Dalarna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a província histórica. Para o condado de Dalarna, veja Dalarna (condado).
Dalecárlia
Dalarna
Dalarna vapen.svg
Região histórica Svealândia
Condados atuais Dalarna, Gävleborg, Jemtlândia, Varmlândia
Localização na Suécia
Sverigekarta-Landskap Dalarna.svg
Dados
Área total 31.351 km2
População 275.755 habitantes
(2005)
Densidade 8,80 hab./km²
Ponto culminante Storvätteshågna
1204 metros
Maior lago Siljan
Maior cidade Borlänge
Símbolos da província
Flor Campanula rotundifolia
Animal Bufo-real
Peixe Phoxinus phoxinus

Dalarna (LITERALMENTE Os vales; Loudspeaker.svg? Dalarna; por vezes designada em português como Dalecárlia) é uma província histórica (landskap) da Suécia, situada no centro do país, na região histórica (landsdel) da Svealand. Ocupa 7% da área total do país, e tem uma população de 286 000 habitantes.[1][2]

Como província histórica, a Dalecárlia não possui funções administrativas, nem significado político. Como termo geográfico, está diariamente presente nos mais variados contextos, como por exemplo em Dalarnas museum (museu regional), Högskolan Dalarna (escola superior) e Dalarnas Ishockeyförbund (federação regional de hóquei no gelo).[3][4]

Seu nome é mencionado ao longo da literatura de língua inglesa nas formas Dalecárlia e the Dales. Dalarna faz fronteira com a Herdália, Helsíngia, Gestrícia, Vestmânia e Varmlândia, além da Noruega, a oeste.

A palavra "Dalarna" significa "os vales". É um destino turístico popular entre os suecos do sul, que costumam viajar para lá durante as férias de verão, atraídos pelos lagos locais, propícios para a pesca, pelos belos locais para a prática do camping e pelas densas florestas. Muitos destes suecos possuem ou alugam uma "cabana dos tempos livres" (sommarstuga) em Dalarna, onde cultivam pequenas hortas e pomares. Em meados de junho as comemorações e bailes da Festa do Verão (midsommar) são realizadas tanto nas grandes cidades quanto nas pequenas aldeias. A região tem diversas associações históricas, e possui fortes características locais relacionadas a seus produtos e seus habitantes.

Nos distritos ocidentais de Älvdalen e Lima, muitas pessoas ainda falam um dialeto arcaico, o dalecarliano, por muitos considerado uma língua. Historicamente são conhecidos no país por seu amor ferrenho pela independência. [5]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O nome geográfico atual Dalarna provem do nome sueco antigo Dalar (vales), em alusão aos vales dos dois braços do grande rio da região – o Dalälven (Dala Elffwan,1650). Nas suas mencões mais antigas, a palavra é usada nas formas Dala, Dalar, Dalum. [6] [7] [8] [9]

Em textos em português costuma ser usada a forma original Dalarna, e mais ocasionalmente Dalecárlia. [10]

Condados atuais[editar | editar código-fonte]

A província histórica de Dalarna coincide quase na totalidade com o atual Condado de Dalarna.[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A província histórica de Dalarna é dominada pelo lago Siljan e pelos dois rios Dal Ocidental e Dal Oriental que confluem no grande rio Dal.
A maior parte do seu território está coberta por florestas, havendo todavia áreas agrícolas à volta do lago.
O noroeste da província é montanhoso, com uma série de serras cujo ponto mais elevado é Storvätteshågna com 1204 m de altitude. Tem um clima continental severo, com invernos frios e com muita neve.[12][13]

Maiores cidades[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da Dalecárlia está tradicionalmente baseada nas minas, nas florestas e nas barragens hidroelétricas. A mina de cobre de Falun é conhecida desde o século XII. O turismo local tem como força de atração a beleza da natureza, o artesanato típico e os encontros anuais de música e de teatro, assim como as competições desportivas, com destaque para a Corrida de Vasa.[14]

Património histórico, cultural e turístico[editar | editar código-fonte]

Personalidades ligadas à província[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Dalarna». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 204. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Dalarna». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 110. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  3. Ulf Sporrong. «Landskap» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 11 de junho de 2015. 
  4. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Landskapen». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 212. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  5. Encyclopaedia Britannica (ed. 1911), Volume V07, pág. 764. (link online)
  6. Wahlberg, Mats (2003). «Dalarna». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário dos nomes das localidades suecas) (em sueco). Uppsala: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. p. 61. 422 páginas. ISBN 91-7229-020-X 
  7. Barbro Werkmäster; et al. «Dalarna» (em sueco). Nationalencyklopedin (Enciclopédia Nacional Sueca). Consultado em 17 de julho de 2018. 
  8. Örjan Martinsson. «Dalarna och Västmanland» (em sueco). Tacitus.nu. Consultado em 17 de julho de 2018. 
  9. Elof Hellquist. «Dalarna» (em sueco). Projekt Runeberg - Svensk etymologisk ordbok (Projeto Runeberg - Dicionário etimológico sueco - Arquivo Nacional da Suécia). Consultado em 17 de julho de 2018. 
  10. Luna Miller. «Três dias em Setembro». Google Livros. Consultado em 14 de julho.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «CAPÍTULO». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. PÁGINA. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  12. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Dalarna». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 172. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  13. Magnusson, Thomas; Peter A. Sjögren (2004). «Dalarna». Vad varje svensk bör veta (O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 204. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  14. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Dalarna». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 172. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Dalarna
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.