Raul Cortez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Raul Cortez
O ator Raul Cortez, em julho de 2006
Nome completo Raul Christiano Machado Cortez
Nascimento 28 de agosto de 1932
São Paulo, SP
Morte 18 de julho de 2006 (73 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Célia Helena (1959–1961)
Tânia Caldas(1971–1974, 1977–1987)
Ocupação ator
produtor
diretor teatral
Período de atividade 1954–2006
Página oficial
raulcortez.com.br

Raul Christiano Machado Cortez (São Paulo, 28 de agosto de 1932 — São Paulo, 18 de julho de 2006) foi um ator, produtor e diretor brasileiro. Ao longo de sua carreira ganhou os principais prêmios do país, incluindo dois Troféus Imprensa, três Prêmios APCA, cinco Prêmios Molière, um Prêmio Qualidade Brasil e um Troféu Candango do Festival de Brasília, além de ter recebido duas indicações ao Grande Otelo e duas indicações ao Prêmio Guarani.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Raul Cortez era o mais velho de seis irmãos, Rui Celso, Lúcia, Pedro, Regina e Jô Cortez. É o pai da também atriz Lígia Cortez, fruto do seu casamento com a atriz Célia Helena, e de Maria, com Tânia Caldas. Raul Cortez tem duas netas, filhas de Lígia: Vitória e Clara. Era abertamente bissexual e falou sobre o tema em fevereiro de 1980 para a Revista VEJA: Atração é uma coisa que está no ar. Ninguém pode impor que a gente vá gostar só de homens ou transar só com mulheres.[3]

Cortez trabalhou em 66 peças teatrais, 20 telenovelas, seis minisséries, 28 filmes e gnhou vários prêmios, entre eles cinco Molière – a mais importante premiação do teatro brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atuação nos palcos[editar | editar código-fonte]

Djenane Machado e Raul Cortez na peça Os corruptos, Teatro Maison de France (1967).
Raul Cortez encenando A Hora e Vez de Augusto Matraga, em 1986

Ia ser advogado, mas aos 22 anos decidiu trocar os tribunais pelo palco. A estreia foi em 1955 e no ano seguinte já fez o primeiro papel no cinema, em O Pão que o Diabo Amassou. Em 1965, foi Joaquim em Vereda da Salvação, em 1969 encarnou um travesti na peça Os Monstros e em 1970 fez o primeiro nu do teatro brasileiro em O Balcão, de Jean Genet.

Na década seguinte recebeu vários prêmios, mas a consagração veio da mão da peça Rasga Coração (1979), no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. Última escrita pelo mestre Oduvaldo Vianna Filho, na qual contracenou com Lucélia Santos, interpretando o amargurado funcionário público e ex-militante comunista Maguary Pistolão. A cena final, escrita por Vianinha, foi marcante: o funcionário público aparece nu amarrado por cordas nos pés e dependurado no ponto mais alto do palco.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Após participar de algumas telenovelas nas emissoras Excelsior, Bandeirantes e Tupi, Raul Cortez estreou na Rede Globo em outubro de 1978 no especial "Ciranda, Cirandinha" no papel do pai de Tati, personagem principal vivida pela atriz Lucélia Santos. Dois anos depois, em 1980, protagonizou ao lado de Reginaldo Faria a novela de Gilberto Braga, Água-Viva, na qual interpretou o cirurgião plástico Miguel Fragonard. Com este trabalho alcançou notoriedade e reconhecimento do público, tornando-se uma estrela da televisão.

Para isso também contribuíram papéis em Baila Comigo (1981), de Manoel Carlos, um amigo de 40 anos, que chegou a convidá-lo para participar de Partido Alto (1984), primeira novela de Aguinaldo Silva. Posteriormente, de 1993 a 1995 foi apresentador fixo do programa Você Decide.

Os mega-vilões Virgílio Assunção, de Mulheres de Areia (1993), e Geremias Berdinazzi, de O Rei do Gado (1996), aumentaram sua fama internacional, particularmente na Rússia, onde ambas as novelas atingiram enorme audiência no país. Terra Nostra, uma das tramas mais vendidas da Globo, o levou aos cinco continentes com outro italiano: Francesco Magliano.

