Leilane Neubarth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leilane Neubarth
Leilane na CNI, dezembro/2013 (foto de Miguel Ângelo/CNI)
Nome completo Leilane Neubarth Teixeira
Nascimento 15 de novembro de 1958 (58 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade Brasil brasileira
Cônjuge Olivio Petit (1986 - )
Filho(s) 2
Ocupação Jornalista e apresentadora de televisão

Leilane Neubarth Teixeira (Rio de Janeiro, 15 de novembro de 1958) é uma apresentadora de telejornal, jornalista e escritora brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formada em Jornalismo pela Universidade de Brasília, casou-se em 1986 com Olívio Petit (diretor artístico do Sportv). Leilane tem dois filhos e iniciou sua carreira profissional na Rede Globo em 1979. Em 1984 já era apresentadora do Jornal da Globo.

Diretas Já[editar | editar código-fonte]

Na ocasião das Diretas Já, mesmo com a Rede Globo proibindo a menção das manifestações, Leilane mostrou apoio ao movimento enquanto apresentava o Jornal da Globo de amarelo da cabeça aos pés, rindo rasgado ao término do jornal que realizou a famosa cobertura. [1]

Cunhando termo Metaleiro[editar | editar código-fonte]

Rockeira, na cobertura do primeiro Rock in Rio consagrou o termo "metaleiro", que nunca agradou muito aos própios headbangers.[2].

Rede Manchete[editar | editar código-fonte]

Em 1989 foi para a Rede Manchete, onde apresentou o jornalistico o Programa de Domingo e o telejornal Noite Dia, voltando novamente para a Globo no ano 1991, quando fez inúmeras reportagens especiais para vários programas jornalísticos e algumas vezes apresentou o Fantástico e o Jornal Hoje

Bom Dia Brasil[editar | editar código-fonte]

De 1996 até dezembro de 2002, apresentou o Bom Dia Brasil, ao lado de Renato Machado [4]. Neste período a audiencia do programa foi triplicada. No ano 2000 foi a mediadora do debate entre os candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro promovido pela Rede Globo. Em 2003, Leilane deixou o Bom Dia Brasil para voltar a ser repórter, contudo, em 2004 ela retornou à ancoragem através do Brasil TV. Continuou a mediar os debates para eleições de prefeitos do Rio de Janeiro realizados pela Rede Globo, e pelo bom desempenho nesta função ela acabou assumindo a apresentação e edição executiva do RJTV 2ª edição.

Paris Dacar[editar | editar código-fonte]

Leilane participou da 21ª edição do Rali Paris Dacar, um dos mais perigosos do mundo, em 1999 na categoria caminhão,[5] numa parceria com o veterano André Azevedo pela equipe "BR Lubrax", conquistando o terceiro lugar em sua categoria. A aventura da competição é narrada no livro "Faróis de Milha" de sua autoria.[6]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Atualmente é a apresentadora dos programas Jornal da Globo News (Edição das 18h) e Arquivo N, ambos veiculados pela Globo News.[5]

Livros[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CALAZANS, Flavio, Propaganda Subliminar Multimidia, Summus Editorial, pagina 145
  2. «'Mais legal do que 2 anos atrás', Metallica domina 85 mil pessoas». G1. Consultado em 20-9-2013. 
  3. SILVA, Wlisses James de Farias, Heavy Metal no Brasil, editora biblioteca24horas, pagina 161
  4. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/tvfolha/tv2910200006.htm
  5. a b Biografia - MemóriaGlobo
  6. Leilane apura o faro no deserto - IstoÉ Gente, 10 de janeiro de 2000.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.