É de Casa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
É de Casa
Informação geral
Formato programa de variedades
Gênero Entretenimento
Duração 300 minutos[1]
Estado Em exibição
Criador(es) Boninho
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Leandro Meneguiti
Apresentador(es)
Tema de abertura Instrumental
Empresa(s) produtora(s) Central Globo de Produção
Localização Rio de Janeiro, RJ
Exibição
Emissora original Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 8 de agosto de 2015 (5 anos) – presente
Temporadas 5

É de Casa é um programa de televisão brasileiro produzido e exibido pela Rede Globo desde 8 de agosto de 2015 aos sábados de manhã.[2] É apresentado atualmente por Ana Furtado, André Marques, Cissa Guimarães e Patrícia Poeta.[3][4]

O Programa[editar | editar código-fonte]

O programa mescla informações jornalísticas, dicas de estilo de vida, culinária, artesanato e jardinagem, assuntos que ocorreram durante a semana e participações de convidados especiais. O telespectador também participa do programa através das redes sociais.[5] O cenário do programa é dividido em cômodos, dando a informalidade de uma casa onde todos podem participar e interagir.

História[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o diretor Boninho começou a desenvolver o projeto de um programa de variedades matinal que pudesse substituir os desenhos animados da TV Globinho aos sábados, uma vez que esta não trazia retorno comercial apesar da boa audiência.[6] Para a apresentação foram escalados seis apresentadores que estavam "na geladeira", ou seja, sem estarem no ar: Ana Furtado e André Marques, sem programa desde que deixaram o Vídeo Show em 2013, Cissa Guimarães, que visava deixar as novelas e retornar à apresentação; Patrícia Poeta, substituída do Jornal Nacional em 2014, Tiago Leifert, que deixou o Globo Esporte para focar no entretenimento, e Zeca Camargo, que havia deixado o Vídeo Show em 2015.[7]

Batizado como É de Casa, o programa entrou no ar em 8 de agosto trazendo colunistas especializados em assuntos para darem dicas nos quadros de jornalismo, paisagismo, culinária e saúde, sendo comparado na estreia ao formato do Hoje em Dia, da RecordTV.[8][9] Em 27 de agosto de 2016 Tiago Leifert deixou o programa, uma vez que já apresentava também o The Voice Brasil e foi escalado para substituir Pedro Bial no Big Brother Brasil.[10] Além disso, André Marques passou a se ausentar do programa nos três primeiros meses de cada ano para dedicar-se ao The Voice Kids.[11] Em 2017 o programa ganhou dois novos colunistas: Nathalia Arcuri para falar de economia e o chef Roberto Ravioli, para apresentar a culinária. Em 23 e 30 de março de 2019 Ricardo Pereira apresentou dois programas durante as férias dos apresentadores.[12] Em 11 de maio de 2019, o Bem Estar deixou de ser um programa próprio diário e se tornou um quadro dentro do É de Casa, sob o comando de Michelle Loreto.[13] Em setembro Maria Cândida se torna repórter do programa, apresentando o quadro Sábado Curioso com dicas de entretenimento e lazer.[14]

Em 21 de março de 2020 o É de Casa abriu espaço para o jornalismo com a intenção de atualizar os telespectadores sobre a pandemia da COVID-19, passando a ser exibido das 7h às 12h com reportagens e notícias sobre o coronavirus e tendo o reforço de Marcelo Adnet no quadro Sinta-se em Casa. Em 25 de maio de 2020, Zeca Camargo deixa o programa ao ser dispensado pela Rede Globo.[15] No mesmo dia foi anunciado que Fernanda Gentil se tornaria colunista de um quadro sobre como se distrair na quarentena durante a pandemia.[16]

Desde 18 de julho, a atração exibe um compilado de episódios, do programa Tempero de Família. Apresentado por Rodrigo Hilbert, no canal GNT.[17][18] Em 12 de setembro, o apresentador e repórter, Manoel Soares, passa a cobrir a ausência de, André Marques enquanto o mesmo estiver envolvido com, o The Voice Kids.[19][20]

Em 21 de novembro, em homenagem ao Dia da Consciência Negra, a ganhadora do BBB 20 Thelma Assis, apresentou o programa; diretamente do estúdio.[21]

Equipe[editar | editar código-fonte]

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Colunistas[editar | editar código-fonte]

Repórteres[editar | editar código-fonte]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

O programa estreou com cinco pontos na Grande São Paulo, ficando em segundo lugar, atrás do Sábado Animado, do SBT.[23] Apesar das críticas e audiência em baixa, os executivos da Rede Globo acreditaram que o programa era uma boa opção para cobrir a saída da programação infantil nas manhãs.[24] Porém, o programa seguiu ao passar dos anos em segundo ou terceiro lugar, atrás também do Fala Brasil, da RecordTV, liderando em raras ocasiões.[25][26] Sua melhor audiência ocorreu em 6 de janeiro de 2016, quando atingiu 7,2 pontos.[27]

Críticas[editar | editar código-fonte]

