Vitória Sport Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vitória de Guimarães
VitoriaGuimaraes.png
Nome Vitória Sport Clube
Alcunhas Conquistadores
Torcedor/Adepto Vitorianos
Conquistadores
Branquinhos
Fundação 22 de setembro de 1922 (95 anos)
Estádio Estádio D. Afonso Henriques
Capacidade 30,000[1]
Presidente Portugal Júlio Mendes
Treinador Portugal Pedro Martins até Fevereiro 2018

Portugal José Peseiro

Patrocinador Portugal Cachorrão
Material (d)esportivo Itália Macron
Competição Portugal Primeira Liga
Portugal Taça de Portugal
Portugal Taça da Liga
União Europeia Liga Europa
Website vitoriasc.pt
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Vitória Sport Clube, mais conhecido como Vitória de Guimarães ou pelo acrónimo V.S.C trata-se de um clube ecléctico[2][3][4] português fundado em 22 de Setembro de 1922 e sediado na cidade de Guimarães.

Tem como modalidade principal o futebol, distinguindo-se também em modalidades como o voleibol, o basquetebol, o futebol de praia, a natação, o pólo aquático, o jiu-jitsu, o taekwondo o kickboxing, entre outros. Sendo um clube de referência nacional e que, ao longo da sua existência, conquistou vários títulos nacionais e internacionais.[5].

Apesar de competir em vários desportos, o Vitória Sport Clube é conhecido sobretudo pela sua enorme massa adepta[6], e pelas grandes deslocações fora[7], actualmente milita na Primeira Liga, onde é o 5º clube com mais presenças no maior escalão do futebol Português, contabilizando 73 presenças, sendo também detentor de uma Taça de Portugal e de uma Supertaça Cândido de Oliveira.

O acesso às provas europeias é norma para a equipa vimaranense, tendo já disputado eliminatórias da Liga dos Campeões da UEFA e fases de grupos da Liga Europa recentemente. Ocupa actualmente a 125ª posição do ranking de clubes da UEFA[8] e o 158º lugar no ranking IFFHS.[9]

História[editar | editar código-fonte]

Fundação (1913–1922)[editar | editar código-fonte]

O Vitória Sport Clube deve as suas origens a um grupo de jovens estudantes que constituiu um grupo de futebol em 1913, data que alguns investigadores apontam como a verdadeira data de fundação do clube, ao qual em 1918 deram o actual nome, Vitória.

Em 22 de setembro de 1922, data oficial da fundação, o clube é filiado na Associação de Futebol de Braga, exactamente no primeiro ano de funcionamento daquela associação.[10] A referência mais antiga do Vitória é na edição do "Norte Desportivo" de 6 de fevereiro de 1938.

Século XX (1923–2000)[editar | editar código-fonte]

O Vitória Sport Clube começou a competir oficialmente no Campeonato Distrital de Braga na época de 1922–23, ano de estreia da competição. Após alguns anos de adaptação sem conquistar nenhum troféu, as participações do Vitoria SC em competições oficiais foram interrompidas dada a crise económica - principalmente no comércio - vivida na cidade de Guimarães a partir de 1927. Também a ausência de um local próprio para jogar impedia o clube de apresentar-se regularmente nas provas organizadas pela Associação de Futebol de Braga.

Até 1932, o calendário desportivo da equipa de futebol do Vitória resumia-se à realização esporádica de alguns jogos de carácter particular, sempre em casa do maior adversário, o Sporting Clube de Braga. Por̟ém, nesse mesmo ano, fundamentalmente depois da inauguração do Campo do Benlhevai, o clube começou a dinamizar-se e a evoluir positivamente para aquilo em que hoje se tornou.

Em 1934, o Vitória alcançou o seu primeiro grande troféu, conquistando o Campeonato Distrital de Braga após vencer o Sporting de Braga com um resultado agregado de 1–0 na final do torneio. Após perder as duas edições seguintes, acabou por conquistar onze edições seguidas da competição de 1936–37 até 1946–47.[11] Neste período, o clube também ganhou três edições do Campeonato do Minho, troféu disputado entre os vencedores dos campeonatos distritais de Braga e de Viana do Castelo respectivamente, em 1939, 1940 e 1941.

