Boavista Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Boavista FC
Logo Boavista FC.png
Nome Boavista Futebol Clube
Alcunhas Axadrezados
Torcedor/Adepto Panteras Negras
Mascote Pantera
Fundação 1 de agosto de 1903 (112 anos)
Estádio Estádio do Bessa Século XXI,
PRT.png Porto
Capacidade 30,000 pessoas
Localização Ramalde, Porto
Presidente Portugal João Loureiro
Treinador Bolívia Erwin Sánchez
Patrocinador Portugal Mestre da Cor
Material esportivo Itália Erreà
Competição Portugal Primeira Liga
Website www.boavistafc.pt
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Boavista Futebol Clube é um clube desportivo português com sede na zona da Boavista, freguesia de Ramalde, concelho do Porto.

Conhecido especialmente pela equipa de futebol profissional mas sempre conhecido como um clube bastante historial de títulos, de momento com dezasseis modalidades, tanto profissionais como amadoras, das quais mais se destacam o futebol, o ciclismo, o boxe, o xadrez e o boccia.

Actualmente joga na Primeira Liga.

É proprietário do Estádio do Bessa Séc XXI, construído em terrenos inicialmente arrendados à família Mascarenhas, mais tarde adquiridos na presidência do Major Valentim Loureiro, e depois totalmente reconstruído para o Euro 2004, pelo seu filho Dr João Loureiro, na sua presidência.

O clube, no final de 2012 encontrava-se numa situação de insustentabilidade financeira.[1] Após as reclamações dos credores no processo PER intentado pelo Presidente Dr. Manuel Maio ascendiam a cerca de 65 milhões de Euros.

Em 28 de Dezembro de 2012 na sequência de um movimento de associados que recolheu centenas de assinaturas, foi novamente eleito como Presidente o Dr João Loureiro, tendo tomado posse a 2 de Janeiro de 2013.

Em 2 de Fevereiro de 2013 o Conselho de Justiça da FPF anulou a descida administrativa ocorrida em 2008 graças ao facto de a decisão de descida de divisão do Boavista na sequência do processo Apito Final ter prescrito[2] .

Em 4 de Setembro de 2013 no final do processo PER, no que foi considerado um momento histórico para o Boavista FC, que assim assegurou a sua sobrevivência e afastou o espectro da iminente insolvência, numa negociação conduzida pelo Dr. João Loureiro, uma larguíssima maioria de 93% dos credores do clube votou a redução do seu passivo global de 65 milhões de Euros para 32 milhões de Euros, a pagar em 12,5 anos, mercê de um plano de recuperação com medidas exigentes que deverão se implementadas a partir desse momento, de forma a regularizar de vez as dívidas respectivas. Foi assim conseguida a salvação do clube, cujo rigor e disciplina na gestão terão que prevalecer.

Em Fevereiro de 2014 foi também outorgado um acordo SIREVE pela Boavista FC.

Em 1 de Abril de 2014 a Comissão Executiva da Liga aprovou a candidatura da Boavista FC à participação na 1.ª Liga na época 2014/2015. Através de comunicado, a referida Comissão explica que a candidatura do clube recebeu ainda parecer favorável da Comissão Técnica de Estudos e Auditoria.

Na época 2014-15 voltou ao fim de 6 anos à Primeira Liga, tendo conseguido o objectivo de se manter na 1ª Liga com sucesso, tal como aconteceu de novo na época 2015-2016.

História[editar | editar código-fonte]

O Boavistão[editar | editar código-fonte]

O primeiro Boavistão, nos anos 1970, sob a presidência do Major Valentim Loureiro e com José Maria Pedroto como Treinador, iniciou a radiosa aventura que conheceu a segunda página em 91/92, com eliminação da Internazionale no Estádio Giuseppe Meazza (0-0 depois de uma vitória por 2-1 no Bessa). O Boavistão que continuou a crescer com o mesmo presidente sob a batuta de Manuel José na década de noventa, e, já na presidência do Dr João Loureiro e com Jaime Pacheco a Treinador, fechou o século XX com o título de campeão nacional, iniciando o séc XXI com as presenças na Liga do Campeões e nas meias-finais da Taça UEFA e, hoje em dia, não há treinador na Europa que não esteja familiarizado com o esquisito xadrez de uma camisola que levou mais de trinta anos a descobrir o padrão ideal. Neste percurso de glória, marcado pela família Loureiro, além de uma vez campeão nacional, o Boavista foi ainda por três vezes vice-campeão, tendo vencido 3 Taças e 5 Supertaças de Portugal.

