Carmem (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carmem
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 60 minutos
Criador(es) Glória Perez
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) José Wilker e Luiz Fernando Carvalho
Elenco Lucélia Santos
Paulo Betti
Paulo Gorgulho
Maurice Vaneau
Beatriz Segall
José Wilker
Júlia Lemmertz
Darlene Glória
Odilon Wagner
Juliana Carneiro da Cunha
Selma Egrei
Rosita Thomaz Lopes
Dedina Bernardelli
José Dumont
Theresa Amayo
Luís de Lima
Sônia Clara
Bia Sion
Liana Duval
ver mais
Tema de abertura Instrumental de ópera- Carmem / Bizet
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Manchete
Transmissão original 5 de outubro de 1987
14 de maio de 1988
N.º de episódios 180
Cronologia
Corpo Santo
Olho por Olho

Carmem foi uma telenovela brasileira produzida pela extinta Rede Manchete e exibida entre 5 de outubro de 1987 e 14 de maio de 1988, às 21h30, totalizando 180 capítulos.[1]

A trama foi escrita por Glória Perez e dirigida por Luiz Fernando Carvalho e José Wilker, contando com Lucélia Santos no papel principal.

A telenovela foi reprisada pela emissora entre os dias 19 de março e 7 de junho de 1990, de forma compacta, em 70 capítulos, de segunda a sábado às 13h (e mais tarde às 13h15).

Trama[editar | editar código-fonte]

Carmem, uma jovem ambiciosa, que vive no subúrbio do Rio de Janeiro, e desiludida no amor, faz um pacto de sangue e magia negra em um terreiro de quimbanda com a Pombagira Cigana, a fim de ficar rica e destruir a vida de Ciro, o homem que ela odeia e quer vingança, mesmo apaixonada. Ela ainda o cobiça, o querendo a qualquer custo, mas como ele a fez sofrer, quer vingar-se dele, jurando que nunca mais um homem a humilhará e trairá. Revoltada, entrega seu sangue, e promete sua alma a essa pombagira. Ela pede uma prova do poder da pombagira, e Carmem passa a incorporá-la. Paralelo a isso, temos o policial militar José, loucamente apaixonado por Carmem, e amado por Micaela, sua esposa dedicada, porém sempre amargurada devido as traições dele. Pelo pacto, Carmem terá poder, prestígio e o assédio de vários homens, desde que não se apaixone por nenhum. Detalhe: oO pacto não pode ser desfeito.

Após o pacto, Carmem consegue dinheiro e poder se envolvendo com homens milionários, aumentando sua vaidade e ambição, tornando-se uma mulher manipuladora, vulgar, mesquinha e egoísta. Com o tempo, toda essa situação foge do planejado quando Carmem se apaixona verdadeiramente por Camilo, indo contra às regras do pacto: A pombagira foi clara ao dizer que, se caso ela se apaixonasse verdadeiramente por um homem, estaria arrancando-a de dentro de si.

A situação foge do planejado quando Carmem se apaixona por Camilo, indo contra às regras do pacto. Para piorar, a protagonista acaba sendo perseguida por muitos homens, já que o pacto que Carmem fizera com a pombagira diz que qualquer homem ficaria louco por ela, mesmo que essa não seja a vontade de ambos. Em resumo, a vida de Carmem vira de ponta-cabeça após o pacto: Perde o dinheiro e os homens ricos conquistados, voltando para a casa da mãe, mas torna-se uma mulher agressiva e revoltada, que não respeita mais a família, os destratando, chegando a ser presa por agressão e tentativa de homicídio, se tornando alcoólatra, viciada em cigarro e jogos. Devido a seu comportamento explosivo, acaba sendo expulsa de casa, e começa a se prostituir para sobreviver. Em situações de conflito ou sedução, perde o controle de seus atos, e involuntariamente incorpora a pombagira cigana.

Carmem ainda tenta ser feliz com Camilo, deixando sua vida anterior de lado para se dedicar a ele e provar que mudou, mas não consegue, sofrendo com os ciúmes e as desconfianças doentias de Camilo, assim como as perseguições de todos os homens que conhece, inclusive de Ciro, que a quer de volta custe o que custar. A vida de Ciro foi totalmente destruída: Ficou entre a vida e a morte depois de levar um tiro, perdeu todo seu dinheiro, tem constantes pesadelos e sofre dia e noite por Carmem, tentando o suicídio por diversas vezes. Outro fator de estresse e medo para Carmem é José, que acaba nutrindo um amor doentio e obsessivo por ela, passando a persegui-la.

Carmem volta ao terreiro, e se consulta com uma médium incorporada com a pombagira cigana, implorando para a pombagira deixá-la ser feliz, e a mesma se nega. Ela diz que não descansará enquanto não tiver sua alma, conforme o combinado. Desesperada, procura uma bruxa cigana para trazer Camilo de volta, pois o mesmo passou a trair e destratar Carmem, por ação da pombagira. A bruxa cigana tenta ajudá-la, mas a pombagira sempre incorpora em Carmem e diz que ela pode fazer magia para afetar Camilo, mas que em Carmem, nenhuma pessoa toca. Devido a bruxaria cigana, Camilo volta para Carmem, mas ambos ficam entre indas e vindas.

