Uberaba Sport Club

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Uberaba
Uberaba.png
Nome Uberaba Sport Club
Alcunhas Colorado[1]
Zebu
Torcedor/Adepto Colorado
Mascote Boi Zebu[1]
Fundação 15 de julho de 1917 (100 anos)
Estádio Uberabão[1]
Capacidade 25.000

11.300 (Liberados pelo Corpo de Bombeiros)

Presidente Brasil Luis Fernando de Freitas
Patrocinador Brasil RN saúde

Brasil Rede Eletrosom

Material (d)esportivo Brasil Pro-X
Competição Minas Gerais Campeonato Mineiro Campeonato Mineiro de Futebol de 2016 - Módulo II
Minas Gerais B2018 á disputar
Minas Gerais B2017 4°Colocado
Website Uberaba Sport Club
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Uberaba Sport Club[1][2] é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Uberaba, no estado de Minas Gerais. Fundado em 1917, é tricampeão da Taça Minas Gerais e sua década de maior glória foi a década de 1980, em que conquistou vários títulos - entre eles, o principal, o Torneio acesso ao campeonato Brasileiro da série A. Seu mascote é o Zebu e suas cores são o vermelho e o branco.

História[editar | editar código-fonte]

Criação e Profissionalização[editar | editar código-fonte]

O Uberaba Sport Club foi fundado em 15 de julho de 1917[3]. Os apaixonados pelo futebol da cidade de Uberaba cooperavam como podiam para alcançar uma meta: criar um grande clube. Hoje, a sua casa é o Estádio Municipal Engenheiro João Guido, mais conhecido como Uberabão. Por Uberaba ser conhecida como a "capital do Zebu", foi escolhido este tipo de boi para mascote do Colorado.

Na década de 1930, o USC recebeu e venceu em seu estádio, no bairro Mercês, acertadamente batizado de Boulanger Pucci, um dos maiores beneméritos do clube. Naquele gramado, desfilaram muitos dos maiores jogadores da época, em equipes como o Paulistano e o Peñarol do Uruguai, entre outros.

Nos anos 40, o famoso São Paulo Futebol Clube, de Leônidas da Silva, e o Atlético Mineiro, campeão na Europa, proporcionaram grandes embates com o Colorado no Boulanger Pucci. Em um inesquecível jogo contra o Galo, de Kafunga, brilhou a estrela de um uberabense que fez história: Wilson Frade, o "Ticrila", que, ao lado de Otacílio, Gabardinho, Djalma e Nelsinho, quebrou a invencibilidade atleticana por 3 a 2.

Nos anos 50, o USC ganhou seguidamente o Campeonato do Triângulo, até voltar a disputar o Campeonato Mineiro, onde foi bicampeão do interior. O time marcou época nos anais do clube: Vilmontes, Loli, Cazeca, Tam, Tiago, Lanza, Fausto, Paulinho, Zé Luis, Tati e Oliveira.

Primeira partida[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de dezembro de 1917, foi realizada a primeira partida do USC de que se tem notícia. O jogo, contra o Araguary (com y, respeitando a época), foi assim descrito pelo cronista Fernando Terra, o primeiro a escrever sobre esporte no saudoso jornal Lavoura e Comércio:

