Gotalândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gotalândia
Götaland
Região histórica da Suécia
Götaland
País  Suécia
Estado 87 357 km2
População 4 518 901

Gotalândia[1][2] (em sueco: Götaland; pronúncia aproximada /iêta-land/), também designada como Gótia (Gothia), Gotlândia (Got(h)land), Gotenlândia (Gothenland) e Gautlândia (Gautland) e Getalândia (Geatland), é uma das três regiões históricas da Suécia (landsdelar) - Norlândia, Sueônia e Gotalândia.[3][4][5] Atualmente, estas regiões não possuem funções administrativas, nem significado político, mas estão todavia presentes em contextos históricos, culturais, escolares, turísticos e desportivos, sendo por exemplo utilizadas nos boletins meteorológicos da televisão e da rádio suecas, assim como nas divisões futebolísticas.[6]

Abrangendo 21% do país, a região está localizada no sul da Suécia, fazendo divisa ao norte com a região histórica de Sueônia, através das florestas de Tiveden, Tylöskog e Kolmården. Tem uma população de cerca de 4,6 milhões de habitantes (2014).[7][8]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

A palavra Götaland significa Terras dos Gotas e foi introduzida como Gøthalandom em 1384. Em português, a forma Götaland, poderia ser aportuguesada para Gotalândia, por analogia com Norlândia e Sueônia.[9]

Províncias históricas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Províncias da Suécia

A região de Gotalândia está divida em dez províncias históricas (landskap):

Província histórica Cidades principais
Blekinge vapen.svg Blecíngia Karlskrona, Karlshamn, Ronneby
Bohuslän vapen.svg Bohuslän Kungälv, Uddevalla
Dalsland vapen.svg Dalslândia Åmål
Gotland vapen.svg Gotlândia Visby
Halland vapen.svg Halândia Halmostádio, Varberg, Falkenberg, Kungsbacka
Skåne vapen.svg Escânia Malmö, Helsingborg, Lund, Kristianstad
Småland vapen.svg Esmolândia Växjö, Jönköping, Kalmar, Västervik
Västergötland vapen.svg Gotalândia Ocidental Gotemburgo, Borås,Trollhättan, Mölndal, Skövde, Lidecopinga, Alingsås, Venersburgo, Mariestad, Skara
Öland vapen.svg Olândia Borgholm
Östergötland vapen.svg Gotalândia Oriental Linköping, Norrköping, Motala

Formação de Gotalândia[editar | editar código-fonte]

Gotalândia com as aquisições suecas de 1645 e 1658 em verde escuro: Gotlândia, Blecíngia, Halândia e Escânia da Dinamarca, e Bohuslän da Noruega (nesta época sob domínio dinamarquês).

Gotalândia significa "Terra dos Gotas", sendo os Gotas um povo ou tribo antiga, de contornos lendários e imprecisos, residente no Sul da Suécia atual.[10] O termo "Gøthalandom" (lit. no territórios dos Gotas) aparece em 1384.[11] A primeira ocorrência da palavra "Götaland" - Gotalândia como ("Terra dos Gotas") em contraste com Svealand (Terra dos Sveas) - surge em 1442 na Lei Nacional de Kristoffer (Kristoffers landslag), numa referência à origem do povo sueco.[12]

Nesse contexto, a Gotalândia parecia englobar as províncias históricas da Esmolândia, Olândia, Gotalândia Oriental, Gotalândia Ocidental, Dalslândia e Varmlândia. Com a expansão territorial da Suécia nos século XVII, no período do Império Sueco, foram cedidas pelo reino da Dinamarca, através do Tratado de Roskilde (1658), as províncias históricas de Blecíngia, Halândia, Escânia e Bohuslän. Estas províncias passaram, a partir de então a fazer parte da Gotalândia.

A ilha de Gotlândia alternou lealdade aos suecos e dinamarqueses por diversas vezes, e apesar de ter ligações mais próximas com a Sueônia e a Dinamarca, foi considerada parte da Gotalândia. Ao sul, as pequenas regiões autônomas de Finnveden, Kind, Möre, Njudung, Tjust, Tveta, Värend e Ydre, se uniram para formar a província de Esmolândia (literalmente: pequenas regiões - small lands). Na costa de Esmolândia, a ilha de Olândia, transformou-se numa nova província. A noroeste, a pequena região de Dal, tornou-se a província de Dalslândia. Esmolândia, Olândia e Dalslândia já eram províncias da Gotalândia na Idade Média (século XII-XV). Apenas no final da idade média, Gotalândia começou a ser mencionada como parte da Suécia.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • «Götaland» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca 
  • «Götaland» (em inglês). Enciclopédia Britânica 
  • «Götaland» (em sueco). Nordisk familjebok 
  • «Götaland». Bonniers Compact Lexikon (em sueco). Estocolmo: Bonnier lexikon. 1995-1996. 396 páginas. ISBN 91-632-0067-8 

Referências

  1. Portugal. Direcção-Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas (1937). Publicações, Volumes 4-8. [S.l.]: A Direcção. p. 130 
  2. «Topónimos estrangeiros» 
  3. Thomas Lindkvist Anders Jönsson. «Svealand» (em sueco). Nationalencyklopedin – Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 18 de outubro de 2015. 
  4. «Sveriges landskap». Sveriges landskap. och Stockholm, Göteborg och Malmö (em sueco). Estocolmo: Almqvist & Wiksell. 1995. p. 4. 64 páginas. ISBN 91-21-14445-1 
  5. «Indelning i län och landsdelar - Swedish counties and regions» (PDF) (em sueco). Skogsstyrelsen. Consultado em 18 de outubro de 2015. 
  6. http://www.sfdf.se/landsdelar/g%C3%B6taland-2375398
  7. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Götaland». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 230. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  8. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Götaland». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 355. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  9. Wahlberg, Mats (2003). «Götaland». Svenskt ortnamnslexikon [Dicionário das localidades suecas] (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 113. 422 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  10. Örjan Martinsson. «Svenska kungar» (em sueco). Tacitus.nu 
  11. «Götaland» (em sueco). Nationalencyklopedin – Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 26 de fevereiro de 2017. 
  12. «Götaland» (em sueco). Projekt Runeberg – Nordisk familjebok 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.