Campeonato Brasileiro de Futebol de 1971

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
XV Campeonato Brasileiro de Futebol
Campeonato Nacional de Clubes de 1971
Brasil
Dados
Participantes 20
Organização CBD
Local de disputa  Brasil
Período 7 de agosto19 de dezembro
Gol(o)s 419
Partidas 229
Média 1,83 gol(o)s por partida
Campeão Minas Gerais Atlético Mineiro (1º título)
Vice-campeão São Paulo São Paulo
Melhor marcador Dario (Atlético Mineiro) – 15 gols
Melhor ataque (fase inicial) São Paulo Corinthians – 29 gols
Melhor defesa (fase inicial) 11 gols:
Público 4 662 440
Média 20 360 pessoas por partida
Outras divisões
Série B Villa Nova (MG)
◄◄ Brasil Brasileirão 1970 Soccerball.svg Brasileirão 1972 Brasil ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1971, originalmente denominado Campeonato Nacional de Clubes pela CBD,[1] foi considerado pela entidade máxima do futebol nacional como sendo a primeira edição do Campeonato Brasileiro, de 1974[2][nota 1] até 2010, quando a CBF unificou os títulos brasileiros anteriores a 1971, passando a considerar a Taça Brasil de 1959 como sendo a primeira edição do Campeonato Brasileiro.[3] O certame foi vencido pelo Atlético Mineiro.[4]

A fórmula de disputa da edição do Campeonato Brasileiro de 1971 foi semelhante à da Taça de Prata do ano anterior. A maior diferença foi que o regulamento inicial previa uma fase classificatória mais curta, com jogos apenas dentro de cada grupo e com duas vagas reservadas para os clubes com a melhor média de renda. Porém, devido as muitas denúncias de compra de ingressos pelos clubes e uma revolta dos jogadores do Flamengo, que deveriam perder o jogo contra o Santos para poderem se classificar, fizeram com que a CBD recuasse e modificasse o regulamento, estendendo a fase inicial e eliminando a classificação por renda.

O número de participantes também foi semelhante, as únicas alterações se deram no representante paranaense, que voltou a ser o Coritiba, campeão de seu estado, e no quinto clube paulista, que deixou de ser a Ponte Preta para dar novamente lugar à Portuguesa, além de ser acrescentado mais uma equipe de Minas Gerais (América Mineiro) e outra de Pernambuco (Sport) e a inclusão de mais um estado, o Ceará, que foi representado pelo Ceará Sporting Club. Assim, o campeonato passou a ter vinte clubes, ao invés de dezessete, não sofrendo nenhuma mudança drástica em relação a edição anterior.[5][6] A média de público também manteve-se semelhante, na casa dos vinte mil pagantes.[7]

A divisão mais alta era denominada "Divisão Extra", com "Primeira Divisão" sendo usado para o torneio de acesso (desde então conhecido por Campeonato Brasileiro Série B).[8] Tal campeonato foi vencido pelo Villa Nova (MG). Porém, não existia rebaixamento, mas houve promoção — foi o vice-campeão Remo, e não o campeão Villa Nova, que ficou com a vaga para disputar o Nacional de 1972.[6]

História[editar | editar código-fonte]

O Brasil já contava com a realização de campeonatos nacionais desde 1959. Quando a Taça Brasil começou a ser disputada, entretanto, devido a questões econômicas, de transporte e de calendário, esta competição contemplava, geralmente, apenas as equipes campeãs estaduais, além de seu campeão do ano anterior.[5][9][10] Em 1967, como o Brasil já se encontrava um pouco mais estruturado, tendo meios de transporte melhores, foi possível ousar em um campeonato mais integrado, surgindo assim, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata, que tornou-se na primeira competição nacional a englobar os principais clubes brasileiros.[11][12]

Porém, devido a grande popularidade do futebol no Brasil, o governo militar enxergou uma excelente oportunidade para promover o ufanismo e a imagem de integração nacional, passando a intervir regularmente no esporte. Colocando, na prática, o futebol no ambicioso Plano de Integração Nacional (PIN). Com a elite política (desde governadores a vereadores, passando por prefeitos e deputados interessados em ver suas cidades representadas no certame nacional) convencida dos benefícios e dos dividendos eleitorais da instrumentalização da maior paixão nacional, o futebol. No entanto, não somente os políticos tinham interesse no campeonato nacional, pois diversos outros agentes sociais perceberam que poderiam se beneficiar da competição. Como a revista Placar, que desde sua criação adotou uma postura crítica em relação à administração do futebol nacional e considerava o modelo administrativo usado pelos dirigentes ultrapassado, defendia a organização de um campeonato que reunisse as principais agremiações do Brasil e que fosse totalmente integrado. Em consequência natural destas reivindicações, apareceria as propostas de criação de um Campeonato Nacional de clubes. Os primeiros argumentos utilizados seriam aqueles ligados à ampliação do mercado dos clubes dentro do País e a maior facilidade para a elaboração de um calendário racional. Uma visão evolucionista dá o tom das argumentações, como se um campeonato de proporções nacionais fosse um estágio obrigatório para o desenvolvimento do futebol brasileiro, mesmo sabendo-se que isso poderia acarretar na falência das pequenas agremiações. Com uma chamada de capa que dizia: "Senhores Dirigentes, Eis o Campeonato Nacional", os jornalistas da revista apresentam a alguns dirigentes, exceto aqueles ligados à Confederação Brasileira de Desportos que não aceitaram dialogar com a reportagem, um calendário ideal, com férias, espaço para as excursões ao exterior e uma tabela racional, aonde os clubes fariam deslocamentos de uma maneira a reduzir os custos com passagens aéreas, deixando a competição viável economicamente. Até mesmo como seria a participação da televisão no orçamento dos clubes era ponto de debate pela Placar.[12][5][13][14]