Entretanto, o clube vimaranense ingressou no primeiro escalão do futebol nacional em 1941, tendo descido 13 anos à Segunda Divisão na época de 1954–55, tendo regressado ao primeiro nível do futebol português em 1957–58, onde permaneceu até 2006.

Ao longo do século XX, o Vitória Sport Clube assumiu-se como possível candidato a ganhar a Taça de Portugal, tendo chegado à final em 1942, 1963, 1976 e 1988. Porém, acabou por ser sempre derrotado, evitando a conquista do seu primeiro troféu nacional.

Em 1980, Pimenta Machado assumiu a sua liderança do clube e, desde aí, o Vitória tem sido um dos principais clubes do futebol português, participando várias vezes nas competições europeias. Nomeadamente, em 1986–87, sob a orientação do treinador Marinho Peres, a equipa vimaranense alcançou o seu maior momento desportivo nas competições europeias, ao atingir os quartos-de-final da Taça UEFA, derrubando, entre outros, o Sparta de Praga e Atlético de Madrid, onde foi derrotada pelo Borussia Mõnchengladbach.

Em 1988, o Vitória Sport Clube conquistou o seu primeiro troféu nacional, vencendo a Supertaça como finalista vencido da Taça de Portugal ao Futebol Clube do Porto por 2–0 (resultado agregado). Nesse mesmo ano, o Vitória obteve uma das suas melhores classificações na Primeira Liga, onde alcançou o terceiro lugar.[12]

Novo Milénio (2001–presente)[editar | editar código-fonte]

Após o virar do milénio, Júlio Mendes tornou-se presidente do clube e o principal objectivo do Vitória Sport Clube tornou-se o acesso às provas europeias, tendo alcançado a quinta posição e o direito a participar na 1ª eliminatória da Taça UEFA em 2005.

Apesarde ter alcançado a fase de grupos da Taça UEFA em 2005–06 após derrotar o Wisła Kraków, acabaria por ser eliminado sem nenhum triunfo. Além disso, uma pobre performance a nível nacional apenas permitiu a equipa alcançar o 17º lugar no campeonato, acabando por descer à Segunda Liga pela segunda vez na sua história.

Em 2006–07, o Vitória ficou em 2º lugar no segundo escalão do futebol português, permitindo subir de volta à Primeira Liga, acabando por disputar o segundo lugar e, consequentemente, o acesso direto à Fase de Grupos da Liga dos Campeões da UEFA de 2008–09 com o Sporting Clube de Portugal. Acabou por ficar em terceiro lugar, garantindo o acesso à 3ª Pré-Eliminatória, onde viria a ser afastado pelo Basileia.[13]

Nessa mesma época, o voleibol do Vitória Sport Clube afirmava-se como uma das grandes equipas portuguesas, sagrando-se campeã nacional, e o basquetebol conquistava a sua primeira Taça. Em 2008–09, o Vitória também conquistaria a sua primeira e única Taça de Portugal de Voleibol.

Em 2010–11, o Vitória voltava ao Estádio Nacional do Jamor para disputar a final da Taça de Portugal frente ao Futebol Clube do Porto. Porém, foi derrotado por 6–2 e a seca de títulos nacionais de futebol continuou desde 1988.


Por̟ém em 2012–13, o Vitória chegava a uma nova final da Taça, desta vez frente ao Sport Lisboa e Benfica. Apesar de se ter encontrado a perder por 0–1, a equipa vitoriana acabaria por dar a volta ao marcador nos últimos dez minutos com golos de Soudani e Ricardo Pereira e conquistar a sua primeira Taça de Portugal.[14] Nesse mesmo ano, o Vitória alcançou as finais da Taça de Portugal em voleibol e basquetebol, acabando por vencer esta última, a segunda do seu palmarés.

Em abril de 2015, segundo dados do clube, tinha 21 mil sócios registados, marco histórico no clube.[15] Em 2016–17, o Vitória acabaria por alcançar o 4º lugar na classificação e a final da Taça de Portugal mais uma vez, que bastou para garantir o acesso à fase de grupos da Liga Europa da UEFA de 2017–18. Porém, acabou por perder mais uma final e a Supertaça, ao qual garantiu o direito de jogar como finalista vencido da Taça de Portugal.

