Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a associação de estudantes, veja Associação Académica de Coimbra.
Académica
Associação Académica de Coimbra logo.svg
Nome Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol
Alcunhas Briosa
Estudantes
"Velha Senhora"
Mascote O Fintas
Fundação 3 de novembro de 1887 (128 anos)
Estádio Estádio Cidade de Coimbra
Capacidade 30 000
Presidente Paulo Almeida
Treinador Portugal Costinha (futebolista)
Patrocinador Portugal EFAPEL
IdealMed
Material esportivo Estados Unidos Nike
Competição Primeira Liga
Taça de Portugal
Taça da Liga
Primeira Liga de 2015–16 18º
Primeira Liga de 2014–15 15º
Primeira Liga de 2013–14
Website www.academica-oaf.pt
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

A Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol (AAC–OAF) ComCComSEMHIHMHL normalmente apenas designada de Académica de Coimbra, é o clube de futebol profissional mais conhecido da cidade de Coimbra, Portugal sediado na freguesia de Santo António dos Olivais. A Associação Académica de Coimbra foi fundada em 1887, sendo o mais antigo clube em Portugal e na Península Ibérica, e o 13º mais antigo do Mundo.

O Organismo Autónomo de Futebol, criado em 1984 com o intuito de profissionalizar o futebol, é hoje em dia presidido por José Eduardo Simões.

A Académica é a detentora do troféu da 1ª Taça de Portugal a ser realizada, ganha em 1939. Em 20/05/2012, após um jejum de 73 anos, conquistou a sua segunda Taça de Portugal, sob o comando do treinador Pedro Emanuel, com uma vitória por 1-0 frente ao Sporting Clube de Portugal. Na temporada de 2012-2013 qualificou-se pela primeira vez para a fase de grupos da Liga Europa.

História[editar | editar código-fonte]

A Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol é considerada herdeira da Secção de Futebol da Associação Académica de Coimbra (AAC), a associação de estudantes da Universidade de Coimbra, o que vale ainda hoje o epíteto comum de "equipa dos estudantes", já que até à década de 70 a grande maioria dos jogadores eram estudantes universitários.

É hoje, na prática, um clube independente em relação à sua casa-mãe, que de resto mantém separadamente uma secção amadora de futebol (que joga nas distritais) e muitas outras modalidades, como basquetebol, rugby, canoagem, natação, voleibol, ténis, entre outras.

Como todas as equipas da casa-mãe, é designada como "Académica", e carinhosamente apelidada de "Briosa" pelos adeptos, alcunha que advém da forte entrega com que normalmente se batiam as equipas amadoras de estudantes mesmo contra equipas de atletas profissionais de alta competição.

Fundação da AAC[editar | editar código-fonte]

A casa-mãe, a Associação Académica de Coimbra, foi fundada no dia 3 de Novembro de 1887, mas as suas origens remontam à criação da Academia Dramática, em meados do século XIX. A Associação Académica de Coimbra instalou-se no Colégio de São Apóstolo e o seu primeiro presidente foi António Luiz Gomes, estudante de Direito que mais tarde se tornaria reitor da Universidade de Coimbra.

1887-1935 - Da fundação à 1ªLiga[editar | editar código-fonte]

O primeiro jogo[editar | editar código-fonte]

O primeiro jogo de futebol da Associação Académica de Coimbra data de Janeiro de 1912, sendo na altura presidente Álvaro Bettencourt Pereira de Athayde. A preparação para o aguardado encontro foi tal que a equipa começou a treinar-se no dia 8 de Janeiro, na Ínsua dos Bentos, local onde se viria a disputar o duelo com o Ginásio Club de Coimbra. Nessa partida, disputada no dia 28, a Académica surgiu equipada com camisolas brancas e calções pretos, num encontro que terminaria com a vitória da Associação Académica de Coimbra por 1-0.

O primeiro título distrital[editar | editar código-fonte]

A Associação de Futebol de Coimbra é criada em Outubro de 1922 e com ela surgem as primeiras competições distritais, que a Académica vence sem grande dificuldade. No primeiro jogo realizado sob a égide do novo organismo a Associação Académica de Coimbra venceu o Modesto por 3-0. Nessa prova, a Académica continuou o seu percurso triunfante, batendo na final a Naval por 3-1 e garantindo assim a qualificação para o Campeonato de Portugal.

