Federação Portuguesa de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Federação Portuguesa de Futebol (FPF)
Logo da FPF
Fundação 31 de Março de 1914
Sede Lisboa, Portugal
Membros 2226 clubes (até 05-2008)
Presidente Fernando Gomes[1] [2]
Sítio oficial http://www.fpf.pt

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) MHIHComB é o órgão dirigente do futebol em Portugal, que organiza a Selecção Portuguesa de Futebol e está sediada em Lisboa. Foi fundada em 31 de Março de 1914 com o nome de União Portuguesa de Futebol, tendo mais tarde mudado o nome para a actual designação.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada a 31 de Março de 1914 pelas três associações regionais então existentes – Lisboa, Portalegre e Porto – a União Portuguesa de Futebol foi a antecessora da actual Federação Portuguesa de Futebol, que ganhou esta denominação no Congresso Extraordinário de 28 de Maio de 1926.

Nos primeiros anos da sua existência, a UPF limitou-se a organizar alguns encontros entre as selecções de Lisboa e do Porto, bem como a apresentar a candidatura de Portugal à FIFA, candidatura essa que foi aceite no XII Congresso da FIFA, organizado em Genebra, em Maio de 1923, e a partir do qual Portugal passou a ser um membro efectivo daquele organismo.

Os Estatutos da UPF eram compostos por cinco artigos:

Artº. 1º. – A União Portuguesa de Futebol é uma federação que dirigirá o futebol no território da República Portuguesa.

Artº. 2º. – A sede da União Portuguesa de Futebol será em Lisboa.

Artº. 3º - A União Portuguesa de Futebol tem por fim:

  • Propagar, estimular e regulamentar a prática do futebol em Portugal;
  • Promover a formação de associações regionais que se destinem, igualmente, ao progresso e regulamentação do futebol;
  • Prevenir as faltas ou abusos que possam cometer-se e, quando se cometam, reprimi-los;
  • Instituir competições entre as associações filiadas;
  • Proteger os interesses das associações filiadas, dos seus jogadores e dos juízes de campo;
  • Organizar o Campeonato de Portugal;
  • Fazer cumprir os presentes estatutos e todos os regulamentos da lei desta União.

Artº. 4º - A União Portuguesa de Futebol adoptará os regulamentos do jogo conforme forem sucessivamente promulgados pêra direcção da Football Association e será exclusivamente filiada na Féderation Internationale de Football Association, com sede em Amesterdão.

Artº. 5º - A União Portuguesa de Futebol é constituída por:

  • Associações regionais;
  • Ligas ou núcleos de clubes;
  • Sócios de mérito.

Em 1926, a União Portuguesa de Futebol deu lugar à actual Federação Portuguesa de Futebol.

A 9 de Abril de 1956 foi feita Comendadora da Ordem de Benemerência e a 5 de Julho de 2004 foi feita Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Presidentes da FPF[editar | editar código-fonte]

1914 - 1922 - Dr. Sá e Oliveira
1922 - 1925 - Luís Peixoto Guimarães
1925 - 1927 - Dr. Franklin Nunes
1927 - 1928 - Major João Luís de Moura
1929 - 1929 - Luís Plácido de Sousa
1930 - 1931 - Dr. Salazar Carreira
1931 - 1932 - Abílio Lagoas
1934 - 1934 - Raúl Vieira
1934 - 1942 - Prof. Cruz Filipe
1943 - 1944 - Prof. Dr. Pires de Lima
1944 - 1946 - Juiz Bento Coelho da Rocha
1946 - 1951 - Prof. Eng. André Navarro
1951 - 1954 - Cap. Maia Lourenço
1954 - 1957 - Ten. Cor. Ângelo Ferrari
1957 - 1960 - Cap. Maia Lourenço
1960 - 1960 - Dr. Paulo Sarmento
1960 - 1963 - Francisco Mega
1963 - 1967 - Justino Pinheiro Machado
1967 - 1969 - Dr. Cazal Ribeiro
1970 - 1971 - Dr. Matos Correia
1971 - 1972 - Dr. Jorge Saraiva
1972 - 1974 - Dr. Martins Canaverde
1974 - 1976 - Dr. Jorge Fagundes
1976 - 1976 - António Ribeiro Magalhães
1976 - 1979 - Dr. António Marques
1979 - 1980 - Dr. Morais Leitão
1980 - 1981 - António Ribeiro Magalhães
1981 - 1983 - Romão Martins
1983 - 1989 - Dr. Silva Resende
1989 - 1992 - Dr. João Rodrigues
1992 - 1993 - A. Lopes da Silva
1993 - 1996 - Eng. Vítor Vasques
1996 - 2011 - Dr. Gilberto Madail
2011 - ? - Fernando Soares Gomes da Silva

A Instituição[editar | editar código-fonte]

Orgãos Sociais[editar | editar código-fonte]

São Órgãos Sociais da Federação Portuguesa de Futebol a Assembleia Geral, o Presidente da FPF, a Direcção, o Conselho Fiscal, o Conselho de Justiça, o Conselho de Disciplina e o Conselho de Arbitragem.