A 15 de setembro de 2017, num jogo contra o Salzburgo, a contar para a Liga Europa da UEFA, o Vitória deixou a sua marca nas competições da UEFA ao ser a primeira equipa a iniciar um jogo sem um único jogador europeu no onze inicial. [16]

Pelo clube, passaram alguns dos jogadores mais talentosos que actuaram no futebol português, tais com Neno, Paulo Bento, Zahovic e Dimas e treinadores como José Maria Pedroto, Marinho Peres, Manuel José, Quinito, Jaime Pacheco e Augusto Inácio. Ao longo da sua existência, várias figuras marcaram a história do clube, com Presidentes como Pimenta Machado e Júlio Mendes a figurar como individualidades marcantes. Ao nível de treinadores, Jorge Vieira, José Maria Pedroto, Raymond Goethlas, Marinho Peres, Paulo Autuori, Quinito, Rui Vitória e Pedro Martins deixaram a sua marca no clube.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Emblemas[editar | editar código-fonte]

O primeiro emblema do Vitória Futebol Clube foi criado nos finais da década de 20[10] e desenhado pelo Capitão Mário Cardoso, personalidade importante na sociedade vimaranense e que, durante muitas décadas, foi o Presidente da Sociedade Martins SarmentoMH IH.

O emblema é claramente inspirado na estátua de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal e figura importante na sociedade portuguesa. Quanto às cores, preto e branco, deve-se a admissão no clube de todos sem distinção, sem discriminação de raças ou estatutos sociais.

O emblema surgiu várias vezes em jornais e outros escritos da época, folhas do clube ou cartões de associados. Porém, só no final da década de 40 é que começou a usar-se o símbolo nas camisolas do Vitória. Até essa altura, apenas era utilizado um V, fechado, com as cores branca e preta. O primeiro emblema é muito semelhante ao actual, apenas com uma excepçãoː além das letras "S" e "C" que se encontram ao lado de D. Afonso Henriques existia também a letra "V".

Um emblema com uma coroa aparece a partir de meados da década de 50, numa alusão ao facto de Guimarães ser uma terra real, acabando por desaparecer nos finais dessa mesma década, reaparecendo no emblema na década de 80, voltando a desaparecer mais tarde nessa mesma década.[10]

Antigos emblemas do Vitória Sport Clube em comparação com o atual.

Cores e Equipamentos[editar | editar código-fonte]

O Vitória, desde a sua formação, é associado à cor branca, que se verifica na cor do seu emblema e do seu equipamento principal. O preto é uma cor recorrente, devido à sua presença no emblema do clube e ao uso da cor nos equipamentos alternativos do clube.

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Principal
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Third kit

Hinos[editar | editar código-fonte]

Vários hinos e canções foram associados ao clube ao longo da existência deste. A primeira música cantada pelo povo data de 1932 e é referente ao antigo Campo de Benlhevai, inaugurado nesse mesmo ano. A segunda música foi criada na altura da disputa da Taça de Portugal de 1941–42 que levou o Vitória à final da competição.[17]

Em 1946–47 surge uma quadra popular dedicada aos campeões distritais dessa época que conquistavam o seu 11º título consecutivo, competição em que demonstravam não ter rival, tal era o seu domínio na região do Minho, do qual era também campeão.[10] A terceira música remonta aos anos 50 e 60 e era tocado nas aulas de ginástica do Vitória Sport Clube, no antigo recinto dos Bombeiros Voluntários de Guimarães.

O primeiro hino, e o que tem mais afeto por parte dos adeptos do Vitória, é o clássico hino "Vamos Gritar, Vitória, Vitória!", que data de 1986. O hino, escrito e interpretado pelo vimaranense e vitoriano Dino Freitas, fez furor nos anos 80 e 90 e não saiu da memória de muitos vitorianos e a intenção cada vez mais crescente de voltar a ouvi-lo no estádio aquando da entrada das equipas e em outras ocasiões festivas levou à criação de uma petição no início de 2008, iniciativa do blogue O Vimaranês.[18][19]

Nessa mesma ano e no seguimento da brilhante época realizada na Taça UEFA de 1986–87, Dino Freitas lança também o hino europeuː «À conquista da Europa». [20]

No último jogo da época de 2005–06, que ditou a descida de divisão após cerca de 50 épocas seguidas no principal escalão, os milhares de adeptos presentes no Estádio D. Afonso Henriques entoaram um lema (já utilizado anteriormente em outras ocasiões) que marca a diferença entre os adeptos do Vitória Sport Clubeː "Vitória até morrer!, Vitória até morrer!, Vitória até morrer!”

