Flávio Migliaccio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flávio Migliaccio
Flávio Migliaccio
Nascimento 26 de agosto de 1934 (84 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação ator, produtor, diretor e roteirista
IMDb: (inglês)

Flavio Migliaccio (São Paulo, 26 de agosto de 1934) é um ator, produtor e diretor brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Flávio Migliaccio nasceu na cidade de São Paulo, no bairro do Brás. É um dos filhos de uma família de dezessete irmãos, entre eles a atriz e comediante Dirce Migliaccio, já falecida.[2]

Casado com Ivone Miglliaccio, e pai do jornalista Marcelo Miglliaccio, Flávio Migliaccio iniciou atuando em peças de teatro na periferia de São Paulo, onde logo descobriu a sua veia cômica. Participou de um grupo de teatro da igreja de Tucuruvi onde ficou três anos, até chegar a ator principal e diretor. Como precisava ganhar dinheiro, no entanto, teve que arrumar outras ocupações, trabalhando como balconista e mecânico. Em 1954, depois de fazer o curso de teatro do diretor italiano Ruggero Jacobbi, Flávio começou sua carreira de ator profissional no Teatro de Arena. O seu primeiro papel foi o de um cadáver, na peça Julgue você.[3]

Flávio é muito conhecido pelo seu papel de Xerife na série de TV brasileira Shazan, Xerife e Cia., e pelo papel de Tio Maneco, na série exibida pela TVE. Na Rede Globo pôde ser visto com grande destaque nas novelas Rainha da Sucata, Perigosas Peruas, A Próxima Vítima, Vila Madalena, Senhora do Destino e Passione, entre muitas outras, sempre atuante até a atualidade. É um dos atores do "elenco fixo" da Rede Globo mais solicitados ao longo dos anos. Foi membro do elenco e redator dos principais e mais famosos programas humorísticos de sucesso da emissora. Também é chargista, sempre retratando com bom humor crítico, em seus desenhos, a realidade social e política de nosso país. Seus "traços" são peculiarmente inconfundíveis. Paulista, de ascendência portuguesa e italiana, tem residência fixa no Rio há muitos anos, e adotou a pequena cidade de Rio Bonito, no interior fluminense, como sua. Flávio é um incansável e eterno "criador", irrequieto, nunca para, e desenvolveu e continua a desenvolver suas "obras", principalmente as teatrais, com suas "próprias mãos" (literalmente), em cada detalhe, desde o texto, passando pelo cenário, figurino e direção. Polivalente, perfeccionista e incansável. Nunca se dá por satisfeito com o que, pra muitos, já estaria mais do que perfeito. Características estas, que puderam ser bem observadas e aplaudidas, por público e crítica especializada, em particular, na peça escrita, montada, dirigida e atuada por ele e coadjuvada por sua saudosa irmã, a grande atriz Dirce Migliaccio, "Os Ratos do Ano 2030". Na trama, que foi montada no Teatro Enriqueta Brieba (entre 98 e 99), e teve sua estreia oficial ao público em 2000, no Espaço Cultural dos Correios, no centro do Rio de Janeiro, os personagens viviam na história, numa realidade de ficção, no ano de 2030. Além do texto, roteiro e enredo emocionantes e envolventes, o que chamou a atenção neste espetáculo, foi o cenário futurístico, misturando "sucata e tecnologia", num mundo governado por um grupo mafioso, onde parte da população, trabalhava em fábricas deste sistema, e quem fosse demitido, estava fadado a viver nos subterrâneos e perseguidos, como "ratos". Este cenário fantástico, feito de sucata e tecnologia de verdade, foi totalmente concebido por ele! Coisas que somente os gênios conseguem realizar. A peça ainda participou de uma "Caravana Cultural", fazendo turnê pelas cidades de Nova Friburgo, Itaguaí e finalizando em Campos dos Goitacazes, no interior do RJ. Ainda fez, antes desta, uma segunda estréia na sua cidade de coração, Rio Bonito. Flávio, com certeza, é um dos artistas mais completos de nossa arte, cultura, dramaturgia e teledramaturgia. É também um incansável defensor e combatente pela causa da preservação da natureza.

