Leilane Neubarth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Leilane Neubarth
Leilane na CNI, dezembro de 2013.
Nome completo Leilane Neubarth Teixeira
Nascimento 15 de novembro de 1958 (62 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Estatura 1,73 m
Cônjuge Olivio Petit (c. 1986–2017)
Filho(a)(s) 2
Ocupação
Prêmios Colaboradora Emérita do Exército [1]
Prêmio Quem Acontece - Melhor Jornalista - Indicada [2] (ver mais)

Leilane Neubarth Teixeira (Rio de Janeiro, 15 de novembro de 1958) é uma apresentadora de telejornal, jornalista e escritora brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília, casou-se em 1986 com Olívio Petit (diretor artístico do Sportv). Leilane tem dois filhos e iniciou sua carreira profissional na Rede Globo em 1979. Em 1984 já era apresentadora do Jornal da Globo.

Diretas Já[editar | editar código-fonte]

Na ocasião das Diretas Já, mesmo com a Rede Globo proibindo a menção das manifestações, Leilane mostrou apoio ao movimento enquanto apresentava o Jornal da Globo de amarelo da cabeça aos pés, rindo rasgado ao término do jornal que realizou a famosa cobertura. [3]

Cunhando termo Metaleiro[editar | editar código-fonte]

Rockeira, na cobertura do primeiro Rock in Rio consagrou o termo "metaleiro", que nunca agradou muito aos próprios headbangers.[4]

Rede Manchete[editar | editar código-fonte]

Em 1989 foi para a Rede Manchete, onde apresentou o jornalistico o Programa de Domingo e o telejornal Noite Dia, voltando novamente para a Globo no ano 1991, quando fez inúmeras reportagens especiais para vários programas jornalísticos e algumas vezes apresentou o Fantástico e o Jornal Hoje

Bom Dia Brasil[editar | editar código-fonte]

De 1996 até dezembro de 2002, apresentou o Bom Dia Brasil, ao lado de Renato Machado.[6] Neste período a audiência do programa foi triplicada. No ano 2000 foi a mediadora do debate entre os candidatos à prefeitura do Rio de Janeiro promovido pela Rede Globo. Em 2003, Leilane deixou o Bom Dia Brasil para voltar a ser repórter, contudo, em 2004 ela retornou à ancoragem através do Brasil TV. Continuou a mediar os debates para eleições de prefeitos do Rio de Janeiro realizados pela Rede Globo, e pelo bom desempenho nesta função ela acabou assumindo a apresentação e edição executiva do RJTV 2ª edição.

Paris Dacar[editar | editar código-fonte]

Leilane participou da 21ª edição do Rali Paris Dacar, um dos mais perigosos do mundo, em 1999 na categoria caminhão,[7] numa parceria com o veterano André Azevedo pela equipe "BR Lubrax", conquistando o terceiro lugar em sua categoria. A aventura da competição é narrada no livro "Faróis de Milha" de sua autoria.[8]

Globo News[editar | editar código-fonte]

Ela foi apresentadora dos programas Jornal da Globo News (edição das 18h) a partir 2009[9] e de Arquivo N, ambos veiculados pela Globo News.[7]

Em 21 de Março de 2020, foi afastada das funçoes de apresentação na Globo News, como todos os jornalistas da Globo de mais de 60 anos.[10]

Livros[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2006 - Colaboradora Emérita do Exército (Diploma Colaborador Emérito do Exército é uma forma de agradecimento aos serviços prestados a Força Terrestre por personalidades que possuam elevado conceito na classe e tenham praticado ação destacada ou serviço relevante em prol dos interesses e do bom nome do Exército Brasileiro.)[1][11]
  • 2008 - Prêmio Quem Acontece - Melhor Jornalista - Indicada.[2]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Leilane Neubarth
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.