Esse lema deu origem a um outro na época seguinte, que ditou a subida à primeira divisão, que ainda é utilizado até aos dias de hoje: "Vitória allez! Vitória allez! aconteça o que acontecer, sou do Vitória até morrer.”

O hino mais recente foi criado em 2016. "Sou Vitória", uma melodia que é entoada no estádio minutos antes das partidas começarem, ganhou sucesso entre os adeptos pelo clube e é entoado até aos dias de hoje.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Dérbi do Minho

O principal rival do Vitória Sport Clube é o Sporting Clube de Braga, clube vizinho de distrito, com quem protagoniza o Dérbi do Minho. Este desentendimento, já vem da rivalidade histórica e com quase MIL anos entre as cidades de Guimarães de Braga, potencializada logo na década de 20 quando o Vitória foi forçado a usar as instalaç̴ões do clube rival devido à inexistência de condições para treinar e jogar futebol em Guimarães.

Apesar disto, o clube também rivaliza com os chamados "três grandes" (Sporting, Porto e Benfica) que disputam os lugares cimeiros da classificação do campeonato português por norma. O Vitória e os seus adeptos também mantêm uma rivalidade histórica com o Boavista Futebol Clube.

Patrocinadores[editar | editar código-fonte]

Período Material desportivo Patrocinador
1975–1984 Alemanha Adidas Austrália ASIC
1984–1985 França Le Coq Sportif
1985–1987
1987–1988
1988–1990 Japão Tensai
1990–1991 Itália Diadora
1991–1992
1992–1994 Dinamarca Hummel
1994–1995 Bélgica Olympic Portugal Bonança
1995–1996 Japão Tensai
1996–2000 Alemanha Adidas Alemanha Bayer Milraz
2000–2001 John Smith Países Baixos Maxitel
2001–2002 França Le Coq Sportif Portugal vitoriasc.pt
2002–2003 Japão Tensai
2003–2004 Portugal Guimarães Património Mundial
2004–2005 Alemanha Kappa Portugal Tiffosi Denim
2005–2006 Portugal Rádio Popular
2006–2007 Inglaterra Umbro Portugal Acreditar
2007–2008 Portugal Lacatoni Portugal Açoreana Seguros
2008–2011 Portugal Finibanco
2011–2014 Portugal Smile.Up
2013–2014 Estados Unidos Nike Angola Bento Kangamba
2014–2016 Angola Banco BIC
2016–2017 Itália Macron Vários*
2017-2018 Portugal Castro Eletrónica

*Nesta época o clube teve um match sponsor na camisola, em cada jogo disputado. Foram os seguintes: Dipe; Arouca Geopark; RCM Etiquetas; Glow Profissional; Somafer; Castro electrónica; Mit Penha; Accord immobiliere; SMK; Tabuadelo; Grupo MCA; El rock; LF2; CBS construtora; MR Poster; Cachorrão; Dl cozinhas; Betaflex; Be stich; Ertec; Tapiára; Nacional Office; Porto e Norte Turismo.

Instalações[editar | editar código-fonte]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Estádio D. Afonso Henriques.
Ver artigo principal: Estádio D. Afonso Henriques

O Estádio D. Afonso Henriques com capacidade para 30000 lugares sentados, é a casa do Vitória Sport Clube. Localizado na cidade de Guimarães, Portugal, foi inaugurado a 3 de janeiro de 1965 e foi renovado e expandido em 2003 para o Campeonato Europeu de Futebol de 2004 pelo arquiteto Eduardo Guimarães.

A inauguração do Estádio Municipal de Guimarães, nome que lhe foi dado aquando da sua inauguração, foi marcado pelo embate entre o Belenenses e o Vitória, que saiu vitorioso por 2-1.

