Os Três Grandes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SL Benfica, Estádio da Luz.
Sporting CP, Estádio de Alvalade.

A designação Os Três Grandes é atribuída ao conjunto dos três clubes desportivos que sempre militaram na divisão principal de futebol em Portugal,[1] e por isso com maior história a nível nacional e internacional: Sport Lisboa e Benfica, Futebol Clube do Porto e Sporting Clube de Portugal. Estes três clubes são, geralmente, os três primeiros classificados na Primeira Liga sendo, em parte por este motivo, os clubes com mais adeptos em Portugal.[2]

Os Três Grandes possuem, entre si, uma grande rivalidade, que culmina com os "clássicos" e "dérbis": FC Porto versus SL Benfica, FC Porto versus Sporting CP e Sporting CP versus SL Benfica. A emulação entre os três alastra-se também pelas várias modalidades, profissionais e amadores, praticadas pelos clubes.[3][4][5]

Hegemonia no futebol[editar | editar código-fonte]

Ao longo do tempo podem identificar-se períodos de maior dominância por parte de um dos Três Grandes ou de equilíbrio.

1921–1938: Equilíbrio entre os Três Grandes[editar | editar código-fonte]

Antes do Campeonato da Liga da Primeira Divisão existir e passar a ser a competição mais importante do país os clubes disputavam o Campeonato de Portugal, prova em que participavam os vencedores de cada Campeonato Distrital e que determinava o campeão nacional na altura (os vencedores desta competição já não contam como campeões nacionais). Esta prova era disputada com o sistema de eliminatórias e no futuro viria a ser substituído pela Taça de Portugal (no entanto, os títulos dos Campeonato de Portugal não contam como títulos da Taça de Portugal).[6]

Nas primeiras 4 épocas do Campeonato (com o nome Campeonato da Liga da Primeira Divisão, o FC Porto venceu 1 e o SL Benfica os outros 3. O Sporting CP teve o melhor marcador do Campeonato em três destas épocas.

1939–1958: Hegemonia do Sporting[editar | editar código-fonte]

O Sporting CP venceu o seu primeiro Campeonato (já com o nome Campeonato Nacional da Primeira Divisão) na época de 1940–41, depois de ter sido vice campeão nas duas épocas anteriores. Obteve um total de 10 títulos durante o período de 1939 a 1958 (conseguindo o primeiro tricampeonato e o primeiro dos quatro tetracampeonatos, isto é, quatro Campeonatos ganhos em épocas consecutivas, da história do futebol português), tendo tido os seus anos dourados no meio do século XX. Durante este período, conseguiu ganhar 5 Taças de Portugal (foi o primeiro clube dos Três Grandes a ter conquistado a dobradinha, isto é, ganhar o Campeonato e a Taça de Portugal na mesma época, na época 1940–41). No somatório dos dois primeiros períodos o Sporting foi o maior vencedor entre os clubes de Portugal, só vindo a perder a hegemonia como maior vencedor do Campeonato Português durante os anos 1970.

O SL Benfica ganhou 6 Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão e 9 Taças de Portugal.

O FC Porto ganhou 3 Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão e 2 Taças de Portugal.

1959–1977: Hegemonia do Benfica[editar | editar código-fonte]

O SL Benfica ganhou um total de 14 Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão e 8 Taças de Portugal durante 18 anos de hegemonia. O clube venceu 2 Taça dos Clubes Campeões Europeus consecutivas em 1961 e 1962 (foi o único clube português a sagrar-se campeão europeu em duas épocas seguidas e o único a ter ganho esta competição por duas vezes, se for apenas contabilizado o formato antigo da atual Liga dos Campeões da UEFA).

O Sporting CP ganhou um total de 4 Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão, 4 Taças de Portugal e 1 Taça Europeia dos Clubes Vencedores de Taças (foi o único clube português a ter ganho esta competição) em 1964.

O FC Porto não ganhou qualquer Campeonato Nacionais da Primeira Divisão e venceu duas Taça de Portugal.

1978–1984: Equilíbrio entre os Três Grandes[editar | editar código-fonte]

Entre 1978 e 1984 os Três Grandes revelaram grande equilíbrio, com o SL Benfica a ganhar três Campeonatos Nacionais, e Sporting CP e FC Porto a conquistarem dois Campeonatos cada. Na época de 1977–78 o FC Porto quebrou um jejum de 19 anos sem vencer o Campeonato Nacional.

O SL Benfica ganhou três Taças de Portugal e uma Supertaça; o Sporting CP ganhou duas Taças de Portugal, e o FC Porto uma Taça de Portugal e três Supertaças Cândido de Oliveira.

