Central da Copa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra nº 6 da eliminação rápida.
Central da Copa
Informação geral
Formato Telejornal
Gênero Esportivo
Duração Variável
Criador(es) Armando Nogueira
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Ali Kamel (DGJE)
Renato Ribeiro (CGESP)
Apresentador(es) Tiago Leifert
Fagner Braga
Caio Ribeiro
Alex Escobar
Elenco Caio Ribeiro
Tema de abertura Instrumental
Tema de encerramento Instrumental
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 2 de junho de 1970-presente
Cronologia
Programas relacionados Nova Central da Copa
Globo Esporte
Esporte Espetacular

Central da Copa é um programa de televisão brasileiro criado pela Rede Globo e exibido durante o período da Copa do Mundo FIFA de 1970, com qual foi o primeiro especial de futebol criado pela emissora. Durante a Copa o programa, apresentado diretamente do Rio de Janeiro, possuía três horários fixos: um no período matutino, com Luís Ernesto Lacombe, um no período vespertino e um no período noturno, ambas sob o comando de Tiago Leifert. O programa teve sua estreia no dia 02 de junho de 1970, como um forma experimento e com somente uma banca onde vários jornalistas debatiam sobre os lançes do futebol e da copa. Após o fim da copa, e com a vitória do tricampeonato da Seleção Brasileira, o programa fez tanto sucesso que a emissora decidiu "mante-lo" no ar.

História[editar | editar código-fonte]

Em sua estreia em 1970, o programa só continha um apresentador: Léo Batista, e dois repórteres espalhados na cidades-sedes do México. Mas a partir de 1973 o programa ganhou mais debatedores esportivos. Na equipe estavam Teixeira Heizer, Luíz Gambitto e Hilton Gomes. Mas nas copas seguintes, o formato foi mudando cada vez mais e mais.

Em 2009, programa possuía um formato dinâmico com presença de plateia em alguns dias, além de convidados especiais e a participação dos telespectadores por meio da internet.[1] Os horários de cada atração eram flexíveis por dependerem do começo e do término das transmissões dos jogos que ocorreram na África do Sul.[2][3][4]

2010[editar | editar código-fonte]

Luís Ernesto Lacombe assumiu o Central da Copa - Manhã, que cobria os jogos das 08h30 e 11h (horários de Brasília), na primeira fase. Tiago Leifert assumiu o Central da Copa - Tarde, que cobria o jogo das 15h30 (horário de Brasília), na primeira fase. Tiago ficou responsável, também, pelo programa que foi veiculado dentro do Jornal da Globo. Nos dias em que ocorreram jogos da Seleção Brasileira, o programa cresceu no horário estipulado, chegando a quase uma hora de duração, com análises a todos os lances, antes do Jornal da Globo.[5]

A participação do público no Central da Copa também foi constante. Em jogos do Brasil, principalmente, o público pode se manifestar quanto à Seleção e pode dizer o que estava achando da equipe, além de poder comentar, ao vivo, com um dos apresentadores.

Edição dominical[editar | editar código-fonte]

Nos domingos, após o Fantástico, Tiago Leifert comandava um Central da Copa especial com tudo o que aconteceu durante a semana na Copa do Mundo, além de vários acontecimentos nos bastidores da transmissão da Rede Globo, com presença de plateia e do comentarista esportivo Caio Ribeiro. A presença de torcedores internacionais também faziam parte do programa em sua edição dominical. Na primeira delas, no dia 13 de junho, foram ao programa torcedores provindos da Argentina, da Alemanha e da Inglaterra cujos países já haviam enfrentado outras seleções na África do Sul.

Internet[editar | editar código-fonte]

O uso da Internet também era constante. Vídeos do YouTube foram exibidos dentro do programa, e o Twitter e o Skype também eram utilizados. O Central da Copa possuía um endereço no Twitter, no qual ambos os apresentadores eram responsáveis pela exibição de comentários e mensagens enviadas pelos telespectadores.

Após a Copa[editar | editar código-fonte]

Após o fim da Copa do Mundo o programa voltou a ser exibido no dia 10 de agosto de 2010, após a estreia do seriado A Cura, substituindo o Profissão Repórter, de Caco Barcellos.[4]

Neste dia, houve o primeiro amistoso da Seleção Brasileira sob o comando de Mano Menezes, contra a Seleção dos Estados Unidos. Assim como na Copa do Mundo, o programa possui os comentários de Caio Ribeiro e o comando de Tiago Leifert, apresentador da versão paulista do Globo Esporte.

