Fernando Lucas Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fernando
Fernando
Fernando em 2022
Informações pessoais
Nome completo Fernando Lucas Martins
Data de nasc. 3 de março de 1992 (30 anos)
Local de nasc. Erechim, Rio Grande do Sul, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,75 m
destro
Informações profissionais
Clube atual Antalyaspor
Número 20
Posição volante
Clubes de juventude
2001–2010 Grêmio
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2009–2013
2013–2015
2015–2016
2016–2019
2019–2021
2022–
Grêmio
Shakhtar Donetsk
Sampdoria
Spartak Moscou
Beijing Guoan
Antalyaspor
00140 000(11)
00047 0000(3)
00038 0000(4)
00098 000(12)
00026 0000(4)
00018 0000(4)
Seleção nacional
2009
2011
2012–2013
Brasil Sub-17
Brasil Sub-20
Brasil
00003 0000(0)
00017 0000(0)
00008 0000(0)
Medalhas
Sul-Americano Sub-17 de 2009
Ouro Sul-Americano Sub-17 2009
Sul-Americano Sub-20 de 2011
Ouro Sul-Americano Sub-20 2011
Mundial Sub-20 de 2011
Ouro Mundial Sub-20 2011

Fernando Lucas Martins (Erechim, 3 de março de 1992) é um futebolista brasileiro que atua como volante. Atualmente joga no Antalyaspor, da Turquia.

O jogador ficou famoso no Brasil após o "Caso Robson", quando pediu para seu motorista levar um remédio para seu sogro, na Rússia, onde Fernando atuava. Porém, o remédio era proibido pela lei russa, e o motorista foi preso por tráfico internacional de drogas. Em suas redes sociais, Fernando afirmou ter arcado com todos os gastos da defesa de Robson, que tornou-se assunto diplomático entre os governos do Brasil e da Rússia.[1][2][3]

É conhecido por ser um "especialista defensivo", um volante "que rouba muitas bolas", que possui "uma grande saída de bola" e cuja "colocação é seu ponto forte".[4] Em estudo publicado pela Pluri Consultoria em maio de 2013, Fernando foi avaliado como o 10º jogador mais valioso do Brasileirão 2013.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Fernando começou jogando nas categorias de base do Juventude, junto com o meia Zezinho. Paulo Pelaipe foi até Caxias para trazer ao Olímpico Zezinho, mas, ao observar os treinos do Ju, viu o volante se destacando e resolveu levar o garoto a Porto Alegre. Oriundo das categorias de base do Grêmio, o jovem Fernando subiu para o elenco principal após ser Campeão Brasileiro Sub-20 de 2009 pelo tricolor gaúcho. Ele foi apontado como um dos principais jogadores da conquista que sagrou o Grêmio bicampeão da categoria. Desde cedo era notório seu desenvolvimento nas competições de base do clube gremista, destacando-se pela marcação forte, chute potente e preciso, além da boa saída de jogo. É especialista em cobranças de falta.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

2009[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de junho de 2009 fez sua estreia nos profissionais do Grêmio pelo Campeonato Brasileiro, entrando no segundo tempo no lugar de Hélder. A partida foi contra o Sport e terminou 3 a 1 para a equipe rubro-negra na Ilha do Retiro, em Recife, sendo os gols marcados pelos meias Fabiano e Fumagalli e pelo lateral Élder Granja para o time pernambucano, e do atacante Jonas para o time gaúcho. Foi o único jogo do volante, que tinha apenas 17 anos em 2009.[6]

2010[editar | editar código-fonte]

Em 2010, com a contratação do novo treinador, Silas, Fernando recebeu mais oportunidades, marcou seu primeiro gol como profissional na vitória por 3 a 1 contra o Esporte Clube Internacional de Santa Maria, válido pela 3º rodada do segundo turno do Campeonato Gaúcho de 2010, competição que o Grêmio sagrou-se campeão. Fernando atuou em seis partidas. Jogou uma partida na Copa do Brasil, vitória por 3 a 0 contra o Votoraty. Já no Campeonato Brasileiro, Fernando atuou em 11 partidas, nas rodadas 2, 4, 5, 7 e 11 com o técnico Silas, e nas rodadas 14, 15, 16, 24, 25, 27 com o treinador Renato Gaúcho. Em apenas duas foi titular, nas vitórias contra Atlético Mineiro e Vitória, ambas fora de casa.