Académica na final do Campeonato de Portugal[editar | editar código-fonte]

A vitória sobre a Naval na final do campeonato distrital valeu à Académica a possibilidade de representar o distrito no Campeonato de Portugal. No ano de estreia, os homens de Coimbra conseguiram uma excelente prestação tendo chegado à final da competição. Depois de ter batido o Sp. Braga, o Lusitano VRSA e o Marítimo, a Académica tinha pela frente o representante de Lisboa, o Sporting. No dia da final, a Associação Académica de Coimbra chegou ao Algarve, palco da final, na manhã do dia de jogo e, perante 4.000 espectadores, acabaria por perder por 3-0 apesar de ter feito um bom jogo. No final da partida, o capitão Júlio Ribeiro da Costa dirigiu-se assim à imprensa: “Sinto-me muito orgulhoso de ser o meu team finalista do Campeonato de Portugal”.

O símbolo[editar | editar código-fonte]

Um dos acontecimentos mais importantes na década de 20 foi o nascimento do símbolo que a Associação Académica de Coimbra adoptaria de forma definitiva. Após algumas tentativas que não foram do agrado dos estudantes, a Académica decidiu utilizar um novo símbolo, que contemplava as inicias “AAC” numa partida com o Sporting e cujo objectivo era “vingar” a derrota na final do Campeonato de Portugal. Contudo, a Académica seria derrotada e as culpas foram atribuídas ao novo emblema, que rapidamente foi ostracizado. Foi então que, na época 1927-1928, o estudante de Medicina, Fernando Ferreira Pimentel, a pedido do então dirigente Armando Sampaio, desenhou o actual símbolo da Académica, que passou a ser usado a partir desse ano. Fernando Pimentel recusou mesmo ter lucro com o símbolo que desenhou, tendo na altura afirmado: “O grande lucro foi a certeza, a consolação, sem vaidade, que dei à rapaziada da camisola negra o distintivo mais procurado e mais adorado em todo o Portugal”.

(1935 - 1947) - A 1ª vez na primeira liga, com a primeira Taça de Portugal pelo meio[editar | editar código-fonte]

A época de 1934 - 1935[editar | editar código-fonte]

A época de 1934-1935 representa uma revolução no panorama desportivo português e é criada a 1ª Liga, que passa a ser a prova principal de futebol. A Académica, como vencedora do Campeonato de Coimbra, garantiu a presença nessa competição depois de vencer o União, naquele que foi o primeiro jogo a ser transmitido pela rádio. Na 1ª Liga, a AAC consegue a sua primeira vitória na quinta jornada da segunda volta, depois de bater o Académico do Porto por 2-1. O primeiro jogo da Briosa na 1ª Liga data de 20 de Janeiro de 1935, com o Sporting, no Campo de Santa Cruz.

1ª Taça de Portugal - 1939[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de Junho de 1939, a Académica conseguiu a maior conquista desportiva da sua História, arrecadando a primeira Taça de Portugal, uma competição que substituiu o então denominado Campeonato de Portugal. Depois de eliminar o Covilhã, o Académico do Porto e o Sporting, a Académica tinha pela frente, no jogo decisivo, o Benfica. Perante 30 mil espectadores, no Campo das Salésias, a Académica venceu os encarnados por 4-3, com golos de Pimenta, Alberto Gomes e dois de Arnaldo Carneiro. Os festejos duraram dias e a cidade de Coimbra recebeu em êxtase os seus heróis… Assim se escreveu uma página de ouro na História da Académica! A conquista da primeira Taça de Portugal por parte da Académica levou a festejos quase sem fim. Um pouco por todo o lado, os adeptos da AAC festejavam a vitória sobre o Benfica e até mesmo os antigos jogadores Joaquim Isabelinha, Armando Sampaio e Rui Cunha se juntaram à festa. Um repórter da revista “Stadium”, que acompanhou as celebrações, referiu mesmo que a “imensa falange de apoiantes da Briosa é a mais aguerrida, a mais junta, a mais entusiástica de Portugal”. Foi nesta altura que se tornou também famoso o grito de vitória dos adeptos da Académica: “São horas de emalar a trouxa/ Boa noite, Tia Maria./ Que a Briosa ganhava a Taça,/ Obrigado! Já cá se sabia!”.

