Hora Um da Notícia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Hora Um da Notícia
Informação geral
Também conhecido(a) como
  • Hora Um
  • H1
Formato Telejornal
Duração 120 minutos[nota 1]
Estado Em produção e exibição
País de origem  Brasil
Idioma original Português brasileiro
Produção
Diretor(es)
Diretor(es) de criação
Produtor(es)
  • Bárbara Bom Angelo
  • Camila Miguel
Coprodutor(es)
  • Khenne Rodrigues
  • Fábio Tenreiro
Editor(es)
Editor-chefe
  • Sérgio Henrique Coelho
Editores
  • Pedro Serra
  • Eliane Deák
  • Mariana Romão
Editora de Internet
  • Erika Ricci
Editores-chefe de Arte
  • Djalma Albuquerque
  • Eduardo Bernardes
Câmera Multicâmera
Apresentador(es)
Elenco
Economia
  • Samy Dana
Esporte
Previsão do Tempo
  • Jacqueline Brazil
  • Anne Lottermann (eventual)
  • Eliana Marques (eventual)
  • Tiago Scheuer (eventual)
Empresa(s) de produção Rede Globo
Localização São Paulo, SP
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Formato de áudio Estéreo
Transmissão original 1 de dezembro de 2014 – presente
Cronologia
Programas relacionados

Hora Um da Notícia (também conhecido somente como Hora Um ou simplesmente H1) é um telejornal brasileiro produzido pela Rede Globo. Exibido desde 1 de dezembro de 2014 pela manhã, é voltado ao público que acorda cedo e acompanha notícias das quatro às seis da manhã. Desde a sua estreia, é apresentado por Monalisa Perrone.[1]

O telejornal ainda conta com participações diárias, em rodízio e ao vivo, dos correspondentes Ilze Scamparini (Roma), Bianca Rothier (Zurique),[2] Carlos Gil (Tóquio) e Cecília Malan (eventualmente Pedro Vedova) em Londres.

Antecedentes e produção[editar | editar código-fonte]

Até 2014, a faixa horária do telejornal era ocupada pelas aulas do Telecurso, exibidas pela Rede Globo há 36 anos[3] e pela edição diária do Globo Rural, que estreou em outubro de 2000.[4] Com o anúncio do Hora Um da Notícia, foi informado que o Telecurso passaria para as plataformas de internet — mantendo a exibição matinal na TV Cultura, Futura, TV Brasil, TV Aparecida e Rede Vida[5] — e o Globo Rural voltou a ter somente a edição semanal, exibida aos domingos.[6] Com a estreia do jornalístico, os telejornais locais ganharam meia hora a mais de duração. Para sua implantação e realização, o Hora Um contou com a equipe de produção do antigo Globo Rural diário.[7]

Exibição[editar | editar código-fonte]

O telejornal estreou em 1 de dezembro de 2014, entrando no horário que era ocupado pelo Telecurso e pelo Globo Rural diário, na faixa das cinco horas da manhã, com exibição de segunda a sexta-feira.[7] O telejornal também é reprisado por volta das seis da manhã pelo sinal de satélite da Globo, no espaço em que as afiliadas exibem os telejornais matutinos locais. Devido aos ataques terroristas em 13 de novembro de 2015 em Paris, o Hora Um contou com uma edição especial no sábado e em horário alternativo, às 6h da manhã.[8]

Até 17 de fevereiro de 2017, o Hora Um da Notícia era exibido ao vivo apenas nos Estados que adotavam o mesmo horário de Brasília, sendo transmitido gravado para os Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre, devido à diferença horária destes Estados em relação à capital federal; aplicando-se tal medida também a Região Nordeste e dos estados do Amapá, do Pará e de Tocantins quando Brasília passa ao horário de verão, devido ao sistema de transmissão via satélite da Globo chamado de Rede Fuso. No entanto, desde 20 de fevereiro de 2017, o telejornal passou a ser ao vivo para todos os estados que adotam uma hora a menos em relação a Brasília, conforme anúncio da Rede Amazônica (compreendendo parte da Região Norte),[9] TV Centro América (Mato Grosso)[10] e TV Morena (Mato Grosso do Sul).[11] No Acre, o jornal passou a ser transmitido às 4h, gravado e transmitido com uma hora de atraso no inverno e duas horas de atraso no verão.[12] Em 1º de dezembro de 2017, foi ao ar um novo pacote gráfico no telejornal e em comemoração de três anos do telejornal, foram colocados vários apresentadores dos Bom Dia locais.[13]

Em 13 de agosto de 2018, o telejornal passou a ter duas horas de exibição, com a alteração do horário de início das cinco para as quatro horas da manhã e a ampliação da equipe de especialistas e correspondentes.[14] Essa ampliação tem sido aventada pela mídia especializada como uma forma de ampliar ainda mais a duração do telejornal nas madrugadas, de modo a oferecer uma alternativa ao público desse horário.[15]

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Eventual[editar | editar código-fonte]

Ex-eventuais[editar | editar código-fonte]

Previsão do Tempo[editar | editar código-fonte]

Eventuais[editar | editar código-fonte]

  • Anne Lottermann (desde 2019)
  • Eliana Marques (desde 2015)
  • Tiago Scheuer (desde 2015)

Esporte[editar | editar código-fonte]

Eventuais[editar | editar código-fonte]

  • Cássio Barco (desde 2018)

