmio por atuação». Babado IG. 5 de agosto de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  63. «Festival do Rio premia longa do criador de 'Tapa na pantera'». G1. 8 de outubro de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  64. «O filme Estômago é o grande vencedor do Prêmio ACIE de Cinema». Musitec. 19 de maio de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  65. «Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro divulga indicados». Jornal Extra. 11 de março de 2009. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  66. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Andrea Beltrão é a melhor atriz». Extra. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  67. Premiações Artísticas :: TV Press
  68. «Categoria Televisão - 2011 - Prêmio Arte Qualidade Brasil». Prêmio Arte Qualidade Brasil. 2011. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  69. Prêmio QUEM: Cássia Kiss Magro (Melhor atriz de televisão)
  70. «Cassia Kis Magro acha que ainda não é uma grande mulher». Globo.com. 1 de abril de 2012. Consultado em 8 de abril de 2013 
  71. «G1 - Veja a lista dos vencedores do 6º Prêmio Contigo! de Cinema». G1. 12 de setembro de 2011. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  72. «G1 - Veja os vencedores do 11º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro». G1. 15 de outubro de 2012. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  73. «Indicados a Melhor Atriz de Novela». Contigo. Consultado em 16 de setembro de 2017. Arquivado do original em 6 de dezembro de 2013 
  74. «Prêmio Contigo de TV! 2013». 20 de fevereiro de 2013. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 1 de abril de 2013 
  75. «Prêmio QUEM 2014: Conheça e vote nos finalistas da categoria TV». Quem. 5 de agosto de 2014. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  76. «Veja quem levou o Prêmio APCA 2014». Consultado em 2 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 28 de março de 2015 
  77. «Cássia Kis recebe prêmio no Teatro Eva Herz». Joao Alberto. 23 de março de 2015. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  78. «A novela "Império" foi a grande vencedora do 17ª prêmio Contigo! de Televisão». Uol. 9 de junho de 2015. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  79. «Grazi Massafera leva o Prêmio Extra de Atriz Coadjuvante». Jornal Extra. 17 de novembro de 2015. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  80. «Cássia Kis concorre a Melhor Atriz Coadjuvante» 
  81. «Prêmio QUEM 2015: Vote no seu preferido na categoria TV». Quem. 2015. Consultado em 27 de fevereiro de 2017 
  82. «CinePE homenageia Cássia Kis com Troféu». Correio do Povo. Consultado em 27 de outubro de 2018 
  83. «Prêmio F5: Veja indicados e vote nos principais destaques do entretenimento em 2020». Folha Uol. 24 de novembro de 2020. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  84. «The Brazilian Critic 2020: indicados anunciados». The Brazilian Critic. Consultado em 5 de dezembro de 2020 
  85. «Conheça todos os indicados do "Séries em Cena Awards"». seriesemcena.com.br. Consultado em 9 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cássia Kis
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cássia Kis Magro