No entanto, em 1974 a AAC extinguiu a secção de futebol. Foi aí que surgiu o Clube Académico de Coimbra (CAC), que assumiu a posição da extinta secção de futebol da Académica na 1ª Divisão. Em 1984 foi então criado o Organismo Autónomo de Futebol (AAC–OAF), numa tentativa de reaproximação à casa-mãe e profissionalização do futebol, retomando o nome e símbolo tradicionais da Académica.

Primeira Taça de Portugal (1939) da Académica de Coimbra

Em 2012, a Académica volta a vencer a taça de Portugal, frente ao Sporting por 1-0, golo marcado por Marinho aos 4 minutos.

A Académica é um dos clubes com mais adeptos em Portugal. É o clube mais representativo do distrito e de toda a região beirã.

Símbolo[editar | editar código-fonte]

A história do actual símbolo da Briosa obriga-nos a falar, orgulhosamente, de Fernando Ferreira Pimentel. Este antigo estudante de Medicina, nascido em Manteigas a 22 de Julho de 1905, foi o responsável pela criação e desenho do actual emblema, no longínquo ano de 1928. No entanto, o losango que hoje todos conhecemos nem sempre foi o símbolo da Académica…

Respeitando sempre a relação próxima com os estudantes universitários e a Academia de Coimbra, o emblema da Académica representou-se de várias maneiras antes de ganhar o seu desenho actual. Assim, desde a imagem de uma tricana a uma capa de estudante erguida num pau ou num mastro de bandeira, contam-se quatro versões anteriores à versão desenhada por Fernando Pimentel.

Na última versão não definitiva do emblema, este era representado pelas letras "AAC". Foi numa partida com o Sporting que a Briosa usou pela primeira vez as três letras como símbolo mas a verdade é que esse encontro não traz boas memórias para os estudantes. A Académica perdeu esse jogo por 9-1 e os novos emblemas foram considerados os culpados por esse desaire e nunca mais foram utilizados.

O clube de Coimbra passou então a jogar sem emblemas mas essa decisão durou pouco tempo. Isto porque em Junho de 1928, e a pedido de Armando Sampaio, na altura dirigente da Briosa, Fernando Pimentel meteu mãos à obra e desenhou o actual distintivo da Académica. No desenho final de Fernano Pimentel, a Instituição é apresentada com as iniciais do seu nome, AAC, e com a silhueta negra da Cabra, principal símbolo da Universidade de Coimbra, sendo que estes elementos estão inscritos dentro de um losango que dá forma ao mais bonito emblema que conhecemos.

Clube Académico de Coimbra, novo nome, novo símbolo...

Durante o período em que a Académica existiu sob o nome de Clube Académico de Coimbra (CAC), de 1974 a 1984, o símbolo que a representou também foi outro.

Material desportivo e patrocinadores[editar | editar código-fonte]

Período Material Desportivo Patrocinador
2011–Presente Estados Unidos Nike Portugal EFAPEL

Equipamentos anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2015-16
  • 1º - Camisola preta, calção preto e meias pretas;
  • 2º - Camisola branca, calção branco e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2014-15
  • 1º - Camisola preta, calção preto e meias pretas;
  • 2º - Camisola branca, calção branco e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Taça de Portugal.svg Taça de Portugal 2 1938–39, 2011–12
Portugal Segunda Divisão 2 1948/49 e 1972/73
  • Participações no 1º escalão nacional: 63
  • Participações no 2º escalão nacional: 18
  • Melhor classificação de sempre no 1º escalão: 2º lugar (Vice-Campeã Nacional) em 1966/67.
  • Finalista vencida da Taça de Portugal: 3 (1950/51, 1966/67 e 1968/69)
  • Participações em competições Europeias: 4
  • Infantis: (2007/08, 2008/09, 2009/10)

Estádio[editar | editar código-fonte]