1985–2013: Hegemonia do FC Porto[editar | editar código-fonte]

Durante os 28 anos seguintes, o FC Porto ganhou um total de 20 Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão, o SL Benfica ganhou cinco Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão e o Sporting CP ganhou dois Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão, enquanto o Boavista FC ganhou o seu primeiro e único campeonato na época 2000/2001, quebrando a hegemonia dos "três grandes"

O SL Benfica ganhou nove Taças de Portugal e quatro Supertaças; o Sporting CP ganhou seis Taças de Portugal e três Supertaças Cândido de Oliveira.

O FC Porto coroou este período com a Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1987, bem como a Taça Intercontinental (único clube português a ter ganho esta competição, ainda por cima duas vezes) em 1987 e a Supertaça Europeia (único clube português a ter ganho esta competição) em 1988. Com a conquista das referidas Taça Intercontinental e Supertaça Europeia e com a do Campeonato Nacional da Primeira Divisão e da Taça de Portugal na época 1987–88 o FC Porto conseguiu o primeiro quadruplete do futebol português. Durante o mesmo período, a equipa venceu 12 Taças de Portugal, 17 Supertaças Cândido de Oliveira, a Taça UEFA em 2003 (único clube português a ter ganho esta competição), a Liga dos Campeões da UEFA em 2004 (único clube português a ter ganho esta competição com este formato) e a Taça Intercontinental em 2004. Ao vencer a Primeira Liga, a Taça de Portugal e a Taça UEFA na época 2002–03 conseguiu o primeiro triplete continental do futebol português. Ao longo deste período, o FC Porto conseguiu o único pentacampeonato (isto é, 5 Campeonatos ganhos em épocas consecutivas) do Futebol Português e um tetracampeonato (4 campeonatos consecutivos).

2014–presente: Hegemonia do Benfica[editar | editar código-fonte]

Desde 2014 o Benfica conquistou 4 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal, 3 Taças da Liga e 3 Supertaças Cândido de Oliveira, tendo vencido 12 dos 16 troféus nacionais em disputa nas 4 épocas decorridas de 2013–14 a 2016–17.

Ao vencer a Primeira Liga, a Taça de Portugal e a Taça da Liga na época 2013–14 o Benfica conseguiu o único triplete nacional do Futebol Português, a que juntou a Supertaça no mesmo ano conseguindo o pleno dos troféus nacionais em 2014, feito inédito em Portugal. Com a conquista do bicampeonato na época 2014–15 o Benfica quebrou a hegemonia do FC Porto e iniciou um novo ciclo no Futebol Português. Na época 2015–16 conquistou o tricampeonato. Finalmente em 2016–17 conquistou o seu primeiro tetracampeonato, sendo novamente reconhecida a hegemonia do Benfica no Futebol Português.[7]

Desde 2014 o FC Porto conquistou 1 Campeonato Nacional.

No mesmo período o Sporting ganhou 1 Taça de Portugal, 1 Taça da Liga e 1 Supertaça Cândido de Oliveira.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

O Clássico dos Clássicos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Sporting CP versus SL Benfica

O Sporting CP versus SL Benfica, normalmente chamado de Dérbi Eterno ou Dérbi da Capital, por envolver os maiores dois clubes de Lisboa, é o principal dérbi da cidade de Lisboa e o mais importante jogo do futebol português. Também chamado de Dérbi dos Dérbis ou Clássico dos Clássicos devido à sua importância,[8] o Sporting CP versus SL Benfica é o jogo mais frequente em finais nacionais, com vinte jogos a decidir dezassete títulos repartidos entre os dois, com nove triunfos para o SL Benfica e oito para o Sporting CP. Normalmente é um dos jogos mais vistos de toda a época no país.

O primeiro confronto entre Sporting CP e SL Benfica ocorreu em 1 de dezembro de 1907, com vitória do Sporting CP por 2 a 1.

A rivalidade teve origem em 1907, quando oito jogadores do SL Benfica mudaram para o Sporting CP em busca de melhores condições de trabalho. Esta rivalidade tomou dimensões mais sociais, com o dérbi a representar não só a rivalidade natural entre dois clubes da mesma cidade, mas também o estatuto pessoal e socioeconómico dos adeptos. O SL Benfica foi chamado de clube do povo durante largas década, tendo tido uma ligação aos estratos sociais mais baixos, enquanto o Sporting CP era visto como um clube mais elitista, embora seja transversal a todas as zonas do país.[9]

Apesar destas diferenças se terem dissipado ao longo da história centenária dos dois clubes, com o elitismo do Sporting a ser excluído do clube, a diferença de origens continua a ser motivo de rivalidade entre os adeptos dos dois clubes.[10]

Apesar do fraco desempenho do Sporting CP em anos anteriores ter atirado o FC Porto versus SL Benfica para o estatuto de jogo mais importante do futebol português, o Clássico dos Clássicos voltou a tomar novas proporções com a mudança de Jorge Jesus, antigo técnico encarnado, para Alvalade, incendiando a rivalidade que estava algo adormecida. Em final de contrato com o clube da Luz e pouco depois de ter assegurado o bicampeonato, o técnico acabou por assinar com o rival lisboeta.[9] Em retaliação, o SL Benfica segurou André Carrillo, antigo jogador do Sporting CP.

