Ernesto Piccolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ernesto Piccolo
Nascimento 21 de junho de 1962 (58 anos)
Nacionalidade Brasil brasileira
Ocupação ator e diretor

Ernesto Piccolo (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1962) é um diretor de teatro e ator brasileiro. Seu primeiro trabalho na televisão foi na telenovela Jogo da Vida em 1981; posteriormente, estaria em outras produções da Rede Globo como Eu Prometo, Um Sonho a Mais e Hipertensão. Em 1989, foi para Rede Manchete onde participou das obras Kananga do Japão, A História de Ana Raio e Zé Trovão, além de estrear em sua primeira minissérie em O Fantasma da Ópera.

Sua estreia no cinema foi em Super Xuxa contra Baixo Astral, no fim da década de 1980. No entanto, o personagem Claúdio do filme Como Ser Solteiro, de 1998, foi premiado no Festival de Brasília, na categoria de Melhor Ator. Posteriormente, Ernesto já participou em outras produções na área como Benjamim, Quase Dois Irmãos e Gatão de Meia Idade.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascido no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1962, iniciou sua carreira na televisão em 1981 na Rede Globo, ao interpretar Eduardo na telenovela Jogo da Vida e, dois anos mais tarde, deu sua vida ao personagem Serrinha em Eu Prometo.[1][2][3] Em 1985, foi o Barrão de Um Sonho a Mais e, logo em seguida, o Beto de Hipertensão.[4][5] Seu primeiro trabalho no cinema viria em 1988, quando se encarnou no Pássaro Toc no filme Super Xuxa contra Baixo Astral.[6]

Transferiu-se para Rede Manchete em 1989 para viver o personagem Vado em Kananga do Japão.[7] No ano seguinte, foi a vez de interpretar Renato em Pantanal e Augusto em A História de Ana Raio e Zé Trovão.[8][9] Em 1991, deu sua vida a Haroldo em O Fantasma da Ópera, sua primeira minissérie na carreira.[10]

Voltou para a Rede Globo em 1997 como Max na série Caça Talentos.[11] No ano seguinte, foi a vez de retornar no cinema para viver Cláudio em Como Ser Solteiro, personagem que lhe rendeu o troféu de Melhor Ator no Festival de Brasília.[12][13] Em 2000, participou de um episódio como Bororó em Brava Gente, mesmo período em que participou da sétima temporada de Malhação.[14][15] Em 2002, participou do curta-metragem Açaí com Jabá como um turista.[16]

Participou da série Carga Pesada em 2003 como Fofão.[17] No ano seguinte, interpretou Angelo/Serginho em A Diarista e, no cinema, foi o Zorza de Benjamim.[18][19][20] Seu retorno às telenovelas só ocorreria em 2005, quando deu sua vida ao personagem Eurico de Alma Gêmea; no mesmo ano, integrou o elenco no filme Quase Dois Irmãos como um oficial da marinha.[21][22] Em 2006, esteve na série Sob Nova Direção e, logo em seguida, nas telonas de Gatão de Meia Idade.[15] Posteriormente, foi o Haroldão no especial de fim de ano Faça Sua História, em 2007.[23]

Em 2008, esteve nas telenovelas Desejo Proibido e Beleza Pura interpretando, respectivamente, Alcimar e Eugenio; no mesmo período, ainda retornou a série Faça Sua História fazendo uma participação especial no episódio "Um taxista contador de histórias".[24][25][26] Na minissérie Cinquentinha, interpretou o diretor da telenovela que a personagem de Lara Romero atuava.[27] Cinco anos mais tarde, foi para a televisão por assinatura Multishow na produção Por Isso Sou Vingativa como Thomas Labouche.[28] Em 2017, atuou pela primeira vez na Rede Record como Uriel na telenovela O Rico e Lázaro.[29]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2017 O Rico e Lázaro Uriel
2014 Por Isso Eu Sou Vingativa Thomas Labouche
2009 Cinquentinha Diretor da novela em que Lara Romero atuava
2008 Faça Sua História Passageiro (Episódio: Oswaldir Superstar)
Casos e Acasos Milton / Ártur
Beleza Pura Eugenio
Desejo Proibido Alcimar
2007 Faça Sua História Haroldão
2006 Sob Nova Direção Ovídio
2005 Alma Gêmea Eurico
2003 A Diarista Ângelo/Serginho
Carga Pesada Fofão
2000 Malhação
Brava Gente Bororó
1996 Caça Talentos Max
1991 O Fantasma da Ópera Haroldo
1990 A História de Ana Raio e Zé Trovão Augusto
Pantanal Renato (Reno)
1989 Kananga do Japão Vado
1986 Hipertensão Beto
1985 Um Sonho a Mais Barrão
1983 Eu Prometo Serrinha
1981 Jogo da Vida Duda (Eduardo Pires de Camargo)