"Com um grande match de foot-ball, o USC inaugura no dia de Natal, a sua esplêndida praça de esportes [nos terrenos da Santa Casa de Misericórdia]. Os foot-ballers de Araguary acederam em jogar com o primeiro team do clube local. A novel associação inicia assim suas lutas esportivas, com um renhido embate intermunicipal. O Dr. Tancredo Martins, em palavras de vibrante entusiasmo, em nome da diretoria do clube, fez entrega da belíssima taça, oferecida pela artista 'La Maruxa' à equipe vencedora. Conquistou assim o Uberaba Sport os seus primeiros louros. O juiz da partida foi o 'referee' Ricardo Fonseca, que juntamente com os bandeirinhas, estava de paletó e gravata, impondo mais respeito... O Uberaba jogou com Aladino, Gama e Macário; Waldemar Junqueira, Satyro de Oliveira e Antonio; Targino, Aristides Cunha Campos, Olavo Junqueira, José Ribeiro e Mário Junqueira. O Araguary contou com Ernesto, Pinho e Machado; Aristides, Celso e Dante; Djalma, Luiz, Jeovah, Mário e Alderico. O 'placard' foi um triunfo sensacional do USC por 3 a 0 (pesquisas recentes apontam que o jogo poderia ter sido 3 a 1), com gols de Aristides Cunha Campos que fez o primeiro, José Ribeiro ampliou para 2 a 0 e Targino completou a goleada."

Destaques no Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Em 1976, em sua primeira participação em campeonatos brasileiros, o Uberaba venceu seu primeiro jogo. Em jogo válido pela terceira rodada, em 12 de setembro de 1976, o Uberaba derrotou a Portuguesa de Desportos, com um gol do lateral Alfinete. O povo de Uberaba saiu às ruas para comemorar, em carreata, a boa vitória do Colorado de BP.

No campeonato brasileiro de 1977 ocorreu uma das mais vibrantes vitórias do Uberaba Sport de todos os tempos. Com dois gols de Naim e dois de Paulo Luciano, o USC destruiu o Santos de Cejas, Ailton Lira e Juary, que aliás fez o gol santista. Uberaba 4x1 Santos. Foi em 27 de novembro de 1977.

Aconteceu na Taça de Ouro 1981. Ainda no Aeroporto de Uberaba, o saudoso João Saldanha chama o time de "Galinha Morta". Rapidamente, muda de ideia. Surpreendido pelo time e por um empate conseguido graças a um gol irregular de Nunes, Saldanha teve que reconhecer que o Colorado dominou o Flamengo de Zico e companhia e poderia ter vencido. Uberabão superlotado. Uberaba 1x1 Flamengo.

Flamengo 4x2 Uberaba - Maracanã, 1 de abril de 1981 Uberaba: Diron, Celso, Rafael e Tim; Aldeir, Vandinho, Joãozinho, Paulo Luciano,Ilton e Vicente; Serginho Ney. Flamengo: Raul, Carlos Alberto, Luís Pereira, Marinho e Júnior; Vitor, Adílio, Zico e Titã ; Nunes e Carlos Henrique

Em 6 de março de 1983, o que parecia impossível transformou-se em uma impressionante jornada do Colorado. Após ser goleado pelo Guarany de Sobral e precisando vencer por três gols de diferença para avançar na Taça de Prata, nem o mais otimista dos torcedores imaginava o que estava por acontecer naquele domingo no Uberabão. Com uma goleada histórica por 5 a 0, o Uberaba esnobou a Taça de Prata, destruiu o poderoso Santa Cruz de Recife e avançou direto para a Taça de Ouro. O último gol, do ponteiro esquerdo Simões, é inesquecível: em um contra ataque, Simões dominou a bola no meio do campo e avançava rapidamente até o gol do Santa, empurrado pela torcida, completamente de pé, e pela voz de Moura Miranda, nas centenas de rádios de pilha espalhados pelo estádio. Ao chegar de frente para o gol, Simões pareceu mais tropeçar do que chutar a bola, que bateu no goleiro e voltou, caprichosamente, de encontro aos seus pés, e dessa vez ele não errou. Gol. Uberaba na Taça de Ouro.

Jogadores Revelados[editar | editar código-fonte]

O Uberaba Sport revelou muitos jogadores juniores em 1986 sob a supervisão do treinador Zezinho e que tiveram grande destaque em Minas Gerais e São Paulo, como o centroavante Silvio Bernardes, de Uberaba, que foi jogar e marcar muitos gols defendendo o Palmeiras, e depois no Japão. O jogador acabou se aposentando da profissão e tornou-se dentista.

