Fascinação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fascinação
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 50 minutos
Criador(es) Walcyr Carrasco[1]
País de origem  Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Henrique Martins
Roteirista(s) Ecila Pedroso
Elenco
Tema de abertura "Fascinação", Nana Caymmi
Compositor da música-tema Armando Louzada
Exibição
Emissora de televisão original Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 25 de maio de 19986 de novembro de 1998
N.º de episódios 142

Fascinação é uma telenovela brasileira produzida e exibida pelo SBT entre 25 de maio a 6 de novembro de 1998, em 142 capítulos, transmitida às 20:30, substituindo a reprise da novela mexicana Maria do Bairro e sendo substituída por Pérola Negra.[2] Escrita por Walcyr Carrasco,[1] com colaboração de Ecila Pedroso, sob direção de Antonino Seabra, Jacques Lagôa e Henrique Martins e direção geral de Henrique Martins.

Contou com Regiane Alves, Marcos Damigo, Heitor Martinez, Mariana Ximenes, Caio Blat, Samantha Monteiro, Lia de Aguiar e Glauce Graieb nos papeis principais.[3]

Produção[editar | editar código-fonte]

Originalmente a trama foi produzida apenas para ser exportada – uma vez que as telenovelas de época da Rede Globo estavam em alta e sendo amplamente vendidas no mercado internacional – porém Silvio Santos gostou do resultado e decidiu exibir a novela no Brasil antes de exportá-la.[4] A trama foi vendida posteriormente para diversos países da América Latina e Europa, como Chile, Colombia, Portugal, Polônia, Ucrânia e Romênia.[5] Teve 142 capítulos e foi gravada num tempo recorde de quatro meses para estrear no mesmo dia que Torre de Babel[6]; o número de cenas chegava a 30 por dia e para ajudar nas gravações, os atores tiveram de lançar mão do ponto eletrônico. O aparelho servia para que o ator pudesse repetir as falas ditas por outra pessoa. Foi a primeira novela a utilizar ponto eletrônico para os atores interpretarem seus papéis[7][8][9] e não teve cidade cenográfica, e assim como as telenovelas mexicanas, mostrando apenas as fachadas das casas, então, cortava-se para o estúdio, onde ficavam os cenários. O custo de cada capítulo foi de 20 mil reais.[6]

A novela era exibida às 21h, com a propaganda eleitoral foi ao ar às 21h20, mas com a estreia do Programa do Ratinho, mudou de horário para às 20h.[10] Esta foi a estreia na televisão de Marcos Damigo, Regiane Alves e Mariana Ximenes, cuja atuação rendeu às duas últimas a estreia na Rede Globo, em A Muralha e Andando nas Nuvens, respectivamente. Teve o título provisório de Alma Gêmea, que sete anos mais tarde foi o nome de outra novela de Walcyr Carrasco na Rede Globo em 2005.[11]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história se passa na década de 1930. Ana Clara, uma humilde jovem filha de um leiteiro, só estuda graças a uma bolsa cedida pela própria escola, medianta uma prova que ela fez, por ser bem inteligente e ter passado.[1] No baile de formatura do ensino secundário, conhece Carlos Eduardo.[1] É fascinação a primeira vista. Os dois dançam e saem para conversar. Subitamente, uma cigana aparece dizendo que eles são nascidos um para o outro, mas que antes enfrentarão muitos obstáculos para serem felizes.[1] Essa profecia assusta os dois e com o passar do tempo, a amizade cresce muito e acabam se apaixonando.[1] Mas a mãe do rapaz, Melânia, ao descobrir que a jovem pertence a uma família pobre é contra o namoro, já que quer ao filho uma mulher de "berço", que o represente na sociedade e que o ajude a sair da decadência financeira que a família vive.[1]

Dias depois Carlos Eduardo fica sabendo do local de trabalho de Clara, na colheita, e a espera numa estrada próxima. Eles conversam mais uma vez e começam a namorar. Do outro lado da história, Melânia comenta com sua governanta, a ardilosa Germana, a péssima situação pela qual a família está passando e a preocupação por seu filho ainda não ter arrumado uma herdeira para casar. A governanta, por sua vez, diz ter percebido que a jovem milionária Berenice o ama. Isso faz Melânia se aproximar da moça e descobrir que Berenice realmente é apaixonada por Carlos Eduardo, mas por se achar feia e ser uma moça quieta e triste, não demonstra o seu amor por ele. A partir daí, Melânia passa a fazer de tudo para que os dois se casem, e Berenice, sem saber do namoro de sua colega de, Clara e de seu amado Carlos Eduardo, aceita se casar com ele, mas fica com medo de dar errado, mas Melânia vê como ela é boba e influenciável e usa isso para fazer a cabeça dela.