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Personagem
2006 Gatão de Meia Idade Joca
2004 Quase Dois Irmãos Oficial da Marinha
2003 Benjamim Zorza
2002 Açaí Com Jabá Turista
1998 Como Ser Solteiro Cláudio
1988 Super Xuxa contra Baixo Astral Pássaro Toc

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ernesto Piccolo já foi ator e diretor de diversas peças de teatro em sua carreira artística desde que iniciou suas atividades no final da década de 1970.[30] Embora ele tenha participado de eventos infantis, a lista abaixo inclui apenas o trabalho de Piccolo em espetáculos para o público adulto, seja como ator ou diretor.[30]

Como ator[editar | editar código-fonte]

  • 1978 – A Visita da Velha Senhora, de F. Dürrenmatt e Maria Clara Machado (texto e direção)
  • 1981 – Se a Banana Prender, o Mamão Solta, de Dilma Loes (direção)
  • 1982 – Tiro Ao Alvo, de Flavio Marcio e Pedro Camargo (texto e direção)
  • 1983 – Zartan, de Ilclemar Nunes e Mario Marcio Bandarra (texto e direção)
  • 1984 – Lorenzzaccio, de Alfred de Musset e Paulo Reis (texto e direção)
  • 1985 – O Que o Mordomo Viu, de Joe Orthon e Flavio Rangel (texto e direção)
  • 1987 – O Piano à Luz da Lua, de Paulo Cesar Coutinho e Cecil Thire (texto e direção)
  • 1988 – Galileu, de Dulce Bressane e Ancelmo Vasconcellos (texto e direção)
  • 1992 – A Maconha da Mamãe é a mais Gostosa, de Dario Fó e Ricardo Petraglia (texto e direção)
  • 1994 – Enfim Sós, de Lawrence Roman e José Renato (texto e direção)
  • 1997 – O Futuro do Pretérito, de Regiana Antonini e Marcelo Saback (texto e direção)
  • 1999 – A.M.I.G.A.S. (Associação das Mulheres Interessadas em Gargalhadas, Amor e Sexo), de Duda Ribeiro e Cristina Pereira (texto e direção)
  • 1999 – Galileu, Dulce Bressane (texto), Anselmo Vasconcelos e Marcos Paulo (direção)
  • 2002 – Desejos, Bazófias e Quedas, de Hamilton Vaz Pereira (texto e direção)
  • 2004 – A Leve, O Próximo Nome da Terra, de Hamilton Vaz Pereira (texto e direção)

Como diretor[editar | editar código-fonte]

  • 2003 – Mais uma vez o Amor
  • 2005 – Divã, de Martha Medeiros
  • 2006 – Salada, de Luís Salém
  • 2007 – Mais uma vez Amor, de Rosane Svartam
  • 2009 – Os Difamantes, de Matha Mendonça e Nelito Fernandes
  • 2009 – A História de Nós 2, de Lícia Manzo
  • 2010 – Na casa dos 40, de Suzana Abranches
  • 2010- Doidas e Santas, de Regiana Antonini
  • 2010 – Igual a Você, de Adriana Falcão, Lícia Manzo, Theréze Bellido, Fernando Duarte, Regiana Antonini e Cristina Fagundes
  • 2012 – Se Você Me Der a Mão, de Regiana Antonini
  • 2011 – Seis Aulas de Dança em Seis Semanas, de Richard Alfieri
  • 2011 – O Pacto das Três Menina, de Rosane Svartman e Lulu Telles da Silva
  • 2011 – Pamonha e Panaca, de Rogério Blat
  • 2012 – Na Sobremesa da Vida, de Maria Leticia
  • 2013- Sonhos de um Sedutor, de Woody Allen
  • 2015 – A Antessala, de Ana Bez
  • 2015 – Andança - de Beth Carvalho, o musical, de Rômulo Rodrigues

