Sociedade Esportiva Guaxupé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Esportiva Guaxupé
Esportiva Guaxupé.png
Nome Sociedade Esportiva Guaxupé
Alcunhas Tigre de Minas
Time de Guerreiros
Torcedor/Adepto Guaxupeano
Mascote Tigre
Fundação 13 de fevereiro de 1952 (65 anos)
Estádio Municipal Carlos Costa Monteiro
Capacidade 8.000
Localização Guaxupé, MG
Presidente Brasil Carlos Alberto Pallos (2013-2015)
Treinador Brasil João Carlos
Patrocinador Bojos Ludson
Fittness Academia
Guaxucabos
Grupo Milton Neves
PES Boleiros PC Edit
Prefeitura de Guaxupé
Material (d)esportivo Brasil Ditz
Competição Minas Gerais Campeonato Mineiro - Segunda Divisão
Minas Gerais JR 2011
Minas Gerais B1 2012
7° Colocado
3° Colocado
Minas GeraisC 2016 13° Colocado
Website Oficial
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Sociedade Esportiva Guaxupé é um clube de futebol da cidade de Guaxupé, sul de Minas Gerais, fundada no dia 13 de fevereiro de 1952.

A equipe já esteve entre os grandes clubes do futebol mineiro entre os anos de 1975 e 1984, atualmente disputa a terceira divisão do Campeonato Mineiro de Futebol, uma vez que, a segunda é intitulada como Módulo II. Manda suas partidas no Estádio Municipal Dr. Carlos Costa Monteiro, em Guaxupé, com capacidade para 8.000 pessoas. Desde 1985, a Esportiva de Guaxupé não participa de um estadual mineiro da Primeira Divisão.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação (1952-1960)[editar | editar código-fonte]

No final da década de 40, Esporte Clube Mogiana, Palmeirinha Futebol Clube e Vila Rica Futebol Clube, predominavam em gramados mineiros cada qual com seus craques representando Guaxupé. Após uma reunião, foi criada aliança entre esses três clubes, fundando no 13 de fevereiro de 1952 um clube forte e soberano: a Sociedade Esportiva Guaxupé.

Estádio Municipal

Rumo à Elite Mineira (1970-1984)[editar | editar código-fonte]

Tradicional agremiação do interior de Minas Gerais, a Esportiva, só disputava amistosos, até que foi inscrita para disputar o Campeonato Mineiro de Futebol. Chegou a Primeira Divisão rápido (1975) e lá ficou por quase 10 anos, sendo rebaixada em seguida.

Anos como figurante (1985-2000)[editar | editar código-fonte]

Após o rebaixamento, o clube sofreu uma grave crise interna e pouco podia fazer na Segundona, sempre brigando contra o rebaixamento.

Nova queda e Crise Financeira (2000-2005)[editar | editar código-fonte]

Nos final do século, a equipe se estabilizaria financeiramente e buscava o retorno a Primeira Divisão. 2000 foi o ano que mais aproximou-se deste retorno, terminando a Segunda Divisão (Módulo II) em 3º lugar, após perder na última rodada, no confronto direto em Patos de Minas contra o Mamoré, dirigido por Renê Santana, filho do Mestre Telê Santana.

Em 2003, o Tigre caíria para a Segunda Divisão (Terceira na prática), onde anos depois parava suas atividades. Pessoas ligadas ao clube chegaram a cogitar a mudança de nome, coisa não aprovada pelos torcedores.

A Volta do Tigre e o Time de Guerreiros(2010-2012)[editar | editar código-fonte]

Em 2010 a equipe volta as suas atividades, depois de alguns anos afastada dos gramados por dificuldades financeiras. Dando prioridade as categorias de base, a Esportiva garante garante o título da Copa Sul-Mineira de Juniores no mesmo ano. Em 2011 foi a vez de disputar o Campeonato Mineiro Sub-20, enfrentando clubes de ponta de Minas Gerais e terminando a excelente campanha na 7ª Colocação.

2012 foi um dos anos mais dificéis da história do clube. Mantendo jogadores da categoria de base e contratando fortes nomes estaduais, a Esportiva chegava com tudo ao Estadual, porém crises internas, atraso nos salários dos jogadores, estádio inapto para receber partidas e para piorar, a morte do lateral Ranner, quase fez a equipe desistir da competição, mas a superação e raça de todos foi essencial para os problemas tornassem a equipe mais forte e unida, superando esses obstacúlos e sendo apelidada pelos Guaxupeanos como 'Time de Guerreiros'.

Apesar de tudo isso, o time ainda sofreria mais: "Após garantir acesso ao Módulo II do Mineiro, com uma vitória pelo critério de desempate (Cartões Amarelos) contra Democrata de Sete Lagoas; o STJD à pedido do Democrata, reverteu o critério de desempate da Semi-Final, desclassificando a equipe guaxupeana."

Nova Pausa do Clube(2013-presente)[editar | editar código-fonte]

Desapontados com a decisão do STJD, jogadores e diretoria já pensavam em 2013, porém as crises internas do clube, envolvendo registros, salários, entre outros motivos, levaram o clube a desistir da participação no campeonato. A equipe, no momento, desenvolve trabalho apenas nas categorias de base para que no futuro, com o time profissional possa buscar o tão sonhado retorno a Primeira Divisão do Estadual, de onde nunca mereciam ter saído.

Jogo entre Guaxupé x Operários FC em Paraíso 02/07/1961

Hino[editar | editar código-fonte]



'

Letra:'
Miguel Gabriel
Produção e arranjos:' Luiz Renato Braga e Rodrigo Pires'

Nunca vai ser campeão brasileiro
Nenhum jogador vai para nossa Seleção
Não tem um outro time no planeta
Que mexe tanto com o lixão

Não tem nenhum craque estrangeiro
O mundo inteiro vai saber como é que é
A raça de quem veste a camisa
Da Sociedade Esportiva Guaxupé

Esportiva, ó Esportiva
A bola em cada pé é um perigo
Pra encher a torcida de tristeza
Pra marcar pro adversário um gol!

Esportiva, Esportiva
Desde de menino sou um grande campeão
Se fizer um ultra-som aqui do peito
Vai revelar seu distintivo
Cravado no meu coração!

Último elenco[editar | editar código-fonte]

Plantel em 16 de Novembro de 2012

Semi-Final da Segundona: Homenagem à Ranner
  • Capitão: Capitão


Goleiros
Jogador
Brasil Cristiano
Brasil Tarso
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Alan Z
Brasil Levi Z
Brasil Leandro Alves Capitão Z
Brasil Paulinho Z
Brasil Toninho LD
Brasil Rancharia LD
Brasil Canhoto LD
Brasil Adinaldo LE
Brasil Ivan Giannini LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Paulinho Belém V
Brasil Toto V
Brasil Marlon Capitão M
Brasil Xandinho M
Brasil Rafinha M
Atacantes
Jogador
Brasil Yan Magro
Brasil Leandro Bocão
Brasil Ryan
Brasil Rodriguinho
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil João Carlos T

Títulos[editar | editar código-fonte]

Interestaduais[editar | editar código-fonte]

Tradicional competição da época que reunia todos os grandes clubes do interior dos estados de SP e MG.

Estaduais[editar | editar código-fonte]