Cecília Malan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cecília Malan
Nascimento 16 de abril de 1983 (34 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Ocupação Jornalista e correspondente
Nacionalidade Brasileira
Atividade 2005 até a atualidade
Trabalhos notáveis Correspondente da Globo em Londres
(2011-atualmente)

Maria Cecília Malan (Rio de Janeiro, 16 de abril de 1983) é uma jornalista, que atua principalmente nas áreas de notícias internacionais e de cultura. É atualmente correspondente da Globo em Londres, onde trabalha desde 2005.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se em jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, é filha do ex-ministro da Fazenda Pedro Malan. [1] Antes do jornalismo, Cecília morou em Nova Iorque, Washington, D.C., Brasília e Paris, até que decidiu voltar para o Brasil em 2002.[1]

Começou estagiando na redação do Bom Dia Brasil em 2005 e logo depois tornou-se trainee, para só em 2007 entrar de vez para a editoria internacional.[2] Foram cerca de cinco anos de atuação no telejornal da Globo.[2] Em 2011 foi enviada ao escritório da Globo em Londres para atuar como produtora e logo passou a dividir as reportagens da emissora, geradas da capital britânica, com os repórteres Ana Carolina Abar e Marcos Losekann.[1][2]

Em sua primeira cobertura, com menos de um minuto no ar, falou sobre o artista plástico Fernando Botero.[3] Desde então participou de coberturas históricas: a morte do papa João Paulo II; o furacão Katrina; a libertação da refém Ingrid Bettancourt; a campanha, eleição e posse de Barack Obama; a crise global de 2008 e a morte de Michael Jackson.[3] Além de variadas notícias sobre carros-bomba, terremotos e o sobe e desce das bolsas mundiais. Além do factual, também produz e edita reportagens especiais como a série "Brasil de Fé". Para realizá-la, passou duas semanas viajando pelo interior nordestino.[3] Cecilia também realizou entrevistas de alto nível com diversas personalidades internacionais: David Beckham, Brad Pitt, os integrantes da banda One Direction, a cantora e compositora inglesa Adele, o chef-celebridade Jamie Oliver, o ex-detento de Guantánamo Bay Moazzam Begg e o ex-primeiro-ministro britânico David Cameron. [4]

Em 9 de janeiro de 2015, foram feitos diversos comentários nas redes sociais relacionados a sua cobertura dos atentados terroristas acontecidos em Paris.[5] Ao ouvir disparos de armas de fogo, Cecília demonstrou nitidamente estar com medo.[6] A jornalista afirmou nunca ter ouvido tiros anteriormente, em tentativa de justificar seu desempenho.[6] Cecília tornou-se rapidamente um dos dez assuntos mais comentados do Twitter no Brasil, dividindo a opinião pública no microblog: enquanto uns acharam "autêntica sua espontaneidade" por ter "provado que é humana", outros a tomaram como "nervosa", "despreparada" e "anti-profissional".[5][7] No mesmo dia, Cecília teve destaque no Jornal Nacional, quando foi entrevistada para comentar o assunto.[6][7]

Referências

  1. a b c «Cecília Malan é destaque no "JN" e diz que sentiu pavor ao cobrir tiroteio». Uol. 9 de janeiro de 2015. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  2. a b c «Cecília Malan». Portal dos Jornalistas. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  3. a b c «Equipe: Cecília Malan». G1. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  4. «Os bastidores com David Cameron». GloboNews. 15 de março de 2012. Consultado em 10 de janeiro de 2015 
  5. a b Aaron Racanicchi (9 de janeiro de 2015). «Jornalista fica abalada durante cobertura ao vivo no "Jornal Hoje" e se torna um dos assuntos mais comentados». TV Foco. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  6. a b c «Cecília Malan, repórter da Globo, se assusta com tiroteio na França e vira assunto na web». Portal Imprensa. 9 de janeiro de 2015. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 
  7. a b «Cecília Malan toma susto ao vivo com tiros na França e vira tema de discussão no Twitter». Folha de S. Paulo. 9 de janeiro de 2015. Consultado em 3 de fevereiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]