A história mostra-nos que o "The Boavista Footballers", a primeira versão do clube, fundada a 1 de Agosto de 1903, equipava de camisa preta e calção preto e era o orgulho de alguns jovens ingleses e portugueses, moradores no bairro da Boavista, que ganharam a paixão pelo futebol ao observarem as partidas disputadas pelos mestres e técnicos ingleses da Fábrica Graham.

Equipa de futebol em 1923.

Dois dos jovens, Harry e Dick Lowe, receberam do pai uma bola importada da Inglaterra e, encontrado os companheiros e o terreno adequados, lançaram as bases para a criação do clube. A influência inglesa na colectividade recebeu "sentença de morte" em 1909, quando alguns dos jogadores britânicos, respeitando os preceitos da Igreja anglicana, se recusaram a jogar aos domingos. Reuniram-se então os sócios para resolver a situação, naquela que se pode considerar a primeira assembleia geral. A votação foi claramente a favor dos jogos ao domingo e o rosto da direcção do clube alterou-se, passando a ser composta por portugueses. Em 1910, o Boavista Footballers desapareceu para dar lugar ao Boavista Futebol Clube.

Em 1911 foi inaugurado o campo do Bessa e o clube começou a viver dias de expansão, interrompida poucos anos depois. A I Guerra Mundial teve início em 1914 e o Boavista viu partir os jogadores ingleses para defenderem a pátria, dos quais alguns não voltaram a ser vistos. As camisolas voltaram a assunto do dia nos anos 1920, com o aparecimento do calção branco, mas ainda não seria desta que a equipa encontrava a sua identidade. A nova década trouxe ventos de bonança e o clube ampliou o número de modalidades e intensificou a actividade internacional, disputando vários jogos com clubes estrangeiros que demandavam ao Porto, casos do Real Madrid, Celta de Vigo ou Vasas de Budapeste. E os jogadores boavisteiros passaram a ser chamados à selecção, como o guardião Casoto e o defesa Óscar de Carvalho.

Com tanto positivismo, a cor negra das camisolas começou a incomodar muita gente. O Boavista equipou às riscas verticais pretas e brancas e calção preto, mas ainda não estava bem. O preto continuava demasiado dominante e chegou-se então ao extremo. Do sombrio passou ao berante, com ostentação, em 1928, de uma camisola com riscas verticais vermelhas, brancas e azuis, um calção preto e meias às riscas horizontais brancas e pretas.

A mudança não agradou a ninguém e mereceu muitos comentários irónicos da Imprensa. Então, Artur Oliveira Valença foi ver as modas a França e regressou obstinado a fazer mais uma alteração no visual do Boavista. O presidente, um homem de admirável bagagem cultural, fundador do jornal desportivo "Sports" e promotor de espectáculos desportivos, observou uma equipa francesa que alinhava com camisola xadrez. Como a mesma correspondia às cores preto e branco do seu clube, resolveu copiar o modelo.

Começou aí a história aos quadradinhos pretos e brancos do Boavista. O dia 29 de Janeiro de 1933 é como um segundo nascimento da colectividade. O Boavista bateu o Benfica por 4-0, na estreia do equipamento axadrezado, do novo emblema (o actual) e, sobretudo, dos jogadores profissionais, pois foi a primeira equipa a aderir à profissionalização, feito que lhe valeu uma suspensão de um ano. Desde lá para o Boavista Futebol Clube, abriu-se uma porta e a história ganhou um novo rumo à entrada do século XXI.

Campeão Nacional, crise, rebaixamentos e regresso à Primeira Liga[editar | editar código-fonte]

A pantera negra, um dos símbolos do clube e também alcunha.

O Boavista sagrou-se Campeão Nacional na Época 2000 / 2001. Foi Vice-Campeão Nacional em 1998/1999 e 2001/2002,. Participou nesse período por 3 vezes na Liga dos Campeões. Alcançou também as meias finais da Taça UEFA na época 2002 / 2003. Tudo durante a presidência do Dr João Loureiro, em cujos mandatos venceu também uma Taça de Portugal (1996/1997) e uma Supertaça de Portugal (1997/1998).

Uma alegada coação feita pela direcção ditou a sua despromoção no fim da época 2007/2008, tendo o clube recorrido para os tribunais administrativos.

