Malmo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Malmö)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Malmo (desambiguação).
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Malmo
De cima da esquerda para a direita: Turning Torso, Castelo de Malmo, Escultura de um Grifo, Kronprinsen e a a ponte do Øresund.
De cima da esquerda para a direita: Turning Torso, Castelo de Malmo, Escultura de um Grifo, Kronprinsen e a a ponte do Øresund.
Brasão oficial de Malmo
Brasão
Lema: "Mångfald, Möten, Möjligheter
(Diversidade, Reuniões, Possibilidades)
"
Malmo está localizado em: Suécia
Malmo
Localização de Malmo ( Suécia)
Coordenadas 55° 35' N 13° 2' E
País  Suécia
Província Escânia
Prefeito Ilmar Reepalu (Partido Operário Social-Democrata da Suécia)
Área  
  Total 158.4 km²
    Terreno   157 km²
    Água   1,5 km²
  Urbana 77 km²
  Metropolitana 2,522 km²
População  
  Cidade (2015/2016) 326 645[1]
    Densidade   3651/km²
  Urbana 301 706[2]
Website: www.malmotown.com

Malmo[3] (IPA: málmø:) é uma cidade da Suécia, capital da comuna homônima e capital da província de Escânia. Em 2006 contava com uma população de 326 645 habitantes (605 000 na região metropolitana, incluindo a cidade de Lund), sendo deste modo a terceira cidade mais populosa do país. O estreito de Öre (Öresund) separa esta cidade da cidade de Copenhaga, na Dinamarca.

Em termos económicos, Malmo é um porto exportador de lacticínios, produtos agrícolas, químicos e florestais e importador de combustíveis e maquinaria. A cidade possui indústrias de construção naval, cerveja, açúcar, maquinaria, têxteis, fosfatos, cimento, etc. Foi uma das primeiras e mais industrializadas cidades da Suécia.

Malmo foi importante porto da Liga Hanseática. Os principais monumentos a visitar nesta cidade são a fortaleza de Malmo, o edifício da Câmara Municipal e a igreja gótica de São Pedro, construída no século XIV.

História[editar | editar código-fonte]

Malmo foi provavelmente fundada no que era então a Dinamarca, no ano de 1275, como cais fortificado ou ancoradouro do Arcebispado de Lund, situado a cerca de 20 km a nordeste. Durante vários séculos, foi a segunda maior cidade da Dinamarca. O seu nome original era Malmhaug (escrito de diversas formas), que significa "monte de areia".

No século XV, Malmo tornou-se na maior cidade da Dinamarca, com uma população aproximada de 5000 habitantes. Tornou-se a cidade mais importante em torno do Öresund, sendo a Liga Hanseática frequentadora habitual como parceira mercantil, e notável pela pesca de arenque.

Igreja gótica de São Pedro

As armas da cidade foram atribuídas pelo rei Érico da Pomerânia. Foram baseadas nas armas do próprio rei: um argento com um grifo. A cabeça do grifo foi transposta para o brasão de Malmo, e eventualmente este foi alargado a toda a província de Escânia.

Em 1434, o crescimento de Malmo forçou a construção de uma nova cidadela na praia no sul da cidade. Esta fortaleza, conhecida hoje em sueco como Malmöhus, obteve o seu aspecto atual apenas em meados do século XVI. Outras fortalezas foram construídas, tornando Malmo na cidade mais fortificada da Suécia, mas apenas Malmo permaneceu até aos dias de hoje.

O Luteranismo espalhou-se pela Suécia no século XVI. Malmö foi uma das primeiras cidades na Escandinávia a converter-se totalmente ao Luteranismo (1527-1529).

Fortaleza de Malmo

No século XVII, a Dinamarca entregou Skåne à Suécia em consequência do Tratado de Roskilde, assinado em 1658. No entanto, os combates não terminariam nessa altura. Em Junho de 1677, um exército dinamarquês composto por 14 000 soldados cercou Malmo durante um mês mas falhou na sua conquista.

No início do século XVIII, Malmo tinha cerca de 2 300 habitantes. No entanto, devido às guerras durante o reinado de Carlos XII e a epidemias de peste bubônica, a população diminuiu drasticamente até 1 504 habitantes (em 1728). A cidade só voltou a crescer novamente mais de 50 anos depois, quando o porto foi construído no final século XVIII. No ano 1800, Malmo tinha no total 38 054 habitantes.[4]

Malmo se beneficiou da construção da linha ferroviária do sul da Suécia (1850-1870). O porto de Kockums foi inaugurado em 1840. As novas ligações impulsionaram a indústria, que dominou a cidade nos 150 anos seguintes.

Em 1870, Malmo ultrapassou Norrköping em termos populacionais. Em 1900, Malmo tinha 60 000 habitantes.