No decorrer desse processo político, surge em 1971, um novo torneio, o Campeonato Nacional de Clubes, que viera com a proposta de englobar times de todas as regiões do País. Este novo certame ficaria conhecido, a partir de 1974, como sendo a primeira edição do Campeonato Brasileiro, excluindo a versão anterior, apesar de disputado sob formato similar ao do "Robertão"[10][15] — em seus boletins oficiais entre 1971 e 1973, a CBD colocava as edições do Robertão em igualdade de condições com as edições do Campeonato Nacional de Clubes, apenas mantendo os nomes próprios, excluindo esta informação a partir do boletim de 1974.[16][2] Entretanto, a primeira edição do campeonato pareceu muito mais com o velho Robertão do que com uma competição que realmente integrasse totalmente os clubes de futebol do País — isso aconteceu porque a edição do Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata de 1970 foi utilizada como base para a criação da nova competição. O Ceará, o Sport e o América Mineiro foram os únicos clubes acrescentados, sendo que só os cearenses representavam um Estado diferente; ou seja, o campeonato passou a ter vinte clubes, em vez de dezessete, não sofrendo nenhuma mudança drástica em relação à edição anterior da Taça de Prata.[6][5][17] Além disso, a fórmula seguia parecida com a da competição anterior,[14][18][6][5] com a criação de uma segunda divisão. No entanto, não existia rebaixamento, mas havia promoção — foi o vice-campeão Remo, e não o campeão Villa Nova, que ficou com a vaga para disputar o Campeonato Nacional de 1972.[15][6] Devido a estas características do certame, a revista Placar, que lutara durante todo o ano de 1970 pela criação do Campeonato Nacional de Clubes, acabou adotando uma postura cautelosa após a criação da nova competição. Sob o título "Até que enfim um Campeonato Nacional — mas tem que melhorar", a revista criticava a hegemonia dos fatores políticos em detrimento dos aspectos futebolísticos. Para a revista, o Nacional "não passava de um Robertão um pouco diferente", o que não contribuía para alterar a estrutura arcaica do futebol brasileiro. A Placar reclama da falta de um sistema verdadeiro de acesso e descenso, dos critérios de seleção dos clubes participantes que era atrelado aos campeonatos estaduais, não ficando claro quais eram os parâmetros usados para o número de vagas de cada Estado, deixando muitas federações de fora da competição (como Rio de Janeiro, Goiás, Santa Catarina e Amazonas).[12] Estas federações ignoradas, lideradas por Goiás, organizaram um campeonato paralelo, o Torneio de Integração Nacional.[14]

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

Primeira Fase: Os vinte participantes foram divididos em duas chaves de dez clubes cada, mas jogaram todos contra todos em turno único, primeiro contra os times da sua chave e depois contra os da outra chave. Os seis primeiros colocados de cada chave se classificavam para a segunda fase.

Segunda fase: Os doze clubes classificados foram divididos em três grupos com quatro clubes cada, jogando em dois turnos, classificando-se o primeiro lugar de cada grupo.

Fase final: Triangular decisivo, um turno apenas.

Equipes participantes[editar | editar código-fonte]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