Em Fevereiro de 2012 a SAD (Sociedade Anónima Desportiva) do Boavista pediu a "reintegração" na Primeira Liga, através do seu presidente Álvaro Braga Júnior, depois de ser conhecida a decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa que considerou nula a reunião do Conselho de Justiça (CJ) da FPF, que confirmou a despromoção do clube "axadrezado" à Liga de Honra. Já no dia 7 de maio de 2012, o Boavista emitiu um comunicado, dizendo que tinha tido conhecimento de nova decisão da FPF, desta vez liderada por Fernando Gomes. Esta recorreu, no dia 9 de abril de 2012, da decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa.

O clube participou na época de 2008/2009 na Liga de Honra (2º escalão do futebol português), jogando com os seus juniores. Na época 2009/2010 participou na II Divisão B (3º escalão do futebol português).

Na época de 2011/2012 ficou no quarto lugar com cinquenta pontos, a 13 do então líder (Clube Desportivo de Tondela). Pelo terceiro ano consecutivo, o Boavista FC não conseguiu atingir o objetivo predefinido, a subida à Liga Orangina (Liga de Honra). Facto que esteve também ligado às dificuldades financeiras do clube, reflectindo-se nos salários em atraso do plantel.

É de notar os esforços dos simpatizantes e sócios do clube, que muito têm ajudado o BFC nestes tempos difíceis, não deixando de comparecer aos jogos, sempre trazendo na mente velhas glórias, tais como a conquista do Campeonato na época de 2000/2001.

No dia 18 de Maio de 2012 fizeram 11 anos que os "panteras negras" conquistaram o Campeonato Nacional, derrotando o Desportivo das Aves.

Realizaram-se eleições no dia 17 de Junho de 2012 e o Boavista FC mudou de novo de presidente. Apresentou-se uma só lista e o Dr. Manuel Maio foi eleito para a presidência do clube no triénio 2012-2014.

Em Novembro de 2012 o Dr. Manuel Maio demite-se alegando problemas de saúde.

A 5 de Dezembro de 2012 o Dr. João Loureiro anuncia a sua candidatura à presidência do Boavista.

No dia 28 de Dezembro o Dr. João Loureiro é eleito presidente do clube "axadrezado" com 567 votos numa eleição em que foi o único candidato. A tomada de posse ocorreu dia 2 de Janeiro de 2013.

Em 2 de Fevereiro de 2013 o Conselho de Justiça da FPF anulou a descida administrativa ocorrida em 2008 graças ao facto de a decisão de descida de divisão do Boavista na sequência do processo Apito Final ter prescrito[3] .

Em 4 de Setembro de 2013 o processo PER do Boavista FC é aprovado por 93% dos credores, permitindo num momento considerado histórico a sobrevivência e salvação do clube, cujo passivo por tal efeito passou de 65,3 milhões de Euros para 32,6 milhões de Euros, numa negociação conduzida pelo Presidente Dr. João Loureiro.

Em Fevereiro de 2014 foi também outorgado um acordo SIREVE pela Boavista FC.

Em 1 de Abril de 2014 a Comissão Executiva da Liga aprovou a candidatura do Boavista à participação na 1.ª Liga na época 2014/2015. Através de comunicado, a referida Comissão explica que a candidatura do clube recebeu ainda parecer favorável da Comissão Técnica de Estudos e Auditoria.

Na época 2014-15 voltou ao fim de 6 anos à Primeira Liga, tendo conseguido atingir o objectivo de manutenção com sucesso, tal como aconteceu também na época 2015-2016.

Em 26 de Novembro de 2014 a SAD do Boavista aprovou o aumento de capital da sociedade de 11 para 17,5 milhões de euros. Este aumento de capital, previsto no procedimento SIREVE, a que a SAD aderiu para pagar as suas dívidas, passou pela conversão global de 6,5 milhões de créditos em capital. O objectivo estava fixado nos 5 milhões e, por isso, foi largamente superado.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Presenças[editar | editar código-fonte]

Nº Presenças Títulos
Temporadas na 1ª 54 (Última em 2007/2008) 1
Temporadas na Liga de Honra 1 (Última em 2008/2009)
Temporadas na 2ª 19 (última em 2011/2012) 2
Temporadas na 3ª 2
Taça de Portugal 60 5
Taça da Liga 2
Supertaça de Portugal 4 3

Desempenho na Liga e na Taça de Portugal[editar | editar código-fonte]

O clube possui mais de 50 presenças na Primeira Divisão Nacional. Em 1979, ganhou a primeira edição da Supertaça de Portugal.