Referências

  1. «Ernesto Piccolo». Pró-TV. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  2. «Personagens – Jogo da Vida». Memória Globo. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  3. Costa, Fábio (19 de setembro de 2018). «Eu Prometo: há 35 anos, estreava a última novela de Janete Clair». Observatório da TV. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  4. Xavier, Nilson. «Um Sonho a Mais». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  5. «Personagens – Hipertensão». Memória Globo. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  6. «Filmografia - Super Xuxa contra Baixo Astral». Cinemateca Brasileira. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  7. Cruz, Adalto (9 de outubro de 1989). «TV Brasília comanda brincadeira solidária». Correio Braziliense: 14. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  8. Xavier, Nilson. «Pantanal». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  9. Xavier, Nilson. «A História de Ana Raio e Zé Trovão». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  10. Xavier, Nilson. «O Fantasma da Ópera». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  11. «'O Amor Está no Ar' estréia hoje na Globo». Folha de S.Paulo. 31 de março de 1997. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  12. «Sessão Brasil desta segunda-feira, dia 10, traz o filme 'Como Ser Solteiro'». Rede Globo. 6 de junho de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  13. «Filmografia - Como Ser Solteiro no Rio de Janeiro». Consultado em 7 de agosto de 2020. Prêmios 
  14. «"Brava Gente" reúne grande elenco global». O Estado de S.Paulo. 17 de dezembro de 2000. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  15. a b «Ernesto Piccolo». Montenegro Talents. Consultado em 7 de agosto de 2020. Menciona o trabalho em Malhação 
  16. «Açaí com Jabá». DOC.6. 2002. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  17. Zorzi, André Carlos (26 de maio de 2018). «Há 14 anos, Pedro e Bino organizavam bloqueio em estrada na TV». O Estado de S.Paulo. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  18. «Sua excelência, o ócio». A Diarista - Rede Globo. Consultado em 7 de agosto de 2020. episódio com o personagem Angelo 
  19. «Luz, Câmera... Inanição!». A Diarista - Rede Globo. 11 de julho de 2006. Consultado em 7 de agosto de 2020. episódio com o personagem Serginho em 2006 
  20. «Crítica do filme Benjamim». Chico Buarque. 30 de setembro de 2003. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  21. «Alma Gêmea: Cristina despenca da escada». Ofuxico. 10 de novembro de 2005. Consultado em 7 de fevereiro de 2020 
  22. «Filmografia - Quase Dois Irmãos». Cinemateca Brasileira. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  23. «Faça Sua História (Especial)». Memória Globo. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  24. Xavier, Nilson. «Desejo Proibido». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  25. Xavier, Nilson. «Beleza Pura». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  26. «Um taxista contador de histórias, no ar 27/12». Central Globo de Comunicações. 7 de dezembro de 2007. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  27. Xavier, Nilson. «Cinquentinha». Teledramaturgia. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  28. «Thomas Labouche - Multishow». Multishow. Consultado em 7 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 14 de julho de 2014 
  29. «Uriel é assassinado em "O Rico e Lázaro"». UOL TV e Famosos. 13 de abril de 2017. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  30. a b «Centro Brasileiro Teatro para a Infância e Juventude». CBTIJ. Consultado em 7 de agosto de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Tonico Pereira
por O Cego que Gritava Luz
Troféu Candango de Melhor Ator
por Como Ser Solteiro
empatado com Marcos Palmeira por Anahy de las Misiones

1997
Sucedido por
José Dumont
por Kenoma