Estas mudanças aliadas ao fraco desempenho do FC Porto em anos recentes trouxeram uma nova dinâmica ao dérbi que já ocorreu 303 vezes.

O Clássico[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: FC Porto versus SL Benfica

O FC Porto versus SL Benfica foi durante largos anos o jogo mais importante do futebol português, devido ao fraco desempenho do Sporting CP entre 1982 e 1995 e entre 2008 e 2015. Esta rivalidade cresceu nos últimos 20 anos e tornou-se num dos maiores clássicos do mundo. A animosidade ou rivalidade desenvolvida a partir da primeira metade do século XIX entre as duas maiores cidades de Portugal, nascida com o desenvolvimento industrial e a nova influência política da cidade do Porto (sobretudo a partir do liberalismo) - ou da "animosidade" na mesma cidade face à capital ou face ao poder central de Lisboa e mais tarde entre os seus clubes de futebol mais bem sucedidos, está enraizada na história política, cultural e desportiva do país, sobretudo do século XX.

Embora historicamente apenas o FC Porto tenha assumido uma representação "política" e "regional" (transcendendo a desportiva) da sua cidade sede, ambos os clubes têm hoje ampla dimensão nacional entre adeptos e sedes (casas) representativas em todas as regiões de Portugal e também entre as comunidades emigrantes.

Alguns adeptos acreditam que a rivalidade foi personificada por dois ex-jogadores, João Pinto, do SL Benfica, e Paulinho Santos, do FC Porto que, apesar de terem sido companheiros na selecção portuguesa, admitiram publicamente a grande antipatia que sentiam um pelo outro. A "rixa" durou muitos anos e alguns jogos terminaram com os dois expulsos por se envolverem em agressões.[11]

Dragões vs Leões[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: FC Porto versus Sporting CP

O FC Porto versus Sporting CP é um dos mais importantes clássicos do futebol português. É o confronto do futebol português que mais vezes se disputou na Taça de Portugal e o segundo que mais se realizou no conjunto das provas nacionais.

Tal como o FC Porto versus SL Benfica, é geralmente visto como uma disputa entre o Norte e o Sul de Portugal.

A rivalidade entre leões e dragões começou na finalíssima do Campeonato de Portugal de 1922, em que o FC Porto venceu o Sporting CP por 3–1, dando assim o título ao clube azul e branco. A partir daí, os leões cortaram relações com os portistas, apesar da retoma de relações em 1924 onde dirigentes de ambos os clubes selaram a paz, com a disputa da Taça Soares Júnior, ganha pelo Sporting CP por 2 a 1.

O confronto captou o imaginário nacional, tendo sido recordado no filme O Leão da Estrela, no qual um adepto leonino se faz passar por outra pessoa para poder ir ao Porto acompanhar de perto o Sporting dos Cinco Violinos numa época onde as competições do futebol português eram definidas entre as dois equipas.[12]

Em anos recentes, a rivalidade tem aumentado devido ao corte de relações efetuado pelo antigo presidente do Sporting CP, Bruno de Carvalho, e pelo aumento do número de confrontos entre os dois. Só a época de 2017–18 presenciou cinco confrontos entre os dois repartidos pela Primeira Liga (2), pela Taça de Portugal (2) e pela Taça da Liga (1).[13] Antigo goleador do Sporting CP entre 2014 e 2017, Islam Slimani, é apelidado de matador de dragões devido ao número elevado de golos que fez e de jogos que decidiu a favor dos leões frente ao FC Porto, com a rivalidade entre os dois clubes a ser mencionada aquando do confronto entre Leicester e FC Porto na Liga dos Campeões.[14]

Impacto na sociedade[editar | editar código-fonte]

Apoio dos adeptos e assistências[editar | editar código-fonte]

Sendo os mais populares e os habituais vencedores da Primeira Liga (apenas Belenenses e Boavista conseguiram, por uma vez, ganhar a competição, em 194546 e 200001, respectivamente), Os Três Grandes atingem uma tal hegemonia que a grande maioria dos adeptos portugueses apoiam um deles, relegando a equipa local para segundo lugar.