2011[editar | editar código-fonte]

A temporada de 2011 começou de forma diferente para o jovem volante; de 16 de janeiro a 12 de fevereiro, Fernando participou da conquista do Campeonato Sul-Americano Sub-20, sendo titular e destaque na campanha. Na volta para Porto Alegre, acabou ficando na reserva dos experientes Fábio Rochemback e Adílson, mas mesmo sendo reserva participou de quatro jogos da Libertadores. No Campeonato Brasileiro, sob comando do treinador Renato Gaúcho, Fernando recebeu poucas oportunidades. Participou de cinco jogos no primeiro turno, nas rodadas 2, 3, 4, 6 e 11 e 19. Com a demissão de Renato, o Grêmio apostou no inexperiente Julinho Camargo, porém o novo treinador ficou apenas um mês no comando e deu lugar ao veterano Celso Roth. Fernando, que havia voltado da conquista do Mundial Sub-20, mais uma vez como destaque, recebeu a chance para ser titular no clássico Grenal, válido pela 19º rodada do Campeonato Brasileiro. O Grêmio venceu o jogo por 2 a 1 e Fernando firmou-se como titular no lugar de Adílson. No segundo turno do Brasileirão, Fernando esteve presente na rodadas: 20, 21, 22, 23, 24, 25, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 34, 35, 36 e 38. Na 34º rodada marcou seu primeiro gol na competição, um belo chute de fora da área no fim do jogo contra o Palmeiras, garantindo o empate por 2 a 2.[7]

2012[editar | editar código-fonte]

Neste ano, Fernando destacou-se como um volante de muita marcação e de muita confiança do técnico Vanderlei Luxemburgo. Fez dupla de volantes com Souza, sendo apontado como um dos principais jogadores da equipe gaúcha, que terminou o Brasileirão 2012 na terceira colocação, garantindo a participação na Libertadores 2013. Esta foi a segunda oportunidade de Fernando jogar a principal competição Sul-Americana, sendo a primeira em 2011. O volante terminou o ano marcando seis gols, sendo dois em cobranças de falta.

2013[editar | editar código-fonte]

Com grandes atuações pelo Grêmio e frequentes convocações para a Seleção Brasileira, grandes clubes europeus demonstraram no jovem volante, dentre eles o Real Madrid.[8] No dia 14 de maio esteve na lista de convocados para a Copa das Confederações.[9]

Shakhtar Donetsk[editar | editar código-fonte]

Durante a preparação da Seleção Brasileira para a Copa das Confederações, Fernando publicou uma foto em seu Instagram revelando o acerto com o Shakhtar Donetsk. Vendido por 10 milhões de euros (31,5 milhões de reais), assinou contratou de cinco anos com a equipe ucraniana.[10]

Sampdoria[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de julho de 2015, acertou com a Sampdoria.[11]

Spartak Moscou[editar | editar código-fonte]

Após uma temporada no clube italiano, no dia 18 de julho de 2016 foi contratado pelo Spartak Moscou, da Rússia, por 12 milhões de euros.[12] No dia 4 de maio de 2019, marcou o gol que garantiu a vitória do Spartak sobre o Ural, por 1 a 0, pela Premier League Russa.[13]

Foi atuando nesse clube onde o jogador deu um golpe em um funcionário, deixando-o pagar por um crime do sogro, segundo reportagem do programa Esporte Espetacular, da Rede Globo. No dia 30 de julho de 2019, Fernando foi contratado pelo Beijing Guoan, da China.[14] Ele deixou, assim, o funcionário preso e sem apoio jurídico para enfrentar a justiça russa. Esse supramencionado funcionário pode pegar mais de 20 anos de cadeia.[15]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Sub-20[editar | editar código-fonte]

Foi convocado por Ney Franco para a Seleção Brasileira Sub-20 que disputou o Campeonato Sul-Americano de 2011 no Peru, que garantia vaga para duas Seleções nas Olimpíadas de Londres em 2012. O Brasil foi campeão do torneio, sendo Fernando titular no hexagonal final da competição. A outra Seleção agraciada com a vaga foi o Uruguai, que perdeu a final para o Brasil por 6 a 0. Fernando não marcou nenhum gol no campeonato, mas recebeu diversos elogios da mídia especializada e até do próprio Ney Franco,[16][17] que após a partida contra a Seleção Equatoriana se rendeu ao bom futebol do volante:

Principal[editar | editar código-fonte]

