Västerås

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Suécia Västerås

Vesteros

 
  Cidade  
Centro
Centro
Localização
Västerås está localizado em: Suécia
Västerås
Localização de Västerås na Suécia
Coordenadas 59° 37' N 16° 32' E
Região Gotalândia
Província Västmanland
Condado Västmanland
Comuna Västerås
Características geográficas
Área total 48,1 km²
População total (2018) 122 953 hab.
Densidade 2 556,2 hab./km²
Website www.vasteras.se

Västerås (em sueco: Västerås; Nuvola apps arts.svg pronúncia), Vasteras (por adaptação tipográfica), Västeras (por adaptação tipográfica) ou Vesteros é uma cidade sueca da região de Gotalândia, província da Västmanland, condado de Västmanland, comuna de Västerås e diocese luterana de Västerås, às quais é sede. Está localizada à beira do lago Mälaren, na foz do rio Negro, a 115 quilômetros a oeste da cidade de Estocolmo.[1][2][3][4] Tem 48,1 quilômetros quadrados e segundo censo de 2018, havia 122 953 habitantes.[5] É uma cidade com grande tradição industrial, com o maior porto do interior da Suécia, junto ao Mälaren.[1]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O topônimo Västerås deriva de Västra Aros (Aros Ocidental), em oposição a Östra Aros (Aros Oriental), como era conhecida antigamente Uppsala. Por sua vez, a palavra Aros é composta por ar (rio) e os (foz). Aparece como Westraarus, em 1223-1268. [6][7][8]

Em textos em português é usada a forma original Västerås, ocasionalmente na sua adaptação tipográfica como Vasteras. [9] [10]

História[editar | editar código-fonte]

Västerås por volta de 1700, numa gravura de Suecia antiqua et hodierna.

Västerås existe há mais de 1000 anos, sendo assim uma das mais antigas cidades da Suécia. Está mencionada como sede de bispado em 1120. Recebeu o título de cidade o mais tardar no século XIII. Era a localidade principal do comércio com a região mineira de Bergslagen. É historicamente conhecida por ter sido aqui que o rei Gustav Vasa aboliu o catolicismo e introduziu a reforma protestante na Suécia, na reunião do parlamento em 1527. Foi igualmente aqui que foi fundada a primeira escola secundária do país em 1623 o Rudbeckianska gymnasiet. Em meados do século XIX, foi iniciada a evolução para cidade industrial moderna. Västerås passou a ser uma das principais cidades industriais e um dos principais portos do interior do país. [11] [12] [13]


Comunicações[editar | editar código-fonte]

Västerås é cruzada pela estrada europeia E18 (Karlstad-Västerås-Estocolmo) e a férrea linha do Mälaren (Orebro-Västerås-Estocolmo). Ainda é acessada pelas estradas nacionais 56 e 66 e tem ligações férreas com Gotemburgo, Sala, Eskilstuna, Norrköping e Linköping. Fica a 5 quilômetros do Aeroporto de Västerås, com ligações a Inglaterra e a Espanha. Dispõe do Porto de Västerås.[14][13][15]

Economia[editar | editar código-fonte]

A sede da empresa multinacional ABB.

Västerås é uma cidade com grande atividade industrial. A sua economia é dominada pelas empresas e fornecedores das empresas multinacionais ABB, Westinghouse Sweden e Bombardier, assim como pela administração municipal, pelo aeroporto internacional e pelo grande porto. As cidades de Västerås, Eskilstuna, Enköping e Strängnäs - localizadas no Vale do Mälaren - constituem a terceira mais forte região industrial do país. [16] [17] [18]


Património histórico, cultural e turístico[editar | editar código-fonte]


Västerås vista do lago Mälaren


Referências

  1. a b Magnusson 2004, p. 228.
  2. a b c d Ottosson 2008, p. 457.
  3. Enciclopédia Norstedts 2008, p. 1442.
  4. Sellers 2019.
  5. CP 2018.
  6. Wahlberg 2003, p. 371.
  7. Pamp 1988, p. 70-71.
  8. Harrisson 2015, p. 250-251.
  9. Tsuyama Cardoso, Marco (2019). «Västerås: Duas empresas para duas rotas». Regulação em aproveitamento energético de resíduos: proposições para o Brasil com base no estudo de caso sueco (Dissertação de Pós-Graduação). Universidade de São Paulo. p. 164. Atualmente, a empresa de propriedade da cidade de Västerås tem cerca de 700 empregados 
  10. Ribeiro, Antonio Carlos (2011). «Ecumenismo: perspectiva eclesiológica. Das grandes rupturas ao debate ecumênico atual». Horizonte (20). p. 131. ISSN 2175-5841. Consultado em 7 de fevereiro de 2020 
  11. Ottosson, Mats; Åsa Ottosson (2008). «Västerås». Upplev Sverige (Conheça a Suécia). En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. p. 456. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  12. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Västerås». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 1111. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  13. a b Enciclopédia Nacional Sueca.
  14. LJ 2016, p. 25.
  15. Mapas do Google 2019.
  16. «Västerås» (em sueco). Nationalencyklopedin (Enciclopédia Nacional Sueca). Consultado em 27 de setembro de 2019 
  17. «VÄSTERÅS ÄR INTE SOM ANDRA» (em sueco). Näringsliv. Consultado em 8 de fevereiro de 2020 
  18. «Program för trafikslagsövergripande infrastruktur för gods 2015» (em sueco). Comuna de Västerås, 2025. Consultado em 8 de fevereiro de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • «Salem». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Harrison, Dick; Gustafsson, Mikael (2015). «Västerås domkyrka och slott». Upplev Sveriges historia. En guide till historiska upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Bonnier fakta. 318 páginas. ISBN 9789174244915 
  • «Uppland». Libers junioratlas (em sueco). Estocolmo: Liber. 2016. 144 páginas. ISBN 9789147118793 
  • Ottosson, Mats; Ottosson, Åsa (2008). «Västerås». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  • Pamp, Bengt (1988). «Namn på länder och landskap». Ortnamnen i Sverige (Nomes de localidades da Suécia) (em sueco). Lunda: Studentlitteratur. 199 páginas. ISBN 91-44-01535-6 
  • Sellers, David (2019). «Västerås». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Wahlberg, Mats (2003). «Västerås». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. ISBN 91-7229-020-X 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Västerås