Ediouro Publicações

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ediouro)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

A Ediouro ou Ediouro Publicações (antigas Edições de Ouro[1] e Editora Tecnoprint)[2] é uma editora e um grupo editoral (“Empresas Ediouro Publicações”) brasileiro e foi proprietária da rede de livrarias Curió.

A Empresa[editar | editar código-fonte]

Enquanto o mundo caminhava para uma de suas mais traumáticas experiências, a 2ª Guerra Mundial, os irmãos Jorge e Antonio Gertum Carneiro chegavam ao Rio de Janeiro, vindos de Porto Alegre, e fundavam a Publicações Pan Americanas, importadora de livros e papel vegetal e agenciadora de assinaturas de revistas estrangeiras. Pouco tempo depois, juntou-se a eles Fritz Israel Mannheimer, que havia imigrado da Alemanha. Como a guerra tornava difícil as importações para a Empresa, sócios-fundadores apontaram para uma solução vitoriosa: a tradução e edição de livros técnicos. Com a ampliação das atividades e novos investimentos, a Publicações Pan Americanas passou a se chamar Editora Gertum Carneiro S.A. Nessa época surgiram os livros de bolso, as vendas por reembolso postal e a revista Coquetel. A expansão do parque gráfico trouxe tanto sucesso que, em 1961, houve a fusão da editora com a gráfica. O crescimento, aliado à qualidade editorial, gerou a EDIÇÕES DE OURO.

Ediouro Livros[editar | editar código-fonte]

A Ediouro tem um catálogo de vários títulos formada sobretudo clássicos estrangeiros como Ivanhoé, O Barão de Munchausen e coletâneas de contos de Edgar Alan Poe.

Em 2002, a Ediouro adquiriu a Editora Agir, uma das mais tradicionais do país. Assim, agregou a seus 3.500 títulos ao catálogo, dos quais 600 clássicos, importantes obras. Dentre elas estão livros de grandes autores brasileiros, como Ariano Suassuna e Lygia Bojunga Nunes. A Ediouro Livros atingiu a marca de mais de 2 milhões de livros de ficção e não-ficção vendidos em 2001, posicionando-se entre as maiores editoras do país. O ritmo dos lançamentos também é dinâmico: são mais de 10 títulos novos lançados por mês.

No final do ano de 2006 adquire 100% do controle acionário da Editora Nova Fronteira.

Revistas Passatempos[editar | editar código-fonte]

A Ediouro possui uma subdivisão dedicada exclusivamente à produção de passatempos. Desde 1948 publica palavras cruzadas, caça-palavras, entre outros. Possui mais de 60 títulos mensais do gênero, com diferentes tipos de dificuldade. As revistas da divisão Coquetel são vistas por especialistas como um grande incentivo ao exercício da inteligência.

A Divisão atual como syndicate, distribuindo passatempos para mais de 600 jornais brasileiros[3] [4] .

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Ediouro Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Embora já tivesse publicado séries de quadrinhos com a Coleção Assombração de 1995, organizada pelo cartunista Ota, contendo trabalhos de artistas consagrados dos quadrinhos brasileiros tais como Flavio Colin, Mozart Couto, Júlio Shimamoto entre outros[5]

Em Abril de 2005, a Editora criou o selo "Ediouro Quadrinhos"[6] , pelo selo foram lançados Star Wars (histórias criadas pela Dark Horse)[7] , o italiano Nathan Never, os franco-belgas Aquablue[8] e Arthur - Uma epopeia celta[9] e mangá holandês Quark[6] , o editor responsável era Rodrigo Fonseca que escrevia sobre quadrinhos no Jornal do Brasil[7] . O selo não foi pra frente e acabou sendo cancelado[9] , em 2009 os Quadrinhos de Star Wars voltaram a ser publicados no Brasil, desta vez pela On Line Editora[10] .

Pixel Media[editar | editar código-fonte]

Em Fevereiro de 2006, a Futuro Comunicação (criada pelo jornalista André Forastieri, ex-Conrad Editora)[9] se uniu a Ediouro num novo selo de Quadrinhos: "Pixel Media"[11] . A Pixel publicou Corto Maltese, Spawn[12] , Vertigo, Wildstorm, America's Best Comics entre outros[9] . Em Setembro de 2006, a Ediouro cogitou retirar da Panini o licenciamento da DC Comics, afinal já possuia os direitos de publicação de 3 selos da editora (Vetigo, Wildstorm e America's Best Comics)[12] A Futuro Comunicação de André Forastieri desfaz a parceira com a Ediouro e a Pixel passar pertencer apenas a Ediouro[13] .