Desde seu retorno à grade, o Central passou a ser exibido sempre nos dias de jogos da Seleção e, eventualmente, em edições especiais. Em 20 de novembro de 2011, o programa foi ao ar depois do Jornal Hoje, dentro da transmissão de uma cerimônia da FIFA, em Zurique, na Suiça. Tiago Leifert, Caio Ribeiro, Carlos Casagrande e convidados comentaram o evento, que anunciou São Paulo como a cidade que receberá o jogo de abertura da Copa de 2014 e o calendário de jogos da Copa das Confederações de 2013, no Brasil.[6]

2014 e 2018[editar | editar código-fonte]

2014[editar | editar código-fonte]

A Central da Copa voltou em 2014 para analisar os 64 jogos do Mundial do Brasil. Alex Escobar, Tiago Leifert e Caio Ribeiro apresentaram o programa que, além da plateia de 50 pessoas, contou com a interatividade do público pelas redes sociais.[7]

Em dias de jogos do Brasil, o programa exibiu reportagens especiais e recebeu atores como convidados para debater lances e curiosidades sobre as partidas. Marcius Melhem, por exemplo, esteve no estúdio e brincou com a plateia do programa, que mais lembrava uma arquibancada.[7]

Em 2014, a Central da Copa inovou. Usou uma mesa tática e um campo virtual para analisar o time de Felipão e o desempenho dos adversários do Brasil. O fundo do cenário também foi uma novidade, pois mudava em função dos estádios em que o Brasil jogava.[7]

2018[editar | editar código-fonte]

Para a Copa de 2018, os apresentadores são Tiago Leifert, Bárbara Coelho e Caio Ribeiro.[8] Começou no dia 14 de junho e uma de suas novidades é um campo de futebol dentro do estúdio, para "reviver" algumas das jogadas. Conta com a colaboração da DJ Bárbara Labres , de Mariana Santos , o ex-goleiro da seleção Júlio César [9]e Léo Batista.O programa diferente das edições anteriores teve curta duração,sendo que foi exibido entre 14 de junho e 7 de julho,sábado seguinte a eliminação do Brasil na Copa 2018 [10][11]O programa passou a contar com a participação do humorista Carioca,no papel de Cascadura Junior[12][13].O programa foi o último apresentado por Leifert,que preferiu que a atração seja comandado por outras pessoas[14]

Referências

  1. Esporte e Mídia fala sobre o formato do programa.
  2. Esporte e Mídia divulga alguns detalhes sobre o programa.
  3. Coluna do Flávio Ricco sobre o Central da Copa.
  4. a b Tiago Leifert retoma apresentação do 'Central da Copa' na Globo
  5. Entrevista de Tiago Leifert ao Estadão.
  6. «CENTRAL DA COPA - EVOLUÇÃO». memoriaglobo.globo.com. Consultado em 15 de junho de 2018 
  7. a b c «CENTRAL DA COPA - Copa do Mundo 2014». memoriaglobo.globo.com. Consultado em 15 de junho de 2018 
  8. «Tiago Leifert, Bárbara Coelho e Caio Ribeiro, do 'Central da Copa', tomam café no 'Mais Você' e contam novidades do programa». 12 de junho de 2018. Consultado em 14 de junho de 2018 
  9. «Aposentado dos gramados, goleiro Júlio César assina com a Globo para o "Central da Copa"». NaTelinha. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  10. «Globo antecipa o fim do Central da Copa, com Tiago Leifert». O Planeta TV. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  11. «Julio Cesar assina com a Globo para participar do "Central da Copa"». Portal Mídia Esporte | Notícias da Mídia Esportiva. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  12. Dia, O. (4 de julho de 2018). «Márvio Lúcio conta que sua adaptação à estrutura da Globo foi rápida». O Dia - Televisão. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  13. «Ao contrário de Neymar, "Central da Copa" de Tiago Leifert está melhorando». entretenimento.uol.com.br. Consultado em 22 de dezembro de 2018 
  14. «Tiago Leifert não deve mais apresentar 'Central da Copa'». portalmakingof.com.br. Consultado em 22 de dezembro de 2018 


Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.