Clube Desportivo de Tondela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
CD Tondela
C.D. Tondela.png
Nome Clube Desportivo Tondela (CDT)
Fundação 6 de junho de 1933
Estádio Estádio João Cardoso
Capacidade 5,000 espectadores
Localização Tondela
Presidente Gilberto Neves Coimbra
Treinador Pako Ayestaran
Patrocinador CABRIZ Dão Portugal
BASI Laboratórios
FLOPONOR
SOLVERDE.pt
SABSEG Seguros
Quinta do Vale Minhoto
Grupo VISABEIRA
CUF
Material (d)esportivo CDT - Equipamentos Desportivos
Competição Primeira Liga
Website cdtondela.pt
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Clube Desportivo de Tondela (C.D.T.) é um clube português, eclético e multi-desportivo de expressão nacional oriundo da cidade de Tondela, sede de concelho, do distrito de Viseu, província da Beira Alta, região do Centro (Região das Beiras) e sub-região Viseu Dão-Lafões.

A data de 6 de junho de 1933 marca o inicio da história do Clube Desportivo de Tondela que tem no futebol a sua modalidade predominante. Clube eclético, mantém ativas nos seus quadros as seguintes modalidades desportivas: Futebol, Ténis, E-sports, Hipismo e Basquetebol. Desde a sua fundação o clube beirão dinamizou ainda outras modalidades como o Ciclismo, Râguebi, Ginástica (aeróbica), Dança, Natação ou Futsal.

O Estádio João Cardoso é o palco de jogos na condição de visitado da equipa profissional de futebol do Clube Desportivo de Tondela. Apelidado por muitos adeptos tondelenses de 'Inferno das Beiras', o seu estádio que tem capacidade para 5000 espectadores insere-se num Complexo Desportivo, localizado na rua Eurico José Gouveia.

As cores do CDT são o verde e amarelo idênticas às do Município de Tondela. O Clube Desportivo de Tondela é regularmente apelidado de 'Maior das Beiras' por ser o clube da sua região com mais palmarés e expressão no futebol português. 'Beirões', 'Tondelenses' ou 'Auriverdes' são outras alcunhas normalmente associadas ao clube, atletas e adeptos.

O ponto mais alto da sua história no futebol português foi o título de Campeão Nacional da II Liga em 2014/2015 e a consequentemente promoção à Primeira Liga. Desde que chegou ao escalão mais alto do futebol português, o Clube Desportivo de Tondela nunca desceu à Segunda Liga, contabilizando sete épocas consecutivas no 'convívio entre os grandes'. Os principais escalões de formação (Juniores, Juvenis e Iniciados) competem de igual modo na Primeira Divisão Nacional.

Os 'auriverdes' têm a força dos seus adeptos maioritariamente concentrada na sua região e contam atualmente com cerca de 2.500 sócios. A sua claque oficial é a 'Febre Amarela'.

História[editar | editar código-fonte]

Primeira equipa da história do Clube Desportivo de Tondela (1933/1934)

O clube foi fundado a uma Terça-Feira, 6 de Junho de 1933.

O sonho cumpre-se numa longa história. O Clube Desportivo de Tondela[1] (C.D.T.) a caminho de quase um século de de vida, confirma um legado e currículo de importância extrema na região da Beira Alta e no panorama nacional.

Tudo começou através da extinção de dois clubes da então vila de Tondela: o Tondela Foot-Ball Club (fundado a 1 de janeiro de 1925) e o Operário Atlético Clube (fundado em finais de 1931). Apesar de nunca se terem defrontado dentro das quatro linhas, existia nessa época um clima de rivalidade entre os dois clubes, mas após algumas conversações as duas direcções entenderam promover a fusão dos emblemas para dar origem ao “Clube Desportivo de Tondela”, que adoptaria as cores verde e amarela do Município.