Assim, Os Três Grandes têm a maior audiência média de público em cada temporada na Primeira Liga, enquanto que as outras equipas, sem o apoio da população local, têm sofrido com fracas assistências (com excepção do Vitória de Guimarães, a única outra equipa com uma assistência média superior à média de público da Primeira Liga), em parte devido ao monopólio dos Três Grandes.[15][16]

A imprensa portuguesa, frequentemente acusada de não cumprir qualquer critério de igualdade para com os restantes clubes da Liga que são constantemente desprezados, é outro motivo muitas vezes apontado para a maioria da população portuguesa apoiar uma destas três equipas sediadas em Lisboa e no Porto em detrimento da equipa sediada na sua cidade.[17]

O problema resultante é de tal maneira grave que apesar das boas assistências nos jogos dos Três Grandes os restantes estádios estão cada vez mais vazios. Durante a temporada de 201011 da Primeira Liga, 30% dos jogos realizados tiveram menos de 2000 espectadores.

Apesar de tudo, a assistência média de público presente nos estádios da Primeira Liga tem vindo a aumentar na segunda metade da década, com crescimentos superiores a 7% e 9% em 201516 e 201617, respetivamente. Isto deve-se ao aumento da audiência média de público nos estádios D. Afonso Henriques (Vitória de Guimarães), Municipal de Chaves (Chaves), Barreiros (Marítimo) e Bessa (Boavista) além da audiência média de público ter aumentado em mais de 15.000 pessoas no Estádio José Alvalade (Sporting) entre 2011 e 2018.[18]

Número de adeptos[editar | editar código-fonte]

Considerando os 10,5 milhões de habitantes de Portugal e extrapolando o resultado para os cerca de 5 milhões de portugueses que vivem no exterior e sem considerar os adeptos de outras nacionalidades que vivem fora de Portugal, nomeadamente nas ex-colónias, o estudo da O&O Performance em 2012 apontou os seguintes números de adeptos para Os Três Grandes:[19]

  • SL Benfica (39%): 5,8 milhões
  • FC Porto (20%): 3 milhões
  • Sporting CP (17,7%): 2,6 milhões
  • Portugal Cerca de 4,0 milhões de portugueses prefeririam outros emblemas ou não gostariam de futebol.

Confrontos[editar | editar código-fonte]

A rivalidade intensa entre adeptos de clubes de futebol e, em particular, dos Três Grandes manifesta-se em diversos confrontos e afrontas violentas de parte a parte. Por vezes, membros de claques como No Name Boys, Super Dragões e Juventude Leonina envolvem-se em actos de vandalismo e de confronto uns com os outros.[20]

Classificação dos Três Grandes (em tabela ordenável)[editar | editar código-fonte]

Pontos de SL Benfica, FC Porto e Sporting CP desde a época 1934–35 à época 199495. Durante este período uma vitória valia 2 pontos, um empate valia 1 ponto e uma derrota valia 0 pontos.
Pontos de SL Benfica, FC Porto e Sporting CP desde a época 199596, época a partir da qual uma vitória passou a valer 3 pontos, até à atualidade.

Desde a primeira época em 1934–35 até à atualidade que o vencedor do escalão principal do Campeonato tem sido regularmente o SL Benfica, o FC Porto ou o Sporting CP. Estes 3 clubes repartem 82 dos 84 títulos disputados.

Os restantes dois títulos foram conquistados pelo Belenenses na época 1945–46, e pelo Boavista na época de 2000–01.

O clube mais titulado é o SL Benfica com 36 títulos de campeão nacional, seguido do FC Porto com 28 e do Sporting CP com 18. O Boavista e o Belenenses têm 1 título.

A Académica e o Sporting Clube de Braga foram as restantes equipas que, para além dos cinco campeões, conseguiram alcançar o título de vice-campeão.