Temporada Divisão Pos. Jgs V E D GF GC Pts Taça de Portugal Europa Notas
1934–35 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1935–36 1D 6 14 4 3 7 24 39 11 Rebaixado
1936–37 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1937–38 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1938–39 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1939–40 2D ? ? ? ? ? ? ? ? Quartos de final
1940–41 1D 8 14 2 1 11 12 63 5 Primeiros 16 Rebaixado
1941–42 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1942–43 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1943–44 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1944–45 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1945–46 1D 11 22 6 0 16 39 73 12
1946–47 1D 9 26 7 6 13 52 74 20 Não disputada
1947–48 1D 9 26 9 2 15 40 65 20
1948–49 1D 14 26 4 6 16 35 89 14 Rebaixado
1949–50 2D ? ? ? ? ? ? ? ? Promovido
1950–51 1D 10 26 10 3 13 50 62 23
1951–52 1D 5 26 12 1 13 47 55 25
1952–53 1D 9 26 7 6 13 35 54 20
1953–54 1D 11 26 7 5 14 29 66 19
1954–55 1D 13 26 7 4 15 33 71 18 Rebaixado
1955–56 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1956–57 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1957–58 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1958–59 2D ? ? ? ? ? ? ? ? Promovido
1959–60 1D 14 26 4 4 18 27 81 12 Rebaixado
1960–61 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1961–62 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1962–63 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1963–64 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1964–65 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1965–66 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1966–67 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1967–68 2D ? ? ? ? ? ? ? ?
1968–69 2D ? ? ? ? ? ? ? ? Promovido
1969–70 1D 12 26 6 6 14 35 61 18
1970–71 1D 6 26 9 4 13 18 38 22
1971–72 1D 11 30 7 10 13 28 46 24
1972–73 1D 7 30 12 7 11 41 47 31
1973–74 1D 9 30 9 7 14 35 43 25
1974–75 1D 4 30 16 6 8 58 32 38 Vencedor
1975–76 1D 2 30 21 6 3 65 23 48 Vencedor CWC 2ª fase
1976–77 1D 4 30 13 8 9 41 33 34 CWC 2ª fase
1977–78 1D 7 30 10 8 12 36 38 28 UC 1ª fase
1978–79 1D 9 30 12 3 15 36 40 27 Vencedor
1979–80 1D 4 30 15 7 8 44 30 37 CWC 2ª fase Vencedor Supertaça
1980–81 1D 4 30 14 8 8 36 25 36 UC 2ª fase
1981–82 1D 9 30 10 6 14 36 37 26 UC 2ª fase
1982–83 1D 5 30 12 6 12 32 38 30
1983–84 1D 7 30 12 7 11 36 31 31
1984–85 1D 4 30 13 11 6 37 26 37
1985–86 1D 5 30 14 8 8 44 29 36 UC 1ª fase
1986–87 1D 8 30 9 9 12 34 36 27 UC 2ª fase
1987–88 1D 5 38 16 14 8 42 25 46
1988–89 1D 3 38 19 11 8 56 29 49
1989–90 1D 8 34 13 8 13 49 36 34 UC 1ª fase
1990–91 1D 4 38 15 11 12 53 46 41
1991–92 1D 3 34 16 12 6 45 27 44 Vencedor UC 2ª fase Vencedor Supertaça
1992–93 1D 4 34 14 11 9 46 34 39 Finalista vencido CWC 2ª fase
1993–94 1D 4 34 16 6 12 46 31 38 UC 1/4 final
1994–95 1D 9 34 12 8 14 40 49 32 UC 2ª fase
1995–96 1D 4 34 19 8 7 59 28 65
1996–97 1D 7 34 12 13 9 62 39 49 Vencedor UC 3ª fase Vencedor Supertaça
1997–98 1D 6 34 15 10 9 54 31 55 CWC 1ª fase
1998–99 1D 2 34 20 11 3 57 29 71 1/4 final
1999–00 1L 4 34 16 7 11 40 31 55 CL 1ª fase grupos
2000–01 1L 1 34 23 8 3 63 22 77 UC 2ª fase
2001–02 1L 2 34 21 7 6 53 20 70 CL 2ª fase grupos
2002–03 1L 10 34 10 13 11 32 31 43 UC 1/2 final
2003–04 1L 8 34 12 11 11 32 31 47
2004–05 1L 6 34 13 11 10 39 43 50 1/2 final
2005–06 1L 6 34 12 14 8 37 29 50 1/4 final
2006–07 1L 10 30 8 11 11 32 34 35 1/4 final
2007–08 1L 9 30 8 12 10 32 41 36 5ª eliminatória Rebaixado à Segunda Liga por decisão da FPF
2008–09 2L 15 30 9 5 16 28 44 32 4ª eliminatória Rebaixado
2009–10 2D N 7 28 10 7 11 34 38 37 1ª eliminatória
2010–11 2D C 2 30 16 8 6 46 25 56 1ª eliminatória
2011–12 2D C 4 30 15 5 10 42 31 50 1ª eliminatória
2012–13 2D C 4 30 9 11 10 44 40 38 1ª eliminatória
2013–14 CNS 4 32 21 5 6 43 37 68 1ª eliminatória Engloba 1ª Fase e 2ª Fase
Promovido à Primeira Liga por decisão da FPF e Liga PFP
2014–15 1L 13 34 9 7 18 27 50 34 3ª eliminatória
2015–16 1L 14 align="center" | 34 align="center" |8 9 align="center" | 17 align="center" |24 41 33 1/2 final 1/4 final
Temporada Divisão Pos. Jgs V E D GF GC Pts Taça de Portugal Europa Notas