O primeiro jogo disputado por uma equipa do CDT foi um amigável a 17 de Setembro de 1933 contra o União Futebol Coimbra Clube que serviu como jogo de apresentação da equipa tondelense e inauguração do Campo do Pereiro (atual Estádio João Cardoso). O resultado final foi um empate (0-0). O Desportivo de Tondela alinhou com: Aníbal Maria da Silva; José Luís Nunes Júnior; António Luís Nunes; Américo de Oliveira; António da Costa Teles; Herculano Fernandes; José do Carmo Gonçalves; José Alves Cardoso; José Jorge Diniz dos Santos; João do Carmo Figueiredo e Luís Mota. Desta equipa oito elementos eram do antigo Tondela Futebol Clube, e dois do Operário Atlético Clube (José Alves Cardoso e Luís Mota) e um estreante, Américo de Oliveira, um desportista que durante alguns anos viveu em Tondela. No seguimento desse jogo, os beirões disputaram o seu primeiro campeonato oficial na época de 1933/1934 exibindo os seus atletas nos jogos o equipamento tradicional com a camisola listada na vertical a amarelo e verde, calção preto, com meias listadas a amarelo e verde na horizontal.

O primeiro Presidente da Direção do Clube Desportivo de Tondela foi João Tavares Santos e Silva.

Não durou muito até que o CD Tondela alcançasse os seus primeiros feitos. Sete épocas depois, a equipa sénior sagrar-se-ia campeã distrital da 1.ª Divisão, feito repetido no ano imediatamente a seguir. Na sua história o Desportivo acumula inúmeras participações nos campeonatos nacionais predominantemente na 3ª e 2ª Divisão Nacional até que na época 2011/2012, o CDT consegue um inédito acesso ao futebol profissional e, especificamente, à Segunda Liga. Mais tarde, em 2014/2015 sagra-se Campeão Nacional da II Liga e sobe pela primeira vez na história do clube beirão à Primeira Divisão Nacional na qual se mantém até hoje.

Mas não só de seniores vive o “museu” do CDT pois o clube garantiu também, ao longo destes anos, alguns troféus ou feitos importantes na sua formação e, nomeadamente, nas suas equipas de futebol de 11. A conquista do título de Campeão Nacional da 2ª Divisão de Juniores em 2017/2018 ou a presença na Fase Final de Apuramento de Campeão Nacional de Juniores da Primeira Divisão em 2018/2019 são registos de maior relevância gravados na sua história.

O jogador Luís Alberto fez história ao marcar o 1º golo do CD Tondela, na Primeira Liga, numa derrota frente ao Sporting CP por 1-2. O clube conseguiu a sua primeira vitória na Primeira Liga, ao vencer no Estádio João Cardoso o Nacional da Madeira, por 1-0 com um golo de Kaká.

O Clube Desportivo de Tondela acumula mais de 200 jogos oficiais disputados e sete épocas consecutivas na Primeira Divisão.

Infraestruturas CDT[editar | editar código-fonte]

'Inferno das Beiras' apelidado pelos adeptos tondelenses
Estádio João Cardoso - CD Tondela

Estádio[editar | editar código-fonte]

A equipa disputa os seus jogos caseiros no Estádio João Cardoso.

O Complexo Desportivo do Clube Desportivo de Tondela, engloba dois campos relvados para a prática do futebol, o do estádio principal e outro no campo nº2 (treinos). Para além disso, o Complexo do Estádio João Cardoso apresenta ainda um Pavilhão Desportivo.

O Estádio João Cardoso têm capacidade para 5 000 espectadores (lugares sentados).

Desde 1933 até 1990 o estádio João Cardoso era anteriormente apelidado por 'Campo do Pereiro'. A 8 de dezembro de 1990, o clube mudou o nome do seu estádio para homenagear João Cardoso, o homem que cedeu os terrenos ao Clube Desportivo de Tondela para a construção do seu campo. Nessa data foi realizada uma cerimónia de homenagem a João Cardoso nas pessoas de seus filhos com a presença dos sócios e adeptos.

Pavilhão Desportivo[editar | editar código-fonte]

No Complexo do Estádio João Cardoso, o Clube Desportivo de Tondela dispõe ainda de um Pavilhão Desportivo inaugurado no inicio dos anos 90 que é utilizado para treinos das várias modalidades desportivas, realização das Assembleias Gerais ou eventos.

Academia CDT[editar | editar código-fonte]

O Clube Desportivo de Tondela tem dado, ao longo dos últimos anos, passos seguros e sempre em frente no que toca aos escalões de formação e no que toca a resultados desportivos, escolares e na ligação ao futebol profissional. O foco/missão de formar atletas com competências para a equipa sénior, sempre a par com as aptidões académicas e sociais das crianças e jovens, vai em breve "ganhar" um novo reforço - a Academia CDT. Um espaço construído de raiz na periferia da cidade de Tondela, a 5 km do Estádio João Cardoso, inteiramente pensado para as equipas de formação, onde terão instalações próprias para treinar, jogar e alguns poderem residir.