Primeiro Turno
Rodada 1
  • 07/08 - Santa Cruz 1 x 4 Corinthians - Ilha do Retiro/PE
  • 07/08 - São Paulo 0 x 3 Grêmio - Morumbi/SP
  • 08/08 - Coritiba 0 x 2 Cruzeiro - Couto Pereira/PR
  • 08/08 - Ceará 0 x 0 Vasco - Presidente Vargas/CE
  • 08/08 - Palmeiras 1 x 0 Portuguesa - Pacaembu/SP
  • 08/08 - Internacional 0 x 0 Fluminense - Beira-Rio/RS
  • 08/08 - Sport 1 x 0 Flamengo - Ilha do Retiro/PE
  • 08/08 - Bahia 0 x 0 Santos - Fonte Nova/BA
  • 08/08 - Atlético-MG 1 x 1 América-MG - Mineirão/MG
  • 08/08 - Botafogo 0 x 0 América/RJ - Maracanã/RJ
Rodada 2
  • 11/08 - Cruzeiro 2 x 1 Portuguesa - Mineirão/MG
  • 11/08 - Ceará 0 x 1 Corinthians - Presidente Vargas/CE
  • 11/08 - Bahia 1 x 1 Flamengo - Fonte Nova/BA
  • 11/08 - América-RJ 0 x 2 Grêmio - Maracanã/RJ
  • 11/08 - Sport 0 x 2 Santos - Ilha do Retiro/PE
  • 12/08 - Santa Cruz 1 x 0 Vasco - Ilha do Retiro/PE
  • 18/08 - Fluminense 2 x 1 Coritiba - Maracanã/RJ
  • 21/08 - Internacional 2 x 1 Palmeiras - Beira-Rio/RS
Rodada 3
  • 14/08 - Santos 3 x 1 São Paulo - Morumbi/SP
  • 14/08 - Botafogo 1 x 1 Flamengo - Maracanã/RJ
  • 14/08 - América-MG 1 x 1 América-RJ - Mineirão/MG
  • 15/08 - Grêmio 1 x 1 Atlético-MG - Olímpico/RS
  • 15/08 - Bahia 3 x 0 Sport - Fonte Nova/BA
  • 15/08 - Coritiba 2 x 1 Portuguesa - Couto Pereira/PR
  • 15/08 - Corinthians 0 x 0 Palmeiras - Morumbi/SP
  • 15/08 - Fluminense 0 x 1 Vasco - Maracanã/RJ
  • 15/08 - Ceará 0 x 0 Santa Cruz - Presidente Vargas/CE
  • 15/08 - Cruzeiro 2 x 0 Internacional - Mineirão/CE
Rodada 4
  • 18/08 - Bahia 0 x 1 São Paulo - Fonte Nova/BA
  • 18/08 - Santos 0 x 0 Botafogo - Pacaembu/SP
  • 18/08 - América-MG 0 x 0 Grêmio - Mineirão/MG
  • 18/08 - Bahia 0 x 1 São Paulo - Fonte Nova/BA
  • 21/08 - Flamengo 0 x 1 Atlético-MG - Maracanã/RJ
  • 21/08 - Corinthians 0 x 0 Cruzeiro - Pacaembu/SP
  • 21/08 - Internacional 2 x 1 Palmeiras - Beira-Rio/RS
  • 22/08 - Coritiba 1 x 0 Santa Cruz - Couto Pereira/PR
  • 22/08 - Ceará 1 x 0 Fluminense - Presidente Vargas/CE
  • 22/08 - Vasco 0 x 3 Portuguesa - Maracanã/RJ
  • 22/08 - Santos 0 x 0 América-RJ - Parque Antártica/SP
  • 22/08 - Grêmio 1 x 1 Botafogo - Olímpico/RS
  • 22/08 - Sport 0 x 0 São Paulo - Ilha do Retiro/SP
Rodada 5
  • 22/08 - Sport 0 x 0 São Paulo - Ilha do Retiro/PE
  • 22/08 - Santos 0 x 0 América-RJ - Parque Antártica/SP
  • 22/08 - Grêmio 1 x 1 Botafogo - Olímpico/RS
  • 25/08 - Sport 2 x 2 Fluminense - Ilha do Retiro/PE
  • 25/08 - Coritiba 0 x 1 Internacional - Couto Pereira/PR
  • 25/08 - Palmeiras 1 x 1 Cruzeiro - Pacaembu/SP
  • 26/08 - Corinthians 4 x 1 Portuguesa - Pacaembu/SP
Rodada 6
  • 25/08 - Botafogo 2 x 1 América-MG - Maracanã/RJ
  • 25/08 - Grêmio 2 x 0 Sport - Olímpico/RS
  • 25/08 - Atlético-MG 4 x 0 Bahia - Mineirão/MG
  • 26/08 - Flamengo 1 x 1 América-RJ - Maracanã/RJ
  • 29/08 - Santa Cruz 2 x 2 Palmeiras - Ilha do Retiro/PE
  • 29/08 - Internacional 0 x 1 Portuguesa - Ilha do Retiro/PE
  • 29/08 - Cruzeiro 6 x 0 Ceará - Mineirão/MG
  • 29/08 - Coritiba 0 x 2 Vasco - Couto Pereira/PR
  • 29/08 - Fluminense 0 x 1 Corinthians - Maracanã/RJ
Rodada 7
  • 28/08 - Sport 1 x 1 Atlético-MG - Ilha do Retiro/PE
  • 29/08 - São Paulo 0 x 0 Flamengo - Morumbi/SP
  • 29/08 - Bahia 0 x 0 América-MG - Fonte Nova/BA
  • 01/09 - Portuguesa 1 x 0 Fluminense - Parque Antártica/SP
  • 01/09 - Santa Cruz 1 x 0 Cruzeiro - Ilha do Retiro/PE
  • 01/09 - Ceará 0 x 3 Palmeiras - Presidente Vargas/CE
  • 01/09 - Vasco 1 x 1 Internacional - Maracanã/RJ
Rodada 8
  • 01/09 - Bahia 1 x 3 América-RJ - Fonte Nova/BA
  • 01/09 - Grêmio 1 x 0 Santos - Olímpico/RS
  • 01/09 - Atlético-MG 2 x 0 São Paulo - Mineirão/MG
  • 02/09 - Sport 0 x 1 Botafogo - Ilha do Retiro/PE
  • 02/09 - América-MG 1 x 1 Flamengo - Mineirão/MG
  • 04/09 - Palmeiras 1 x 0 Fluminense - Parque Antártica/SP
  • 04/09 - Cruzeiro 0 x 0 Vasco - Mineirão/MG
  • 05/09 - Internacional 2 x 2 Corinthians - Beira-Rio/RS
  • 05/09 - Coritiba 2 x 1 Ceará - Couto Pereira/PR
Rodada 9
  • 05/09 - São Paulo 1 x 1 América-MG - Morumbi/SP
  • 05/09 - Flamengo 1 x 1 Grêmio - Maracanã/RJ
  • 05/09 - Atlético-MG 2 x 1 Santos - Mineirão/MG
  • 05/09 - Bahia 0 x 1 Botafogo - Fonte Nova/BA
  • 05/09 - Sport 0 x 3 América-RJ - Ilha do Retiro/PE
  • 07/09 - Vasco 1 x 0 Palmeiras - Maracanã/RJ
  • 08/09 - Santa Cruz 3 x 2 Portuguesa - Ilha do Retiro/PE
  • 08/09 - Ceará 0 x 0 Internacional - Presidente Vargas/CE
  • 08/09 - Corinthians 2 x 3 Coritiba - Pacaembu/SP
Rodada 10
  • 08/09 - América-RJ 2 x 0 Atlético-MG - Maracanã/RJ
  • 09/09 - Santos 3 x 0 América-MG - Vila Belmiro/SP
  • 09/09 - Botafogo 2 x 1 São Paulo - Maracanã/RJ
  • 11/09 - Santa Cruz 2 x 2 Internacional - Ilha do Retiro/PE
  • 11/09 - Coritiba 0 x 1 Palmeiras - Couto Pereira/PR
  • 11/09 - Fluminense 0 x 1 Cruzeiro - Maracanã/RJ
  • 11/09 - Ceará 0 x 0 Portuguesa - Presidente Vargas/CE
  • 11/09 - Corinthians 1 x 0 Vasco - Pacaembu/SP
Rodada 11
  • 12/09 - São Paulo 2 x 1 América-RJ - Morumbi/SP
  • 12/09 - Flamengo 1 x 0 Santos - Maracanã/RJ
  • 12/09 - Atlético-MG 2 x 2 Botafogo - Mineirão/MG
  • 12/09 - Grêmio 0 x 0 Bahia - Olímpico/RS
  • 12/09 - Sport 1 x 0 América-MG - Ilha do Retiro/PE
Segundo Turno
Rodada 1
  • 18/09 - Vasco 0 x 0 São Paulo - Maracanã/RJ
  • 18/09 - Sport 0 x 1 Corinthians - Ilha do Retiro/PE