Houve também o goleador atacante com apelido de "Pancho", vindo de Miguelópolis-SP e tendo o nome real de Nagib Miguel que, nos Juniores foi sempre o destaque na artilharia, marcando muitos gols, com estilo ofensivo parecido com o de Palhinha (ex-Cruzeiro e ex-Corinthians) e foi atuar profissionalmente em Batatais, Santa Fé do Sul, Igarapavense e Ituveravense e com proposta para atuar no Japão, o mesmo recusou e preferiu aceitar ser avaliado no Corinthians em 90 quando sofreu grave lesão no joelho.

Teve ainda Zé Rock que jogava muito bem no meio-de-campo, líder pela garra e que depois foi atuar no grupo de Pop Rock, Nós.

Cássio era um lateral-direito muito vigoroso, aguerrido e determinado.

Gilson Batata, o Batatinha, foi a revelação mais recente entre os jogadores uberabenses do Colorado.

Juniores, Geração de Ouro[editar | editar código-fonte]

Nos anos seguintes, o Uberaba só não teve muito sucesso porque não manteve esta base que foi uma das melhores do Estado em 1986. Desvalorizados, os garotos transferiram-se para outras equipes com melhores condições, outros pararam por falta de condições financeiras. Nesta época, Uberaba era administrada por Luciano Rangel. Estes juniores fizeram parte de uma das melhores histórias do Uberaba Sport Club, com muitas conquistas de torneios expressivos em Uberaba, Uberlândia, Belo Horizonte e em toda Minas Gerais, sendo o campeão de Juniores em 1986, em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro numa virada memorável por 3 a 1, preliminar do jogão entre Cruzeiro e Atlético-MG, com gols de Zé Rock, Silvio Bernardes e Pancho.

O Uberaba derrotou o Uberlândia, seu principal rival, dentro do Estádio Sabiá, por 4 a 1 com um gol de Júnior, outro de Pancho e dois de Sílvio Bernardes; venceu o América por 3 a 0, com gols de Zé Rock, Cássio e Sílvio Bernardes; detonou o Atlético Mineiro por 4 a 2 com dois gols de Sílvio Bernardes, um do Batatinha e outro de Pancho e, assim, Uberaba foi mostrando a equipe.

Anos Atuais[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o Uberaba Sport Club voltou a disputar a elite do Campeonato Mineiro pela primeira vez após o rebaixamento de 2004. Terminou o campeonato na nona colocação, em um campanha final surpreendente, vencendo os dois últimos jogos contra os Democratas (3 a 0 em Sete Lagoas e 2 a 1 contra o Demo-GV no Uberabão) assim conseguindo se manter a boa classificação, sendo que era um dos grandes favoritos ao rebaixamento naquele ano .

Em 2009 foi campeão da Taça Minas Gerais, e garantiu vaga para disputar a Copa do Brasil 2010. Após eliminar o Londrina do Paraná, foi eliminado pelo campeão Brasileiro Fluminense-RJ.

Em 2009 e 2010, na elite do Campeonato Mineiro, o USC passou para a próxima fase da competição e foi eliminado em 2009 pelo Atlético e em 2010 pelo Cruzeiro.

Em 2010 venceu novamente a Taça Minas Gerais , vencendo os dois jogos da Final por 1x0 em cima do Uberlândia, tendo destaque a sua torcida no segundo jogo em Uberlândia - cerca de 2500 pessoas compareceram no Estádio João Havelange, e prestigiaram mais uma vitória do Uberaba Sport .

Em 2009 e 2010, o clube participou do Campeonato Brasileiro Série D, e nos dois anos foi eliminado nas quartas de finais - em 2009 pelo Alecrim e em 2010 pelo Araguaína; em 2010 o Uberaba perdeu na disputa de pênaltis, errando quatro pênaltis.

Em 2016, o clube passou por uma renovação total de sua administração, coincidindo com o início do planejamento da comemoração do seu centenário, no ano seguinte. O elenco do time foi reconstruído e disputará, em 2017, o Módulo II do Campeonato Mineiro.

Copa do Brasil[editar | editar código-fonte]

Após vencer a Taça Minas Gerais no ano de 2009 , a equipe se classificou para a Copa do Brasil de 2010 . Em sua primeira fase enfrentou o Londrina EC. Jogando diante de sua torcida o primeiro jogo, o Uberaba ganhou pelo placar mínimo de Uberaba 1x0 Londrina EC. No jogo de volta em Londrina, diante de um público de apenas de 814 pessoas, o Uberaba venceu por 2x0, classificando-se para Segunda Fase contra o Fluminense.

Na segunda fase o Uberaba Sport lotou o Estádio Uberabão contra o Fluminense e cerca de 23.214 pessoas assistiram ao jogo. O Uberaba jogava bem mas não conseguiu evitar a derrota por 2x0, sendo eliminado conforme o regulamento.

No final de 2010 o Uberaba vence pelo 2° ano seguido a Taça Minas Gerais e se classifica novamente para a Copa do Brasil.

No dia 16 de fevereiro de 2011, o Uberaba Sport Club enfrentou a equipe de Santa Helena de Goiás, vencendo pelo placar de 3x1. Classificado para a segunda fase, enfrentou o Palmeiras e perdeu por 4x0 no Uberabão, sendo novamente eliminando.

Foi rebaixado em 2012 para o modulo 2 do Campeonato Mineiro, e rebaixado em 2013 para a Terceia Divisão do mesmo.

Estádio[editar | editar código-fonte]

O Estádio Municipal Engenheiro João Guido, mais conhecido como Uberabão, é um estádio multiúso localizado na cidade de Uberaba, Minas Gerais, Brasil. Tem capacidade para 25.000 pessoas. O início da sua construção pela iniciativa privada remonta a 1961, quando o loteamento do bairro onde se insere foi lançado com o slogan "o estádio monumental é pra valer". A cava em pedra com o formato do fosso ficou durante anos sem investimento. Seu projeto estima que o estádio teria a capacidade de 45.000 pessoas e seria todo coberto. As obras foram retomadas após negociação com a Prefeitura Municipal de Uberaba, proprietária do estádio, que foi inaugurado em 1972. O seu nome é uma homenagem posterior à inauguração e ao mandato do Engenheiro João Guido, em cujo mandato tornou o imóvel público e retomou a construção. Único estádio do mundo com um rio circundando seu campo. O estádio pertence à Prefeitura, mas o Uberaba Sport Club é considerado a equipe mandante do estádio.

Seu segundo estádio é o Estádio Boulanger Pucci. Possui capacidade para 7 mil pessoas. Foi fundado e inaugurado junto ao clube, no dia 15 de julho de 1917, por torcedores.

Campanha no Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Brasil Campeonato Brasileiro
Ano 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1983
Pos. 41º 32º 59º 23º 09º 32º

Brasil Campeonato Brasileiro Série B

Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 12º 21º
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos.
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos.
Brasil Campeonato Brasileiro Série C
Ano 1996 2001 2003
Pos. 15º 48º 10º
Brasil Campeonato Brasileiro Série D
Ano 2009 2010
Pos. 05º 05º
Brasil Copa do Brasil
Ano 2010
Pos. 2011
Pos. 33º 34º

Desempenho no Campeonato Mineiro de Futebol[editar | editar código-fonte]

Minas Gerais Campeonato Mineiro
Ano 1940 1941 1942 1943 1944 1945 1946 1947 1948 1949
Pos. - - - - - - - - -
Ano 1950 1951 1952 1953 1954 1955 1956 1957 1958 1959
Pos. - - - - - - - -
Ano 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969
Pos. 10° 10° 10°
Ano 1970 1971 1972 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979
Pos. 10°
Ano 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989
Pos. 12° 10° 11° 15°
Ano 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999
Pos. 14° 15° 12° 19°Rebaixado
Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Pos. 12º Promovido 12ºRebaixado Promovido
Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Pos. 12ºRebaixado 11ºRebaixado Promovido
Legenda
Módulo I
Módulo II
Segunda Divisão
Terceira Divisão

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Regionais[editar | editar código-fonte]

Destaques[editar | editar código-fonte]

  • Torneio Santos Dumont: 1974 - Campeão.
  • Taça Minas Gerais: 2006 - Vice Campeão.
  • Campeonato Mineiro da Segunda Divisão: 2007- Vice-campeão.

Categoria de Base e Futebol Feminino[editar | editar código-fonte]

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]

Legenda:

  • Capitão: Capitão


Goleiros
Jogador
Brasil Gilson
Brasil Éder
Brasil Kaiky
BrasilJoão Pedro
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Lucas Z
Brasil Ricardo Lucena Z
Brasil Lucão Z
Brasil Junior Lima LD
Brasil Ulisses LE
Brasil Cleuber LE
Brasil Douglas LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Paulo Henrique V
Brasil Leandro Teixeira V
Brasil Kauê V
Brasil Hércules M
Brasil Paulo Neto M
Brasil Gustavo M
Brasil Jhoubert M
Brasil Alan Patrick M
Brasil Michel Cury M
Atacantes
Jogador
Brasil Allan
Brasil Léo Torres
Brasil Gabriel
Brasil Rudimar
Brasil Rodrigo Dias
Brasil Douglas Skilo
Brasil Baianinho
BrasilBruno Henrique
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Gilmar Estevam T

Ídolos[editar | editar código-fonte]

O Uberaba nunca contou com um grande craque em toda sua história, mas revelou bons jogadores para o futebol mineiro e brasileiro, além de contar com figuras importantes desde sua fundação.

Toinzinho é considerado uma das maiores revelações da equipe mineira. Habilidoso, o meia-atacante iniciou sua carreira no Colorado na década de 1980 e atuou em equipes como Cruzeiro, Palmeiras e Santos, onde inclusive foi o substituto de Pelé, quando o “Rei do Futebol” deixou o time alvinegro.

Ao lado de Toinzinho, o atacante Naim formou uma das melhores duplas de ataque do Triângulo Mineiro. O jogador brilhou com a camisa vermelha e branca nas décadas de 1960 e 1970 e continua morando na cidade.

O zagueiro Beto Fuscão também foi uma figura marcante que passou pelo time mineiro. O defensor teve passagens por times como Palmeiras e Grêmio e seu auge no alvirrubro foi em 1986, já no fim de sua carreira.

Sílvio Bernardes Filho, ou simplesmente Sílvio, foi outra boa revelação das categorias de base do time mineiro. Nascido na cidade, ele iniciou sua carreira profissional no clube em 1984 e deixou a equipe em 1988. Mesmo com apenas quatro anos jogando no time, o jogador tem seu nome lembrado como um dos melhores atacantes da sua história.

Recentemente, um dos maiores destaques do Colorado foi o veterano atacante Gílson Batata. Com passagens por Goiás, Bahia e Guarani, ele foi o artilheiro da equipe que conquistou o Módulo II e um dos principais responsáveis pelo acesso à elite do futebol mineiro, no ano de 2003.

Outro jogador que se destacou foi o atacante Danilo Leandro, que fez ótimas atuações no clube no ano de 2009, levando o USC ao título da Taça Minas Gerais. Hoje ele é destaque na 1° Divisão do campeonato português.

Jogadores importantissimos da história do Uberaba foram Paulo Luciano, Waldery, Zizinho, Diron, Belmar, Vandinho, Modesto, Vicente, Pancho, Celso Sá, Saraiva,Veran, Hilton, Cabeça e Ney, na sua grande maioria jogadores da cidade, que souberam honrar a camisa colorada.

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em dezembro de 2014

  • Posição: 120º
  • Pontuação: 369 pontos[4]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil[5].

Hino[editar | editar código-fonte]

Letra: Lourival Beduíno do Carmo (Barão) Música: Rigolleto de Martino


Tenho fulgente história: Até os deuses já cantam minha glória! Sou o valente campeão Que de Uberaba possuo o coração. Sempre leal e forte, Sou o denodado Uberaba Sport, O astro rei, brilhante sol, A potestade mor do futebol.

Meus jogadores lutam sempre com afeição Em prol do belo alvi-rubro pavilhão Nada os retém em seu fervor Acometendo com ardil e valor. Em campo altivos, briosos, viris, Sempre triunfam nas pugnas febris. Seus peitos tremem de santo ardor E a glória os beija num lance de amor...

Nobre e liberal, Meu time não tem rival! É vencer a sua divisa ideal. Tem vitórias mil: É a glória do Brasil! Ah! Valente Sport Tão alvejado e sempre forte! Aleguá!...guá!...guá...Urrah!...Urrah! Salve! Ó campeão

Da Princesa do Sertão!

  • Composição: Lourival Balduíno do Carmo[6]
  • Melodia: Rogolleto De Martino[6]

Torcida[editar | editar código-fonte]

O principal time da cidade, Uberaba Sport Club, conta com duas torcidas organizadas: o Exército Vermelho que já tem 5 anos de existência e a Furacão Colorado, com pouco mais de 1 ano. Além de todo apoio que prestam para o clube em dias de jogos, ocupando a posição de 12º jogador, os torcedores também acompanham o time nas viagens. No final de 2009, Uberaba enfrentou o Alecrim, do Rio Grande do Norte, pelo Campeonato Brasileiro. As torcidas seguiram o Colorado, viajando até Natal, onde seria a disputa. Os dirigentes de ambas as torcidas citam essa viagem como uma prova de amor ao USC, mas na memória de cada uma ainda existem outras histórias para contar. Ainda em 2009, o Uberaba venceu a equipe de Santa Helena de Goiás pelo placar de 3x1, na cidade de Santa Helena de Goiás, assim classificando o Uberaba para jogar contra o Palmeiras pela Copa do Brasil 2011.

As torcidas não podem deixar de marcar presença, para garantir a festa em dias de jogos. Segundo os dirigentes das equipes, cada torcedor paga a sua própria entrada. A diretoria do clube disponibiliza cerca de oito ingressos para cada uma.

Apesar de ser dirigida por uma mulher, a equipe Furacão Colorado não possui muitas mulheres em seu elenco, mas a presidente da torcida acredita que isso vai mudar. “Ainda tem poucas mulheres, mas espero que agora com uma mulher na presidência da torcida outras mulheres se sintam mais a vontade e confiantes para poderem participar também". Ela acrescenta que as crianças também participam da torcida e que ficam fascinadas com a festa colorada.

Já no Exército Vermelho, segundo o presidente, as mulheres e as crianças são presenças garantidas. “A participação das mulheres e crianças é totalmente ativa e direta. Temos crianças na charanga, que estão aprendendo a ser um bom tocador.”

Para a compra de instrumentos e materiais usados em dias de jogo, a equipe Exército Vermelho recebe doações dos próprios integrantes. “Todos os participantes contribuem com algum valor. As camisetas e faixas ganhamos dos patrocinadores. As camisetas distribuímos parte para os parceiros ou patrocinadores e a outra parte vendemos. Com a verba arrecadada comparamos fogos, luminosos, papel higiênico entre outros materiais”.

Em dezembro de 2010, na final da Taça Minas Gerais, o último jogo da final foi na cidade vizinha e rival Uberlândia, a torcida se uniu e conseguiu arrastar cerca de 2.500 pessoas para a cidade vizinha.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]