Equipamento tradicional[editar | editar código-fonte]

Equipamento tradicional CD Tondela

Equipamento principal[editar | editar código-fonte]

O ADN do equipamento tradicional e principal do Clube Desportivo de Tondela baseia-se em:

  • Camisola: listada na vertical de cores amarela e verde;
  • Calção: cor preta
  • Meias: listadas na horizontal de cor amarela e verde.

Equipamento alternativo[editar | editar código-fonte]

O equipamento alternativo ao longo da história do clube tem sofrido diversificadas opções na predominância de cor, embora o equipamento branco seja o mais frequente.

Claque Organizada e Oficial[editar | editar código-fonte]

Febre Amarela[editar | editar código-fonte]

Fundada em 2008 por jovens adeptos fervorosos do Clube Desportivo de Tondela, a 'Febre Amarela' é a sua claque oficial. Em todos os jogos dos 'beirões', seja no Estádio João Cardoso ou em estádios dos adversários do CDT, a Febre Amarela está presente no apoio à equipa de forma organizada. A mascote adoptada pela claque desde a sua fundação foi um animal 'crocodilo' que mais tarde seria adotado pelo Clube Desportivo de Tondela como a sua mascote oficial. Em 2023, a Febre Amarela comemorará 15 anos de existência.

Mascote Oficial[editar | editar código-fonte]

O Clube Desportivo de Tondela adoptou o crocodilo ' O Beirão' como a sua mascote oficial. A mascote dos tondelenses foi escolhida relaciona-se com pela seguinte envolvencia:

Nome: ' O Beirão'[editar | editar código-fonte]

A escolha do nome prende-se por o CDT ser um clube oriundo da Beira Alta e de terra de Besteiros. Os seus adeptos são naturalmente apelidados de Beirões.

Crocodilo 'O Beirão' - Mascote oficial do Clube Desportivo de Tondela

Mascote 'Animal': Crocodilo.[editar | editar código-fonte]

Desde o inicio da claque oficial que um crocodilo robusto com as cores auriverdes é o símbolo da 'Febre Amarela', inspirado numa imagem de força dos seus adeptos. A escolha do Crocodilo associa-se também ao Rio Dinha que banha a cidade de Tondela e várias freguesias do seu concelho.

Equipamento: Tradicional (verde e amarelo)[editar | editar código-fonte]

O crocodilo utiliza um equipamento com as cores do clube com um grande emblema do Clube Desportivo de Tondela ao peito.

Número da Camisola: 12[editar | editar código-fonte]

Sinónimo de apoio dos tondelenses como '12º jogador' no incentivo à equipa em cada jogo.

Acessórios: Besta e Boné CDT.[editar | editar código-fonte]

A mascote tem sempre na sua posse uma Besta que é uma arma com um arco de flechas adaptado a uma das extremidades de uma haste e acionado por um gatilho, o qual projeta virotes - dardos similares a flechas, porém mais curtos. A cidade de Tondela e o seu concelho insere-se também numa zona denominada 'Terras de Besteiros' por antigamente ser a arma mais recorrente para a sua população defender o seu território do inimigo. BONÉ. Um boné verde e branco com o emblema do clube é também utilizado pela mascote.

Doença viral: Mascote com Febre Amarela[editar | editar código-fonte]

A mascote auriverde apresenta uma 'doença viral' da ' Febre Amarela', sinal do fervor que os seus adeptos têm ao clube beirão.

Escolha dos adeptos: Votação online (site e redes sociais)[editar | editar código-fonte]

A mascote oficial foi escolhida pelos seus sócios e adeptos numa votação online realizada no site e redes sociais do CDT no ano de 2020, entre duas propostas de mascotes apresentadas pelo clube.

Apresentação aos sócios e adeptos: ano 2020[editar | editar código-fonte]

A apresentação d'O Beirão como nova mascote do Clube Desportivo de Tondela, foi realizada no dia 19 de dezembro de 2020 no Estádio João Cardoso, em dia de jogo para o campeonato da Primeira Liga com o Moreirense FC.