Ínsua dos Bentos (1887 - 1922)[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, a Académica utilizava a Ínsua dos Bentos para praticar futebol. Desde 1901 que a Associação Académica de Coimbra procurava sensibilizar a Câmara Municipal para a edificação da primeira infra-estrutura desportiva da cidade, pois até lá a Académica ia utilizando a Ínsua dos Bentos para praticar futebol. Foi então que, de forma informal e cerca de duas décadas depois, foi finalmente inaugurado o Campo de Santa Cruz. Em Fevereiro de 1918 a Académica jogou com o Império de Lisboa, tendo perdido por 3-2, naquele que foi o primeiro encontro ali disputado. Contudo, rapidamente se percebeu que não estavam reunidas as condições mínimas de funcionamento e a Académica lá voltou a utilizar a Ínsua dos Bentos…

Campo de Santa Cruz (1922-1949)[editar | editar código-fonte]

Depois de uma inauguração informal em 1918, o Campo de Santa Cruz foi, finalmente, alvo de uma cerimónia oficial, a 5 de Março de 1922, que marcou o arranque do novo campo da Associação Académica de Coimbra. Com o objectivo de celebrar o segundo aniversário da “Tomada da Bastilha”, a Académica recebeu o Académico do Porto numa partida que acabou por perder por 4-3. A inauguração do campo mobilizou a cidade e o pontapé de saída foi dado pelo então reitor e antigo presidente da AAC, António Luiz Gomes. Na altura, o jornal “O Despertar” foi claro ao classificar o Campo de Santa Cruz como o “melhor do país”.

Estádio Municipal de Coimbra (1949-2003)[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de Janeiro de 1949, a Académica joga pela primeira vez novo estádio Municipal, abandonando o Campo de Santa Cruz. No novo recinto, a grande novidade foi mesmo o facto de ser relvado, algo completamente desconhecido em Coimbra. Na primeira partida, a Briosa jogou frente a Portugal num encontro que terminou empatado a três bolas. Foi a única vez que Bentes jogou contra a Académica…

Estádio Cidade de Coimbra (2003 - atualidade)[editar | editar código-fonte]

O antigo Estádio Municipal de Coimbra deu lugar ao novo Estádio Cidade de Coimbra. A reconstrução do Estádio Cidade de Coimbra, da responsabilidade da Câmara Municipal de Coimbra, partiu do aproveitamento das infraestruturas existentes, como, por exemplo, a pista de atletismo. Foi realizada uma ampla remodelação de todo o anel das bancadas e construído um novo anel acima daquele, em forma de U. Esta solução permitiu aproveitar a magnífica vista sobre a encosta da cidade. O projeto é da autoria do arquiteto António Monteiro que conseguiu, deste modo, duplicar a lotação do estádio para os cerca de 30 000 lugares sentados, exigidos pela UEFA para a realização dos jogos internacionais do Euro 2004. Este estádio não foi inaugurado com um jogo, como é habitual, mas com um concerto da mítica banda Rolling Stones, a 27 de setembro de 2003. Para este estádio foram agendados, no âmbito do 12.º Campeonato Europeu de Futebol, os jogos (da fase de grupos) Inglaterra - Suíça e Suíça - França, a 17 e 21 de junho, respetivamente. O campo de Futebol tem como medidas 105 por 70 m.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Presenças[editar | editar código-fonte]

Incluindo época 2015-16

Nº Presenças Títulos
Temporadas na 1ª 64
Temporadas na Liga de Honra 10
Temporadas na 2ª 8
Temporadas na 3ª 0
Taça de Portugal 76 2
Taça da Liga 9
Supertaça de Portugal 1

Classificações[editar | editar código-fonte]

Qualificação à divisão superior
Desqualificação à divisão inferior

Temporadas[editar | editar código-fonte]

  • Para visualizar todas as temporadas, clique em.
Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol
Ano Campeonato Português Taça de Portugal Taça da Liga Super Taça Liga dos Campeões Liga Europa Notas
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima
2014–2015 II Liga 38 21 9 8 66 38 5ª Eliminatória -
2015–2016 Liga NOS de 2015–16 17° 38 16 9 13 57 49 4ª Eliminatória 1ª Eliminatória
2015–2016 II Liga ?? 38 16 9 13 57 49 4ª Eliminatória 1ª Eliminatória



Legenda:
     Campeão.
     Vice-campeão.
     Classificado à Liga dos Campeões da UEFA.
     Classificado à Liga Europa da UEFA.