O amor de Carlos Eduardo por Clara é tanto que ele a pede em casamento. Encantada pelo rapaz, a moça aceita o pedido e como prova de seu amor puro e sincero, virgem, se entrega a ele, posteriormente ficando grávida, para seu desespero.[1] Ao descobrir a gravidez de Clara, seu pai a expulsa de casa e ela acaba ficando a mercê da influência do maquiavélico Alexandre, um homem maldoso que a conhece e promete ajudá-la e ela, acreditando na bondade das pessoas, aceita essa ajuda.[1] Como se não bastasse estar grávida e sem o apoio de sua família, Clara também é separada de Carlos Eduardo por conta de um engano forjado por Melânia que contrata Alexandre para que ele se passe pelo pai do bebê que Clara espera.[1]

Decepcionado com Clara, Carlos Eduardo cede ao desejo de sua mãe e casa-se com Berenice, achando que sempre foi traído por Clara e que ela só queria o seu dinheiro. Mesmo assim ele a ama, mas tenta esquecê-la, sem ter como apagar o verdadeiro amor da lembrança.[1]

Desamparada, Clara é levada por Alexandre a um prostíbulo e obrigada a trabalhar ali sob a ameaça de nunca mais ver seu filho, recém-nascido.[7] Para seu desgosto, Clara se torna uma prostituta, sendo ameaçada de morte por Alexandre, a quem ela também se deita a força.[1][7][13]

Enquanto isso o casamento de Carlos Eduardo e Berenice é um inferno e cada vez mais deprimida, achando que seu marido a despreza, Berenice torna-se alcoólatra. Na bebida ela encontrou um alívio para suas crises depressivas e ciúmes. Carlos Eduardo e Berenice, a cada dia que passa, vivem brigando e discutem demais. Ele não esquece Clara e Berenice quer que ele lhe dê mais atenção. Vendo um ótimo jeito de livrar-se da nora e ficar com sua fortuna, a monstruosa Melânia ajuda a aumentar o vício de Berenice, colocando na cabeça dela que Carlos Eduardo tem amantes pois ele a acha uma mulher sem graça e nada bonita. Ela entra em pânico e desespero, bebendo a cada dia mais, e acaba morrendo de depressão e cirrose.

Enquanto isso, Clara, após sofrer demais sendo humilhada por Alexandre e pela cafetina, e servindo a homens desconhecidos, tem um parto difícil e sofrido, para uma moça tão jovem, e para castigá-la, Alexandre rouba a criança, para o desespero da jovem mãe Ana Clara.

Após diversos meses sofrendo e tentando achar seu filho recém-nascido, é tirada do bordel pelo bondoso Manoel Gouvêia, o padrinho e administrador da pouca fortuna de Berenice, que frequenta o bordel e vê que Clara é uma mulher diferente das outras. Os dois acabam se casando, para ela ser uma mulher honrada e esquecer seu trágico passado. Ela se casou com ele por dinheiro, para achar seu filho, pois o único homem que ama é Carlos Eduardo, mais o culpa por tudo de mau na sua vida. Com Manoel, ela vive momentos felizes de prazer e paixão, tentando ser feliz.

Melânia se desespera ao saber que Berenice já não tinha mais nada, pois todo seu dinheiro ela gastou em bebidas, sem que Carlos Eduardo soubesse. Agora, depois de ter assassinado Berenice, ela vai em busca de Manoel, o único que ficou com o dinheiro dela, já que ele por ser o administrador, ficou com o dever de distribuir os bens e o dinheiro da herança de Berenice a quem ela queria deixar em testamento.