Época SL Benfica pts FC Porto pts Sporting CP pts
2017–18 81 88 78
2016–17 82 76 70
2015–16 88 73 86
2014–15 85 82 76
2013–14 74 61 67
2012–13 77 78 42
2011–12 69 75 59
2010–11 63 84 48
2009–10 76 68 48
2008–09 59 70 66
2007–08 52 69 55
2006–07 67 69 68
2005–06 67 79 72
2004–05 65 62 61
2003–04 74 82 73
2002–03 75 86 59
2001–02 63 68 75
2000–01 54 76 62
1999–00 69 73 77
1998–99 65 79 63
1997–98 68 77 56
1996–97 58 85 72
1995–96 73 84 67
1994–95 47 62 55
1993–94 54 52 51
1992–93 52 54 45
1991–92 46 56 44
1990–91 69 67 56
1989–90 55 59 46
1988–89 63 56 45
1987–88 51 66 47
1986–87 48 46 38
1985–86 47 49 46
1984–85 43 55 47
1983–84 52 49 42
1982–83 51 47 42
1981–82 44 43 46
1980–81 50 48 37
1979–80 45 50 52
1978–79 49 50 42
1977–78 51 51 42
1976–77 51 41 42
1975–76 50 39 38
1974–75 49 44 43
1973–74 47 43 49
1972–73 58 37 37
1971–72 55 33 43
1970–71 41 37 38
1969–70 38 22 46
1968–69 39 37 30
1967–68 41 36 37
1966–67 43 39 30
1965–66 41 34 42
1964–65 43 37 32
1963–64 46 40 34
1962–63 48 42 38
1961–62 36 41 43
1960–61 46 33 42
1959–60 45 30 43
1958–59 41 41 31
1957–58 36 43 43
1956–57 41 40 31
1955–56 43 43 36
1954–55 39 30 37
1953–54 32 36 43
1952–53 39 36 43
1951–52 40 36 41
1950–51 30 34 45
1949–50 45 26 39
1948–49 37 33 42
1947–48 41 36 41
1946–47 41 33 47
1945–46 37 20 32
1944–45 30 20 27
1943–44 26 23 31
1942–43 30 14 29
1941–42 38 28 34
1940–41 18 20 23
1939–40 23 34 32
1938–39 21 23 22
1937–38 23 23 22
1936–37 24 14 20
1935–36 21 20 18
1934–35 19 22 20

Finais de competições da UEFA[editar | editar código-fonte]

Em quase todas as finais de competições da UEFA em que Portugal já participou houve a presença de um grande. Na verdade, apenas na final da Liga Europa de 2010–11 participou um clube que não é um dos Três Grandes, o Sporting de Braga, ainda que a tenha jogado contra o FC Porto.

Assim, Os Três Grandes já participaram em dezassete finais de competições da UEFA em conjunto.

O SL Benfica marcou presença em sete finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões da UEFA (em 1961, 1962, 1963, 1965, 1968, 1988 e 1990) e em três finais da Taça UEFA/Liga Europa da UEFA (em 1983, 2013 e 2014).

O Porto participou em duas finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus/Liga dos Campeões da UEFA (em 1987 e 2004), em duas finais da Taça UEFA/Liga Europa da UEFA (em 2003 e 2011) e em uma final da Taça Europeia dos Clubes Vencedores de Taças (em 1984).

O Sporting CP participou emuma final da Taça Europeia dos Clubes Vencedores de Taças (em 1964) e em uma final da Taça UEFA (em 2005).

O SL Benfica é o clube com mais presenças em finais de competições da UEFA (10), o FC Porto segundo (5) e o Sporting CP terceiro (2).

Data Vencedor Resultado Finalista Vencido Competição Ref
31 de maio de 1961 SL Benfica Portugal 3-2 Espanha FC Barcelona Taça dos Clubes Campeões Europeus [21]
2 de maio de 1962 SL Benfica Portugal 5-3 Espanha Real Madrid Taça dos Clubes Campeões Europeus [22]
22 de maio de 1963 AC Milan Itália 2-1 Portugal SL Benfica Taça dos Clubes Campeões Europeus [23]
15 de maio de 1964 Sporting CP Portugal 1-0[nota 1] Hungria MTK Budapeste Taça Europeia dos Clubes Vencedores de Taças [25]
27 de maio de 1965 Inter de Milão Itália 1-0 Portugal SL Benfica Taça dos Clubes Campeões Europeus [26]
29 de maio de 1968 Manchester United Inglaterra 4-1 Portugal SL Benfica Taça dos Clubes Campeões Europeus [27]
4 de maio de 1983 Anderlecht Bélgica 1-0[nota 2] Portugal SL Benfica Taça UEFA [29]
4 de maio de 1983 Juventus Itália 2-1 Portugal FC Porto Taça Europeia dos Clubes Vencedores de Taças [30]
27 de maio de 1987 FC Porto Portugal 2-1 Alemanha Bayern de Munique Taça dos Clubes Campeões Europeus [31]
25 de maio de 1988 PSV Eindhoven Países Baixos 0-0 (6-5) Portugal SL Benfica Taça dos Clubes Campeões Europeus [32]
27 de maio de 1990 AC Milan Itália 1-0 Portugal SL Benfica Taça dos Clubes Campeões Europeus [33]
21 de maio de 2003 FC Porto Portugal 3-2 Escócia Celtic Taça UEFA [34]
26 de maio de 2004 FC Porto Portugal 3-0 Mónaco Mónaco Liga dos Campeões da UEFA [35]
18 de maio de 2005 CSKA Moscovo Rússia 3-1 Portugal Sporting CP Taça UEFA [36]
18 de maio de 2011 FC Porto Portugal 1-0 Portugal SC Braga Liga Europa da UEFA [37]
15 de maio de 2013 Chelsea FC Inglaterra 2-1 Portugal SL Benfica Liga Europa da UEFA [38]
14 de maio de 2014 Sevilla Espanha 0-0 (4-2) Portugal SL Benfica Liga Europa da UEFA [39]

