Fábio Turci

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Fabio Turci (Pindamonhangaba, 19 de fevereiro de 1975) é um jornalista brasileiro. Formou-se em jornalismo pela UNESP - Universidade Estadual Paulista, campus de Bauru, em 1997 e fez MBA em Economia e Mercado de Capitais na Fundação Instituto de Administração[1], em São Paulo. Trabalhou nos jornais Diário de Bauru e Jornal da Cidade e nas emissoras TV Modelo (atual TV TEM) e TV Vanguarda, afiliadas da Rede Globo.

Em 2003, Turci passou a trabalhar na TV Globo São Paulo, onde foi repórter do SPTV, do Jornal Hoje e do Jornal Nacional.

Em 2011, venceu o Concurso Europa de Jornalismo com a série de reportagens "Suíça", gravada naquele país e exibida no Jornal Hoje. Em 2012, ganhou o Prêmio CNI de Jornalismo, entregue pela Confederação Nacional da Indústria, na categoria Televisão, com a série "Trabalho 2.0", do Jornal da Globo. Em 2014, voltou a vencer o Prêmio CNI de Jornalismo - desta vez, em duas categorias: Regional Sudeste, com a reportagem "O trabalho que deixa marcas", do Jornal da Globo e Televisão, com a série "Produtividade", do Jornal Nacional, esta em parceria com o repórter Alan Severiano.

Entre as coberturas de que participou, estão os ataques de uma facção criminosa em São Paulo em maio de 2006, o acidente com o voo TAM 3054 em São Paulo, em 2007; o acidente que matou o então candidato à presidência da República, Eduardo Campos, em Santos (SP), em 2014; a Copa do Mundo no Brasil, em 2014; e a visita do Papa Francisco a Aparecida (São Paulo) em 2013.

Desde 2014 é correspondente da emissora em Nova Iorque.[2]. Como correspondente, Turci cobriu, in loco, os dois maiores massacres a tiros da história recente dos Estados Unidos: em Orlando, em 2016, quando 49 pessoas foram mortas na boate Pulse; e em Las Vegas, em 2017, quando 58 pessoas foram assassinadas num show de música country. Também cobriu o atentado terrorista numa ciclovia de Nova York, em 2017, que deixou 8 mortos.

Durante a campanha presidencial de 2016, Turci viajou num dos aviões da equipe de Donald Trump com o repórter cinematográfico Lucio Rodrigues. Juntos, eles cobriram de perto os últimos dias da campanha daquele que viria a se tornar o novo presidente dos Estados Unidos.

Turci também viajou às Florida Keys para cobrir a devastação provocada pelo furacão Irma, em 2017. Ainda cobriu a visita do Papa Francisco à Filadélfia, nos Estados Unidos, em 2015. Entrevistou grandes nomes da música e do cinema como Will Smith, Harrison Ford, Mark Hamill, Gad Gadot, Roger Waters, Ozzy Osbourne, Metallica e Jon Bon Jovi.

Referências

  1. Christan, Bárbara (11de outubro de 2013). «Perfil». Jornal Jr. Consultado em 2 de Novembro de 2015.  Texto " Entrevista: Fabio Turci" ignorado (ajuda); Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Ricco, Flávio (17 de setembro de 2014). «Globo vai mexer no escritório de Nova York». UOL. Consultado em 2 de Novembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Perfil de Fábio Turci no Memória Globo