  • 18/09 - Santos 0 x 0 Portuguesa - Vila Belmiro/SP
  • 19/09 - Coritiba 2 x 0 Grêmio - Couto Pereira/PR
  • 19/09 - Fluminense 0 x 0 América-RJ - Maracanã/RJ
  • 19/09 - Ceará 0 x 2 Atlético-MG - Presidente Vargas/CE
  • 19/09 - Cruzeiro 0 x 0 Bahia - Mineirão/MG
  • 19/09 - Internacional 1 x 0 América-MG - Beira-Rio/RS
  • 19/09 - Palmeiras 1 x 2 Flamengo - Parque Antártica/SP
  • 19/09 - Santa Cruz 0 x 0 Botafogo - Ilha do Retiro/PE
Rodada 2
  • 25/09 - Portuguesa 0 x 3 América-RJ - Parque Antártica/SP
  • 25/09 - Grêmio 1 x 0 Ceará - Olímpico/RS
  • 25/09 - Atlético-MG 2 x 2 Santa Cruz - Mineirão/MG
  • 25/09 - Flamengo 1 x 1 Coritiba - Maracanã/RJ
  • 26/09 - Bahia 1 x 2 Corinthians - Fonte Nova/BA
  • 26/09 - São Paulo 1 x 1 Cruzeiro - Morumbi/SP
  • 26/09 - Fluminense 0 x 0 Botafogo - Maracanã/RJ
  • 26/09 - América-MG 1 x 2 Botafogo - Mineirão/MG
  • 26/09 - Sport 0 x 1 Vasco - Ilha do Retiro/PE
  • 26/09 - Internacional 1 x 1 Santos - Beira-Rio/RS
Rodada 3
  • 02/10 - Corinthians 3 x 1 América-MG - Pacaembu/SP
  • 02/10 - Internacional 2 x 0 América-RJ - Beira-Rio/RS
  • 03/10 - Sport 0 x 1 Fluminense - Ilha do Retiro/PE
  • 03/10 - Grêmio 1 x 0 Portuguesa - Olímpico/RS
  • 03/10 - Coritiba 1 x 0 Atlético-MG - Couto Pereira/PR
  • 03/10 - Bahia 2 x 0 Santa Cruz - Fonte Nova/BA
  • 03/10 - Vasco 0 x 0 Flamengo - Maracanã/RJ
  • 03/10 - Ceará 0 x 1 São Paulo - Presidente Vargas/CE
  • 03/10 - Cruzeiro 0 x 1 Santos - Mineirão/MG
  • 03/10 - Palmeiras 3 x 1 Botafogo - Pacaembu/SP
Rodada 4
  • 22/09 - Corinthians 0 x 0 Atlético-MG - Parque Antártica/SP
  • 29/09 - América-RJ 2 x 1 Cruzeiro - Maracanã/RJ
  • 06/10 - Vasco 2 x 0 América-MG - Maracanã/RJ
  • 06/10 - São Paulo 1 x 1 Internacional - Morumbi /SP
  • 06/10 - Santa Cruz 1 x 1 Grêmio - Ilha do Retiro/PE
Rodada 5
  • 09/10 - Botafogo 1 x 0 Corinthians - Maracanã/RJ
  • 09/10 - América-MG 0 x 0 Santa Cruz - Mineirão/MG
  • 10/10 - Bahia 1 x 1 Internacional - Fonte Nova/BA
  • 10/10 - Grêmio 1 x 0 Vasco - Olímpico/RS
  • 10/10 - Sport 0 x 2 Palmeiras - Ilha do Retiro/PE
  • 10/10 - São Paulo 0 x 1 Portuguesa - Morumbi/SP
  • 10/10 - Atlético-MG 1 x 1 Cruzeiro - Mineirão/MG
  • 10/10 - Flamengo 0 x 1 Fluminense - Maracanã/RJ
  • 10/10 - Coritiba 2 x 1 América-RJ - Couto Pereira/PR
  • 10/10 - Ceará 0 x 0 Santos - Presidente Vargas/CE
Rodada 6
  • 13/10 - Flamengo 1 x 0 Portuguesa - Maracanã/RJ
  • 13/10 - América-MG 2 x 0 Coritiba - Mineirão/MG
Rodada 7
  • 16/10 - Palmeiras 0 x 1 Santos - Pacaembu/SP
  • 16/10 - Fluminense 2 x 0 Atlético-MG - Maracanã/RJ
  • 17/10 - Corinthians 0 x 2 São Paulo - Pacaembu/SP
  • 17/10 - Santa Cruz 1 x 1 Flamengo - Ilha do Retiro/PE
  • 17/10 - Coritiba 2 x 0 Bahia - Couto Pereira/PE
  • 17/10 - Cruzeiro 5 x 1 Sport - Mineirão/MG
  • 17/10 - Vasco 2 x 2 América-RJ - Maracanã/RJ
  • 17/10 - Ceará 1 x 0 Botafogo - Presidente Vargas/CE
  • 17/10 - Internacional 1 x 0 Grêmio - Beira-Rio/RS
Rodada 8
  • 20/10 - Bahia 3 x 1 Ceará - Fonte Nova/BA
  • 20/10 - Sport 2 x 1 Coritiba - Ilha do Retiro/PE
Rodada 9
  • 23/10 - São Paulo 1 x 1 Palmeiras - Morumbi/SP
  • 23/10 - Botafogo 0 x 0 Internacional - Maracanã/RJ
  • 23/10 - Atlético-MG 5 x 1 Portuguesa - Mineirão/MG
  • 24/10 - Grêmio 1 x 0 Fluminense - Olímpico/RS
  • 24/10 - Santa Cruz 1 x 1 Sport - Ilha do Retiro/PE
  • 24/10 - Cruzeiro 0 x 0 América-MG - Mineirão/MG
  • 24/10 - Flamengo 1 x 3 Corinthians - Maracanã/RJ
  • 24/10 - Santos 2 x 0 Vasco - Pacaembu/SP
  • 24/10 - Ceará 0 x 1 América-RJ - Presidente Vargas/CE
Rodada 10
  • 27/10 - Coritiba 1 x 0 Santos - Couto Pereira/PR
  • 27/10 - Fluminense 0 x 0 América-MG - Maracanã/RJ
  • 27/10 - Portuguesa 3 x 1 Botafogo - Pacaembu/SP
  • 10/11 - Palmeiras 0 x 0 Bahia - Parque Antártica/SP
Rodada 11
  • 30/10 - América-RJ 2 x 0 Palmeiras - Maracanã/RJ
  • 30/10 - Corinthians 1 x 1 Santos - Pacaembu/SP
  • 30/10 - Cruzeiro 2 x 1 Grêmio - Mineirão/MG
  • 30/10 - Santa Cruz 0 x 2 São Paulo - Ilha do Retiro/PE
  • 31/10 - Vasco 1 x 0 Botafogo - Maracanã/RJ
  • 31/10 - Sport 0 x 0 Portuguesa - Ilha do Retiro/PE
  • 31/10 - Atlético-MG 3 x 1 Internacional - Mineirão/MG
  • 31/10 - Bahia 0 x 0 Fluminense - Fonte Nova/BA
  • 31/10 - Ceará 0 x 1 Flamengo - Presidente Vargas/CE
Rodada 12
  • 06/11 - São Paulo 2 x 1 Fluminense - Morumbi/SP
  • 06/11 - Vasco 0 x 0 Atlético-MG - Maracanã/RJ
  • 06/11 - Internacional 2 x 1 Sport - Beira-Rio/RS
  • 07/11 - Coritiba 0 x 0 Botafogo - Couto Pereira/PR
  • 07/11 - Flamengo 0 x 0 Cruzeiro - Maracanã/RJ
  • 07/11 - Santa Cruz 0 x 1 Santos - Ilha do Retiro/PE
  • 07/11 - América-MG 2 x 0 Ceará - Mineirão/MG
  • 07/11 - Bahia 1 x 0 Portuguesa - Fonte Nova/BA
  • 07/11 - Grêmio 0 x 1 Palmeiras - Olímpico/RS
  • 07/11 - Corinthians 3 x 1 América-RJ - Pacaembu/SP
Rodada 13
  • 13/11 - Portuguesa 1 x 0 América-MG - Pacaembu/SP
  • 13/11 - Fluminense 3 x 1 Santos - Maracanã/RJ
  • 14/11 - Internacional 2 x 0 Flamengo - Beira-Rio/RS
  • 14/11 - Corinthians 1 x 1 Grêmio - Pacaembu/SP
  • 14/11 - Santa Cruz 0 x 0 América-RJ - Ilha do Retiro/PE
  • 14/11 - Botafogo 2 x 2 Cruzeiro - Maracanã/RJ
  • 14/11 - Coritiba 2 x 0 São Paulo - Couto Pereira/PR
  • 14/11 - Atlético-MG 0 x 0 Palmeiras - Mineirão/MG
  • 14/11 - Bahia 1 x 0 Vasco - Fonte Nova/BA
  • 14/11 - Ceará 1 x 2 Sport - Presidente Vargas/CE

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo Corinthians 26 19 10 6 3 29 16 -13
2 Minas Gerais Cruzeiro 23 19 7 9 3 26 12 +14
3 Rio Grande do Sul Internacional 23 19 7 9 3 21 16 +5
4 Paraná Coritiba 22 19 10 2 7 21 18 +3
5 São Paulo Palmeiras 22 19 8 6 5 20 14 +6
6 Guanabara Vasco da Gama 19 19 6 7 6 11 12 -1
7 Pernambuco Santa Cruz 17 19 3 11 5 17 23 -6
8 Guanabara Fluminense 16 19 5 6 8 12 13 –1
9 São Paulo Portuguesa 15 19 6 3 10 16 24 –8
10 Ceará Ceará 9 19 2 5 12 5 25 –20
Zona de classificação para a próxima fase.

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG
1 Rio Grande do Sul Grêmio 23 19 8 7 4 18 11 +7
2 Minas Gerais Atlético Mineiro 23 19 7 9 3 27 16 +11
3 Guanabara America 21 19 7 7 5 23 17 +6
4 São Paulo Santos 21 19 7 7 5 17 11 +6
5 Guanabara Botafogo 20 19 5 10 4 15 16 -1
6 São Paulo São Paulo 19 19 6 7 6 16 19 -3
7 Bahia Bahia 18 19 5 8 6 14 16 -2
8 Guanabara Flamengo 18 19 4 10 5 13 17 -4
9 Minas Gerais América Mineiro 13 19 2 9 8 11 19 -8
10 Pernambuco Sport 12 19 4 4 11 10 27 -17
Zona de classificação para a próxima fase.

