Sidney Rezende

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde março de 2011) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sidney Rezende
Nascimento 31 de outubro de 1958 (60 anos)
Campo Grande
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista
Empregador Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Sidney Nolasco de Rezende ou mais simplesmente Sidney Rezende (Campo Grande , 31 de outubro de 1958) é um jornalista brasileiro. Atualmente dedica-se ao portal SRZD, fundado por ele próprio. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, começou a trabalhar como repórter em 1985, na Rádio Roquette Pinto. No mesmo ano acumulou as funções de apurador da TV Manchete e repórter da TV Educativa. No ano seguinte, por um breve período, torna-se redator de chamadas publicitárias da TV Globo. Um ano depois lançou o livro Ideário de Glauber Rocha, pela editora Philobiblion, da Civilização Brasileira. Em 1987 estreou na Rádio Jornal do Brasil como apresentador do programa Encontro com a Imprensa, onde entrevista as personalidades mais importantes da política e da cultura do país. Simultaneamente, trabalhou como repórter do jornal Tribuna da Imprensa e pauteiro da Rádio MEC. Um ano depois, recebe o prêmio Golfinho de Ouro, de melhor jornalista de rádio do ano.

Em 1989, ainda no Encontro com a Imprensa, apresentou Baleia Verde, produzido pela Intervídeo, o primeiro programa sobre ecologia da tevê brasileira. Em 1991 criou e apresentou, em parceria com o jornalista Ricardo Bueno, Panorama Brasil, o primeiro programa inteiramente jornalístico da FM brasileira, na Rádio Panorama FM, e se tornou apresentador do Jornal do Rio, na TV Bandeirantes. Em 1991 participou como debatedor do Sem Censura, na TV Educativa (TVE) e inicia seu trabalho como âncora na Rádio CBN, como apresentar do Jornal da CBN, onde foi um dos fundadores da nova emissora. Ele foi um dos autores da grade de programação que pretendia tornar-se um dia all news. Neste ano o trabalho de Sidney Rezende na rádio JB se transforma em livro: "As entrevistas do Encontro com a Imprensa", de Clarice Abdalla, pela Editora Vozes.

Em 1993, tornou-se professor da PUC-Rio. No ano seguinte coordena o Seminário de Jornalismo Eletrônico ao Vivo, que se transformou em livro, publicado pela Editora Vozes. Em 1995 mudou-se para Brasília, onde apresenta o Show de Notícias, da CBN e implanta o jornalismo vespertino da emissora, até então inexistente. Além disso, ministrou aulas de Jornalismo na Faculdade CEUB e fez comentários políticos na Rádio Globo, do Rio de Janeiro. Em 1996, voltou a ser âncora da CBN no Rio de Janeiro e passou a apresentar o jornal Em Cima da Hora, na Globo News. Em 2001, ainda na CBN, passou a apresentar o Conta Corrente (Globo News), na Globo News e o telejornal Bom Dia Rio, da TV Globo. Em 2002 lançou o livro "Deve ser Bom ser Você - 102 brasileiros bem-sucedidos dizem o que pensam do sucesso", publicado pela Futura, do grupo Siciliano. Em 2006 estreou seu site de notícias, o Portal SRZD.[1]

Atualmente, também conferencista, percorre o Brasil com suas palestras. Há três anos é apresentador da cerimônia do Prêmio Esso e dos Destaques da Publicidade organizado pela ABP – Associação Brasileira de Propaganda. Paralelo a tudo isso, ainda cuida de sua agência, a SR Idéias, Imprensa e Comunicação.[2]

Em 24 de outubro de 2008 ele deixou a CBN depois de 23 anos de rádio CBN,[1] entre os motivos alegados pela empresa seria uma mudança editorial. Em 2013, deixa o Conta Corrente, passando a apresentar o Brasil TV e edições do Jornal Globo News

Tem um filho que já teve breve participação no programa Globo Esporte e que possui um canal no Youtube, Chico Rezende, mais conhecido como Chico, o Torcedor.

Em 13 de novembro de 2015, após duras críticas à imprensa brasileira em seu blog pessoal, Sidney Rezende é demitido da Globo News.[3] Em Abril de 2016 é contratado na Rádio Nacional para apresentar um programa chamado Nacional Brasil, que estreou em 04 de maio. Porém, o programa foi extinto em 20 de maio por cortes de gastos e Sidney deixou a rádio.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Deve ser Bom Ser Você. Editora Futura, São Paulo 2002. Volume ÚNICO

Referências

  1. a b c «Entrevista - Sidney Rezende». Associação Brasileira de Imprensa. Data desconhecida. Consultado em 27 de Junho de 2012  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. http://www.aneprem.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=224:sidney-rezende-confirma-participacao-no-13o-congresso-da-aneprem&catid=29:noticias-destaques&Itemid=49
  3. Flávio Ricco (14 de novembro de 2015). «Em meio à reestruturação, Globo News demite âncora Sidney Rezende». 15h02. Consultado em 23 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]