Com boa fase no Grêmio, a convocação de Fernando para a Seleção Brasileira foi natural, tendo sido convocado por Mano Menezes para o Superclássico das Américas de 2012 contra a Argentina. Acabou ficando no banco na partida de ida, e para a partida de volta em Buenos Aires, Mano Menezes não convocou jogadores de Grêmio e São Paulo, que na época eram as únicas equipes brasileiras na Copa Sul-Americana. Menos de um mês depois, foi convocado para os amistosos contra o Iraque e o Japão, e foi contra a Seleção Iraquiana que fez sua estreia, entrando no lugar de Paulinho. Na partida contra o Japão acabou não entrando. Com a troca de comando na Seleção Brasileira,[18] Fernando voltou a ser convocado para os dois jogos mais importantes antes da convocação para a Copa das Confederações de 2013, contra Itália e Rússia. Atuou os 90 minutos nas duas partidas e recebeu elogios não apenas do técnico Luiz Felipe Scolari, mas também da mídia, inclusive estrangeira.[19]

Caso Robson[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de setembro de 2019, o programa Esporte Espetacular, da TV Globo, exibiu uma reportagem sobre um problema particular envolvendo o jogador Fernando, sua esposa Raphaela, seus sogros e um casal de funcionários que foram contratados no início de 2019 para trabalhar para a família de Fernando na Rússia, onde o jogador morava e jogava até então. Acontece que na chegada do casal de funcionários à capital russa, eles foram parados pela polícia ao desembarcar e foram revistados juntamente com suas malas; dentro delas encontraram remédios solicitados pelo sogro de Fernando, porém os remédios foram apreendidos por serem proibidos de serem comercializados no país. No relato do inquérito, a polícia atribuiu os remédios como sendo de Robson Oliveira. Passaram-se alguns meses e a justiça russa decretou a prisão de Robson Oliveira por tráfico de drogas, em virtude de não só transportar um remédio proibido no país, mas também em grande quantidade.[20] Fernando e Raphaela participaram como testemunhas do caso segundo relatos, porém não mencionaram que os remédios seriam para o pai de Raphaela. Os sogros de Fernando viajaram de volta para o Brasil uma semana depois que Robson foi preso.[15]

Em um post nas suas redes sociais, Fernando afirmou não saber da proibição dos medicamentos na Rússia e que, desde o começo das investigações, arcou com os gastos da defesa de Robson. Depois de dois anos preso na Rússia, Robson voltou ao Brasil, o que segundo o jogador foi tratado como uma questão diplomática pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Onyx Lorenzoni.[3] De acordo com Fernando, os jornalistas que noticiaram sua omissão em relação à prisão do funcionário agiram unicamente em nome de interesses financeiros e para a desinformação.[3]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 23 de setembro de 2013

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais¹
Campeonato
estadual²
Total[i]
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Grêmio 2009 1 0 1 0
2010 13 0 2 0 6 1 21 1
2011 22 1 4 0 7 0 33 1
2012 29 1 10 2 6 0 19 4 64 7
2013 1 0 1 0 9 1 8 1 19 2
Total 66 2 13 2 19 1 40 6 138 11
Shakhtar Donetsk
2013–14 9 2 1 1 4 0 15 2
Total 9 2 1 1 4 0 15 2
Total na carreira 75 3 15 3 23 1 40 6 153 13
  • i. ^ Não estão incluídos jogos e gols em amistosos e/ou jogos treino. Foram analisadas todas as súmulas de jogos oficiais do Grêmio, desde a estreia de Fernando no time profissional em 28 de junho de 2009.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Ano
Jogos Gols
2012 1 0
2013 7 0
Total 8 0
Data Competição Local   Placar Adversário Gols
1 11 de outubro de 2012 Amistoso Malmö (SUE) Brasil Brasil 6 — 0 Flag of Iraq.svg Iraque
2 21 de março de 2013 Amistoso Genebra (SUI) Brasil Brasil 2 — 2 Flag of Italy.svg Itália
3 25 de março de 2013 Amistoso Londres (ING) Brasil Brasil 1 — 1 Flag of Russia.svg Rússia
4 24 de abril de 2013 Amistoso Belo Horizonte (BRA) Brasil Brasil 2 — 2 Flag of Chile.svg Chile
5 2 de junho de 2013 Amistoso Rio de Janeiro (BRA) Brasil Brasil 2 — 2 Flag of England.svg Inglaterra
6 9 de junho de 2013 Amistoso Porto Alegre (BRA) Brasil Brasil 3 — 0 França França
7 22 de junho de 2013 Copa das Confederações Salvador (BRA) Brasil Brasil 4 — 2 Flag of Italy.svg Itália
8 14 de agosto de 2013 Amistoso Basileia (SUI) Brasil Brasil 0 — 1 Flag of Switzerland.svg Suíça

