Visby

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Suécia Visby

Cidade da Suécia

Sede de comuna
Capital de Condado

 
  Cidade  
Visby 9-.JPG
Localização
Visby está localizado em: Suécia
Visby
Coordenadas 57° 38' N 18° 17' E
Província Gotlândia
Condado Condado da Gotlândia
Comuna Gotlândia
Características geográficas
População total (2018) 24 309 hab.
Pix.gif Cidade Hanseática de Visby *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Visby stadtmauer.jpg
Muralhas medievais de Visby
País Suécia
Critérios iv, v
Referência 731 en fr es
Coordenadas Visby, Condado da Gotlândia
Histórico de inscrição
Inscrição 1995  (19.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Visby (em sueco: Visby; pronúncia /ˈvǐːsbʏ/; Nuvola apps arts.svg ouça a pronúncia) é uma cidade da Suécia, fundada no século X, na então independente ilha báltica de Gotlândia. Administrativamente, Visby é o local de residência do governador do condado de Gotlândia. Há também uma municipalidade sediada na cidade.[1][2]

Na Suécia atual, Visby é uma cidade de 22 593 habitantes (2011), famosa pelas suas mais de 200 casas de pedra medievais, e sobretudo pelas suas muralhas, praticamente intactas, de 3,4 km que cercam a cidade antiga. As Muralhas de Visby são chamadas de Ringmuren, que poderia ser traduzido como "muro em anel".[3][4]

Alguns aficcionados chamam Visby a "cidade das rosas e das ruínas".[5]

História[editar | editar código-fonte]

Entre os séculos XII e XIV, Visby foi um importante centro da Liga Hanseática. Em 1645, a Gotlândia tornou-se sueca, pela Paz de Brömsebro, depois de 300 anos de ocupação dinamarquesa.[6]

Durante o movimento de Cristianização das terras bálticas e a época da fundação de Riga por volta de 1200, Visby tornou-se a cidade mãe de Riga.

A cidade hanseática de Visby foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1995.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Desde 1984, comemora-se no início do mês de agosto (32° semana do ano) em Gotland, e principalmente em Visby, a Semana medieval.[7] A festa,[8] com grandes espetáculos históricos, torneios de cavaleiros (justas), concertos, mercados medievais e várias outras atividades culturais, assinala a conquista da ilha pelo rei dinamarquês Valdemar Atterdag, no ano 1361.

Património histórico, cultural e turítico[editar | editar código-fonte]

Nativos notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Visby». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 225. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. «Visby». Norstedts uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts. 2007-2008. p. 1424. 1488 páginas. ISBN 9789113017136 
  3. Pia Lindgren. «Visby» (em sueco). Nationalencyklopedin – Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 23 de outubro de 2015 
  4. Dahlberg, Inger (2009). «Gotland». Se Sverige (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 67. 440 páginas. ISBN 978-91-47-80879-3 
  5. Dahlberg, Inger (2009). «Gotland». Se Sverige (em sueco). Estocolmo: Liber. p. 67. 440 páginas. ISBN 978-91-47-80879-3 
  6. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Visby». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 1095. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  7. «Cópia arquivada». Consultado em 16 de novembro de 2004. Arquivado do original em 29 de agosto de 2005 
  8. [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Visby
Ícone de esboço Este artigo sobre Cidades da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.