Taças Intercontinentais[editar | editar código-fonte]

Data Vencedor Resultado Equipa derrotada Ref
19 de setembro de 1961 Peñarol Uruguai 2-1[nota 3] Portugal SL Benfica [42]
11 de outubro de 1961 Santos Brasil 5-2[nota 4] Portugal SL Benfica [44]
13 de dezembro de 1987 FC Porto Portugal 2-1 Uruguai Peñarol [45]
12 de dezembro de 2004 FC Porto Portugal 0-0 (8-7) Colômbia Once Caldas [46]

Supertaças Europeias[editar | editar código-fonte]

Data Vencedor Resultado Equipa derrotada Ref
13 de janeiro de 1988 FC Porto Portugal 1-0[nota 5] Países Baixos Ajax [48]
29 de agosto de 2003 AC Milan Itália 1-0 Portugal FC Porto [49]
27 de agosto de 2004 Valencia Espanha 2-1 Portugal FC Porto [50]
26 de agosto de 2011 FC Barcelona Espanha 2-0 Portugal FC Porto [51]

Palmarés[editar | editar código-fonte]

O Benfica é o clube português com mais títulos oficiais (81), mais títulos nacionais (79), mais Campeonatos Nacionais (36), mais Taças de Portugal (26), mais Taças da Liga (7), o detentor do único triplete nacional (ganhar o Campeonato, a Taça de Portugal e a Taça da Liga na mesma temporada), o clube com mais dobradinhas (10), mais tricampeonatos (6), mais bicampeonatos (8) e mais presenças em finais de competições da UEFA (10), sendo o primeiro dos Três Grandes a ter ganho a Taça da Liga, o primeiro clube a ter vencido todas as competições nacionais, e o único clube a ter vencido 6 competições consecutivas (entre 2014 e 2015).[52]

O FC Porto é o único clube português a ter ganho tripletes continentais (2) e é também o clube com mais títulos internacionais (7). Detém o recorde de Supertaças Cândido de Oliveira (20) e Campeonatos de Portugal (4 no total, sendo este último recorde detido em conjunto com o Sporting), com um total de 76 títulos oficiais. O Porto é também atualmente o melhor clube português no ranking da UEFA.[53]

O Sporting é o clube com mais Campeonatos de Portugal (4 no total, recorde conjunto com o FC Porto), sendo o único clube português a conquistar a Taça das Taças e detendo no total 48 títulos oficiais. Foi o segundo clube a ter vencido todas as competições nacionais após a conquista da Taça da Liga de 2017–18. Apesar do jejuns prolongados de qualquer tipo de título entre 1982 e 1995 e entre 2008 e 2015, o clube tem tentado reforçar a sua posição novamente, conquistando três títulos oficiais entre 2015 e 2018.

Lista de títulos[editar | editar código-fonte]

Apresentam-se os palmarés individuais dos Três Grandes segundo a UEFA, a FIFA, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional e a comunicação social. Esta lista inclui as grandes competições de carácter nacional organizadas pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional e pela Federação Portuguesa de Futebol e as competições internacionais consideradas oficiais pela UEFA e pela FIFA.

Títulos do Benfica[54][editar | editar código-fonte]

Competições Internacionais

Total Internacional: 2

Competições Nacionais
  • Campeonato Nacional (36): 1936, 1937, 1938, 1942, 1943, 1945, 1950, 1955, 1957, 1960, 1961, 1963, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969, 1971, 1972, 1973, 1975, 1976, 1977, 1981, 1983, 1984, 1987, 1989, 1991, 1994, 2005, 2010, 2014, 2015, 2016, 2017
  • Taça de Portugal (26): 1940, 1943, 1944, 1949, 1951, 1952, 1953, 1955, 1957, 1959, 1962, 1964, 1969, 1970, 1972, 1980, 1981, 1983, 1985, 1986, 1987, 1993, 1996, 2004, 2014, 2017

Total Nacional: 79 títulos

Total: 81 títulos (Atualizado: 29 de agosto de 2018)

Títulos do FC Porto[55][editar | editar código-fonte]