Em 25 de Julho de 2003, perante 30000 espectadores, a cerimónia inaugural do remodelado estádio tomou lugar, momento em que a Câmara Municipal de Guimarães entregou o Estádio D. Afonso Henriques. Após um espectáculo multimédia, seguiu-se um jogo entre o Vitória e o FC Kaiserslautern, que os vimaranenses ganharam por 4-1.[21]

Recintos e estádios utilizados por o Vitória Sport Clube:[10][22][23][24][25][26]

  • 1922 Campo da Atouguia (1922–1924)
  • 1924 Campo do Zé Minotes (1924-1925)
  • 1925 Campo da Perdiz (1925–1932)
  • 1932 Campo do Benlhevai (1932–1945)
  • 1945 Campo da Amorosa (1945–1965)
  • 1965 Estádio Municipal de Guimarães
  • 1991 Estádio Municipal de Guimarães (remodelação Mundial Sub-21)
  • 2003 Estádio D. Afonso Henriques (remodelação Euro 2004)

Complexo Desportivo[editar | editar código-fonte]

O Complexo Desportivo do Vitória Sport Clube acolhe os serviços administrativos do clube, os treinos da equipa sénior de futebol e os treinos e jogos dos escalões de formação do clube. Inclui 3 campos de relva natural, 3 campos de relva sintética (sendo um deles de Futebol 7), e um pavilhão gimnodesportivo, onde as várias modalidades do clube treinam e jogam.[27]

Foi inaugurado em 1997 com o nome de "Complexo Desportivo Dr. Alberto Pimenta Machado", altura em que o clube tinha como Presidente o próprio Dr. Alberto Pimenta Machado. A ideia surgiu quando, na altura, o presidente visitou Milanello, o complexo desportivo do AC Milan.[28]

Futebol Profissional[editar | editar código-fonte]

Plantel atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado até 1 de fevereiro de 2018.

Nota: Bandeiras indicam equipe nacional, conforme definido pelas regras de elegibilidade da FIFA. Os jogadores podem ter mais de uma nacionalidade não-FIFA.

N.º Posição Jogador
1 Brasil G Douglas
2 Brasil D Pedro Henrique
4 Portugal D Marcos Valente
5 Brasil M Rafael Miranda
6 Portugal D Moreno
7 Portugal M Chico Ramos
9 Brasil A Welthon
10 Cabo Verde A Héldon (emprestado do Sporting)
11 Brasil A Raphinha
15 Venezuela D Víctor García
16 Peru M Paolo Hurtado
17 Mali D Falaye Sacko
19 Colômbia A Sebastián Rincón
20 Portugal D João Aurélio
22 Portugal A Hélder Ferreira
N.º Posição Jogador
23 Portugal D João Vigário
24 Brasil M Mattheus Oliveira (emprestado do Sporting)
25 Gana M Alhassan Wakaso
26 Colômbia A Óscar Estupiñán
33 Brasil D Jubal Júnior
36 Portugal G Miguel Oliveira
43 Gana D Joseph Amoah
45 Portugal M Xande Silva
49 Costa do Marfim A Junior Tallo
53 Costa do Marfim D Ghislain Konan
56 Portugal G Miguel Silva
71 Portugal A Fábio Sturgeon
80 Portugal M Kiko
93 Colômbia M Guillermo Celis
99 Brasil A Rafael Martins

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Títulos do Vitória Sport Clube
Nacional
Competição Títulos Temporadas
Taça de Portugal.svg Taça de Portugal 1 2012–13
Supertaça Cândido de Oliveira (Cândido de Oliveira Super Cup).svg Supertaça Cândido de Oliveira 1 1988
Regionais
Competição Títulos Temporadas
GMR.png Campeonato de Braga 12 1933-34, 1936-37, 1937-38, 1938-39
1939-40, 1940-41, 1941-42, 1942-43
1943-44, 1944-45, 1945-46, 1946-47
GMR.png Taça de Honra 4 1978-79, 1981-82, 1982-83, 1983-84
GMR.png Taça da AF Braga 1 1964-65

Campanhas de Destaque[editar | editar código-fonte]

Soccer.Field Transparant.png

Brasil
Brasil
Portugal
Marrocos
Gana
Brasil
Portugal
Brasil
Argélia
Portugal
Portugal
Amidó
Soudani
Ricardo
T. Rodrigues
L. Olímpio
André
Addy
A. Kanu
El Adoua
P. Oliveira
Douglas

Equipa do Vitória SC que derrotou o Benfica na Final da Taça de Portugal de 2012–13.