Malmo continuou a sua expansão na primeira metade do século XX. A população aumentou até aos 100 000 habitantes em 1915 e 200 000 em 1952. O porto de Kockums era o maior empregador em Malmo, e um dos maiores estaleiros navais do mundo. Em 1971, Malmo atingiu os 265 000 habitantes, mas este número não aumentou nos 30 anos seguintes. Nos anos 70, a Suécia sofreu uma severa recessão que atingiu principalmente o setor industrial. Muitas das famílias de classe média mudaram-se para municípios vizinhos, como Vellinge e Lomma, e Malmo havia perdido 35 000 habitantes até 1985, para um total de 229 000. Entre 1990 e 1995, Malmo perdeu cerca de 27 000 empregos e estava praticamente falida. Graças a diversos projetos governamentais em anos recentes, a cidade começou a sua recuperação desde então.[4][5][6]

Geografia e clima[editar | editar código-fonte]

Malmo localiza-se a 55°35' de latitude norte e de 13°00' de longitude leste. A sua localização concede-lhe um clima mais ameno e quente que no norte da Suécia.

O clima da costa de Escânia, onde Malmo se situa, é, de acordo com a classificação climática de Köppen, temperado marítimo. Isto significa que a temperatura média está acima dos 10 °C nos meses mais quentes, e acima dos −3 °C nos meses mais frios.

Tabela climática
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Média da temperatura máxima diária (°C) 2 2 5 10 16 20 21 21 17 12 7 4 11.4
Média da temperatura mínima diária (°C) -3 -3 -1 2 7 11 13 12 10 7 3 -1 4.8
Pluviosidade média (mm) 49 30 40 38 41 52 61 58 59 57 61 58 603
Nº médio de dias de chuva 17 13 14 12 12 12 14 13 14 15 17 16 169
Fonte: World Weather Information Service

Transportes[editar | editar código-fonte]

A ponte de Öresund

A cidade faz parte da região binacional de Öresund. Desde 1 de julho de 2000, a ponte de Öresund atravessa o estreito de Öresund, ligando Malmo a Copenhaga. A ponte mede 8 km (a ligação entre as cidades mede 16 km na sua totalidade), com apoios atingindo 204,5 metros de altura. Após a abertura da ponte, muitas das linhas de ferry-boat terminaram, sendo mantida apenas a ligação a norte entre Helsingborg (Suécia) e Helsingør (Dinamarca).

Trens atravessam a ponte a cada 20 minutos, ligando Malmo ao metropolitano de Copenhague. Alguns dos trens X2000 e Intercity vão até Estocolmo, Gotemburgo e Calmar, também passando pela ponte. Estes param no aeroporto de Copenhague, que está a apenas 20 minutos de Malmo. Assim, a Ponte de Øresund, com seus quase 16 km, é a maior ponte rodoferroviária do mundo, edificada ao custo de 5,7 bilhões de dólares, pago meio a meio pelos dois países beneficiados (Suécia e Dinamarca), tendo sua inauguração contado com a presença da Rainha da Dinamarca e do Rei da Suécia[7].

Estação central de Malmo

O transporte para a Alemanha é também bastante acessível. Existe uma linha noturna de ferry-boat para Berlim desde 1909, além de ligações de trem passando também por Copenhague.

A construção de uma nova ligação ferroviária, denominada Citytunneln ("O túnel da cidade") começou em 2005. Esta passará por debaixo da estação central de Malmo e emergirá em Hyllievång, onde se ligará à ponte de Öresund. Esta construção permitirá à estação central deixar de ser um terminal e se tornar uma passagem.

Malmo é servida pelo Aeroporto de Copenhaga devido à simples ligação ferroviária, mas possui também um aeroporto próprio, o Aeroporto de Sturup. Este é hoje em dia especialmente usado por companhias "lowfare", charters e voos domésticos.

O sistema de autoestradas foi incorporado na ponte de Öresund. A via europeia E6 passa a ponte e segue a costa oeste da Suécia desde Malmo e Helsingborg até a cidade norueguesa de Kirkenes, junto ao mar de Barents. A estrada europeia E4 liga Helsingborg a Estocolmo. Estradas principais ligando Växjö, Calmar, Kristianstad, Karlskrona, Ystad e Trelleborg começam como vias rápidas em Malmo.

Município[editar | editar código-fonte]

O município de Malmö é uma unidade administrativa definida pelas suas fronteiras geográficas. Inclui a cidade de Malmo e as suas imediações.