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Grupo A[editar | editar código-fonte]

  • 21/11 - Corinthians 0 x 1 São Paulo - Morumbi/SP
  • 21/11 - América-RJ 0 x 0 Cruzeiro - Maracanã/RJ
  • 24/11 - Corinthians 1 x 0 América-RJ - Pacaembu/SP
  • 24/11 - Cruzeiro 0 x 2 São Paulo - Mineirão/MG
  • 27/11 - São Paulo 1 x 0 América-RJ - Morumbi/SP
  • 28/11 - Cruzeiro 1 x 0 Corinthians - Mineirão/MG
  • 01/12 - América-RJ 3 x 1 Corinthians - Maracanã/RJ
  • 01/12 - São Paulo 1 x 1 Cruzeiro - Morumbi/SP
  • 04/12 - São Paulo 0 x 0 Corinthians - Morumbi/SP
  • 05/12 - Cruzeiro 0 x 0 América-RJ - Mineirão/MG
  • 08/12 - Corinthians 2 x 0 Cruzeiro - Pacaembu/SP
  • 08/12 - América-RJ 1 x 1 São Paulo - Maracanã/RJ
Zona de classificação para a próxima fase.

Grupo B[editar | editar código-fonte]

  • 20/11 - Internacional 1 x 1 Santos - Beira-Rio/RS
  • 21/11 - Atlético-MG 2 x 1 Vasco - Mineirão/RS
  • 25/11 - Santos 2 x 1 Atlético-MG - Morumbi/SP
  • 25/11 - Vasco 2 x 0 Internacional - Maracanã/RJ
  • 28/11 - Vasco 0 x 0 Santos - Maracanã/RJ
  • 28/11 - Internacional 1 x 4 Atlético-MG - Beira-Rio/RS
  • 01/12 - Atlético-MG 2 x 0 Santos - Mineirão/MG
  • 01/12 - Internacional 3 x 0 Vasco - Beira-Rio/RS
  • 04/12 - Vasco 1 x 1 Atlético-MG - Maracanã/RJ
  • 05/12 - Santos 0 x 1 Internacional - Morumbi/SP
  • 09/12 - Santos 4 x 0 Vasco - Morumbi/SP
  • 09/12 - Atlético-MG 0 x 1 Internacional - Mineirão/MG
Zona de classificação para a próxima fase.

Grupo C[editar | editar código-fonte]

  • 20/11 - Palmeiras 1 x 1 Coritiba - Pacaembu/SP
  • 21/11 - Grêmio 1 x 1 Botafogo - Olímpico/RS
  • 24/11 - Botafogo 3 x 3 Palmeiras - Maracanã/RJ
  • 24/11 - Coritiba 0 x 1 Grêmio - Couto Pereira/PR
  • 28/11 - Coritiba 1 x 0 Botafogo - Couto Pereira/PR
  • 28/11 - Palmeiras 3 x 1 Grêmio - Pacaembu/SP
  • 02/12 - Palmeiras 0 x 1 Botafogo - Morumbi/SP
  • 02/12 - Grêmio 2 x 0 Coritiba - Olímpico/RS
  • 05/12 - Botafogo 3 x 1 Grêmio - Maracanã/RJ
  • 05/12 - Coritiba 0 x 0 Palmeiras - Couto Pereira/PR
  • 09/12 - Botafogo 3 x 0 Coritiba - Maracanã/RJ
  • 09/12 - Grêmio 0 x 0 Palmeiras - Olímpico/RS
Zona de classificação para a próxima fase.
     Vitória do mandante
     Vitória do visitante
     Empate

Fase final[editar | editar código-fonte]

Jogo 1
12 de dezembro de 1971
Atlético Mineiro Minas Gerais 1 – 0 São Paulo São Paulo Mineirão, Belo Horizonte
Público: 59.320
Árbitro: Armando Marques São Paulo

Oldair Gol marcado aos 75 minutos de jogo 75'

Atlético Mineiro: Renato: Humberto Monteiro, Grapete, Vantuir e Oldair; Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Beto (Spencer) e Romeu Cambalhota (Tião). Técnico: Telê Santana.