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

O programa aumentou a audiência da Globo em 85%, fazendo com que a emissora recuperasse a liderança com 3,7 pontos na Grande São Paulo, segundo o Ibope.[18] Em 15 de fevereiro de 2016, registrou a sua maior audiência com 5,8 pontos[19] e, sete dias depois, bateu o recorde registrando 6,3 pontos na Grande São Paulo.[20] Um ano após sua estreia, o jornal fez a emissora aumentar sua audiência na faixa de horário em 63% em São Paulo e em 57% no Rio de Janeiro, com crescimento de 50% no Painel Nacional de Televisão (PNT).[21] Em 2017, a audiência média do H1 subiu para 5,7 pontos.[22]

Análise da crítica[editar | editar código-fonte]

Daniel Castro, do Notícias da TV, analisou a estreia do telejornal após a sua estreia e destacou algumas inovações e a informalidade de Monalisa Perrone, mas criticou a "falta de notícias" ao mostrar, por exemplo, "avenidas desertas no Nordeste e de trânsito fluindo bem mesmo em São Paulo e Rio de Janeiro". A repetição de notícias do dia anterior também foi criticada pelo jornalista.[23]

Notas

  1. O telejornal possui uma duração de 120 minutos, que pode ser prolongada em caso de coberturas especiais.
  2. Substituiu Monalisa Perrone devido a uma conjuntivite.
  3. Edição especial devido aos ataques de novembro de 2015 em Paris.
  4. Apresentou junto com Monalisa Perrone devido a cobertura da votação no senado sobre a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Referências

  1. Antena Crítica, Chamada do Hora 1 Arquivado em 12 de julho de 2015, no Wayback Machine., página visitada em 11 de julho de 2015.
  2. «Espanha enfrenta incêndio que já destruiu mais de 800 hectares». Globo Play. 6 de setembro de 2016. Consultado em 16 de setembro de 2016 
  3. «Telecurso estreará na Globo.com». G1. 4 de novembro de 2014. Consultado em 19 de julho de 2015 
  4. «Globo Rural diário». Memória Globo. Consultado em 21 de julho de 2015 
  5. VAQUER, Gabriel (6 de novembro de 2014). «"Telecurso 2000" deixará grade da Globo e migrará para a internet; entenda». NaTelinha. Consultado em 19 de julho de 2015 
  6. FELTRIN, Ricardo (26 de novembro de 2014). «Globo imita concorrentes e lança jornal matinal "Hora Um"». UOL. Consultado em 19 de julho de 2015 .
  7. a b CASTRO, Daniel (3 de novembro de 2014). «Novo telejornal matinal da Globo vai se chamar Hora Um da Notícia». Notícias da TV. Consultado em 19 de julho de 2015 
  8. «Hora 1 - Edição de sábado, 14/11/2015». Globo Play. 14 de novembro de 2015. Consultado em 15 de novembro de 2015 
  9. «Rede Amazônica exibe telejornais 1h mais cedo a partir de segunda-feira». G1 (Amazonas). 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  10. «Nova programação da TV Centro América será ao vivo». G1 (Mato Grosso). 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  11. «Telejornais e programas da TV Morena iniciarão uma hora mais cedo». G1 (Mato Grosso do Sul). 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 
  12. «BDA, Acre TV e Globo Esporte iniciam mais cedo a partir de segunda (20)». G1 (Acre). 17 de fevereiro de 2017. Consultado em 28 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 19 de fevereiro de 2017 
  13. Bocardi, Rodrigo (1 de dezembro de 2017). «Apresentador do "Bom Dia São Paulo", participa do "Hora 1"». Consultado em 1 de dezembro de 2017 
  14. SECCO, Duh (13 de julho de 2018). «Globo estica "Hora Um" e intensifica disputa com o SBT nas madrugadas». RD1. Consultado em 12 de agosto de 2018 
  15. CASTRO, Daniel (16 de julho de 2018). «Com Hora 1, Globo projeta madrugada inteira só com jornalismo ao vivo». Notícias da TV. Consultado em 12 de agosto de 2018 
  16. CASTRO, Daniel (7 de setembro de 2015). «"Repórter substitui apresentadora às pressas e faz maratona na Globo». Noticias da TV. Consultado em 14 de novembro de 2015 
  17. NaTelinha (12 de maio de 2016). «Impeachment faz William Waack dar "bom dia" sem sarcasmo». UOL. Consultado em 13 de maio de 2016 
  18. Castro, Daniel, «Novo jornal matinal, Hora 1 aumenta audiência da Globo em 85%». noticiasdatv.uol.com.br , Notícias da TV UOL (2014), página visitada em 11 de julho de 2015.
  19. «Com volta às aulas, jornal dos 'madrugadores' da Globo bate recorde». Notícias da TV. 16 de fevereiro de 2016. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  20. Redação (23 de fevereiro de 2016). «Xuxa só é mais sintonizada do que série e cultos da madrugada». Notícias da TV. Consultado em 1 de março de 2016 
  21. VAQUER, Gabriel (2 de dezembro de 2015). «"Hora Um" fez a Globo crescer até 63% em um ano no Ibope; veja dados». NaTelinha. Consultado em 12 de novembro de 2016. Arquivado do original em 12 de novembro de 2016 
  22. ZYLBERKAN, Mariana (17 de março de 2017). «'Hora Um': os bastidores do jornal da madrugada». Veja São Paulo. Consultado em 13 de agosto de 2018 
  23. Castro, Daniel (1 de dezembro de 2014). «Com Hora 1, Globo tenta inovar, mas sofre com falta de notícias». Notícias da TV. Consultado em 28 de fevereiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]