Públicos no Campeonato Brasileiro de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ver artigo principal: Campeonato Brasileiro de Futebol

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Contabilizadas partidas com públicos acima de 110.000 pagantes.

Público Mandante Placar Visitante Estádio Data
1 155 523 Flamengo Rio de Janeiro 3–0 São Paulo Santos Maracanã 29 de maio de 1983
2 154 335 Flamengo Rio de Janeiro 3–2 Minas Gerais Atlético Mineiro Maracanã 1 de junho de 1980
3 146 043 Fluminense Rio de Janeiro 1–1 São Paulo Corinthians Maracanã 5 de dezembro de 1976
4 138 107 Flamengo Rio de Janeiro 1–1 Rio Grande do Sul Grêmio Maracanã 18 de abril de 1982
5 135 487 Botafogo Rio de Janeiro 3–1 Rio de Janeiro Flamengo Maracanã 19 de abril de 1981
6 128 781 Fluminense Rio de Janeiro 0–0 Rio de Janeiro Vasco da Gama Maracanã 27 de maio de 1984
7 122 001 Botafogo Rio de Janeiro 2–2 Rio de Janeiro Flamengo Maracanã 19 de julho de 1992
8 121 353 Flamengo Rio de Janeiro 1–1 Rio de Janeiro Vasco da Gama Maracanã 8 de maio de 1983
9 120 441 Flamengo Rio de Janeiro 2–1 São Paulo Guarani Maracanã 11 de abril de 1982
10 118 777 Vasco da Gama Rio de Janeiro 2–2 Rio Grande do Sul Internacional Maracanã 28 de julho de 1974
11 118 370 Fluminense Rio de Janeiro 0–0 São Paulo Corinthians Maracanã 20 de maio de 1984
12 118 162 Flamengo Rio de Janeiro 1–0 Minas Gerais Atlético Mineiro Maracanã 29 de novembro de 1987
13 117 353 Botafogo Rio de Janeiro 0–0 Rio de Janeiro Flamengo Maracanã 16 de abril de 1981
14 115 002 Corinthians São Paulo 4–1 Rio de Janeiro Flamengo Morumbi 6 de maio de 1984
15 114 481 Santos São Paulo 2–1 Rio de Janeiro Flamengo Morumbi 22 de maio de 1983
16 113 479 Atlético Mineiro Minas Gerais 0–0 São Paulo Santos Mineirão 15 de maio de 1983
17 113 286 Corinthians São Paulo 2–1 Rio Grande do Sul Internacional Morumbi 21 de novembro de 1976
18 112 993 Vasco da Gama Rio de Janeiro 2–1 Minas Gerais Cruzeiro Maracanã 1 de agosto de 1974
19 112 403 Fluminense Rio de Janeiro 1–1 Minas Gerais Atlético Mineiro Maracanã 20 de dezembro de 1970
20 112 047 Flamengo Rio de Janeiro 1–4 São Paulo Palmeiras Maracanã 9 de dezembro de 1979
21 111 260 Flamengo Rio de Janeiro 2–1 Rio de Janeiro Vasco da Gama Maracanã 5 de maio de 1983
22 111 111 Santos São Paulo 3–2 Rio de Janeiro Flamengo Morumbi 27 de fevereiro de 1983
23 110 877 Vasco da Gama Rio de Janeiro 3–0 Rio Grande do Sul Grêmio Maracanã 19 de maio de 1984
24 110 438 Bahia Bahia 2–1 Rio de Janeiro Fluminense Fonte Nova 12 de fevereiro de 1989

Fontes: Revista Placar - Guia do Brasileirão 2010[1] e GloboEsporte.com.[2]

  • Maior torcida visitante: Corinthians-SP. Em 1976, 70.000 torcedores estiveram no Maracanã torcendo pelo clube paulista na semifinal contra a equipe do Fluminense, inclusive as de rivais cariocas do Fluminense - esta é a maior torcida a favor de time visitante na história do futebol brasileiro.