Em 2004 participou da novela Senhora do Destino interpretando Pedro Correia de Andrade e Couto (o Barão de Bonsucesso). Em 2005, precisou suspender temporariamente sua participação devido ao avanço da doença que causaria sua morte tempos depois.

Tudo parecia relativamente resolvido, pois ainda retornaria às telas em 2006 interpretando Antônio Carlos, na minissérie JK, a biografia do ex-Presidente Juscelino Kubitschek.

É considerado um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos. Raul morreu às vésperas de completar cinquenta anos de carreira, em decorrência do agravamento de um câncer no pâncreas, contra o qual lutava havia cerca de quatro anos.

Apesar de ser descendente de espanhóis, foram marcantes os personagens italianos em telenovelas como O Rei do Gado, Terra Nostra e Esperança.

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2004, Raul Cortez foi operado para a remoção de um tumor na região do pâncreas e do intestino delgado, seguindo-se um tratamento quimioterápico. Em 30 de junho de 2006, foi novamente internado, Raul faleceu no dia 18 de julho de 2006.[4]

Política[editar | editar código-fonte]

Ao lado de Regina Duarte, Raul Cortez apoiou José Serra nas eleições presidenciais de 2002.[5]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Emissora
2006 JK Antônio Carlos Ribeiro de Andrade Rede Globo
2004 Senhora do Destino Pedro Correia de Andrade e Couto (Barão de Bonsucesso)[6]
Um Só Coração Rogério Batista Moreira
2002 Esperança Genaro Campello
2001 Os Maias José Maria de Eça de Queiroz (Eça de Queirós)
As Filhas da Mãe Arthur Brandão
2000 Aquarela do Brasil Sérvulo Rocha da Silva
1999 Terra Nostra Francesco Magliano
1996 O Rei do Gado Geremias Berdinazzi
1993 Agosto Antônio Macedo (Antônio do Mercado)
Mulheres de Areia Virgílio Assunção
1992 Perigosas Peruas Aparício Marins Barbosa
As Noivas de Copacabana José Carlos Montese
1991 O Sorriso do Lagarto Ângelo Marcos Jardim
1990 A, E, I, O... Urca Jofre Monteiro[7]
Rainha da Sucata Jonas Queiroz
1987 Brega & Chique Herbert Alvaray / Mário Francis / Cláudio Serra / Isaac Brum
Mandala Pedro Bergman
1984 Partido Alto Célio Cruz
1983 Sabor de Mel Alberto Lopes Pereira Rede Bandeirantes
Moinhos de Vento Ronaldo Rede Globo
1981 Baila Comigo Joaquim Gama (Quim)
Jogo da Vida Carlos Madureira (Carlito)
1980 Água Viva Miguel Fragonard
1976 Xeque-Mate Sebastião da Silva Vasconcelos Rede Tupi
Tchan, a Grande Sacada Aquilino Matos Madeira
1973 A Volta de Beto Rockfeller Aluísio
1972 Vitória Bonelli Jaime Bonelli
1970 Toninho on the Rocks Lírio Manuel Menezes (Padre Lírio)
1967 Os Miseravéis Gavroche Monserá Rede Bandeirantes
1966 Ninguém Crê em Mim Cássio Prado Rede Excelsior

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1957 O Pão que o Diabo Amassou [8]
1964 Vereda da Salvação Joaquim
1966 O Anjo Assassino Victor
Lima Barreto - Trajetória Narrador
1967 O Caso dos Irmãos Naves Joaquim Naves
1968 Brasil Ano 2000 Conservador de documentos
Capitu Escobar
Cristo de Lama
Desesperato Antônio de Medeiros [9]
O Homem que Comprou o Mundo Primeiro ministro
1969 Tempo de Violência Chefe
1970 A Arte de Amar Bem Rodrigo
Beto Rockefeller Fotógrafo
1971 Roberto Carlos a 300 quilômetros por hora Rodolfo
1972 A Infidelidade ao Alcance de Todos Carlão
Janaína - A Virgem Proibida Raul
1976 O Seminarista Padre [10]
1978 Pecado Sem Nome Delegado
1979 Os Trombadinhas Juiz
1982 Amor de Perversão
1983 Aguenta, Coração
1984 Tensão no Rio Eduardo Escosteguy
1987 Os Trapalhões no Auto da Compadecida O Major
O Diabo
Vera Professor Paulo Trauberg[11]
1989 Jardim de Alah Dr. Flávio
1991 A Grande Arte Lima Prado
1995 Cinema de Lágrimas Rodrigo
2000 Imminente Luna Mathias
2001 Lavoura Arcaica Pai de André
2004 O Outro Lado da Rua Camargo
Person Ele mesmo
2008 Garoto Cósmico Giramundos (voz)
Identificados

