Bráulio Pedroso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bráulio Pedroso
Nascimento 30 de abril de 1931
São Paulo, SP
Morte 15 de agosto de 1990 (59 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação autor de novelas

Bráulio Nuno de Almeida Pedroso (São Paulo, 30 de abril de 1931Rio de Janeiro, 15 de agosto de 1990) foi um telenovelista brasileiro. Também trabalhou no cinema, como assistente de direção, montador e crítico.


Biografia[editar | editar código-fonte]

O grande eixo do seu trabalho era o uso do deboche e do bom humor para criticar os tipos preestabelecidos existentes na sociedade brasileira, temática desenvolvida por meio de um notável arrojo formal. Paulistano, ele trabalhou durante vários anos na Rede Globo, onde escreveu telenovelas de grande sucesso como O Cafona (1971), O Bofe (1972), O Rebu (1974) e Feijão Maravilha (1979), apesar de anteriormente ter trabalhado no cinema nas funções de assistente de direção, montador e crítico, e escreveu para o teatro a peça O Fardão, que ganhou o Prêmio Molière.[1]

Sua primeira novela como autor titular foi Beto Rockfeller (TV Tupi, 1968], comédia que foi um grande sucesso de audiência e que consagrou o ator Luis Gustavo. Beto Rockfeller também ganharia uma continuação em 1973, A Volta de Beto Rockfeller, que não obteve o mesmo êxito, mas mesmo assim não comprometeu o personagem.

O Rebu, obra original de Bráulio Pedroso recebeu um remake da Globo em 2014

Entre 1985 e 1986 trabalhou em uma equipe de criação de texto da extinta TV Manchete, onde escreveu a novela Tudo em Cima e o seriado Tamanho Família.

No final da década de 1980 foi contratado pelo SBT, onde co-escreveu, sem ser creditado, o argumento da novela Cortina de Vidro (1989) e preparava, antes de morrer, o remake de seu maior êxito: Beto Rockfeller.

Bráulio Pedroso faleceu vítima de fratura nas vértebras cervicais, causada por uma queda no banheiro de sua própria casa. Tinha 59 anos e sofria de Espondilite Anquilosante. Deixou dois filhos, João Manoel e Felipe, e os netos Sofia e Pedro.

Teve sua novela O Pulo do Gato adaptada em 1992 pela televisão chilena, com o título de El Palo al Gato. Em 2014 a Rede Globo realizou o remake de uma das suas mais famosas obras: O Rebu, realizada originalmente no ano de 1974.[2]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Telenovelas[editar | editar código-fonte]

Ano Trabalho Emissora Escalação Parceiros Titulares
1968
1969
Beto Rockfeller TV Tupi Autor principal
1969
1970
Super Plá Marcos Rey
1971 O Cafona Rede Globo
1972 O Bofe
1973 A Volta de Beto Rockfeller TV Tupi
1974
1975
O Rebu Rede Globo
1978 O Pulo do Gato
1979 Feijão Maravilha

Telenovelas póstumas[editar | editar código-fonte]

Ano Trabalho Emissora Escalação Notas Parceiros Titulares
2014 O Rebu Rede Globo Autor da história original Remake da original homônima de 1974 George Moura
Sergio Goldenberg

Séries e minisséries[editar | editar código-fonte]

Ano Trabalho Emissora Escalação Parceiros Titulares
1979
1981
Plantão de Polícia Rede Globo Autor principal
1981 Amizade Colorida Armando Costa
Domingos de Oliveira
Lenita Plonckzynska
1983 Parabéns pra Você
Mário Fofoca Cassiano Gabus Mendes
Carlos Eduardo Novaes
Luís Fernando Veríssimo
1985 Tudo em Cima Rede Manchete Geraldo Carneiro
1985
1986
Tamanho Família Diretor de criação Miguel Falabella
Geraldo Carneiro
Leopoldo Serran

Adaptações em outros países[editar | editar código-fonte]

Ano Trabalho País Emissora Escalação Notas Parceiros Titulares
1992 El palo al gato  Chile Canal 13 Autor da história original Remake de O Pulo do Gato Jorge Díaz Saenger
Claudio Navarro

Referências

  1. Cultural, Instituto Itaú. «Bráulio Pedroso». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 21 de abril de 2019 
  2. Globo, Acervo-Jornal O. «Um dos grandes 'crimes' da TV brasileira, novela 'O rebu' estreou em 1974». Acervo. Consultado em 17 de abril de 2019 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nogueira, Renato Sergio . "Bráulio Pedroso - Audácia Inovadora" Editora Imprensa Oficial, 2011 ISBN 9788570609083
Ícone de esboço Este artigo sobre profissionais de televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.