Em Julho de 2008 demonstrou interesse em compra a Conrad Editora, porém desistiu da negociação três meses depois[13] . Ainda em 2008, a Pixel Media recebe o Troféu HQ Mix como editora de quadrinhos do ano. Em Abril de 2009, a Ediouro cancela seu contrato com a DC Comics[14] Os títulos dos selos Vertigo e Wildstorm que voltariam as bancas pela Panini em Outubro do mesmo ano[15] .

Com o sucesso de Turma da Mônica Jovem, o selo contrata o estúdio Labareda Design[16] , o roteirista Renato Fagundes[17] , e as estilistas Glória Kalil e Daniela Conolly[18] para criarem uma versão mangá/adolescente da Turma da Luluzinha, então em Junho de 2009 surge o título Luluzinha Teen e sua Turma[19] .

A Editora usa o nome Ediouro em títulos adultos, como álbum "Chico Xavier em Quadrinhos" publicado em 2009, escrito por Franco de Rosa e ilustrado por Rodolfo Zalla[20] .

Em Março de 2011, a editora publicou uma nova revista, trazendo as histórias originais da Luluzinha[21] . Em Março de 2012, lança uma revista mix em formatinho do Recruta Zero de Mort Walker, a revista é composta de tiras do Recruta Zero, Hagar, o horrível de Dik Browne, entre outras criações de ambos os autores (incluindo até mesmo uma tira criada em conjunto Zezé e Cia)[22] . Em Agosto de 2012, durante a Bienal do Livro de São Paulo, foram lançadas revistas dos personagens Popeye, Gasparzinho e Riquinho[23] .

Em janeiro de 2013, continuando com a publicação de clássicos, a Pixel trouxe de volta às bancas a revista do Brasinha [24] .

Editoras do grupo[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1] Portal Ediouro.
  2. Perry Rhodan no Brasil (em português) Omelete (10 de Dezembro de 2003). Visitado em 01/05/2010.
  3. Josué Machado. (Outubro 2011) "Palavras Cruzadas". Revista Língua Portuguesa (72).
  4. Gonçalo Junior. A guerra dos gibis: A formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos, 1933-1964.. [S.l.]: Companhia das Letras, 2004. 116 p. ISBN 8535905820
  5. Marcus Ramone (09/01/2004). A trajetória das HQs de terror no Brasil Parte 2 - E vieram os anos 90 Universo HQ.
  6. a b Érico Borgo (20 de Julho de 2005). Quark: Mangá futurista nas bancas Omelete.
  7. a b Fabrício Grellet (23 de Março de 2005). Quadrinhos de Star Wars no Brasil pela Ediouro Omelete.
  8. Marcelo Naranjo, sobre o press release (25/04/05). Star Wars: Obsessão, da Ediouro, nas bancas Universo HQ.
  9. a b c d Sidney Gusman (27/04/09). Oficial: Ediouro rescindiu contrato com a DC Comics.
  10. André Craveiro. Star Wars #1 Universo HQ.
  11. Aqui Dentro - Os lançamentos de HQs no Brasil Omelete (27 de Fevereiro de 2006).
  12. a b Érico Borgo (14 de Setembro de 2006). DC Comics vai mudar de editora no Brasil Omelete.
  13. a b Sidney Gusman (22/09/08). Ediouro desiste de comprar a Conrad Universo HQ.
  14. Sidney Gusman (27/04/09). Oficial: Ediouro rescindiu contrato com a DC Comics Universo.
  15. Marcelo Naranjo (24/08/09). Panini anuncia que publicará os selos Vertigo e Wildstorm Universo HQ.
  16. Marcelo Naranjo (01/06/09). Confira a capa do primeiro número de Luluzinha Teen Universo HQ.
  17. Érico Assis (10 de Junho de 2009). Blogs dos EUA criticam Luluzinha Teen Omelete.
  18. Nova temporada de Luluzinha Teen e sua Turma chega às lojas R7 (08/10/2009).
  19. Lançamentos de Junho de 2009 Universo HQ.
  20. Andréa Pereira (29/06/2009). Chico Xavier em quadrinhos pela Ediouro HQManiacs.
  21. Marcus Ramone (01/02/2011). Luluzinha clássica de volta aos gibis mensais coloridos Universo HQ.
  22. Marcelo Naranjo (28/02/2012). Revista da Pixel com Recruta Zero e outras tiras clássicas está nas bancas Universo HQ.
  23. Carlos Costa sobre release (07/08/2012). Popeye, Riquinho e Gasparzinho pela Pixel HQManiacs.
  24. E. Rodrigues (02/01/2013). título=Pixel traz BRASINHA de volta Título não preenchido, favor adicionar Planeta Gibi.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]