Modalidades Oficiais (Ano de Fundação)[editar | editar código-fonte]

O Clube Desportivo de Tondela tem ativas nos seus quadros as seguintes modalidades desportivas: Futebol, Ténis, E-sports, Hipismo e Basquetebol. A história destas modalidades remontam aos seguintes anos de fundação:

  • Futebol - 1933
  • Ténis - 2015
  • E-sports - 2017
  • Hipismo - 2019
  • Basquetebol - 2021

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

SENIORES

  • Campeonato Nacional da 2ª Liga (2014/2015) - Promoção à 1ª Liga Portuguesa de Futebol
  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão – Zona Centro (2011/2012) - Promoção à 2ª Liga Portuguesa de Futebol
  • Campeonato Nacional da 3ª Divisão (2008/2009);
  • Campeonato Distrital da 1ª Divisão (1940/1941, 1941/1942, 1949/1950, 1985/1986 e 2004/2005);
  • Campeonato Distrital da 2ª Divisão (1951/1952, 1963/1964 e 1972/1973);
  • Campeonato Distrital de Promoção (2ª Divisão) (1934/1935);
  • Campeonato Nacional da 2ª Liga (Província da Beira Alta) (1941/1942);
  • Campeonato Distrital de Reservas (1939/1940, 1940/1941);
  • Vencedor do Play-off de acesso ao Campeonato Distrital de Honra (1ª subida) (1934/1935).
  • Taça Sócios de Mérito (AF Viseu) (2003/2004 e 2004/2005).


ESCALÕES DE FORMAÇÃO

  • Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Juniores (2017/2018);
  • Campeonato Distrital de Juniores AF Viseu (1974/1975, 1982/1983 e 2012/2013);
  • Campeonato Distrital de Juvenis AF Viseu (1993/1994 e 2013/2014);
  • Campeonato Distrital de Iniciados AF Viseu (2013/2014)
Futebol - Menções importantes[editar | editar código-fonte]

SENIORES

  • Presenças consecutivas na 1ª Liga (2015/2016, 2016/2017. 2017/2018, 2018/2019, 2019/2020 e 2020/2021)
  • Presenças consecutivas na 2ª Liga (2012/2013, 2013/2014 e 2014/2015);
  • Vice-Campeão do Campeonato Nacional da 2ª Divisão – Play-Off (Subida à 2ª Liga) (2011/2012);
  • Vice-Campeão no Campeonato Nacional da 3ª Divisão – Série C (Subida ao Nacional da 2ª Divisão) (1993/1994);
  • Presenças consecutivas no Campeonato Nacional da 2ª Divisão (2009/2010, 2010/2011 e 2011/2012);
  • Presenças consecutivas no Campeonato Nacional da 2ª Divisão B (1994/1995, 1995/1996 e 1996/1997);
  • Presenças consecutivas no Campeonato Nacional da 3ª Divisão (1976/1977, 1977/1978, 1978/1979, 1979/1980, 1980/1981, 1981/1982, 1982/1983, 1983/1984, 1984/1985 | 1987/1988 e 1988/1989 | 1997/1998 e 1998/1999 | 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008 e 2008/2009);
  • Vice-Campeão do Campeonato Nacional da 2ª Liga (Província da Beira Alta) (1939/1940);
  • Vice-Campeão do Campeonato Distrital de Honra (acesso ao Campeonato Nacional da 2ª Liga) (1936/1937, 1939/1940);
  • Vice-Campeão do Campeonato Distrital de Reservas (1941/1942, 1945/1946);
  • Presenças no Extinto Campeonato Nacional da 2ª Liga (Província da Beira Alta) (1936/1937, 1939/1940, 1941/1942, 1944/1945 e 1945/1946);
  • Presença no Extinto Campeonato Nacional da 3ª Divisão (1949/1950).


ESCALÕES DE FORMAÇÃO

  • Presença na Fase Final do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Juniores (2018/2019);
  • Presença na Fase Final do Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Juniores (2013/2014 e 2016/2017);
  • Presença na Fase Final do Campeonato Distrital de Juniores (1993/1994, 2002/2003 e 2005/2006);
  • Presença na Fase Final do Campeonato Distrital de Juvenis (2012/2013);
  • Presença na Fase Final do Campeonato Distrital de Iniciados (1998/1999 e 2012/2013);

MODALIDADES

Ciclismo[editar | editar código-fonte]

  • 1º Lugar na Volta em Bicicleta da Lageosa do Dão através do ciclista Adelino Pereira da Mota (2-07-1933);
  • 1º Lugar na II Volta em Bicicleta à Granja do Ulmeiro através do ciclista Adelino Pereira da Mota (1933);
  • Taça Comendador João Reinaldo de Faria (IV Volta em Bicicleta Lisboa-Coimbra, melhor classificado da zona centro) (22-10-1933).