É de Casa sempre recebeu críticas pelo excesso de apresentadores, o que garante um subaproveitamento de cada um deles em poucos minutos de tela.[28][29] Além disso, o programa foi criticado trazer temas semelhantes aos já apresentados no Mais Você, Encontro com Fátima Bernardes e Bem Estar, sendo taxado como pouco original e que repetia conteúdo.[30]

Referências

  1. «COVID-19 é o tema do programa deste sábado». Globo Comunicação e Participações S.A. (Imprensa Globo). Consultado em 27 de março de 2020 
  2. «Novo programa matinal da Globo terá seis apresentadores, afirma jornal». 23 de maio de 2015 
  3. «É de Casa: programa matinal fala sobre a vida em casa; saiba tudo». Consultado em 5 de julho de 2015 
  4. «Tudo sobre É de Casa | gshow». Gshow. Consultado em 5 de julho de 2015 
  5. «"É De Casa" terá jornalismo e usará segunda tela para interagir com o público». 27 de julho de 2015. Consultado em 29 de julho de 2015 
  6. «Zeca Camargo e Patrícia Poeta podem apresentar programa matinal aos sábados». Portal Imprensa. Consultado em 26 de maio de 2020 
  7. «Zeca Camargo e Patrícia Poeta podem apresentar programa matinal aos sábados». Portal Imprensa. Consultado em 26 de maio de 2020 
  8. PADIGLIONE, Cristina (2 de agosto de 2015). «Estreia do 'É de Casa' na Globo encerra último suspiro da programação infantil no canal». O Estado de São Paulo. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  9. VILLALBA, Patrícia (1 de agosto de 2015). «Globo mistura 'Mais Você' e 'Encontro' no novo 'É de Casa'». Veja. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  10. «Tiago Leifert assume o 'BBB', e Pedro Bial ganha novo programa na Globo». Consultado em 23 de agosto de 2016 
  11. «Pedro Bial deixa o comando do 'BBB' e Tiago Leifert assume reality». 22 de agosto de 2016. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  12. «Ricardo Pereira estreia no 'É de Casa' e conta detalhes sobre como é em seu lar». Gshow. Consultado em 26 de maio de 2020 
  13. «Globo oficializa o fim do Bem Estar; atração passará a ser quadro do Encontro». Observatório da Televisão. Consultado em 29 de março de 2019 
  14. «Maria Cândida comemora retorno à TV Globo após mais de 20 anos». IstoÉ. Consultado em 26 de maio de 2020 
  15. «Globo não renova contrato com Zeca Camargo e apresentador deixa emissora após 24 anos». ISTOÉ Independente. 27 de maio de 2020. Consultado em 27 de maio de 2020 
  16. «Fernanda Gentil ganha quadro no É de Casa após saída de Zeca». Terra. Consultado em 26 de maio de 2020 
  17. Redação (15 de julho de 2020). «Tempero de Rodrigo Hilbert no É de Casa». Globo Imprensa. Consultado em 15 de julho de 2020 
  18. Carla Bittencourt (15 de julho de 2020). «Rodrigo Hilbert leva o 'Tempero de família' para o 'É de casa'». Extra. Consultado em 16 de julho de 2020 
  19. Carla Bittencourt (4 de setembro de 2020). «Manoel Soares é promovido a apresentador do 'É de casa'». Extra. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  20. Redação (27 de agosto de 2020). «Manoel Soares é escalado para apresentar o 'É de Casa'». O Dia. Consultado em 4 de setembro de 2020 
  21. Redação (19 de novembro de 2020). «Thelma Assis se une ao time de apresentadores no 'É de Casa' deste sábado». Globo Imprensa. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  22. CADU SAFNER (21 de setembro de 2019). «De surpresa, Maria Cândida surge no É de Casa e domina comentários na web: "Que estreia maravilhosa!"». Observatório da Televisão. Consultado em 21 de setembro de 2019 
  23. FELTRIN, Eduardo (8 de agosto de 2015). «Ibope prévio: "É de Casa" perde para SBT e derruba Globo». UOL. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  24. «Globo aposta que 'É de Casa' fará sucesso como 'Encontro'». Consultado em 24 de agosto de 2015. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2015 
  25. «"É De Casa" sofre a 10ª derrota consecutiva para o SBT | Bastidores da TV». Bastidores da TV. Consultado em 16 de outubro de 2015 
  26. FELTRIN, Ricardo (31 de outubro de 2015). «Após estreia na Globo do "É de Casa", ibope do SBT cresce 34% 2». UOL. Consultado em 31 de outubro de 2015 
  27. «"É De Casa" registra maior audiência em dois meses». Bastidores da TV. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2016 
  28. BRINCO, Henrique (9 de agosto de 2015). «"É de Casa" é bom, mas precisa superar alguns problemas». RD1. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  29. FISCHER, Neuber (8 de agosto de 2015). [“É de Casa” é bom, mas precisa superar alguns problemas «É de Casa prioriza apresentadores em detrimento da informação»] Verifique valor |URL= (ajuda). Observatório da Televisão. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  30. «Seis detalhes da estreia polêmica do 'É na Casa' na Globo». Sala de TV (Terra). 9 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão no Brasil é um esboço relacionado ao projeto entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.