Em uma noite, a bruxa cigana vê nas cartas e no fogo que há uma saída para desfazer o pacto: Carmem precisa recuperar o punhal que ganhou de um amante marinheiro, e que deu de presente para José na época em que ambos mantinham um caso. A bruxa cigana informa que Carmem precisa trazer o punhal para ela conseguir destruir o pacto. Carmem torna-se esperançosa, mas no fundo reconhece que não conseguirá se livrar das consequências diabólicas do pacto, e aí vê que chegou realmente ao fundo do poço. Ela, então, decide tentar trazer o punhal para a bruxa cigana. Ela, então, decide procurar José, mesmo com medo, já que ele não aceita mais as suas recusas, e a ameaçou de morte.

José se tornou um homem agressivo e totalmente descontrolado por causa da paixão doentia que nutre por Carmem, inclusive espancando sua esposa Micaela, por raiva em não ter Carmem novamente. Ele a encontra e tenta convencê-la a ficar novamente com ele, e a mesma o recusa mais uma vez. Ela pede de volta o punhal que lhe deu de presente, e o mesmo, por influência da pombagira cigana, acaba tendo um acesso de raiva, e assassinando a protagonista com uma punhalada no estômago, que morre na hora. José se desespera, que cai em si e vê o que fez. O mesmo é preso e condenado. A família de Carmem se desespera completamente. Ao falecer, Carmem tem sua alma perseguida pela pombagira cigana, que quer aprisioná-la nas trevas, mas com ajuda de seres de luz, Carmem, por ter se arrependido, é protegida e amparada, e tem seu espírito libertado desse pacto, e ele é transformado em uma bela rosa. No orun sua alma ganha como missão a de evoluir, e para isso seu espírito transforma-se em uma pombagira de luz, encarregado de trabalhar somente para o bem, em prol da caridade.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Lucélia Santos interpretou a protagonista Carmem.
Paulo Betti interpretou o mau caráter Ciro.
José Wilker interpretou o automobilista Camilo.
Paulo Gorgulho interpretou o policial José.
Ator Personagem
Lucélia Santos Carmem Cruz
Paulo Betti Ciro
Paulo Gorgulho José
Beatriz Segall Alzira Cruz
Maurice Vaneau Dr. Junot
José Wilker Camilo
Júlia Lemmertz Micaela
Darlene Glória Verônica
Neuza Borges pomba gira
Odilon Wagner César
Juliana Carneiro da Cunha Virgínia
Selma Egrei Nina
Rosita Thomaz Lopes Madame Klotz (Edwiges Junot)
Dedina Bernardelli Duda
José Dumont Aluísio
Theresa Amayo Rosimar
Luís de Lima Costa
Sônia Clara Paula
Bia Sion Creuza
Liana Duval Izaltina
Guilherme Karan Jano (Trajano Paulo)
Nélia Paula Semíramis
Luís Carlos Arutin Pimentel
Hélio Ary Ary
Cidinha Milan Pilar
Lizandra Souto Manu
Camilo Bevilacqua Hélio
Carmem Figueira Deusa
Neuza Borges Pombagira
Bruno Giordano Ivo
Ivan de Almeida Delegado
Elisa Fernandes Germana
Rosimar de Mello Mocinha
Hélio Souto senador Bastos
Miriam Pires Mãe de Verônica
Chica Xavier Mãe-de-santo

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A telenovela de Glória Perez - até agora a única fora da Rede Globo - era baseada no conto de Merimée.
  • A atriz Lucélia Santos, depois de dez anos trabalhando na Rede Globo, abandonava a emissora e se transferia para a Manchete. Mas Carmem foi sua única telenovela na emissora de Adolpho Bloch.
  • O apresentador Sílvio Santos fez uma participação especial, quando a personagem Creuza, interpretada por Bia Sion, vai ao quadro "Namoro na TV" do Programa Sílvio Santos para conseguir um namorado.
  • A Rede Manchete reapresentou a telenovela em forma compacta de 19 de março a 7 de junho de 1990, às 13h, em 70 capítulos, de segunda a sábado às 13h (e mais tarde às 13h15).
  • Em Portugal, a RTP1 exibiu esta telenovela no ano de 1997, de 2ª a 6ª feira, no horário das 16 e 50, a seguir à "reprise" da novela portuguesa «Na Paz dos Anjos», uma das mais bem-sucedidas desta estação televisiva. A telenovela foi bem acolhida pelos espectadores, com um moderado sucesso nas audiências.
  • Destaque para a presença do diretor teatral Maurice Vaneau no elenco, vivendo o polêmico Dr. Junot, um poderoso empresário casado que ocultava sua homossexualidade.
  • Uma cena em que a personagem interpretada por Darlene Glória, recém convertida evangélica na vida real, destrói várias imagens de entidades do candomblé causou polemica entre grupos de religião afro descendentes que acusaram a autora Gloria Perez de denegrir a imagem do candomblé. Na novela, a personagem de Darlene Glória, Verônica, ainda aparecia criticando o candomblé e chamando a macumba de desgraça humana. Em entrevista, a atriz disse que quebra e que quebraria novamente as imagens do candomblé se fosse preciso, e contou relatos em que ela e seu grupo evangélico destruíram várias imagens de candomblé em terreiros de pessoas que se converteram à religião evangélica. * O personagem Camilo vivido pelo ator José Wilker que na novela era um piloto de automobilismo, foi dublado pelo ex-piloto japones de Fórmula 1 Satoru Nakajima que competia pela equipe Team Lotus. Cenas da novela foram filmadas no Autódromo de Jacarepaguá duarnte os testes de pneus da temporada de Fórmula 1 de 1988 e foram aproveitados estes testes pré-temporada para a gravação da novela.

Referências

  1. «Carmen». Teledramaturgia. Consultado em 4 de março de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.