Equipa 2015/2016[editar | editar código-fonte]

  • Capitão Atual capitão
  • Lesão. Jogador contundido
  • Emprestado. Jogador Emprestado


Goleiros
Jogador
1 Portugal Mika
12 Brasil Gideão
24 Senegal Mamadou Ba
Defensores
Jogador Pos.
3 Portugal Fábio Ervões Z
5 Brasil Paulo Vinícius Z
14 Gana Emmanuel Hackman Z
22 Portugal Carlos Santos Z
23 Portugal Nuno Henrique Z
94 Brasil Philipe Sampaio Z
2 Gana Samuel Inkoom LD
19 Brasil Ian Pereira LD
28 Portugal Tiago Mesquita LD
6 Brasil Anderson Correia LE
25 Portugal Afonso LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
4 Nigéria Reuben Gabriel V
8 Portugal Tengarrinha V
27 Brasil Anderson Carvalho V
42 Senegal Idris Mandiang V
55 Portugal Tiago Ribeiro V
7 Brasil Leozinho M
10 Brasil Diego Lima M
17 Portugal Duda M
30 Brasil Ancelmo Júnior M
88 Portugal Samu M
Atacantes
Jogador
9 Nigéria Uche Nwofor
71 Senegal Fary Faye
72 Senegal Ibrahima Faye
75 Nigéria Michael Uchebo
77 Portugal Luisinho
95 República Democrática do Congo André Bukia
99 Brasil Rivaldinho
Comissão técnica
Nome Pos.
Bolívia Erwin Sánchez T

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Séniores[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Portuguese shield.svg Campeonato Português de Futebol 1 2000/01
Portugal Taça de Portugal 5 1974/75, 1975/76, 1978/79, 1991/92, 1996/97
Portugal Supertaça Cândido de Oliveira 3 1978/79, 1991/92, 1996/97
Portugal Liga de Honra 1 1936/37
Portugal II Divisão B 1 1949/50

Juniores[editar | editar código-fonte]

  • 4 Campeonatos Nacionais Juniores: 1994/95; 1996/97; 1998/99; 2002/03

Juvenis[editar | editar código-fonte]

  • 1 Campeonato Nacional Juvenis: 1999/00

Iniciados[editar | editar código-fonte]

  • 3 Campeonatos Nacionais Iniciados: 1987/88; 1990/91; 1994/95

Infantis[editar | editar código-fonte]

  • 2 Campeonatos Nacionais Infantis: 1990/91; 1993/94

Feminino[editar | editar código-fonte]

  • 13 Campeonatos Nacionais de Futebol Feminino: 1985, 1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1997
  • 'Júlio Santos foi o primeiro treinador campeão nacional de Futebol Feminino, com o total de sete títulos e todos os troféus internacionais com destaque para 2 Taças da Europa e 1 Taça do Mundo na década de 80
  • Vencedor da Taça de Portugal de Futebol Feminino: 2013