Râguebi[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Nacional (Sevens) Feminino Sub-19 (2013/2014)
  • Campeonato Nacional (Sevens) Feminino Sub-19 (2014/2015)
Modalidades - Menções importantes[editar | editar código-fonte]

e-Sports

  • Presença na Final da Taça de Portugal FIFA 21 - 2vs2 (2020/2021)

Treinadores CDT (campeonatos nacionais)[editar | editar código-fonte]

TREINADOR J V E D % V % E % D GM GS MG MGS
1. Victor Correia

[1976-77, 1977-78, 1982-83]

96 30 25 41 31.25 26.04 42.71 141 167 1.47 1.74
2. Pepa

[2016-17, 2017-18, 2018-19]

95 29 22 44 30.53 23.16 46.32 116 140 1.22 1.47
3. Vítor Paneira

[2011-2012]

87 38 19 30 43.68 21.84 34.48 124 111 1.43 1.28
4. Luís Almeida

[1994-95, 1995-96, 2006-07]

75 29 18 28 38.67 24.00 37.33 88 97 1.17 1.29
5. João Cavaleiro

[1992-93, 1993-94]

72 29 22 21 40.28 30.56 29.17 66 58 0.92 0.81
6. António Jesus

[2008-2010]

70 34 16 20 48.57 22.86 28.57 124 77 1.77 1.10
7. João Augusto Alves

[1979-80, 1980-81]

68 23 16 29 33.82 23.53 42.65 80 89 1.18 1.31
8. João Bento

[2004-05, 2005-06, 2007-08]

60 25 17 18 41.67 28.33 30.00 86 59 1.43 0.98
9. Álvaro Lima

[1987-88, 1996-97]

52 16 10 26 30.77 19.23 50.00 42 68 0.81 1.31
10. Quinjó Figueiredo

[1997-98, 1998-99]

44 13 8 23 29.55 18.18 52.27 44 80 1.00 1.82
11. Petit

[2015-16, 2016-17]

42 11 8 23 26.19 19.05 54.76 49 70 1.17 1.67
12. Quim Machado

[2014-15]

38 18 14 6 47.37 36.84 15.79 59 42 1.55 1.11
13. Pako Ayestarán

[2020-21]

36 11 6 19 30.56 16.67 52.78 38 59 1.06 1.64
14. Natxo González

[2019-20]

36 9 9 18 25.00 25.00 50.00 30 48 0.83 1.33
15. José Vítor

[1986-87]

33 13 7 13 39.39 21.21 39.39 38 41 1.15 1.24
16. Mário Vasconcelos

[1978-79]

32 11 10 11 34.38 31.25 34.38 32 35 1.00 1.09
17. Arménio Gonçalves

[1981-82]

31 12 6 13 38.71 19.35 41.94 49 49 1.58 1.58
18. Filipe Moreira

[2010-2011]

31 16 7 8 51.61 22.58 25.81 46 29 1.48 0.94
19. Álvaro Magalhães

[2013-14]

28 9 7 12 32.14 25.00 42.86 18 20 0.64 0.71
20. João Salcedas

[1996-97]

23 4 9 10 17.39 39.13 43.48 16 33 0.70 1.43
21. José Lobo

[1998-99]

16 2 9 5 12.50 56.25 31.25 15 20 0.94 1.25
22. Carlos Pinto

[2014-15]

16 6 7 3 37.50 43.75 18.75 21 20 1.31 1.25
23. José Leal

[2006-2007]

12 3 3 6 25.00 25.00 50.00 12 16 1.00 1.33
24. Luís Amaral

[1994-95]

12 2 3 7 16.67 25.00 58.33 11 22 0.92 1.83
25. Rui Manuel

[1998-99]

10 3 2 5 30.00 20.00 50.00 13 14 1.30 1.40
26. Rui Bento

[2015-16]