Cabe aos Órgãos Sociais prosseguir o objecto da FPF, no âmbito das suas competências, bem como promover a ética desportiva, em particular nos domínios do combate à violência, dopagem e corrupção associadas ao fenómeno desportivo.[4]

Assembleia Geral[editar | editar código-fonte]

A Assembleia Geral (AG) da Federação Portuguesa de Futebol delibera sobre todos os assuntos submetidos à sua apreciação que não sejam da competência exclusiva de outros Órgãos Sociais da FPF. Compõe a AG Federativa os Sócios Ordinários do organismo que tutela o Futebol Nacional, podendo ainda nela participar, mas sem direito a voto, os titulares de Órgãos Sociais da FPF e os Sócios Honorários e de Mérito.

Direcção[editar | editar código-fonte]

A Direcção da Federação Portuguesa de Futebol é constituída pelo Presidente da FPF, três Vice-Presidentes – para as áreas administrativa, financeira e desportiva, além de um outro designado pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional – e cinco Directores.

Conselho de Justiça[editar | editar código-fonte]

O Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol é constituído por um Presidente, um Vice-Presidente e cinco Vogais, todos licenciados em Direito. Este órgão Federativo reúne sempre que para tal seja convocado pelo seu Presidente e as suas decisões são fundamentadas de facto e de direito.

Conselho de Disciplina[editar | editar código-fonte]

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol é constituído por um Presidente, um Vice-Presidente e cinco Vogais, todos licenciados em Direito. O Conselho de Disciplina rege-se pelas normas estatutárias de funcionamento do Conselho de Justiça, com as necessárias adaptações.

Compete ao Conselho de Disciplina apreciar e punir, de acordo com os regulamentos aplicáveis, todas as infracções imputadas a pessoas sujeitas ao poder disciplinar da FPF, sem prejuízo da competência específica da Liga. Este órgão pode ordenar a realização de diligências probatórias complementares.

Conselho de Arbitragem[editar | editar código-fonte]

O Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol é dotado de autonomia técnica e constituído por um Presidente, um Vice-Presidente e cinco Vogais. O CA – que é integrado por pessoas com qualificações específicas do sector da arbitragem – administra a arbitragem no âmbito das competições organizadas pela FPF.

Conselho Fiscal[editar | editar código-fonte]

O Conselho Fiscal da Federação Portuguesa de Futebol é constituído por um Presidente, um Vice-Presidente e três Vogais, devendo os seus titulares possuir habilitações académicas ou profissionais adequadas. Este órgão reúne trimestralmente e, sempre que necessário, por convocatória do Presidente.

Selecção Nacional Portuguesa[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

No dia 18 de Dezembro de 1921, a Selecção Portuguesa de futebol defrontou, em Madrid, a sua congénere espanhola. Perdeu por 3-1. O jogo ficaria para a história porque foi a primeira vez que uma representação nacional de futebol entrava em campo com a camisola das quinas. Daí para cá, Portugal já disputou mais de 430 jogos.

A Selecção Portuguesa, que começara por ser, praticamente, um grupo de amigos apaixonados pelo futebol, tornou-se, aos poucos, uma paixão nacional. Ricardo Ornellas, um dos responsáveis pelo seu aparecimento, chamou-lhe um dia a «equipa de todos nós» e ainda hoje é assim que é conhecida e sobretudo sentida pelos portugueses.

Com os olhos postos no futuro, a Selecção Nacional, pode orgulhar-se do seu passado do qual se destacam brilhantes prestações em fases finais de Campeonatos da Europa e do Mundo.

Palmarés[editar | editar código-fonte]

1 Título de Vice-Campeão Europeu 5 Presenças em Campeonatos do Mundo - 1966, 1986, 2002, 2006 e 2010 6 Presenças em Campeonatos da Europa - 1984, 1996, 2000, 2004, 2008 e 2012

Internacionalizações[editar | editar código-fonte]

Seja qual for a modalidade, não há palavras para descrever o orgulho e a honra de alguém que enverga a camisola de uma Selecção Nacional.

Ao nível da Selecção Nacional - Clube Portugal, a lista dos mais internacionais é encabeçada por dois dos mais carismáticos jogadores portugueses: Fernando Couto e Luís Figo, que juntos somam mais de 235 jogos pela "equipa de todos nós".

Mas há também nomes que são referências inesquecíveis para os mais velhos e de quem, certamente, os mais novos já ouviram falar...

  1. Luís Figo 127 Jogos (Retirado)
  2. Cristiano Ronaldo 110 Jogos
  3. Fernando Couto 110 Jogos (Retirado)
  4. Rui Costa 94 Jogos (Retirado)
  5. Pauleta 88 Jogos (Retirado)
  6. Simão Sabrosa 85 Jogos (Retirou-se da Selecção)
  7. João Vieira Pinto 81 Jogos (Retirado)
  8. Vítor Baía 80 Jogos (Retirado)
  9. Ricardo 79 Jogos
  10. Nuno Gomes 79 Jogos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.