UEFA Cup (adjusted).png Taça UEFA[editar | editar código-fonte]
Quartos-de-final
1986–87 (B. Monchengladbach 5 - 2 Vitória)
Taça de Portugal.svg Taça de Portugal[editar | editar código-fonte]
Finalista vencido
1941–42 (Belenenses 2 - 0 Vitória)
1962–63 (Sporting 4 - 0 Vitória)
1975–76 (Boavista 2 - 1 Vitória)
1987–88 (Porto 1 - 0 Vitória)
2010–11 (Vitória 2 - 6 Porto)
2016–17 (Benfica 2 - 1 Vitória)
Supertaça Cândido de Oliveira (Cândido de Oliveira Super Cup).svg Supertaça Cândido de Oliveira[editar | editar código-fonte]
Finalista vencido
2011 (Porto 2 - 1 Vitória)
2013 (Porto 3 - 0 Vitória)
2017 (Benfica 3 - 1 Vitória)

Futebol de Formação[editar | editar código-fonte]

Outras conquistas no palmarés[editar | editar código-fonte]

  • Troféu Villa de Gijónː 2012
  • Troféu Juan Acuñaː 2007 [39]
  • Taça Cidade de Albufeiraː 2007 [40]
  • Troféu Cidade de Vigoː 2004 [41]
  • Troféu do Guadianaː 2001
  • Troféu Memorial Quinochoː 1997
  • Torneio Internacional Invictaː 1994
  • Troféu Luís Oteroː 1974
  • Troféu Somelos Helançaː 1969
  • Troféu Clermont Ferrandː 1969
    • Olympique Lyon vs Vitória Sport Clube
  • Liga do Futuroː 2011
  • Troféu Cidade de Guimarães Património Mundial da Humanidadeː 2007
  • Taça Cidade de Vizelaː 2002, 2003 e 2004
  • Troféu Cidade das Caldas da Rainhaː 2002
  • Torneio Cidade da Póvoa de Varzimː 1986 e 1988
  • Taça Concórdiaː 1935
  • Na época de 1966/67, há um acontecimento de relevo na historia do clube, concretamente, a deslocação da equipa principal do Vitória SC à Venezuela para disputar a denominada Taça do Mundo, Torneio Internacional que contava com a presença de equipas de renome Internacional. Nessa competição o Vitória SC disputou dois encontros. Um venceu por 3-1 à equipa italiana da Lázio de Roma, facto que mereceu grande destaque, e perdeu a outra partida contra os espanhóis do Valência por 0-3.O Vitória ficava assim no 2º lugar deste importante Torneio Internacional.
  • 7 Troféus ganhos, numa digressão em 1964 aos Estados Unidos da América, e onde se destacaram, os que deram os triunfos, nas partidas com dois clubes Europeus, o AEK Atenas por 1-0, e com o Estrela Vermelha de Belgrado após a marcação de grandes penalidades, o que levou bem alto o nome do Vitória Sport Club.
  • 11 Troféus Conquistados, numa digressão em 1959 a África, mais concretamente Angola, Moçambique e África do Sul, (onde ganhou todas as partidas realizadas com a excepção da formação da África do Sul com a qual empatou),e que fez eco de grande destaque na imprensa nacional. Na Cidade-Berço, a Equipa foi recebida de forma apoteótica, por milhares de Vitorianos e Vimaranenses.

Competições Internacionais[editar | editar código-fonte]

  • Taça dos Clubes Campeões Europeus ou Liga dos Campeões da UEFA: 1ª Participação; 3ª Pré-Eliminatória em 2008/09, ao ser injustamente eliminado perante o Basileia após duas arbitragens muito tendenciosas,que ditaram um afastamento cruel da Liga Milionária.
  • Taça UEFA ou Liga Europa: 16 Participações; Melhor resultado: Quartos de Final em 1986/87, após vencer Clubes como o Sparta de Praga, Atlético de Madrid e Groningen, e cair ante o Borussia Monchengladbach da Alemanha nos Quartos de Final da segunda prova mais importante de Clubes.
  • Taça das Taças: 1ª participação; 1ª Eliminatória em 1988/89
  • Taça Intertoto: 2ª participações; Melhor resultado: 2º Lugar no Grupo em 1974 e 1976

Histórico do Vitória Sport Clube[editar | editar código-fonte]

As 73 presenças no escalão máximo do futebol português fazem este clube o 5º clube com mais presenças após FC Porto, Sporting CP, and SL Benfica (totalistas, 84), e CF Os Belenenses (77).[43][44]