Competições Internacionais

Total internacional: 7

Competições Nacionais
  • Primeira Liga (28): 1935, 1939, 1940, 1956, 1959, 1978, 1979, 1985, 1986, 1988, 1990, 1992, 1993, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2003, 2004, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2018
  • Taça de Portugal (16): 1956, 1958, 1968, 1977, 1984, 1988, 1991, 1994, 1998, 2000, 2001, 2003, 2006, 2009, 2010, 2011
  • Supertaça Cândido de Oliveira (21): 1981, 1983, 1984, 1986, 1990, 1991, 1993, 1994, 1996, 1998, 1999, 2001, 2003, 2004, 2006, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2018

Total Nacional: 69 títulos

Total: 76 títulos (Atualizado: 29 de agosto de 2018)

Títulos do Sporting[56][editar | editar código-fonte]

Competições Internacionais

Total internacional: 1

Competições Nacionais
  • Primeira Liga (18): 1941, 1944, 1947, 1948, 1949, 1951, 1952, 1953, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1980, 1982, 2000, 2002
  • Taça de Portugal (16): 1941, 1945, 1946, 1948, 1954, 1963, 1971, 1973, 1974, 1978, 1982, 1995, 2002, 2007, 2008, 2015

Total Nacional: 47 títulos

Total: 48 títulos (Atualizado: 29 de agosto de 2018)

Factos sobre Os Três Grandes[editar | editar código-fonte]

Jogadores e treinadores que pertenceram aos Três Grandes[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Este jogo refere-se à finalíssima disputada entre os 2 clubes em Antuérpia. No jogo anterior, disputado a 13 de maio de 1964, o Sporting CP e o MTK Budapeste empataram 3-3 em Bruxelas.[24]
  2. Este jogo refere-se à segunda mão disputada entre os 2 clubes em Lisboa. Na primeira mão, disputada a 4 de maio de 1983, o Anderlecht venceu o SL Benfica por 1-0 em Bruxelas.[28]
  3. Este jogo refere-se ao play-off disputado entre os 2 clubes em Montevideu. Este play-off foi necessário visto que as regras na altura atribuíam 2 pontos por cada vitória e ambas as equipas tinham ganho um jogo. O primeiro jogo entre estes 2 clubes foi disputado em Lisboa a 4 de setembro de 1961 e foi ganho pelo SL Benfica por 1-0.[40] Já o segundo jogo entre estes 2 clubes foi disputado em Montevideu a 17 de setembro de 1961 e foi ganho pelo Peñarol por 5-0.[41]
  4. Este jogo refere-se à segunda mão disputada entre os 2 clubes em Lisboa. Na primeira mão, disputada no Rio de Janeiro a 19 de setembro de 1962, o Santos venceu o SL Benfica por 3-2.[43]
  5. Este jogo refere-se à segunda mão disputada entre os 2 clubes no Porto. Na primeira mão, disputada a 21 de novembro de 1987, o FC Porto venceu o Ajax por 1-0 em Amesterdão.[47]