7 0 2 5 0.00 28.57 71.43 3 12 0.43 1.71
27. Sérgio Abreu

[2007-2008]

5 2 2 1 40.00 40.00 20.00 8 2 1.60 0.40
28. Carlos Correia

[2007-08]

5 2 0 3 40.00 0.00 60.00 6 10 1.20 2.00
29. Paulo Cadete

[2013-14]

1 1 0 0 100.00 0.00 0.00 2 1 2.00 1.00

Futebol[editar | editar código-fonte]

Classificações por época[editar | editar código-fonte]

Época Nível Divisão Classificação Taça de Portugal Taça da Liga
2003/2004 5 1ª Divisão da AF Viseu - -
2004/2005 5 1ª Divisão da AF Viseu 1E -
2005/2006 4 3ª Divisão Nacional 3E -
2006/2007 4 3ª Divisão Nacional 3E -
2007/2008 4 3ª Divisão Nacional 1E -
2008/2009 4 3ª Divisão Nacional 1E -
2009/2010 3 2ª Divisão Nacional 3E -
2010/2011 3 2ª Divisão Nacional 2E -
2011/2012 3 2ª Divisão Nacional 4E -
2012/2013 2 Segunda Liga 10º 3E 1ª fase
2013/2014 2* Segunda Liga 2E 1ª fase
2014/2015 2 Segunda Liga 3E 2ª fase
2015/2016 1 1ª Liga 16º 3E 2ª fase
2016/2017 1 1ª Liga 16º 1/8 final 2ª fase
2017/2018 1 1ª Liga 11° 3E 2ª fase
2018/2019 1 1ª Liga 15° 1/8 final Fase de grupos (2° lugar)
2019/2020 1 1ª Liga 14° 1/8 final 2ª fase
2020/2021 1 1ª Liga 13° 1/16 final -

Legenda das cores na pirâmide do futebol português

     1º nível (1ª Divisão / 1ª Liga)
     2º nível (até 1989/90 como 2ª Divisão Nacional, dividido por zonas, em 1990/91 foi criada a 2ª Liga)
     3º nível (até 1989/90 como 3ª Divisão Nacional, depois de 1989/90 como 2ª Divisão B/Nacional de Seniores/Campeonato de Portugal)
     4º nível (entre 1989/90 e 2012/2013 como 3ª Divisão, entre 1947/48 e 1989/90 e após 2013/14 como 1ª Divisão Distrital)
     5º nível
     6º nível
     7º nível

Notas:

  • Em 2013/2014 acabou 3ª Divisão e a primeira competição distrital passou a nível 4

Plantel[editar | editar código-fonte]

Guarda-redes
N.º Jogador
1 Portugal Joel Sousa
88 Portugal Pedro Trigueira
99 Senegal Babacar Niasse
Defesas
N.º Jogador Pos.
21 Uruguai Enzo Martinez Vindo de Empréstimo C
23 Portugal Yohan Tavares C
34 Portugal Ricardo Alves C
28 Argélia Abdel Medioub Vindo de Empréstimo C
4 Portugal Jota Gonçalves C
2 Brasil Bebeto LD
19 Portugal Tiago Almeida LD
20 Portugal Filipe Ferreira LE
24 Argélia Naoufel Khacef LE
Médios
N.º Jogador Pos.
6 Brasil Pedro Augusto T
5 Guiné-Bissau João Jaquité T
8 Portugal João Pedro Vindo de Empréstimo M
18 Espanha Roberto Olabe Vindo de Empréstimo M
14 Espanha Jaume Grau Vindo de Empréstimo M
70 Portugal Rafael Barbosa M
80 Cabo Verde Telmo Arcanjo M
Avançados
N.º Jogador
17 Espanha Mario González Vindo de Empréstimo
10 Venezuela Jhon Murillo
7 Portugal Salvador Agra
11 Croácia Tomislav Štrkalj
45 Mauritânia Souleymane Anne
Equipa técnica
Nome Pos.
Espanha Pako Ayestaran TR
Portugal José Manuel Sá TA
Portugal Paulo Correia TA
Portugal Nuno Pereira PF
Portugal Pedro Taborda TGR


Referências

  1. «CD TONDELA». cdtondela.pt. Consultado em 15 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de PortugalSoccer icon Este artigo sobre clubes de futebol portugueses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.