[3]

Por estádios
  1. Rio de Janeiro Maracanã: 19
  2. São Paulo Morumbi: 4
  3. Bahia Fonte Nova e Minas Gerais Mineirão: 1
Por décadas
  1. Década de 1980 (1981-1990): 16
  2. Década de 1970 (1971-1980): 6
  3. Década de 1960 (1961-1970) e Década de 1990 (1991-2000): 1
Por clubes mandantes
  • Nos casos dos 6 clássicos cariocas listados os dois clubes foram pontuados, independente do mando de campo.
  1. Rio de Janeiro Flamengo: 11
  2. Rio de Janeiro Vasco da Gama: 5
  3. Rio de Janeiro Fluminense: 4
  4. Rio de Janeiro Botafogo: 3
  5. São Paulo Corinthians e São Paulo Santos: 2
  6. Minas Gerais Atlético Mineiro e Bahia Bahia: 1

Menores públicos[editar | editar código-fonte]

  • Abaixo segue a lista dos 11 menores públicos da história do Brasileirão - sem contar os jogos em que o clube mandante recebeu como punição jogar com portões fechados para o público (0 pagantes, portanto)
  • Dos 11 menores públicos, seis aconteceram na década de 1990; dois na década de 1970; dois na década de 1980; e apenas um após o ano 2000.
# Público Mandante Placar Visitante Estádio Data
1 55 Juventude 2–1 Portuguesa Olímpico 3 de dezembro de 1997
2 71 Vasco 1–0 Paraná São Januário 28 de novembro de 1994
3 74 Atlético Paranaense 1–1 Figueirense Couto Pereira 24 de junho de 1978
4 129 Fluminense 0–0 Sport Laranjeiras 11 de novembro de 1993
5 134 Uberaba 3–2 América-RN Uberabão 22 de junho de 1978
6 146 Villa Nova-MG 0–2 Bangu Mineirão 17 de abril de 1985
7 162 Fluminense 0–2 Grêmio Rua Bariri 8 de novembro de 1997
162 Botafogo 3–3 Vitória Caio Martins 20 de novembro de 1996
9 177 America-RJ 1–0 Palmeiras São Januário 9 de novembro de 1988
10 187 Goiás 0–0 Fortaleza Serra Dourada 27 de outubro de 1993
187 Vitória 1–0 Coritiba Barradão 6 de dezembro de 2003

Fonte: Guia dos Curiosos[4]

Menor público entre os jogos que decidiram os títulos brasileiros
Público Mandante Placar Visitante Estádio Data Notas Ref.
8.210 Palmeiras 3–1 Botafogo Morumbi 7 de dezembro de 1969 Para ser campeão, o Palmeiras também dependia de derrota de seu maior rival. Paradoxalmente, essa edição teve a 2ª maior média de público da história do Brasileirão. [carece de fontes?]

Médias anuais gerais das competições[editar | editar código-fonte]

Série A[5]

Ano Público
1959 10.360[6]
1960 -
1961 -
1962 -
1963 -
1964 -
1965 -
1966 -
19671 20.545
19672 -
19681 17.749
19682 -
1969 22.067
1970 20.259
1971 20.360
1972 17.590
1973 15.460
1974 11.601
1975 15.985
1976 17.010
1977 16.472
1978 10.539
1979 9.136
1980 20.792
1981 17.545
1982 19.808
1983 22.953
1984 18.523
1985 11.625
1986 13.423
19873 20.877
1988 13.811
1989 10.857
1990 11.600
1991 13.760
1992 16.814
1993 10.914
1994 10.222
1995 10.332
1996 10.913
1997 10.497
1998 13.488
1999 17.018
20004 11.546
2001 11.401
2002 12.866
2003 10.468
2004 7.556
2005 13.600
2006 12.300
2007 17.461
2008 16.992
2009 17.807
2010 14.800
2011 14.976
2012 13.148
2013 14.969
2014 16.537
2015 17.051
2016 15.219
2017 15.961
2018 18.821
2019[7] 21.320

Fonte: [carece de fontes?]

== Melhores médias anuais de clubes[8][9][10]

[11]

[12]

[13]