(*) Actualizado até 2014–15

Pos. = Posição na Tabela de Classificação; J = Partidas jogadas; V = Vitórias; E = Empates; D = Derrotas; GF = Golos a favor; GS = Golos sofridos; Pts = Pontuação final

Participações[editar | editar código-fonte]

  • Incluíndo 2017–18
Competição Nº Presenças Títulos
1ª Liga 73 0
2ª Liga 4 0
Campeonato de Portugal 0 0
Distritais 0 0
Taça de Portugal 74 1
Taça da Liga 11 0
Supertaça de Portugal 4 1

Goleadores[editar | editar código-fonte]

"Bola de Prata" - Melhor Marcador do Campeonato de Portugal[editar | editar código-fonte]

Recordes[editar | editar código-fonte]

Jogadores

Marcadores

  • "Melhor Marcador do VSC" - em um só jogo / Campeonato de Portugal

Brasil Djalma Freitas - (1965-1966), 6 golos / 1 jogo.[47]

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1965/66

(Vitória SC 6 - 2 SC Braga)

→ jogo disputado no Estádio Municipal de Guimarães.

  • "Melhor Marcador do VSC" - em dois jogos, numa so época com a mesma equipa / Campeonato de Portugal

Brasil Djalma Freitas - (1965-1966), 11 golos / 2 jogos.[48]

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1965/66

(Vitória SC 6 - 2 SC Braga e SC Braga 3 - 5 Vitória SC)

→ jogos disputados no Estádio Municipal de Guimarães (1ª volta) e no Estádio 28 de Maio, hoje denominado Estádio 1º de Maio (2ª volta).

  • "Melhor Marcador do VSC" - em jogos / Campeonato de Portugal

Portugal Tito - (1971-1972 a 1977-1978), 83 golos / 202 jogos.[49][50]

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1971/72 a 1977/78

83 golos no Campeonato Nacional da 1ª Divisão a representar o Vitória SC.

Jogos / Épocas

  • "Mais jogos por o VSC" - Campeonato de Portugal

ZaireCongo N’Dinga Mbote - (1986-1987) a (1995-1996), 286 jogos / 10 épocas consecutivas.[51]

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1986/87 à época 1995/96

286 jogos disputados por o Vitória SC.

  • "Mais épocas por o VSC" - Campeonato de Portugal

Portugal Daniel - (1953-1954) a (1969-1970), 17 épocas consecutivas, sendo a 1ª como júnior.[52]

→ Campeonato Nacional de Júniores na época de 1953/54 (1)

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão na época de 1954/55 (1)

→ Campeonato Nacional da 2ª Divisão da época de 1955/56 a 1957/58 (3)

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1958/59 a 1969/70 (13)

17 épocas consecutivas a representar o Vitória SC.

  • "Marcador mais jovem por o VSC" - Campeonato de Portugal

Portugal Daniel - (1954-1955), época 1954/55, aos 17 anos de idade.[53]

→ Campeonato Nacional da 1ª Divisão na época de 1954/55

(Vitória SC 2 - 1 SL Benfica)

idade / 17 anos 1 golo na estreia como sénior com a camisola do Vitória SC (jogo realizado no Campo da Amorosa, na época de 1954/55, 2ª jornada da 2ª volta do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, contra o SL Benfica que se viria a sagrar Campeão Nacional, num jogo que o Vitória venceu os encarnados por 2-1, sendo um dos golos vitorianos da autoria precisamente de Daniel).

Jogos

Golos

Posições

  • Melhor Posição na 1º Divisão
    3º Lugar (1968-1969, 1986-1987, 1997-1998, 2007-2008)[57]
  • Pior Posição na 1º Divisão
    17º Lugar (2005-2006)[57]
    → Campeonato Nacional da 1ª Divisão, disputado entre 18 equipas.
    14º Lugar (1954-1955)[57]
    → Campeonato Nacional da 1ª Divisão, disputado entre 14 equipas.
No campeonato

Pontos

  • Com mais pontos (2 pontos por vitória)
    45 (1989-1990)
  • Com mais pontos (3 pontos por vitória)
    62 (1995-1996)
  • Com menos pontos (2 pontos por vitória)
    7 (1943-1944)
  • Com menos pontos (3 pontos por vitória)
    36 (2000-2001)

Golos

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]