A área urbana de Malmo (Malmö tätort, com 250 000 habitantes) consiste na parte urbana do município (incluindo Limhamn, uma cidade independente desde 1915), juntamente com a pequena cidade de Arlöv, no município de Burlöv. Ambos os municípios incluem pequenas áreas urbanas e rurais, tais como os subúrbios de Oxie e Åkarp. Malmö tätort não é o mesmo que a cidade de Malmo e é de fato o nome oficial do município; este fato é negativo até mesmo para muitos dos seus habitantes.

Malmo é o quarto município mais densamente povoado na Suécia, com 1 744 habitantes/km². Em comparação, Estocolmo tem 4 107 hab/km² e Gotemburgo 1 076 hab/km².

Governo[editar | editar código-fonte]

Câmara municipal (Rådhus)

O corpo legislativo municipal da cidade de Malmo é o Conselho Municipal, com 61 membros eleitos por representação proporcional a cada quatro anos. O Conselho elege os principais órgãos de governo: a Comissão Executiva, com 11 membros, e 8 deputados. A comissão e os deputados são liderados pela Prefeitura.

O prefeito atual é Ilmar Reepalu, eleito pelo Partido Trabalhista Social Democrata.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população de Malmo diminuiu de 265 000 habitantes em 1971 a 229 000 em 1985.[4] A partir desse ano, voltou a aumentar, tendo atingido os 265 481 habitantes (dados de 1 de janeiro de 2003). A população em 2016 era de 326 645 habitantes.[8]

27% da população tem origem imigrante. Os maiores grupos são:

Malmo é o terceiro município da Suécia com maior população imigrante, entretanto com maior porcentagem deles na população total. (dados de 2005).

Economia[editar | editar código-fonte]

Malmo

Tradicionalmente, a economia de Malmo estava ligada à construção naval, civil e industrial. A universidade de maior prestígio da região encontra-se em Lund, tendo-se associado a esta indústrias de alta tecnologia e farmacêuticas. Esta situação resultou num período financeiramente turbulento para Malmo a partir de meados dos anos 70. Entre 1990 e 1995, 27 000 empregos desapareceram e o déficit atingiu mais de mil milhões/ um bilhão de coroas suecas. Em 1995, Malmo tinha o mais alto índice de desemprego do país.[9]

Recentemente, a economia melhorou. Para esta revitalização, contribuíram fatores como a integração económica originada pela ponte de Öresund, a inauguração da Escola Superior de Malmo (Malmö Högskola) em 1998, a presença na cidade da Escola de Tecnologia de Lund (LTH) e os efeitos da integração na União Europeia.

Malmo ainda tem níveis altos de desemprego, em especial nas áreas de maior diversidade étnica e social, nas zonas leste e sul da cidade. Em 2004, a população ativa era de 63%, enquanto que em Estocolmo era de 74%, 71% em Gotemburgo e 68% em Lund.[9]

Em 2005, as maiores companhias eram:

  • Skanska (construção civil), 3 025 empregados
  • ISS Facility Service AB (limpezas, serviços hospitalares, etc), 1 725 empregados
  • Sydkraft (eletricidade), 1 025 empregados
  • Sydsvenskan (jornal), 1 025 empregados
  • Pågen (panificação), 975 empregados

O Sydsvenska Dagbladet ("diário sueco do sul") é, desde 2000, o único jornal diário de Malmo. Tem uma circulação média de 130 000 exemplares. Existem outras pequenas companhias de comunicação social. Existe ainda um sinal local da SVT para a região de Escânia e diversas rádios locais, que servem a maior parte da região.

Educação[editar | editar código-fonte]

Malmo possui a oitava maior instituição de ensino superior do país, a Escola Superior de Malmo (Malmö Högskola), com 1 300 professores e 21 000 estudantes (dados de 2003).

A universidade de Lund possui algumas das suas escolas em Malmo:

  • Academia de Arte de Malmo (Konsthögskolan i Malmö)
  • Academia de Música de Malmo (Musikhögskolan i Malmö)
  • Academia de Teatro de Malmo (Teaterhögskolan i Malmö)
  • Faculdade de Medicina (também parcialmente localizada em Lund).

A Universidade Marítima Mundial da ONU também se encontra em Malmo.

Cultura[editar | editar código-fonte]

No início do século XX, a vida cultural de Malmo era basicamente realizada através de escritores proletários como Harry Martinson. Uma descrição impressionante da cidade foi feita pelo realizador Bo Widerberg no filme Kvarteret Korpen (1963), focando a zona de Korpen com a sua dura classe trabalhadora. O filme foi nomeado para um Óscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro em 1965.

William S. Burroughs visitou Malmo nos anos 50, tendo descrito a cidade como extremamente desanimada, sem entretenimento, bares abertos ou cinemas.[6] Apesar de a Ópera de Malmo e a sala de concertos terem sido inauguradas em 1944, a vida cultural da cidade não teve um verdadeiro início senão nos anos 90.

