O Guarani (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Guarani
Informação geral
Formato Minissérie
Gênero
Duração 40 minutos
Criador(es) Walcyr Carrasco
Baseado em O Guarani de José de Alencar
País de origem  Brasil
Idioma original (português)
Produção
Diretor(es) Marcos Schechtman
Elenco Angélica
Leonardo Brício
Tema de abertura "Ópera Indígena", Priscilla Ermel
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Manchete
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 19 de agosto - 28 de setembro de 1991
N.º de episódios 35

O Guarani é uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Rede Manchete entre 19 de agosto a 28 de setembro de 1991 em 35 capítulos. Escrita por Walcyr Carrasco, é livremente inspirada no romance homônimo de José de Alencar e dirigida por Marcos Schechtman. Este foi o último trabalho do ator Caíque Ferreira na televisão, que morreu dois anos e meio após a exibição da minissérie, em 12 de janeiro de 1994.

Produção[editar | editar código-fonte]

Uma superprodução da Manchete, que não fez feio: com uma média de 13 pontos no Ibope. A direção da emissora desejava apostar na apresentadora Angélica também como atriz, um forte nome do canal ela já havia atuado no cinema como a protagonista Tamí do longa Uma Escola Atrapalhada de 1990, com um enorme sucesso ela foi escolhida como a protagonista da minissérie. A produção conseguiu dar veracidade às cenas na selva contando com índios autênticos. A minissérie foi reprisada de 15/06 a 11/07/1992, em 21 capítulos, de segunda a sexta-feira às 19h30.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Na primeira metade do século XVII, D. Antônio de Mariz (Carlos Eduardo Dolabella), fidalgo português, leva adiante no Brasil uma colonização dentro do mais rigoroso espírito de obediência à sua pátria. Sua casa-forte, às margens do Pequequer, afluente do Rio Paraíba, é abrigo de ilustres portugueses, afinados no mesmo espírito patriótico e colonizador, mas acolhe inicialmente, com ingênua cordialidade, bandos de mercenários, homens sedentos de ouro e prata, como Loredano (Luiz Armando Queiroz), ex-frade que descobri o mapa das famosas minas de prata e por sua ambição acaba se tornando cruel e assassino.

Dentro da respeitável casa de D. Antônio, Loredano vai pacientemente urdindo seu plano de destruição de toda a família e dos agregados. Em seus planos, contudo, está o rapto da bela Cecília (Angélica), filha de D. Antônio, mas que é constantemente vigiada por um índio forte e corajoso, Peri (Leonardo Brício), que em recompensa por tê-la salvo certa vez de uma onça, recebeu a mais alta gratidão de D. Antônio e o afeto espontâneo da moça. Além de envolver-se em perigos para defender a moça, Peri ainda precisa enfrentar a oposição de Dona Laureana (Darlene Glória), mãe de Ceci, que por achar que o índio não sendo Cristão, não passa de um animal.

A história inicia logo após o incidente em que Diogo (Luigi Baricelli), filho de D. Antônio e irmão de Ceci, inadvertidamente, mata uma indiazinha aimoré pensando ser a onça que assustou sua irmã. Indignados, os aimorés procuram vingança. A luta que se irá travar não diminui a ambição de Loredano, que continua a tramar a destruição de todos os que não o acompanhem, como Aires Gomes, espécie de comandante de armas, leal defensor da casa de D. Antônio; e Álvaro (Caíque Ferreira), jovem enamorado de Ceci e não retribuído nesse amor, que acaba arrebatado pelo amor de Isabel (Constância Laviola), irmã bastarda de Ceci.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Angélica Cecília de Mariz[1]
Leonardo Brício Peri Acatauassú
Luiz Armando Queiroz Loredano Castroneves
Carlos Eduardo Dolabella Dom Antônio de Mariz
Darlene Glória Laureana de Mariz
Luigi Baricelli Dom Diogo de Mariz
Caíque Ferreira Álvaro
Constância Laviola Isabel
Leila Lopes Severina
Monique Evans Truíra
João Signorelli João Fio
Nani Venâncio
Marcos Wainberg Bento Simões
Rubens Corrêa Hélio
Fernando Eiras Dirceu
Eduardo Conde Piaí Acatauassú
Ivan de Albuquerque Papoá Acatauassú
Henrique César Dom Carlos
Jitman Vibranovski Ricardo
Luis de Lima Dom Fernando
Jacy Halfoun Jaci Acatauassú

Referências