Um de seus trabalhos recentes foi no seriado Tapas & Beijos, como seu Chalita[4].

Teatro[editar | editar código-fonte]

Principais peças:[3]

  • A Revolução na América do Sul, de Augusto Boal
  • Eles não usam black-tie, de Gianfrancesco Guarnieri
  • Chapetuba Futebol Clube, de Oduvaldo Vianna Filho
  • 1999 - Os Ratos do Ano 2030
  • Pintando de Alegre, autoria própria
  • 2011/2012 - O Criador de Monstros, com João Gabriel Balbi

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Emissora
1958-1959 Grande Teatro Tupi Rede Tupi
1972 O Primeiro Amor Xerife Rede Globo
Shazan, Xerife e Cia.
1974 Corrida do Ouro Sérgio
1975 O Grito Osvaldo
1976 Duas Vidas Túlio
O Casarão Coringa
1977 O Astro Nestor da Silva (Neco)
1978 As Aventuras com Tio Maneco Manuel (Tio Maneco)
1979 Pai Herói Genésio Camargo
1980 Chega Mais Taxista, Amigo de seu Souza
1981 Viva o Gordo
1982 Chico Anysio Show
1983 Parabéns pra Você Valdir
1989 O Salvador da Pátria Nilo Assunção
1990 Rainha da Sucata Osvaldo Moreiras (Seu Moreiras)
1991 O Sorriso do Lagarto Cornélio
1992 Perigosas Peruas Venâncio Falcão
1992 Você Decide 5 Episódios (1992-1999)
1994 Incidente em Antares Gerônico Albuquerque (Padre Gerônico)
1995 A Próxima Vítima Vitório Giovanni (Vitinho)
Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados Piragibe Sandini (Comissário Piragibe)
1996 Quem É Você ? Seu Jacinto
1996 Caça Talentos Jazão
1997 O Amor Está no Ar Peninha
Sai de Baixo Pestana (Eps: "Quem Não Tem Cão Casa com Gato")
1998 Era uma Vez... Xerife
1998-1999 Torre de Babel Caju
1999 Chiquinha Gonzaga Vaga-Lume
Vila Madalena Ângelo Xavier
2001 As Filhas da Mãe Barnabé
2001 Brava Gente Anquilostom
2002 Pastores da Noite Alonso
2004 Sítio do Picapau Amarelo Iaú
Clara e o Chuveiro do Tempo Vô Teodoro
Senhora do Destino Jacques Pedreira (Seu Jacques)
2005 América Velmiro
2006 Clara e o Chuveiro do Tempo
2006 Sítio do Picapau Amarelo Eremita
2007 Sete Pecados Nino de Souza
Duas Caras Jacques Pedreira (Seu Jacques)
2008 Casos e Acasos Olavo
2009 Caminho das Índias Karan Ananda
Chico e Amigos Antônio
2010 Passione Fortunato da Silva
2011 Tapas & Beijos Seu Chalita Al Aragón (2011-2015)
2016 Êta Mundo Bom! Josias da Conceição (Seu Josias)[5]
2018 Malhação: Vidas Brasileiras Roberto Santos (participação especial)[6]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Eduardo Giffoni Flórido. As grandes personagens da história do cinema brasileiro: 1970-1979. Fraiha; 2006. ISBN 978-85-85989-25-5. p. 60.
  2. EStadão.com, Morre no Rio, aos 75, a atriz Dirce Migliaccio, 22 de setembro de 2009
  3. a b c d CARAS, Perfil - Flavio Migliaccio
  4. [1]
  5. Gshow (27 de novembro de 2015). «Veja o elenco da nova novela das 6, 'Êta Mundo Bom!'». TV - Gshow. Consultado em 14 de dezembro de 2015. 
  6. Carla Bittencourt (19 de maio de 2018). «Flávio Migliaccio fará participação em 'Malhação'». Extra. Consultado em 19 de maio de 2018. 
  7. Marília Pera; Flávio de Souza. Vissi d'arte. Escrituras; ISBN 978-85-86303-39-5. p. 386.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.