Uma Esperança no Ar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Uma Esperança No Ar
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 min. aproximadamente
Criador(es) Amilton Monteiro
Ismael Fernandes
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Produtor(es) Jardel Mello
Elenco Geórgia Gomide
Edney Giovenazzi
Angelina Muniz e grande elenco
Tema de abertura Bola De Cristal , Fagner
Tema de encerramento Bola De Cristal , Fagner
Exibição
Emissora original SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 5 de agosto de 1985 - 17 de fevereiro de 1986
Episódios 167
Cronologia
Jogo do Amor
Cortina de Vidro

Uma Esperança no Ar é uma telenovela brasileira, exibida pelo SBT entre 5 de agosto de 1985 e 15 de fevereiro de 1986, às 19h45.[1] em 168 capítulos, substituindo Jogo do Amor e sendo substituída por Cortina de Vidro exibida pela emissora.

De autoria de Amilton Monteiro e Ismael Fernandes, foi escrita por Amilton, Dulce Santucci e Crayton Sarzy e dirigida por Jardel Mello.

Produção[editar | editar código-fonte]

A trama foi escrita com inspiração nas telenovelas mexicanas já exibidas pelo SBT, assim como as adaptações feitas entre 1982 e 1983. Mesmo assim a novela teve pouca repercussão e audiência, tendo depois dela o setor de teledramaturgia da emissora fechado por três anos até 1989.

A novela foi escrita por Crayton Sarzy e Dulce Santucci até o capítulo 30, quando após este a novela foi assumida por Ismael Fernandes. Este último não soube conduzir a trama como faziam a dupla Dulce e Crayton, fazendo a história do folhetim ficar confusa e devagar, culminando assim em seu fracasso.

Enredo[editar | editar código-fonte]

A história começa com Rui, um homem que fica cego e aleijado após uma decepção amorosa. A culpa do ocorrido recaí sobre Ana, que é expulsa da cidade por Daniel. Junto á isso existe a história de amor de Débora, uma mulher misteriosa e Egdar, um político mau-caráter.

Reprise[editar | editar código-fonte]

Foi reprisada na faixa Novelas da Tarde entre 27 de julho e 18 de dezembro de 1987, ás 14h30, substituíndo A Justiça de Deus e senso substituída por O Anjo Maldito.

Audiências[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira exibição a trama alcançou apenas 4,74 pontos, sendo um fiasco. A segunda obteve 3,90 pontos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Reprise[editar | editar código-fonte]

Foi reprisada entre 27 de julho a 18 de dezembro de 1987, às 14h30 substituindo A Justiça de Deus e sendo substituída por O Anjo Maldito.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. "Bola de cristal" - Fagner
  2. "Um dia de amor" - Amelinha
  3. "Tudo pode mudar - Metrô
  4. "Sempre me faz bem" - Kátia
  5. "História de amor" - Fábio Júnior
  6. "Frente a frente - Sônia Maya
  7. "Esquinas" - Djavan
  8. "Íntimo" - Simone
  9. "Só" - Leo Jaime
  10. "Siga seu rumo" - Pimpinela
  11. "Se o tempo pudesse parar" - Paulinho Nogueira
  12. "Amor fatal" - Sempre Livre

Referências

  1. «Uma esperança no ar». Teledramaturgia. Consultado em 6 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]