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 2004 - A Meia Noite Um Solo de Sax Na minha Cabeça
  • 2000 - Rei Lear
  • 1999 - Um Certo Olhar - Pessoa e Lorca
  • 1997 - Cheque ou Mate
  • 1993 - Greta Garbo quem Diria Acabou no Irajá
  • 1992 - Luar em Preto e Branco
  • 1991 - As Boas
  • 1990 - M. Butterfly
  • 1987 - O Lobo de Ray-Ban
  • 1986 - Drácula
  • 1986 - A Hora e Vez de Augusto Matraga
  • 1985 - Ah! Mérica
  • 1982 - Amadeus
  • 1979 - Rasga Coração
  • 1978 - Quem Tem Medo de Virginia Woolf?
  • 1978 - A Chuva
  • 1976 - A Noite dos Campeões
  • 1975 - Lição de Anatomia
  • 1975 - O Estranho
  • 1974 - Greta Garbo quem Diria Acabou no Irajá
  • 1973 - Hoje é Dia de Rock
  • 1972 - Gracias Senhor
  • 1971 - Galileu Galilei
  • 1971 - Don Juan
  • 1970 - Rapazes da Banda
  • 1969 - O Balcão
  • 1968 - Os Monstros
  • 1967 - Black Out
  • 1966 - Os Corruptos
  • 1966 - Júlio César
  • 1965 - Os Físicos
  • 1965 - A Grande Chantagem
  • 1965 - Zôo Story
  • 1964 - Vereda da Salvação
  • 1964 - Pena que Ela Seja Uma Puta
  • 1963 - Pequenos Burgueses
  • 1963 - César e Cleópatra
  • 1962 - Tiro e Queda
  • 1962 - O Pagador de Promessas
  • 1962 - Balanço de Orfeu
  • 1962 - Yerma
  • 1961 - Inimigos Íntimos
  • 1961 - Boca de Ouro
  • 1961 - Código Penal, Artigo 240
  • 1961 - O Exercício para Cinco Dedos
  • 1960 - Bezerro de Ouro
  • 1960 - Os Jograis de São Paulo
  • 1959 - O Santo e a Porca
  • 1959 - A Compadecida
  • 1959 - A Dama das Camélias
  • 1959 - Maria Stuart
  • 1959 - Santa Marta Fabril
  • 1958 - Interesses Criados
  • 1958 - Pedreira das Almas
  • 1958 - O Outro Lado da Rua
  • 1958 - A Morte do Caxeiro Viajante
  • 1958 - Revolução dos Beatos
  • 1957 - Rua São Luís 27 / 8º andar
  • 1957 - A Rainha e os Rebeldes
  • 1957 - As Provas de Amor
  • 1957 - Leonor de Mendonça
  • 1956 - O Diário de Anne Frank
  • 1956 - Hamlet
  • 1956 - Eurídice
  • 1955 - Está Lá Fora o Inspetor
  • 1955 - Dias Felizes
  • 1955 - O Impetuoso Capitão Tic