De olho na fortuna que ainda resta sob o controle de Manoel, Melânia planeja um golpe e acaba assassinando o bondoso homem, para sua alegria e ambição no dinheiro e para desespero de Clara. Porém, o que ela não contava é que Manoel teria deixado tudo para Clara, não havia restado nada, assim ela fica sendo sua única herdeira, ela passa a ser dona de tudo que foi de Manoel.

Rica, Clara, por sua vez, não hesitará em fazer com que Melânia e Carlos Eduardo paguem por tudo que fizeram com ela, escondendo por trás da figura de uma mulher cruel e impiedosa o grande amor que ainda sente por Carlos Eduardo. Ela descobre que Melânia mandou Alexandre separá-la de Carlos Eduardo, além de levá-la para o bordel e sequestrar seu filho, e isso aumenta o ódio e a raiva por Melânia. Ela e Melânia se enfrentarão, e a doce Clara dá lugar a uma mulher destinada a se vingar deles dois. E ela faz isso, tirando todo o dinheiro deles através de renomados defensores da justiça, e ficando mais milionária ainda, os deixando na miséria completa. Ela fica muito poderosa, e por trás da mulher que pisa em todos, ela esconde a sensível Clara.

Melânia é uma psicopata perigosa, e não hesitará em acabar com Clara e o filho dela para ter o dinheiro em suas mãos, até seu próprio filho Melânia mataria, para ter tudo o que ela mais quer: Dinheiro e poder. Mas o amor de Carlos Eduardo é imenso, que nada mais importa se não for Clara em sua vida. Ele é manipulado pela mãe sem perceber.

Carlos Eduardo se decepciona ao saber que Clara se prostituiu e casou por dinheiro, e eles travarão uma guerra sem fim, mas ela ainda esconde o segredo que pode mudar tudo: de que Carlos é o pai de seu filho.[14] Mas ela será atormentada ainda mais quando Alexandre e Melânia se tornarem amantes e se unirem para acabar de vez com ela e roubarem todo seu dinheiro. Carlos Eduardo não sabe realmente a perigosa e cruel mulher que a mãe é.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Regiane Alves Ana Clara dos Anjos[7]
Marcos Damigo Carlos Eduardo da Silva Prates[1]
Glauce Graieb Melânia da Silva Prates[7]
Heitor Martinez Alexandre Ramos[1]
Mariana Ximenes Emília Gouvêia
Caio Blat Gustavo da Silva Prates
Samantha Monteiro Berenice Vidigal Prates
Lia de Aguiar Querubina Gouvêia
Luiz Carlos de Moraes Manoel Gouvêia[7]
Miriam Lins Írma Tanajura
Ivan de Almeida Delegado Dionísio dos Santos
Adriana Ridolfi Madame Therèze Barbier
Malu Pessin Germana Stradivarius
Vera Kowalska Drª. Ada Stradivarius
Luiz Arthur Otávio Passos
Elaine César Lindaura
Tadeu Menezes Tonho
Lucimara Martins Nadir
Amanda Defaveri Colete Tanajura
Rodrigo Souto Serafim
Gigi Monteiro Fifi
Mauro Gorini Ernesto da Silva
Deborah Seabra Dulce da Silva
Robson Loddo Padre Cirilo
Gustavo Mantelato Guilherme Dias (Espirro)
Blota Filho Renée
Ademir Zanyor Cabo Malaquias Barbier dos Santos
Sérgio Mastropasqua Dr. Veiga
Airo Munhoz Francisco dos Anjos Prates / Matheus Giuliani

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagens
Maximira Figueiredo Cigana Núbia
Miriam Mehler Guiomar dos Anjos
Breno Bonin José dos Anjos
Suzy Camacho Adelaide Giuliani
Nelson Baskerville Tomás Giuliani
Domingos Montagner Carlitos
Renato Consorte Cordélio
Neusa Maria Faro Elsa
Renato Modesto Dr. Lobato
Serafim Gonzalez Juíz Adão
Ruthinéa de Moraes Parteira
José Scavazini Seu Nestor
Madeleine Ema
Fábio Penna Rodolfo
Carlota Joaquina Carlota
Eduardo Mancini Porteiro

Audiência[editar | editar código-fonte]