[14] ==

1959: Não disponível
1960: Não disponível
1961: Não disponível
1962: Não disponível
1963: Não disponível
1964: Não disponível
1965: Não disponível
1966: Não disponível
1967: Não disponível
1967:2 Não disponível
1968:1 Vasco da Gama: 37.296
1968:2 Não disponível
1969: Fluminense: 40.459
1970: Flamengo: 48.721
1971: Atlético-MG: 33.359
1972: Corinthians: 40.653
1973: Flamengo: 31.094
1974: Vasco da Gama: 37.853
1975: Internacional: 51.962
1976: Corinthians: 50.919
1977: Atlético-MG: 55.716
1978: Palmeiras: 31.878
1979: Flamengo: 41.955
1980: Flamengo: 66.507
1981: Flamengo: 52.802
1982: Flamengo: 62.435
1983: Flamengo: 63.021
1984: Vasco da Gama: 41.973
1985: Bahia: 41.497
1986: Bahia: 46.291
1987: Flamengo: 47.610
1988: Bahia: 35.537
1989: Flamengo: 21.300
1990: Atlético-MG: 26.748
1991: Atlético-MG: 30.452
1992: Flamengo: 42.922
1993: Corinthians: 37.330
1994: Atlético-MG: 22.673
1995: Atlético-MG: 21.072
1996: Atlético-MG: 25.449
1997: Bahia: 27 431
1998: Cruzeiro: 28.384
1999: Atlético-MG: 42.322
2000: Fluminense: 20.219
2001: Atlético-MG: 30.679
2002: Fluminense: 24.535
2003: Cruzeiro: 26.366
2004: Corinthians: 13.547
2005: Corinthians: 27.330
2006: Grêmio: 25.632
2007: Flamengo: 39.221
2008: Flamengo: 40.694
2009: Flamengo: 41.553
2010: Corinthians: 27.446
2011: Corinthians: 29.397
2012: Corinthians: 25.222
2013: Cruzeiro: 28.911
2014: Cruzeiro: 29.678
2015: Corinthians: 34.188
2016: Palmeiras: 32.682
2017: Corinthians 40.007
2018: Flamengo 51.224
2019: Flamengo 59.285
2021: Atlético-MG 42.300
Totais por clube
1. Flamengo: 15
2. Corinthians e Atlético Mineiro: 10
4. Cruzeiro e Bahia: 4
5. Vasco da Gama, Fluminense: 3
8. Palmeiras: 2
9. Botafogo, Sport, Internacional e Grêmio: 1
Médias gerais por clube
  1. Flamengo: 29.159
  2. Corinthians*: 25.842
  3. Atlético Mineiro: 24.619
  4. Palmeiras: 21.371
  5. Bahia: 20.658
  6. Cruzeiro: 20.201
  7. Grêmio: 19.554
  8. São Paulo: 19.381
  9. Internacional: 19.332
  10. Vasco da Gama: 17.625
  11. Fluminense: 16.167
  12. Santa Cruz: 15.273
  13. Ceará*: 15.056
  14. Sport: 14.094
  15. Coritiba: 13.965
  16. Botafogo: 13.430
  17. Paysandu: 13.562
  18. Vitória: 13.001
  19. Goiás: 12.891
  20. Santos: 12.651
  21. Atlético Paranaense: 12.017
  22. Náutico: 11.739
  23. Figueirense: 9.575
  24. Avaí* : 9.559
  25. Atlético Goianiense*: 9.466
  26. Santo André: 9.195
  27. Guarani*: 8.426
  28. Chapecoense: 8.174
  29. Joinville*: 7.547
  30. Ponte Preta: 7.522
  31. Portuguesa*: 6.301
  32. Criciúma*: 6.266
  33. Juventude*: 5.386
  34. América Mineiro : 5.064
  35. São Caetano*: 4.111
  36. Grêmio Prudente*: 3.692
  37. Ipatinga*: 3.602

Fonte: Revista Placar - Guia do Brasileirão 2016, 2015, 2012, 2011, 2010, 2009, 2008, 2007, 2006, 2005, 2004 e 2003 (**) Considerando a PLACAR nº 1250, de novembro de 2002, pág. 38, haveria a inclusão de outros clubes nesta lista e possíveis mudanças de posição. Como exemplo, o America (RJ) com 6.500 espectadores em média, era o 49º colocado. Naturalmente esta lista sofreria distorções em função das poucas participações de alguns clubes em campeonatos com médias de públicos maiores do que as do Século XXI.