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Categoria Nomeações Resultado
1963 Prêmio Associação Paulista de Críticos de Teatro (APCT)[12] Melhor Ator Coadjuvante Venceu
1964 Prêmio Saci[13] Melhor Ator Coadjuvante
Pequenos Burgueses
Venceu
Prêmio Governador do Estado de São Paulo Melhor Ator Coadjuvante Venceu
Prêmio Associação Paulista de Críticos de Teatro (APCT) Melhor Ator Venceu
1965 Prêmio Revista do Globo Melhor Ator Coadjuvante Venceu
1968 Festival de Cinema de Brasília Melhor Ator Coadjuvante Venceu
1974 Troféu APCA[14] Melhor Ator de Teatro
Leonor de Mendonça
Venceu
1979 Prêmio Mambembe[15] Melhor Ator Venceu
Prêmio Ziembinski de Teatro Melhor Ator Venceu
Troféu APCA Melhor Ator de Teatro Venceu
Prêmio Molière Melhor Ator Venceu
1981 Troféu Imprensa Melhor Ator Indicado
1982 Troféu Roquette Pinto[16] Melhor Ator de Teatro
Amadeus
Venceu
1988 Prêmio Mambembe[17] Melhor Ator
O Lobo de Ray-Ban
Venceu
Prêmio Molière Melhor Ator Venceu
1991 Prêmio Shell de Teatro – SP Melhor Ator
As Boas
Venceu
1996 Prêmio TV Press Melhor Ator Venceu
Melhores do Ano Melhor Ator Indicado
1997 Prêmio Contigo! de TV Melhor Ator Venceu
Troféu Imprensa Melhor Ator Venceu
Troféu APCA Melhor Ator de Televisão Venceu
1999 Melhores do Ano Melhor Ator Indicado
2000 Troféu Imprensa Melhor Ator Venceu
2002 Prêmio Arte Qualidade Brasil - SP Melhor Ator Venceu
Prêmio TV Press Melhor Ator Venceu
Prêmio Master - Jornal dos Clubes[18] Conjunto da Obra Venceu
Melhores do Ano Melhor Ator Indicado
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Ator Indicado
2003 Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro Melhor Ator Coadjuvante Indicado
Prêmio Contigo! de TV Melhor Ator Venceu
Troféu Imprensa Melhor Ator Indicado
Troféu Internet[19] Melhor Ator Venceu
2005 Prêmio Contigo! de TV Melhor Ator Coadjuvante Venceu
Troféu Super Cap de Ouro[20] Melhor Ator Venceu
Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Melhor Ator Indicado
Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro Melhor Ator Indicado

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Jornal "Correio Braziliense, 19.07.2006, caderno Brasil, pág. 13;
  1. «Perfil Completo – Raul Cortez – Memória». Consultado em 13 de fevereiro de 2022 
  2. «Raul Cortez – Papo de Cinema». Consultado em 13 de fevereiro de 2022 
  3. «Bissexual, fama tardia e contra novelas: 10 Segredos de Raul Cortez.». TV História. 31 de julho de 2021. Consultado em 4 de agosto de 2021 
  4. Ator Raul Cortez, 73, morre vítima de câncer em São Paulo. Ilustrada, Folha de S.Paulo, 18/07/2006
  5. «IG, Último Segundo». Consultado em 5 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 19 de janeiro de 2008 
  6. Senhora do Destino no Memória Globo
  7. «Teledramaturgia - A, E, I, O... Urca». Teledramaturgia.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  8. Cinemateca Brasileira, O Pão que o Diabo Amassou [em linha]
  9. «Desesperato». Cinemateca Brasileira. Consultado em 23 de dezembro de 2021 
  10. «O Seminarista». Cinemateca Brasileira. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  11. Cinemateca Brasileira, Vera [em linha]
  12. YERMA . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: "Yerma". Acesso em: 02 de Ago. 2020
  13. PEQUENOS Burgueses. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: [http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento392380/pequenos-burgueses "Pequenos Burgueses". Acesso em: 02 de Ago. 2020
  14. LEONOR de Mendonça. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: Leonor de Mendonça. Acesso em: 02 de Ago. 2020
  15. QUEM Tem Medo de Virgínia Woolf?. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: Site Acesso em: 02 de Ago. 2020
  16. AMADEUS . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: "Amadeus". Acesso em: 02 de Ago. 2020
  17. O Lobo de Ray-Ban. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: Site. Acesso em: 02 de Ago. 2020
  18. Prêmio Master
  19. Redação Babado (26 de março de 2003). «Vencedores do prêmio Internet 2002 receberão troféu das mãos de Jackeline Petkovic». IG. Babado. Consultado em 26 de julho de 2017 
  20. «Troféu Super Cap de Ouro :: TV - Premiações Artísticas». tv-premiacoes-artisticas.webnode.com. Consultado em 25 de janeiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Raul Cortez

Precedido por
Sady Cabral
por O Matador
Troféu Candango de Melhor Ator Coadjuvante
por Capitu

1968
Sucedido por
Jardel Filho
por Macunaíma