Referências

  1. «Os 20 clubes mundiais que nunca desceram da 1ª Divisão». www.futebolmagazine.com. Consultado em 16 de fevereiro de 2017. 
  2. Group, Global Media (20 de novembro de 2015). «Os três grandes pelos quatro cantos». O Jogo 
  3. «O derby dos derbys - Visão de Mercado». Visão de Mercado. 8 de fevereiro de 2015 
  4. «Sporting-Benfica: as dez histórias mais incríveis do dérbi | Maisfutebol.iol.pt | Paixão Pura». Maisfutebol 
  5. FIFA.com (5 de outubro de 2012). «Un derbi de tres aficiones». FIFA.com (em espanhol) 
  6. «Campeonato de Portugal (Extinto) :: zerozero.pt». www.zerozero.pt. Consultado em 29 de agosto de 2018. 
  7. Correio da Manhã (20 de Maio de 2017). «É oficial, a hegemonia é do Benfica» 
  8. RTP. «Faltam 4 dias para o Benfica-Sporting». Consultado em 17 de abril de 2013. 
  9. a b SAPO. «A guerra dos 100 anos entre Benfica e Sporting». SAPO Desporto 
  10. «Bruno de Carvalho: «Havia um elitismo muito exagerado»» 
  11. Expresso. «"O Paulinho Santos entrava e tinha um alvo: João Pinto"». Consultado em 27 de maio de 2016. 
  12. «Cineclube Sport – Leão da Estrela (1947) – 21 de setembro – 18 horas». História(s) do Sport. 20 de setembro de 2010 
  13. RTP, RTP, Rádio e Televisão de Portugal - Mário Aleixo -. «FC Porto e Sporting jogam segundo de cinco duelos» 
  14. RTP, RTP, Rádio e Televisão de Portugal - Mário Aleixo -. «FC Porto e Sporting jogam segundo de cinco duelos» 
  15. Liga Portugal. «Painel de espectadores (2015/2016)». Consultado em 26 de Maio de 2015. 
  16. «Liga portuguesa nem está entre as dez com mais espectadores | Maisfutebol.iol.pt». Maisfutebol 
  17. SAPO. «Liga de futebol perdeu 40 mil espectadores no primeiro trimestre de 2011». Consultado em 14 de abril de 2011. 
  18. «Liga Portugal». www.ligaportugal.pt. Consultado em 29 de agosto de 2018. 
  19. Record. «Benfica líder: 5,8 milhões de adeptos». Consultado em 2 de agosto de 2014. 
  20. iOnline. «No Name Boys. Condenados 29 elementos da claque ilegal do Benfica». Consultado em 29 de maio de 2015. 
  21. UEFA. «1960/61: Águias acabam com monopólio do Real». Consultado em 16 de março de 2015. 
  22. UEFA. «1961/62: Eusébio vale ouro ao Benfica». Consultado em 16 de março de 2015. 
  23. UEFA. «1962/63: Altafini derruba Benfica». Consultado em 16 de março de 2015. 
  24. zerozero. «Sporting 3-3 MTK». Consultado em 17 de março de 2015. 
  25. zerozero. «Sporting 1-0 MTK Taça das Taças 1963/1964». Consultado em 17 de Maio de 2011. 
  26. UEFA. «1964/65: Inter vence Benfica em casa». Consultado em 16 de março de 2015. 
  27. UEFA. «1964/65: 1967/68: Charlton leva United à glória». Consultado em 16 de março de 2015. 
  28. zerozero. «Anderlecht 1-0 Benfica». Consultado em 17 de março de 2015. 
  29. UEFA. «Anderlecht brilha na Luz». Consultado em 17 de Maio de 2011. 
  30. zerozero. «Juventus 2-1 FC Porto». Consultado em 13 de julho de 2011. 
  31. UEFA. «1986/87: Futre inspira FC Porto». Consultado em 16 de março de 2015. 
  32. UEFA. «1987/88: Efeito laranja galvaniza PSV». Consultado em 16 de março de 2015. 
  33. UEFA. «1989/90: Rijkaard derrota Benfica». Consultado em 16 de março de 2015. 
  34. UEFA. «FC Porto de Mourinho inicia epopeia». Consultado em 17 de maio de 2011. 
  35. UEFA. «2003/04: FC Porto volta a surpreender». Consultado em 16 de março de 2015. 
  36. UEFA. «CSKA faz história em Lisboa». Consultado em 17 de maio de 2011. 
  37. UEFA. «2010/11: Porto voa nas asas de Falcao». Consultado em 19 de maio de 2011. 
  38. UEFA. «Ivanović leva Chelsea à glória». Consultado em 28 de julho de 2013. 
  39. UEFA. «Sevilha acaba com sonho do Benfica». Consultado em 16 de março de 2015. 
  40. zerozero. «Benfica 1-0 Peñarol». Consultado em 18 de março de 2015. 
  41. zerozero. «Peñarol 5-0 Benfica». Consultado em 18 de março de 2015. 
  42. zerozero. «Peñarol 2-1 Benfica». Consultado em 16 de março de 2015. 
  43. zerozero. «Santos 3-2 Benfica». Consultado em 18 de março de 2015. 
  44. zerozero. «Benfica 2-5 Santos». Consultado em 16 de março de 2015. 
  45. zerozero. «FC Porto 2-1 (a.p.) Peñarol». Consultado em 16 de março de 2015. 
  46. zerozero. «FC Porto 0-0 (8-7)g.p. Once Caldas». Consultado em 16 de março de 2015. 
  47. zerozero. «Ajax 0-1 FC Porto». Consultado em 18 de março de 2015. 
  48. UEFA. «1987: Sousa dá vitória ao FC Porto». Consultado em 17 de março de 2015. 
  49. UEFA. «2003: Shevchenko faz a diferença». Consultado em 17 de março de 2015. 
  50. UEFA. «2004: Baraja inspira Valência». Consultado em 17 de março de 2015. 
  51. UEFA. «2011: Quarto triunfo do Barcelona». Consultado em 17 de março de 2015. 
  52. Maisfutebol. «Benfica ultrapassa FC Porto em títulos oficiais». Consultado em 21 de junho de 2015. 
  53. UEFA.com. «Member associations - UEFA Coefficients - Club coefficients». UEFA.com (em inglês). Consultado em 29 de agosto de 2018. 
  54. Liga Portugal. «Sport Lisboa e Benfica, Futebol, SAD». Consultado em 21 de junho de 2015. 
  55. Liga Portugal. «Futebol Clube do Porto, Futebol, SAD». Consultado em 21 de junho de 2015. 
  56. Liga Portugal. «Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD». Consultado em 21 de junho de 2015.