São Paulo: Sérgio; Forlan, Samuel, Arlindo e Gilberto Sorriso; Teodoro e Gérson; Terto, Édson, Toninho e Paraná. Técnico: José Poy.


Jogo 2
15 de dezembro de 1971
São Paulo São Paulo 4 – 1 Guanabara Botafogo Morumbi, São Paulo
Público: 33.930 (31.029 pags.)
Árbitro: Armando Marques São Paulo

Forlan Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61'

Terto Gol marcado aos 65 minutos de jogo 65' Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86'
Toninho Guerreiro Gol marcado aos 71 minutos de jogo 71'

Ney Oliveira Gol marcado aos 53 minutos de jogo 53'

São Paulo: Sérgio; Forlan, Samuel, Arlindo e Gilberto Sorriso; Teodoro e Gérson; Terto, Everaldo (Paulo), Toninho (Édson) e Paraná. Técnico: José Poy.

Botafogo: Ubirajara; Paulo César, Djalma Dias, Nei Conceição e Valtencir; Carlos Roberto e Marco Aurélio (Tuca); Ney Oliveira, Roberto Miranda (Zequinha), Jairzinho e Careca. Técnico: Paraguaio.


Jogo 3
19 de dezembro de 1971
Botafogo Guanabara 0 – 1 Minas Gerais Atlético Mineiro Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 46.458
Árbitro: Armando Marques São Paulo

Carlos Roberto Expulso com 85' minutos de jogo 85

Mura Expulso com 87' minutos de jogo 87

Dario Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61'

Botafogo: Wendell; Mura, Djalma Dias, Queirós e Waltencir; Carlos Roberto e Marco Aurélio (Didinho); Careca (Tuca), Zequinha, Jairzinho e Ney Oliveira. Técnico: Paraguaio.

Atlético Mineiro: Renato; Humberto Monteiro, Grapete, Vantuir e Oldair; Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Lola (Spencer), Dario e Tião. Técnico: Telê Santana.

Classificação do Triangular Final
Pos Times Pts J V E D GP GC SG
1 Minas Gerais Atlético Mineiro 4 2 2 0 0 2 0 +2
2 São Paulo São Paulo 2 2 1 0 1 4 2 +2
3 Guanabara Botafogo 0 2 0 0 2 1 5 -4

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1971
Minas Gerais
Clube Atlético Mineiro
Campeão
(1° título)

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % Classificação ou rebaixamento
1 Minas Gerais Atlético Mineiro 34 27 12 10 5 39 22 +17 63 Fase de grupos da Copa Libertadores de 1972.
2 São Paulo São Paulo 30 27 10 10 7 26 23 +3 56
3 Guanabara Botafogo 28 27 8 12 7 27 27 0 52 Também participou da fase final.
4 São Paulo Corinthians 31 25 12 7 6 33 21 +12 62 Participaram da segunda fase.
5 Rio Grande do Sul Internacional 30 25 10 10 5 28 23 +5 60
6 Rio Grande do Sul Grêmio 29 25 10 9 6 24 18 +6 58
7 São Paulo Palmeiras 28 25 9 10 6 27 20 +7 56
8 Minas Gerais Cruzeiro 28 25 8 12 5 28 17 +11 56
9 São Paulo Santos 27 25 9 9 7 24 16 +8 54
10 Paraná Coritiba 26 25 11 4 10 23 25 -2 52
11 Guanabara America 26 25 8 10 7 27 21 +6 52
12 Guanabara Vasco da Gama 23 25 7 9 9 15 22 -7 46
13 Bahia Bahia 18 19 5 8 6 14 16 -2 47 Participaram da primeira fase.
14 Guanabara Flamengo 18 19 4 10 5 13 17 -4 47
15 Pernambuco Santa Cruz 17 19 3 11 5 17 23 -6 45
16 Guanabara Fluminense 16 19 5 6 8 12 13 -1 42
17 São Paulo Portuguesa 15 19 6 3 10 16 24 -8 40
18 Minas Gerais América Mineiro 13 19 2 9 8 11 19 -8 35
19 Pernambuco Sport 12 19 4 4 11 10 27 -17 32
20 Ceará Ceará 9 19 2 5 12 5 25 -20 24

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

  1. Dario (Atlético-MG) - 15 gols
  2. Mirandinha (Corinthians) - 11 gols
  3. Rivelino (Corinthians) e Toninho Guerreiro (São Paulo) - 10 gols
  4. Roberto (Botafogo), Tião Abatiá (Coritiba), Tostão (Cruzeiro), César Maluco (Palmeiras) e Mazinho (Santos) - 9 gols
  5. Cabinho (Portuguesa) - 8 gols
  6. Oldair (Atlético-MG) e Terto (São Paulo) - 7 gols
  7. Caio Cambalhota e Paraguaio (America-RJ) - 6 gols
  8. Jairzinho e Paulo César Caju (Botafogo), Dirceu Lopes (Cruzeiro), Flecha e Scotta (Grêmio), Claudiomiro, Sérgio e Valdomiro (Internacional), Luciano (Santa Cruz) e Dé (Vasco da Gama) - 5 gols