Maiores médias de público por clube[editar | editar código-fonte]

Série A; até 2019; jogos com mando de campo[15][16][17]

  1. Flamengo: 66.507 (1980)
  2. Atlético Mineiro: 55.664 (1977)
  3. Santos: 49.306 (1983)
  4. Corinthians: 47.729 (1976)
  5. Internacional: 46.971 (1979)
  6. Bahia: 46.291 (1986)
  7. Vasco da Gama: 46.281 (1983)
  8. Fluminense: 43.541 (1976)
  9. Palmeiras: 42.417 (1983)
  10. São Paulo: 41.179 (1981)
  11. Cruzeiro: 37.035 (1983)
  12. Grêmio: 36.648 (1981)
  13. Sport: 35.580 (1998)
  14. Botafogo: 34.720 (1981)
  15. Fortaleza Esporte Clube: 32.999 (2019)
  16. Clube Náutico Capibaribe: 30.918 (1983)
  17. Goiás Esporte Clube: 28.158 (1983)
  18. Ceará Sporting Club: 28.078 (2018)
  19. Esporte Clube Vitória: 27.022 (1993)
  20. Santa Cruz Futebol Clube: 25.478 (1980)
  21. Club Athletico Paranaense: 23.801 (1983)
  22. Coritiba: 21.754 (1980)
  23. Guarani: 17.861 (1982)
  24. Ponte Preta: 16.664 (1977)
  25. Portuguesa: 13.705 (1984)
  26. Atlético Goianiense: 12.053 (1986)
  27. Criciúma: 12.023 (1986)
  28. Figueirense: 11.625 (2011)
  29. Avaí: 10.820 (1976)
  30. Chapecoense: 10.021 (2014)
  31. América Mineiro: 9.667 (1973)
  32. Santo André: 9.195 (1981)
  33. Grêmio Prudente: 3.691 (2009)
  34. Ipatinga: 3.602 (2008)

Notas[editar | editar código-fonte]

1 Em 1967 e 1968, foram realizados dois Campeonatos Brasileiros. Esta colocação refere-se ao torneio denominado na época de Torneio Roberto Gomes Pedrosa.
2 Em 1967 e 1968, foram realizados dois Campeonatos Brasileiros. Esta colocação refere-se ao torneio denominado na época de Taça Brasil.
3 Considerada apenas a Copa União.
4 Considerados apenas o Módulo Azul e a fase final da Copa João Havelange.

Referências

  1. Guia do Brasileirão 2010 (maio de 2010). Placar n. 1342. Editora Abril, pg. 121
  2. «Unificação de títulos traz mudanças importantes nas estatísticas». globoesporte.com. 16 de dezembro de 2010. Consultado em 6 de agosto de 2012 
  3. O Jornal do Brasil de 6 de dezembro de 1976 informou que dos 50.000 corintianos estiveram no Rio de Janeiro naquele final de semana. Dos 52 mil ingressos enviados a São Paulo para a torcida do Corinthians, 10.000 foram devolvidos, sendo os de 700 cadeiras vendidos na hora do jogo.
  4. guiadoscuriosos.com.br/ Os menores públicos da história do brasileirão
  5. «Estatísticas do Campeonato Brasileiro de futebol». Quadro de Medalhas. Consultado em 17 de outubro de 2016 
  6. «O primeiro campeão do Brasil/Mas o que era a Taça Brasil?». Site UOL. Consultado em 29 de outubro de 2020 
  7. «Brasileirão de 2019 fecha com a maior média de público em 32 anos». Plantão Enfoco. 11 de dezembro de 2019. Consultado em 14 de janeiro de 2020 
  8. Revista PLACAR Guia do Brasileirão 2013 páginas 186 e 187
  9. Revista PLACAR Guia do Brasileirão 2013 página 177
  10. Revista PLACAR Guia do Brasileirão 2017 páginas 51 e 58
  11. Globo Esporte. 12 de maio de 2017 https://ge.globo.com/blogs/memoria-ec/post/2020/02/05/flamengo-corinthians-e-atletico-mg-lideram-ranking-historico-de-publico-em-torneios-nacionais.ghtml. Consultado em 26 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  12. Futebol em Números UOL. 12 de maio de 2017 https://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/06/27/corinthians-maior-media-de-publico-desde-1993. Consultado em 26 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  13. Futebol em Números UOL. 27 de maio de 2017 https://futebolemnumeros.blogosfera.uol.com.br/2017/05/12/os-clubes-lideres-de-publico-na-historia-do-brasileirao/. Consultado em 26 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  14. Rodolfo Rodrigues UOL. 7 de dezembro de 2021 https://www.uol.com.br/esporte/colunas/rodolfo-rodrigues/2021/12/07/rodolfo-rodrigues-atletico-mg-tem-a-maior-media-de-publico-do-brasileirao.htm. Consultado em 26 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  15. Revista PLACAR Guia do Brasileirão 2016
  16. Públicos do Ceará em 2018
  17. Públicos do Fortaleza em 2019