Provas Europeias[editar | editar código-fonte]

Época Prova Fase Adversário Casa Fora Ag.
1975–76 Taça das Taças 1ª El Checoslováquia Spartak Trnava 3–0 0–0 3–0
2ª El Escócia Celtic FC 0–0 1–3 1–3
1976–77 Taça das Taças 1ª El Roménia CSU Galaţi 2–0 3–2 5–2
2ª El Bulgária Levski Sofia 3–1 0–2 3–3 (a)
1977–78 Taça UEFA 1ª El Itália Lazio 1–0 0–5 1–5
1979–80 Taça das Taças 1ª El Malta Sliema Wanderers 8–0 1–2 9–2
2ª El União Soviética Dínamo Moscovo 1–1 0–0 1–1 (a)
1980–81 Taça UEFA 1ª El Hungria Vasas SC 0–1 2–0 2–1
2ª El França Sochaux 0–1 2–2 2–3
1981–82 Taça UEFA 1ª El Espanha Atlético Madrid 4–1 1–3 5–4
2ª El Espanha Valencia CF 0–2 1–0 1–2
1985–86 Taça UEFA 1ª El Bélgica Club Brugge 4–3 1–3 5–6
1986–87 Taça UEFA 1ª El Itália Fiorentina 1–0 (3-1 g.p.) 0–1 1–1
2ª El Escócia Glasgow Rangers 0–1 1–2 1–3
1989–90 Taça UEFA 1ª El Alemanha Oriental FC Karl-Marx-Stadt 2–2 (a.p) 0–1 2–3
1991–92 Taça UEFA 1ª El Itália Internazionale 2–1 0–0 2–1
2ª El Itália Torino 0–0 0–2 0–2
1992–93 Taça das Taças 1ª El Islândia Valur 3–0 0–0 3–0
2ª El Itália Torino 0–2 0–0 0–2
1993–94 Taça UEFA 1ª El Luxemburgo Union Luxembourg 4–0 1–0 5–0
2ª El Itália Lazio 2–0 0–1 1–1
1/8 Grécia OFI Creta 2–0 4–1 6–1
1/4 Alemanha Karlsruher SC 1–1 0–1 1–2
1994–95 Taça UEFA 1ª El Finlândia MyPa 2–1 1–1 3–2
2ª El Itália Nápoles 1–1 1–2 2–3
1996–97 Taça UEFA 1ª El Dinamarca Odense BK 1–2 3–2 4–4 (a)
2ª El Geórgia Dinamo Tbilisi 5–0 0–1 5–1
1/8 Itália Inter Milão 0–2 1–5 1–7
1997–98 Taça das Taças 1ª El Ucrânia Shakhtar Donetsk 2–3 1–1 3–4
1999–00 Liga dos Campeões 3ª Pré Dinamarca Brøndby 4–2 (a.p) 2–1 6–3
Grupo C Noruega Rosenborg 0–3 0–2 4º lugar
Países Baixos Feyenoord 1–1 1–1
Alemanha Borussia Dortmund 1–0 1–3
2000–01 Taça UEFA Pré El País de Gales Barry Town 2–0 3–0 5–0
1ª El Ucrânia Vorskla Poltava 2–1 2–1 4–2
2ª El Itália Roma 1–1 0–1 1–2
2001–02 Liga dos Campeões Grupo B Inglaterra Liverpool 1–1 1–1 2º lugar
Ucrânia Dínamo Kiev 3–1 0–1
Alemanha Borussia Dortmund 2–1 1–2
Group A Inglaterra Manchester United 0–3 0–3 3º lugar
Ucrânia Nantes 1–0 1–1
Alemanha Bayern Munich 0–0 0–1
2002–03 Liga dos Campeões 2ª Pré Malta Hibernians 4–0 3–3 7–3
3ª Pré França Auxerre 0–1 0–0 0–1
2002–03 Taça UEFA 1ª El Israel Maccabi Tel Aviv 4–1 0–1 4–2
2ª El Chipre Anorthosis Famagusta 2–1 1–0 3–1
3ª El França Paris Saint-Germain 1–0 1–2 2–2 (a)
1/8 Alemanha Hertha Berlin 1–0 2–3 3–3 (a)
1/4 Espanha Málaga 1–0 (4-1 g.p.) 0–1 1–1
Meias finais Escócia Celtic 0–1 1–1 1–2

Formação[editar | editar código-fonte]