Patrícia Poeta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Patrícia Poeta
Nascimento 19 de outubro de 1976 (38 anos)
São Jerônimo,  Rio Grande do Sul
Ocupação Jornalista e apresentadora
Cônjuge(s) Amauri Soares (2001 - presente)
Nacionalidade  brasileira

Patrícia Poeta Pfingstag Soares (São Jerônimo, 19 de outubro de 1976), mais conhecida como Patrícia Poeta é uma jornalista e apresentadora brasileira da Rede Globo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha dos advogados Ivo Barcellos Pfingstag e Maria de Fátima Poeta Pfingstag, Patrícia formou-se na faculdade de Comunicação Social da PUC-RS em 1998. Começou a trabalhar na Band local cobrindo férias de repórteres e, posteriormente, apresentando telejornal na hora do almoço. Um ano depois, enviou material com amostras de seu trabalho para TVs de São Paulo.[1]

Foi contratada pela Globo São Paulo em 2000 para apresentar a previsão do tempo dos telejornais, inclusive de rede, e acumulou as funções de repórter e apresentadora. Em 2001, foi efetivada na apresentação do SPTV - 1º edição ao lado de Chico Pinheiro, e aos sábados, o Jornal Hoje. Em 28 de julho de 2001, Patrícia se casou com Amauri Soares, então diretor de Jornalismo da emissora em São Paulo.[2]

Em 2002, o marido assumira a direção Globo Internacional em Nova York. Patrícia também fora transferida pra cidade estadunidense, tornou-se correspondente e produziu reportagens especiais para diversos telejornais e programas do canal, principalmente para Fantástico e Jornal Nacional. Entrevistou personalidades como Julia Roberts, Tom Hanks, Leonardo di Caprio, Steven Spielberg e Tom Cruise, acumulando experiência como entrevistadora.[3]

Em 2005, Patrícia, ainda nos Estados Unidos, se desligou da TV Globo e interrompeu sua carreira para fazer um curso de pós-graduação em cinema na Universidade de Nova Iorque. Atuou em alguns curtas e dirigiu outros.

Retornou ao Brasil e para a Globo dois anos depois e, em 6 de janeiro de 2008, estreou na apresentação do Fantástico, sucedendo Glória Maria e fazendo dupla com Zeca Camargo. Conduziu no programa entrevistas e quadros.[4]

Em 6 de dezembro de 2011, passou a integrar a equipe do Jornal Nacional, como apresentadora e editora-executiva, sucedendo Fátima Bernardes.[5] Ancorou o noticiário ao lado de William Bonner durante quase três anos, e cobriu acontecimentos marcantes, como os grandes protestos de junho de 2013, a Copa do Mundo de 2014 no Brasil e a eleição presidencial de 2014. Nas manifestações, chegou a ficar sozinha por quase duas horas narrando os acontecimentos, além de flashes durante a programação que, totalizados, chegaram a quase uma hora.[6] Na Copa, Patrícia acompanhou a Seleção Brasileira por todo o país, e cobriu para o JN o fatídico jogo contra a Alemanha, apresentando o jornal ao lado de Galvão Bueno direto do Estádio do Mineirão.[7]

Em 31 de outubro de 2014, Patrícia deixou a bancada do Jornal Nacional, mais de um mês depois que a emissora anunciara seu desligamento com a justificativa que ela ganhará um programa solo e que os quase três anos na bancada já estava programado desde a estreia.[8] Desde então, circulam na imprensa diversas teses e teorias, tal como desentendimentos, segundo colunistas especializados em TV, mas que publicam histórias desencontradas. Ricardo Feltrin, da Folha de S. Paulo, noticiara uma rixa entre o diretor de jornalismo Ali Kamel com o marido de Patrícia, Amauri Soares, diretor da Central Globo de Programação.[9] Daniel Castro, ex-colunista da Folha, publicara em em seu site independente no UOL, desentendimento entre ela e William Bonner, que "nunca teria aceito" ela na bancada, e que Poeta ficou ainda mais fragilizada depois das sabatinas com presidenciáveis, onde teriam considerado mau seu desempenho, além da tentativa de compra de um apartamento de luxo de um homem relacionado à corrupção.[10] [11]

A partir de 8 de agosto de 2015, assume, ao lado de outros artistas, a apresentação do novo programa É de Casa, que conta com variedades e notícias cotidianas. [12] [13]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Mariana Godoy
Apresentação do SPTV
2000 — 2002
Sucedido por
Sandra Annemberg
Precedido por
Glória Maria
Apresentação do Fantástico
2008 — 2011
Sucedido por
Renata Ceribelli
Precedido por
Fátima Bernardes
Apresentação do Jornal Nacional
2011 — 2014
Sucedido por
Renata Vasconcellos
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.