Gols pelo Grêmio[editar | editar código-fonte]

Expanda a caixa de informações para conferir todos os gols do jogador pelo Grêmio

Gols pelo Shakhtar Donetsk[editar | editar código-fonte]

Expanda a caixa de informações para conferir todos os gols do jogador pelo Shakhtar Donetsk

Títulos[editar | editar código-fonte]

Grêmio
Shakhtar Donetsk
Spartak Moscou
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Fernando admite que remédio levado para Rússia era para seu sogro». Esporte Espetacular. 8 de setembro de 2019. Consultado em 5 de setembro de 2020 
  2. «Caso Robson: Fernando já admitiu que remédios eram para sogro e pediu para não ser julgado». LANCE!. 12 de janeiro de 2021. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  3. a b c «Fernando: Induziram as pessoas a acreditar que Robson foi abandonado». UOL. 5 de maio de 2021. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  4. Carlos Capio (6 de abril de 2013). «Los relevos de Xabi Alonso» (em espanhol). MARCA. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  5. «Ranking dos 25 jogadores mais valiosos do Brasileirão» (PDF). Pluri Consultoria. 24 de maio de 2013. Consultado em 9 de maio de 2013. Arquivado do original (PDF) em 16 de junho de 2013 
  6. «Sport bate o Grêmio na Ilha do Retiro e deixa a lanterna do Brasileirão». GloboEsporte.com. 28 de junho de 2009. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  7. Alexandre Alliatti (13 de novembro de 2011). «Grêmio busca empate e mantém Palmeiras ameaçado no Brasileirão». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de julho de 2022 
  8. «Gremista é especulado como substituto de Xabi Alonso no Real». Terra. 6 de abril de 2013. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  9. «Felipão anuncia a lista sem Kaká e Ronaldinho; Bernard é a surpresa». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2013. Consultado em 26 de julho de 2022 
  10. «Shakhtar confirma Fernando por cinco temporadas: R$ 31,5 milhões». GloboEsporte.com. 13 de junho de 2013. Consultado em 26 de julho de 2022 
  11. «Fernando, ex-Grêmio, é mais um a deixar o Shakhtar e vai para Sampdoria». GloboEsporte.com. 2 de julho de 2015. Consultado em 26 de julho de 2022 
  12. «Ex-Grêmio e Seleção, volante Fernando é contratado por time russo». Gazeta Esportiva. 18 de julho de 2016. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  13. «Ex-Grêmio, Fernando marca e garante vitória do Spartak na Rússia». UOL. 4 de maio de 2019. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  14. «Spartak confirma venda de Fernando, e Grêmio deve receber mais de R$ 4 milhões». GaúchaZH. 30 de julho de 2019. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  15. a b Leslie Leitão e Marcelo Courrege (1 de setembro de 2019). «Sonho desmorona: contratado para trabalhar com jogador, brasileiro está preso na Rússia». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  16. «Ney Franco elogia volante e espera dureza no hexagonal». Estadão. 26 de janeiro de 2011. Consultado em 26 de julho de 2022 
  17. «Ney Franco diz que volante do Grêmio deu "aula de futebol" contra Equador». R7. 26 de janeiro de 2011. Consultado em 26 de julho de 2022. Arquivado do original em 30 de janeiro de 2011 
  18. Alexandre Alliatti e Vicente Seda (29 de novembro de 2012). «Marin explica veto a Guardiola, elogia brasileiros e anuncia Felipão e Parreira». GloboEsporte.com. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  19. Matt Jones (25 de março de 2013). «Brazil Scouting Report: Brazil and Gremio Starlet Fernando» (em inglês). Bleacher Report. Consultado em 21 de agosto de 2020 
  20. «Justiça russa condena Robson a 3 anos de prisão». Terra. 9 de dezembro de 2020. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  21. «Inter e Caxias dominam seleção do Gauchão. Grêmio tem um nome». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2012. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 
  22. «Seleção do Gauchão escolhe D'Alessandro como craque e Filipinho como revelação». GaúchaZH. 6 de maio de 2013. Consultado em 2 de fevereiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]