O Centro Rooseum de Arte Contemporânea foi fundado em 1988 pelo milionário Fredrik Roos, que também era colecionador de arte. Foi construído numa antiga usina elétrica, datada de 1900, e é um dos maiores e mais conhecidos centros de arte contemporânea da Europa.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

A zona mais antiga de Malmo foi construída entre 1300 e 1600, durante o seu primeiro período de expansão. A cidade guarda deste período a disposição das ruas na zona central e algumas das casas mais antigas.

Após a recessão nos séculos seguintes, o seguinte período de expansão da cidade, em meados do século XIX, levou à construção de edifícios modernos em alvenaria. Por volta de 1945, o governo iniciou o chamado Miljonprogramm ("o programa-milhão"), com a intenção de providenciar apartamentos de baixo custo nos subúrbios das grandes cidades, e Malmo não foi exceção. Paralelamente, ocorreu a reconstrução do centro da cidade.

Recentemente, a arquitetura tornou-se mais ousada. O porto oeste (Västra Hamnen), que era o coração da indústria pesada, foi reconstruído em 2001, tornando-se praticamente o bairro da elite local. Esta zona é conhecida como Bo01 e tem como vizinho o "Turning Torso", o maior prédio da Escandinávia, que é uma estrutura espiralada com 190 metros de altura desenhada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava.[9][10] A edificação também é a segunda mais elevada (residencial) da Europa, perdendo apenas para o Triumph-Palace, em Moscou, com os seus 264m. O edifício faz um giro, uma torção de 90 graus, desde a planta térrea até a cobertura, sendo uma obra de arte e de elevada complexidade nos cálculos estruturais e na execução, ainda mais considerando que essa é uma região de ventos inclementes e temperaturas que chegam a –20 graus C[7].

Outros locais de interesse[editar | editar código-fonte]

A praia Ribersborg no porto oeste foi construída ao longo da costa de Malmo. Nesta encontra-se a Ribersborgs Kallbadhus, uma piscina ao ar livre fundada nos anos 90 do século XIX, usada todo o ano.

Turismo em Malmo[editar | editar código-fonte]

[11][12]

  • Folkets park - parque de diversões
  • Turning Torso - arranha-céu com 190 metros de altura
  • Ponte de Öresund - ponte ligando a Suécia à Dinamarca
  • Pildammsparken - parque
  • Kungsparken - parque
  • Slottsparken - parque
  • Malmöhus slott - fortaleza do século XIV
  • Teknik- och Sjöfartsmuseet - museu com submarino
  • Moderna Museet Malmö - Museu de Arte Moderna de Malmo
  • Möllevångstorget - praça com comércio popular
  • Sankt Petri kyrka - igreja do século XII
  • Rådhuset - edifício do antigo governo da cidade
  • Lilla torg - praça com casas do século XIV
  • Ribersborg - praia de areia branca
  • Aq-Va-Kul - parque de diversões aquáticas
  • Hyllie Vattentorn - cisterna de água

Eventos[editar | editar código-fonte]

Todos os anos, durante uma semana em Agosto, o Festival de Malmo (Malmöfestivalen) enche as ruas com diferentes formas de gastronomia e acontecimentos culturais.

Malmo sediou em 1992 o Festival Eurovisão da Canção, no pequenino Malmö Isstadion, e foi novamente a sede do evento em 2013, na moderna e recente Malmö Arena.

Desporto[editar | editar código-fonte]

Estádio de Malmo

O time de futebol mais popular é o Malmö FF, que compete na primeira divisão (Allsvenskan). O time teve o seu período de ouro nas décadas de 70 a 80, quando ganhou a Allsvenskan diversas vezes. Em 1979 avançou até à final da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Depois, foram alguns anos nada proveitosos até que ganhou a Allsvenskan novamente em 2004.

A segunda equipe mais popular é o Malmö Redhawks, de hóquei no gelo. Foi fundada por um milionário e subiu rapidamente ao mais alto nível nos anos 90, sendo campeã nacional em 1992 e em 1994. Entretanto, o time enfrentou sérios problemas financeiros e foi rebaixado para a segunda liga em 2004 e retornou à primeira divisão em 2008.

Malmo é a cidade natal do futebolista Zlatan Ibrahimović e da skatista profissional Sarah Meurle.

Cidades gémeas e colaborações[editar | editar código-fonte]

Malmo tem presentemente (2006) tratados de cooperação ou geminação com onze cidades. As colaborações mais próximas são com as cidades de Newcastle, Chieti e Vaasa.

Cidades gémeas[editar | editar código-fonte]

Acordos de cooperação[editar | editar código-fonte]

Murkrona.svg Malmo é uma das 134 cidades com o status histórico de cidade na Suécia.


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Malmo