Treinadores do Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol[editar | editar código-fonte]

Treinadores
(Nascimento–Morte)
Retrato Tempo em funções Títulos
(–)
1 Teófilo Esquível
(–)
[[File:|200px]] 1922 1926 3
43 [[|]]
(1970–)
[[File:|200px]] 2015 atualidade

Equipa técnica[editar | editar código-fonte]

Equipa técnica [1]
Nacionalidade Nome Posição
Português Português Filipe Gouveia Treinador

Plantel atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 19 de fevereiro de 2016.

Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Jogador lesionado
  • +: Jogador em fase final de recuperação
  • +: Jogador que volta de lesão/contusão
  • PenalizadoExpulso: Jogador suspenso
No. Posição Jogador
2 Brasil D Aderlan Silva
3 Portugal D Emídio Rafael
4 Nigéria M Nwankwo Obiora
5 Brasil D Ricardo Nascimento (emprestado pelo Monte Azul)
6 França D Tripy Makonda
7 Portugal A Marinho
8 França M Selim Bouadla
9 Portugal A Rabiola
10 Guiné-Bissau A Ivanildo
13 Portugal D João Real
14 Brasil D Iago Santos
17 Costa do Marfim A Inters Gui (emprestado pelo Vitória Guimarães)
19 Portugal A Gonçalo Paciência (on loan from Porto)
Posição Jogador
20 Portugal M Rui Pedro
21 Portugal M Leandro Silva (emprestado pelo Porto)
22 República Democrática do Congo D Christopher Oualembo
23 Brasil D William Gustavo (emprestado pelo Grêmio Anápolis)
24 Coreia do Sul M Mun Ki Hwang
28 Portugal M Nuno Piloto
30 Portugal A Rafael Lopes
32 Brasil G Lee Oliveira
37 Gana D Richard Ofori
43 Burkina Faso M Nii Plange
65 Portugal M Fernando Alexandre
77 Portugal A Hugo Seco
88 Portugal G Pedro Trigueira

Antigos jogadores da Académica[editar | editar código-fonte]

 
  • Mário Wilson
  • Carlos Xavier
  • Pedro Xavier
  • Nana
  • Teófilo Esquível
  • Augusto da Fonseca
  • Tibério
  • José Maria Antunes
  • Bentes
  • Augusto Rocha
  • Alberto Gomes
  • Capela
  • Faustino
  • Armando Sampaio
  • Rui Cunha
  • Albano Paulo
  • Filipe dos Santos
 
  • Crispim
  • Garção
  • Ernesto
  • J.Cunha Quim
  • Torres
  • Rui Rodrigues
  • Costa
  • Vítor Manuel
  • Silvestre
  • Melo
  • José Belo
  • Gregório Freixo
  • Martinho
  • Marques
  • Manuel António
  • António Jorge
  • Serafim
  • Raúl Águas
  • Carlos Alhinho
  • Carlos Simões
  • Carlos Martins
  • Hugo Leal

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Treinadores da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol[editar | editar código-fonte]

Treinadores
(Nascimento–Morte)
Retrato Tempo em funções Títulos
(–)
??º Paulo Sérgio Bento Brito
(1968–)
[[File:|200px]] 2 de junho de 2014 5 de fevereiro de 2015
??º José Viterbo
(1962–)
[[File:|200px]] 16 de fevereiro de 2015 20 de setembro de 2015
??º Filipe Gouveia
(–)
[[File:|200px]] 24 de setembro de 2015 atualidade

Presidentes da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol[editar | editar código-fonte]

Presidentes
(Nascimento–Morte)
Retrato Tempo em funções Títulos
(–)
17º João Moreno
(1929–2004)
[[File:|200px]] dezembro de 2002 23 de outubro de 2004 3
18º José Eduardo Simões
(1970–)
[[File:|200px]] janeiro de 2005 atualidade

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Claques[editar | editar código-fonte]

Blogues[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol