Angélica (apresentadora)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Angélica
Nome completo Angélica Ksyvickis Huck
Outros nomes Angel
Nascimento 30 de novembro de 1973 (42 anos)
Santo André, SP
 Brasil
Ocupação
Atividade 1982–presente
Cônjuge Luciano Huck (c. 2004)
Página oficial
IMDb: (inglês)

Angélica Ksyvickis Huck (Santo André, 30 de novembro de 1973) é uma apresentadora, atriz, cantora e empresária brasileira.[1] Virou apresentadora de TV com apenas 12 anos. Aos 14 anos, estourou no Brasil inteiro com a canção Vou de Táxi (do seu primeiro LP), chegando a vender mais de 1 milhão de cópias.

Carreira[editar | editar código-fonte]

1982–95: Início e ascensão[editar | editar código-fonte]

Angélica iniciou sua carreira aos 4 anos de idade, vencendo por dois anos consecutivos um concurso de beleza no programa Cassino do Chacrinha (Bandeirantes), iniciando uma carreira de modelo e de atriz de telenovelas como Joana, Abracadabra e participou de centenas de comerciais. Como apresentadora, começou em 1987, aos 12 anos no programa infantil "Nave da Fantasia", e no juvenil "Shock" na Rede Manchete.[2] Porém, o sucesso estrondoso veio quando foi substituir a apresentadora Xuxa no comando do "Clube da Criança", tornando-se uma das principais estrelas da emissora.[3] Além dos desenhos animados, o programa contava com live-actions, como Jaspion, Changeman, Flashman, Lionman e outros, e várias assistentes de palco (primeiramente intituladas de "Clubetes" , tendo a atriz Camila Pitanga e posteriormente as "Angelicats", entre elas as atrizes Juliana Silveira, Giovanna Antonelli e Amanda Pinheiro). [4][5] [6] A partir de 1988, também passou a apresentar nas tardes de sábado o programa de atrações musicais Milk Shake, onde interpretava vários personagens, e que também serviu de vitrine viva para outros nomes como a apresentadora Babi Xavier, que iniciou carreira aos 14 anos no programa como assistente de palco.[7][8] Ainda na Rede Manchete, protagonizou em 1991 a minissérie O Guarani, no papel de Ceci, onde foi muito elogiada por sua atuação.[9] A apresentadora permaneceu na Rede Manchete por 8 anos, de 1985 até 1993, sendo esse considerado um período de muito sucesso o qual veio a se repetir alguns anos depois já na Rede Globo.[10] No cinema, estreou em 1988 no filme Heróis Trapalhões, Uma Aventura na Selva. No filme, ela interpreta a apresentadora de programas infantis (que era ela mesma), que acabou sendo sequestrada por um fanático, mais de 3.231.000 foram aos cinemas.[11] No ano seguinte participou de Os Trapalhões na Terra dos Monstros, que teve mais de dois milhões e meio de espectadores, interpretando uma jovem cantora que ganha um concurso de talentos.[11]

Em 1990, atuou em outro filme também com a trupe de Renato Aragão - Uma Escola Atrapalhada, que teve mais de 3.000.000 (três milhões e setecentos mil) espectadores, foi um de seus filmes de maior bilheteria.[12] Em 1993, a apresentadora foi para o SBT comandar a Casa da Angélica, programa que começou a marcar apenas 8 pontos, índice já alto na época, e subiu para 12 e depois para 20.[13] [14] O programa era levado ao ar à tarde e tinha desenhos animados, musicais, brincadeiras com a plateia e quadros de humor, dos quais Angélica participava com vários personagens: "Anjôlica", onde ela imitava Jô Soares; "Angélia", imitação da culinarista Ofélia Anunciato; "Angelicastrid", imitação de Astrid Fontenelle, na época apresentadora/VJ da MTV Brasil; o "Taxista Bernadão", que recebia diversas celebridades em seu táxi; sua prima malvada "Cycy", que tinha um problema de dicção e pronunciava "Xixí, C-Y-C-Y", que fazia diversas maldades com Angélica por ter inveja da prima; também interpretava outros personagens que, porém, eram menos frequentes no programa. Ainda satirizava trechos de novelas mexicanas, como a malvada Catarina Cruel, do sucesso Ambição e possuía matérias de interesse infantil, com o repórter Otaviano Costa. Alguns anos depois, Angélica passou a substituir Gugu nos programas Passa ou Repassa e TV Animal. Não demorou muito para se firmar, ainda mais, como ídolo das crianças e adolescentes e se tornar a menina dos olhos de Silvio Santos. A sequência de programas batia a Sessão da Tarde em audiência.[13] [15]

1996–01: Angel Mix, seriados e filmes[editar | editar código-fonte]

Em 1996 assinou contrato com a Rede Globo. Sua estreia com Angel Mix, programa inicialmente com apenas meia hora de duração, era exibido após a TV Colosso, às 11h. A partir de janeiro de 1997 o programa ocupou toda a manhã da Rede Globo, entrando no ar das 8h30 às 11h30. Mais uma vez a apresentadora recebeu elogios pela sua atuação. No início o Angel Mix era composto apenas por brincadeiras e gincanas entre as equipes Azul e Laranja, compostas por participantes da platéia, e musicais com artistas convidados. Com a expansão do programa nas manhãs da emissora integraram outros quadros como o da sereia Serena e o do polvo Zé Polvolho (já tinha sido feito por Angélica no Clube da Criança da TV Manchete); além de matérias externas onde a apresentadora brincava, conversava, praticava esportes e se divertia com várias crianças. Fazia entrevistas com celebridades no palco do programa e ainda por desenhos.[16] Angélica contava com auxilio das quatro "Angels" (nome antigo era Angelicats) — Micheli Machado, Juliana Silveira, Geovanna Tominaga e Mirella Tronkos — e mais dois "Angélicos" — Caio César Bonafé e Daniel Florenzano.[17] No mesmo ano, a partir das 11h30, entrava no ar seu seriado infantil, Caça Talentos, no qual interpretava a fada Bela, a qual dobrou a média de audiência da emissora (chegava a atingir picos de 17 pontos, algo que só uma novela das oito conseguia). Os atores que fizeram parte do elenco fixo eram: Eduardo Galvão, Helena Fernandes, Ana Furtado, Claudia Rodrigues, Tony Tornado, Eri Johnson, Emiliano Queiroz, Marilu Bueno, Betina Vianny e Renata Castro Barbosa. A música que embalava a trama — "Dança da fadinha" — fez grande sucesso. O último capítulo teve direito a clipe no Fantástico.[18] [19]

Em 1998, Angélica passou a ter sua própria empresa de produção, a Angélica Produções, e volta ao cinema a convite de Renato Aragão para uma pequena participação interpretando ela mesma em Simão, o Fantasma Trapalhão.[11] Ainda em 1998, Angélica produziu e protagonizou o filme Zoando na TV, uma comédia romântica onde a apresentadora interpreta o personagem Angel, uma jovem sonhadora apaixonada pelo personagem de Márcio Garcia (ex namorado da apresentadora), que sonhava entrar para a TV. O filme levou, também em circuito nacional, mais de um milhão e duzentas mil pessoas aos cinemas.[20] [21] Em 1999 entra no ar seu segundo seriado, Flora Encantada, substituindo Caça Talentos. Revelou o ator Leonardo Miggiorin. A série utilizava fantoches para contracenar com os atores.[22] No final de 2000 Angel Mix e Flora Encantada chegavam ao fim, dando lugar à Bambuluá, seu terceiro seriado, que misturava ficção e exibição de desenhos animados. O programa estreou em 9 de outubro de 2000 e terminou em 21 de dezembro de 2001. Era exibido de segunda a sexta, no horário de 09:30 horas. Protagonizado por Angélica, a atração tinha a colaboração dos Cavaleiros do Futuro, combatendo o Senhor Dumal e seus comparsas de Magush. Tinham também o Senhor Dubem, e a TV Globinho que originalmente era um programa independente, todavia, nesta atração virou um quadro do programa.[23] Um dos momentos marcantes do programa foi a chegada dos bonecos da TV Colosso, de LuiS Ferré, na cidade de Bambuluá. Na trama, Priscilla, Gilmar e seus 4 Gilmares, JF, Capachão, Borges e Bullborg desciam de um disco voador canino num chafariz de pipoca. Em 2001, abandonou as manhãs da Rede Globo e o público infantil, pois a apresentadora não queria mais apresentar programa para crianças. Em 2001, interpretou a fada Melissa em Xuxa e os Duendes.

2001–presente: Reformulação e amadurecimento[editar | editar código-fonte]

Angélica (direita) e seu marido, Luciano Huck (esquerda), em 2011.

Em 2001 decidiu deixar o público infantil e reformular sua imagem, passando a focar-se em programas voltados ao público jovem e adulto.[24] Em dezembro do mesmo ano passa a comandar o game show Video Game, um programa de jogos envolvendo artistas e seus conhecimentos sobre a programação da Rede Globo exibido após o Vídeo Show como uma extensão deste.[24] Em 2002 passou a comandar também o talent show Fama aos domingos, programa voltado à descobrir novos talentos musicais no qual ficou por quatro temporadas, até o final de 2005.[25] Em 2004 Angélica atuou como a personagem principal Andréa no filme Um Show de Verão, fazendo par romântico com seu futuro marido, Luciano Huck, este longa metragem foi o que rendeu a menor bilheteria da carreira de Angélica, levando apenas duzentas mil pessoas aproximadamente ao circuito nacional.[26] Em 2006, com a confirmação que o Fama não voltaria à grade da emissora, passa a comandar o programa Estrelas nas tardes de sábado, no qual entrevista diversos artistas e pratica atividades inusitadas com eles, além de levá-los para viagens e esportes radicais.[27] Em 2009, Angélica interpretou a personagem Rapunzel, no filme Xuxa e o Mistério de Feiurinha.[28] No final de 2011 o Video Game chega ao fim, deixando Angélica dedicando-se apenas ao Estrelas.[29]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Filha de Francisco Ksyvickis e Angelina, tem uma irmã, a empresária Márcia Marbá. Angélica nasceu em Santo André e foi criada em São Bernardo do Campo. Sua família é de ascendência polaca, russa, austríaca, italiana, portuguesa, croata, lituana, romena, moldávia, ucraniana e indígena da tribo Piquerobi.[30][31] Possui uma pinta (nevus) de nascença na perna esquerda, que sempre foi sua marca registrada.[32] [33] Em 24 de maio de 2015, Angélica sofreu um acidente de avião com seu marido, seus 3 filhos (Joaquim, Benicio e Eva) e 2 babás depois de ter gravado o especial do programa Estrelas no Pantanal, o acidente teve atenção da mídia nacional.[34]

Relacionamentos[editar | editar código-fonte]

Angélica em 2007.

Aos 15 anos teve seu primeiro namorado, César Filho, 13 anos mais velho. Na época a apresentadora jurava que se casaria virgem. Eles noivaram algum tempo depois, e ela conta que perdeu a virgindade com ele aos 18 anos. Angélica ficou noiva dele até seus 22 anos.[35] Depois, teve um relacionamento com o ator Márcio Garcia que durou três meses.[36] Em 1997 começou a namorar Maurício Mattar, vivendo um relacionamento conturbado, cheio de idas e vindas, e a família dela não queria o relacionamento por ele ter se envolvido com drogas. A apresentadora chegou a viajar com o namorado escondido de sua família para o Chile (Angélica falou para sua mãe, dona Angelina Ksyvickis que iria com uma amiga), mas acabou virando capa de revista ao lado do namorado e o seu pai foi parar no hospital e Angélica teve que voltar correndo para o Brasil. Em 2001 eles se separaram.[37] [38] Em 2002, Angélica começou a namorar o empresário Luís André Calainho. Com nove meses de namoro eles ficaram noivos, mas depois de algumas semanas se separaram.[39] e a apresentadora voltou a namorar o cantor/ator Mauricio Mattar, após o cantor declarar a imprensa que Angélica era a mulher de sua vida. Eles chegaram a falar em casamento para 2004. Em julho de 2003, Angélica começa um romance com o apresentador Luciano Huck nos bastidores do filme "Um Show de Verão" enquanto namorava Mauricio Mattar, vindo a terminar com o cantor no dia 28/11/2003 (dois dias antes do seu aniversário de 30 anos) No dia da festa o cantor chegou a passar de carro diversas vezes em frente ao apartamento da apresentadora.

Em fevereiro de 2004, Angélica e Luciano Huck são flagrados pela revista Contigo em clima de romance em Barcelona e acabam tendo que assumir o romance. Em 30 de outubro de 2004, casou-se com o apresentador de televisão Luciano, com quem se relacionava desde 2003. A boda ocorreu em 30 de outubro de 2004, na Marina da Glória, na Cidade do Rio de Janeiro. O casamento foi marcado por elegância e convidados ilustres, com um rígido sistema de segurança para evitar penetras. O casamento foi abençoado por um padre, por Angélica ser católica, e por um rabino, por Luciano ser judeu. O casal passou a lua-de-mel em Nova York.[40] Em 2010, o apresentador Luciano Huck afirmou em entrevista na TV, no programa Irritando Fernanda Young, que já tinha ficado com sua futura mulher em 2000, durante uma matéria em Fernando de Noronha. O apresentador afirma que na época tentou marcar algo com Angélica depois que voltaram de viagem e que a apresentadora marcou com ele e não apareceu, então Luciano Huck mandou um cano com um laço para Angélica e um blhete que dizia: "Você deu o maior cano da minha vida". Os apresentadores voltaram a ter um romance depois de 3 anos.

Maternidade[editar | editar código-fonte]

Em Junho de 2004 a apresentadora anuncia que esta grávida de seu primeiro filho (Joaquim Ksyvickis Huck) no programa Fantástico. O primeiro de seus três filhos, Joaquim, nascido em 8 de março de 2005 de cesariana, no Hospital Albert Einstein, na cidade de São Paulo, às 9h35. Seu segundo filho, Benício, nasceu de cesariana, no dia 3 de novembro de 2007, à 01h52 na Casa de Saúde São José, bairro do Humaitá, na Cidade do Rio de Janeiro. (Ela afirma que essa gravidez foi planejada, diferente da primeira). O sonho de Angélica em ser mãe de uma menina se realizou, com a chegada de Eva, que nasceu de cesariana na Maternidade Perinatal, na Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, em 25 de setembro de 2012, às 15h38.[41] Coincidentemente, uma data importante para os judeus, pois nessa data se comemora o Yom Kippur, dia do perdão.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota
1982 Avenida Paulista Anamaria (jovem)
1987–88 Nave da Fantasia[2] Apresentadora
1988–93 Clube da Criança Apresentadora
1988–93 Milk Shake Apresentadora
1991 O Guarani Cecília
1993–96 Casa da Angélica Apresentadora
1994–96 Passa ou Repassa Apresentadora
1995–96 TV Animal Apresentadora
1996 Sai de Baixo Ela mesma Episódio: "Chez Cassandra" (Temporada 1, episódio 18)
1996–00 Angel Mix Apresentadora
1996–98 Caça Talentos Fada Bela
1996 Alice no País da Música Alice Especial de final de ano
1998 Asas Pra Que Te Quero Angel Especial de final de ano
1999–00 Flora Encantada Flora
2000–01 Bambuluá Angélica
2001 Um Anjo Caiu do Céu Angelina
2001–11 Vídeo Game Apresentadora
2002 Sítio do Pica Pau Amarelo Cuca / Falsa Angélica Episódio: "A Pedra Magica de Tupã: parte 5" (Temporada 2, episódio 85)
2002–05 Fama Apresentadora
2003–08 Vídeo Show Retrô Apresentadora Especial de final de ano (Temporada 1–6)
2003 Celebridade Ela mesma Episódio: "5 de abril de 2004"
2004 A Diarista Ela mesma Episódio: "Aquele do Projac" (Temporada 1, episódio 37)
2006–presente Estrelas Apresentadora
2009 Por Toda Minha Vida Ela mesma Episódio: "Chacrinha" (Temporada 2, episódio 3)
Episódio: "Claudinho" (Temporada 3, episódio 2)
2010 As Cariocas Maria Teresa Episódio: "A Traída da Barra" (Temporada 1, episódio 10)

Filmes[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota
1988 Os Heróis Trapalhões - Uma Aventura na Selva Angélica
1989 Pumuckl II Fleur (voz) Dublagem brasileira
1989 Os Trapalhões na Terra dos Monstros Angel
1990 Uma Escola Atrapalhada Tami
1992 Angélica e o Mágico de Oz Angélica (voz) Dublagem brasileira
1996 Fique em Forma com Angélica Ela mesma Documentário
1996 Faça Step com Angélica Ela mesma Documentário
1998 Simão, o Fantasma Trapalhão Ela mesma
1998 A Princesa Encantada 2: O Segredo do Castelo Odete (voz) Dublagem brasileira
1999 Zoando na TV Angel
2000 TV Ano 50 Ela mesma Documentário
2001 Xuxa e os Duendes Fada Melissa
2004 Um Show de Verão Andréa
2009 Xuxa e o Mistério de Feiurinha Rapunzel

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Angélica

Referências

  1. «Perfil Purepeople - Angélica». Purepeople. Consultado em 08 de janeiro de 2015. 
  2. a b «Angélica reúne fotos de seu primeiro programa na TV, 'Nave da fantasia', em 1986». Pure Peolple. 30 novembro 2012. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  3. Márcia Cezimbra (30 de abril de 1988). «A estrela da Manchete». Jornal do Brasil. Arquivado desde o original em 6 de fevereiro de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2016. 
  4. Paulo Senna (11.5.2008). «Clube da Criança - Foi uma febre para a criançada». O Globo. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  5. «Conheça a intimidade da apresentadora». Folha de S.Paulo. 19 de novembro de 1995. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  6. «A n g é l i c a, "Quem manda em mim? Eu mesma!"». Diário de Cuiabá. 19/11/2000. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  7. «Angélica mata a saudade do tempo do programa Milk Shake». O Fuxico. 03/09/2012. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  8. Heloísa Eterna (25 de setembro de 1988). «Angélica, uma estrelinha pronta para altos vôos». O Dia. Arquivado desde o original em 6 de fevereiro de 2016. Consultado em 6 de fevereiro de 2016. 
  9. «O Guarani». Teledramaturgia. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  10. «Fez História #01: você acha que se a Rede Manchete estivesse no ar até hoje, disputaria a liderança de audiência?». TV Foco. 4 de Maio de 2013. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  11. a b c «Memória Globo - Trajetória de Angélica». Globo.com. 2014. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  12. «Tá lembrado? Supla e Angélica namorando no cinema…». Trash 80's. 15/09/2009. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  13. a b «Segundo a maioria dos internautas, Angélica merecia mais destaque na Globo». TV Foco. 14 de Março de 2014. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  14. «Angélica e os 40 bafões: As melhores histórias da trajetória da apresentadora que completa quatro décadas nesta semana». EXTRA. 24/11/13. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  15. Elaine Guerini (19 de novembro de 1995). «Angélica desiste de defender a virgindade». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  16. Beatriz Coelho Silva (25 de abril de 1999). «Novo ‘Angel Mix’ estréia amanhã, Angélica diz que agora conseguiu ter o programa do jeito que queria, dividido em duas etapas». Jornal Tododia. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  17. Neuza Sanches (28/04/98). «A marca da loira». Revista Veja. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  18. Luiz Joaquim (25/01/2012). «Histórias da fada Bela estão em 'Caça Talentos'». Canal Viva. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  19. «Veja como eram e como estão os atores de Caça Talentos aqui!». R7. 30/11/2013. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  20. Ana Carolina Rocha. «Angélica - Zoando na TV». Terra. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  21. Inácio Araujo (15 de Janeiro de 1999). «Globo filmes tateia em busca de um caminho». Folha de S.Paulo. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  22. Luiz Joaquim (05.11.99). «Angélica está crescendo a olhos vistos». JC Online. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  23. Patrícia Vilani (4 de outubro de 2000). «Globo tenta salvar Angélica com 'Bambuluá'». Diário do Grande ABC. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  24. a b Beatriz Coelho Silva (28 de maio de 2004). «Angélica apresenta o novo Fama». Gazeta Digital. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  25. «Angélica apresenta "Fama" ao lado de Toni Garrido». Folha Online. 26/04/2002. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  26. Renata Petrocelli (1 de Novembro de 2003). «Angélica diz que "Um Show de Verão" é seu filho». Terra. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  27. «Canal Viva - Estrelas». canalviva.globo.com. Consultado em 18 de agosto de 2012. 
  28. Andréia Takano (8 de abril de 2006). «Angélica estréia programa Estrelas e mantém audiência». ofuxico.terra.com.br. Consultado em 18 de agosto de 2012. 
  29. TV tudo (29 de novembro de 2011). «Globo muda diretor do TV Xuxa após derrota na audiência». odiario.com. Consultado em 19 de agosto de 2012. 
  30. «Angélica, modelo, apresentadora, cantora e atriz». Terra Networks. Consultado em 22 de dezembro de 2015. 
  31. «Angélica conhece sua origem no 'Estrrelas'». Globo Play. Consultado em 27 de janeiro de 2015. 
  32. Carla Felícia, Fábio Farah e Nina Arcoverde Mansur (30/08/2004). «Pinta de mãe». Revista ISTOÉ Gente. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  33. Renata Sakai (24/02/08). «Elas são sex symbols porque têm pintas ou têm pintas porque são sex symbols?». EGO. Consultado em 12 de Julho de 2014. 
  34. Matias Salse (25 de maio de 2015). «Huck quebra vértebra e Angélica lesiona musculatura em acidente aéreo no MS». Universo Online. UOL HOST. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  35. «'O meu primeiro tudo foi o César', conta Angélica». Canal Viva. 25/07/2012. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  36. «Vidas cruzadas de Angélica e Maurício Mattar». ISTOÉ Gente. 2003. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  37. Chantal Brissac (13/09/1999). «A escolha de Angélica». ISTOÉ Gente. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  38. «Angélica rompe namoro com Maurício Mattar». Terra. 1 de dezembro de 2003. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  39. Christiana Albuquerque (17/05/2002). «Angélica termina o noivado com Luiz Calainho e nega volta com Maurício Mattar». QUEM Acontece. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  40. «Huck e Angélica se emocionam em cerimônia religiosa». Babado. 30/10/2004. Consultado em 26 de Julho de 2014. 
  41. Paula Neiva (25/09/2012). «Eva Huck: a caçula de Angélica e Luciano nasce, de cesariana». Revista Veja. Consultado em 26 de Julho de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Angélica (apresentadora)
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Angélica