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

  • Públicos pagantes acima de 50.000, os demais que não constem listados os públicos pagantes e presentes, a referência é aos pagantes[19].
  1. Vasco da Gama 0-0 Flamengo – 91.025 - 3 de outubro
  2. Flamengo 0-1 Fluminense – 77.366 - 3 de outubro (67.226 pags.)
  3. Atlético-MG 1-1 Cruzeiro - 74.173 - 10 de outubro
  4. Internacional 2-2 Corinthians – 66.481 - 5 de setembro
  5. Bahia 0-0 Santos – 66.262 - 7 de agosto
  6. Corinthians 1-1 Santos – Pacaembu - 64.772 (64.696 pags.)
  7. Corinthians 0-1 São Paulo – Morumbi - 64.469 - 21 de novembro
  8. Atlético-MG 1-0 São Paulo – 59.320 (53.903 pags.)
  9. Corinthians 0-0 Cruzeiro – Pacaembu - 50.055 - 21 de agosto

Campanha do campeão[editar | editar código-fonte]

Primeira Fase
  • 08/08 - Atlético 1 x 1 América-MG - Mineirão
  • 15/08 - Grêmio 1 x 1 Atlético - Olímpico
  • 21/08 - Flamengo 0 x 1 Atlético - Maracanã
  • 25/08 - Atlético 4 x 0 Bahia - Mineirão
  • 28/08 - Sport 1 x 1 Atlético - Ilha do Retiro
  • 01/09 - Atlético 2 x 0 São Paulo - Mineirão -
  • 05/09 - Atlético 2 x 1 Santos - Mineirão
  • 08/09 - América-RJ 2 x 0 Atlético - Maracanã
  • 12/09 - Atlético 2 x 2 Botafogo - Mineirão
  • 19/09 - Ceará 0 x 2 Atlético - Presidente Vargas
  • 22/09 - Corinthians 0 x 0 Atlético - Parque Antártica
  • 25/09 - Atlético 2 x 2 Santa Cruz - Mineirão
  • 03/10 - Coritiba 1 x 0 Atlético - Belfort Duart
  • 10/10 - Atlético 1 x 1 Cruzeiro - Mineirão
  • 16/10 - Fluminense 2 x 0 Atlético - Maracanã
  • 23/10 - Atlético 5 x 1 Portuguesa - Mineirão
  • 31/10 - Atlético 3 x 1 Internacional - Mineirão
  • 6/11 - Vasco 0 x 0 Atlético - Maracanã
  • 14/11- Atlético 0 x 0 Palmeiras - Mineirão
Segunda Fase
  • 21/11 - Atlético 2 x 1 Vasco - Mineirão
  • 25/11 - Santos 2 x 1 Atlético - Pacaembu
  • 28/11 - Internacional 1 x 4 Atlético - Beira-Rio
  • 01/12 - Atlético 2 x 0 Santos - Mineirão
  • 04/12 - Vasco 1 x 1 Atlético - Maracanã
  • 09/12 - Atlético 0 x 1 Internacional - Mineirão
Fase Final
  • 12/12 - Atlético 1 x 0 São Paulo - Mineirão
  • 19/12 - Botafogo 0 x 1 Atlético - Maracanã

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Em seus boletins oficiais entre 1971 e 1973, a CBF colocava as edições do Torneio Roberto Gomes Pedrosa em igualdade de condições com as edições posteriores do Campeonato Brasileiro, apenas mantendo os nomes próprios, excluindo esta informação a partir do boletim de 1974.

Referências

  1. «Brazil 1971 Championship - Primeiro Campeonato Nacional de Clubes» (em inglês). RSSSF Brasil. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  2. a b «Boletim da CBD, de 1972, intitulado de Progresso do Campeonato Nacional, conta os títulos nacionais desde 1967». Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  3. «Unificação dos Títulos Brasileiros a partir de 1959». Docplayer. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  4. «Campeonato Brasileiro 1971». futpedia.globo.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  5. a b c d e «Antes do Big Bang». Revista Trivela. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  6. a b c d e «Anos 70: O início de muita bagunça no futebol brasileiro». RCB. Consultado em 9 de março de 2016. 
  7. «Campeonato Nacional, um retrocesso idealizado pelo governo militar». Odir Cunha. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  8. Túnel do Tempo}
  9. «Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão ou Taça de Prata)». Quadro de Medalhas. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  10. a b «Entenda como eram a Taça Brasil e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa». Globo Esporte. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  11. «Historiador critica comparações de Copa do Brasil com Taça Brasil». Portal Terra. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  12. a b c «Futebol e política: a criação do Campeonato Nacional de Clubes de Futebol» (PDF). Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  13. «O futebol também foi uma obra faraônica dos militares, e sofremos com isso até hoje». Trivela. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  14. a b c «[Ditadura] Da criação do Brasileirão aos elefantes brancos, como o futebol entrou no Plano de Integração Nacional». Trivela. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  15. a b «Um olhar weberiano sobre a unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959». Efdeportes.com. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  16. Boletins oficiais da CBD entre 1971 e 1974
  17. «Campeonato Nacional, um retrocesso idealizado pelo governo militar». Odir Cunha. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  18. «O que o seu clube fez durante a Ditadura». Trivela. Consultado em 11 de outubro de 2016. 
  19. Blog do Marcão - Campeonato Brasileiro de 1971, página editada em dezembro de 2010 e disponível em 3 de dezembro de 2016.
Precedido por
Série A 1970
20 de setembro - 20 de dezembro
Série A 1971
7 de agosto - 19 de dezembro
Sucedido por
Série A 1972
9 de setembro - 23 de dezembro