Estreou com 6 pontos de média, abaixo do esperado pela emissora, que havia colocado a meta de 15.[4] Durante sua exibição a trama cresceu na audiência e fechou com os esperados 15 pontos no último capítulo, tendo média geral de 10.[15],

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reapresentada pela primeira vez entre 5 de janeiro a 23 de abril de 2004, em 80 capítulos ás 16:00 da tarde e pela segunda vez pelo SBT entre 21 de novembro de 2011 a 6 de março de 2012, em 75 capítulos substituindo Cristal e substituída por Marisol [16]

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Temas musicais da novela Fascinação
Álbum Temas musicais da novela Fascinação.jpg
Trilha sonora de Vários artistas
Lançamento 1998
Gravação Tempos diversos
Gênero(s) MPB, romantica
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) Polygram
Direção Cayon Gadia
Produção José Miltom
Cayon Gadia

Capa: Regiane Alves

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Fascinação (Fascination)"  Nana Caymmi 02:58
2. "Carinhoso"  Elis Regina 03:57
3. "Adeus"  Toquinho e Vinícius de Moraes 03:41
4. "Inquietação"  Gal Costa 02:41
5. "No rancho fundo"  Ney Matogrosso e Rafael Rabello 04:04
6. "Da cor do pecado"  Nara Leão e Roberto Menescal 02:59
7. "Por um beijo"  Vânia Bastos 04:45
8. "Súplica"  Maria Bethânia 02:20
9. "La Vie en Rose"  Elba Ramalho 02:55
10. "Capulito de Aleli"  Caetano Veloso 03:13
11. "Boa noite amor"  Jair Rodrigues 02:13
12. "Fascinação (Fascination)"  Carlos Galhardo 03:06

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n Redação SBT (1 de novembro de 2011). «Novela Fascinação está de volta ao SBT em novembro». Consultado em 10 de novembro de 2011 
  2. «SBT "mexicaniza' "Fascinação'». Folha de S.Paulo. 24 de maio de 1998. Consultado em 20 de julho de 2015 
  3. Ivan Finotti (2000). «Novelas derrubam humor de Portugal». Folha Online. Consultado em 6 de janeiro de 2012 
  4. a b Carla França (5 de julho de 1998). «Ela é a nova queridinha do SBT». O Estado de S. Paulo. TV-Pesquisa. Consultado em 30 de janeiro de 2013 
  5. André Bernardo. «Jovialidade tarimbada». TV Press. O Mossoroense. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  6. a b Alexandre Maron; Reportagem Local/Folha (7 de julho de 1998). «'Fascinação' é obstáculo para a Globo». Folha Ilustrada. Folha de S. Paulo. 4 páginas. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  7. a b c d e f Rui Dantas; Reportagem Local/Folha (26 de julho de 1998). «SBT vai adotar ponto eletrônico/Clara se torna milionária». TVFolha. Folha de S. Paulo. 8 páginas. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  8. André Bernardo (13 de fevereiro de 2000). «Coração indomável». TV Press. AN Tevê. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  9. Elmo Francfort Ankerkrone (31 de agosto de 2000). «A História das Novelas Brasileiras». SampaOnline. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  10. «Bastidores». Teledramaturgia. Consultado em 30 de janeiro de 2013  Texto "autor " ignorado (ajuda)
  11. Rosângela Marques (22 de fevereiro de 1998). «Debandada de artistas faz SBT rever planos para 98». Agência Estado. AN Tevê. Consultado em 4 de abril de 2012. Arquivado do original em 21 de outubro de 2013 
  12. Walcyr Carrasco (21 de outubro de 2011). «Fascinação: o retorno». Época. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  13. «Madame Theréze retira a queixa contra Clara». M de Mulher. Consultado em 3 de dezembro de 2011 
  14. «Clara pretende deixar a cidade». M de Mulher. Consultado em 3 de dezembro de 2011 
  15. Mera Teixeira (12 de outubro de 1998). «Surpresas no final de "Fascinação"». Agência Estado. AN Tevê. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  16. Redação NaTelinha (28 de outubro de 2011). «SBT define estreia de "Fascinação"». Zapping. NaTelinha. Consultado em 1 de novembro de 2011. Arquivado do original em 2 de novembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]