Fundação do Sporting Clube de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblema do Belas Football Clube

O Sporting Clube de Portugal tem as suas origens na fundação do Belas Football Clube em 1902 por iniciativa de dois irmãos, Francisco Horta Gavazzo e José Maria Horta Gavazzo.[1] O Belas Football Clube começou por realizar um encontro onde disputou dois jogos de futebol, tendo alcançado duas vitórias. Em 26 de Agosto de 1902, nos Seteais, na presença do Rei D. Carlos, da Rainha D. Amélia e do Príncipe D. Manuel, além de vários Dignitáriatá da Corte, disputou-se um encontro de futebol com um grupo de rapazes de Sintra.[2] No final, o Rei ofereceu à equipa vencedora um estojo niquelado com cinquenta quilos de peso, contendo um licoreiro.[3] Entusiasmados, voltaram mais tarde a jogar, mas o desastroso resultado de 14-0 deitaria por terra as ambições. Apenas dois anos mais tarde alguns dos seus sócios Fundadores criaram o Campo Grande Football Clube. Neste agrupamento desportivo José Alvalade era o tesoureiro e Francisco Horta Gavazzo o secretário. O equipamento desportivo era o mesmo do Belas Football Clube (camisas de flanela branca, calções azuis e cinto e meias da mesma cor) mas, normalmente jogavam com qualquer camisa branca pois foram raros os encontros em que se equiparam a rigor.

Apesar do nome, esta associação dedicava-se ao futebol, esgrima, salto e corridas, mas também festas, bailes e piqueniques, o que gerou conflitos entre alguns membros que entendiam que a prática desportiva deveria ser a sua principal vocação. Em 13 de Abril de 1906, durante uma Assembleia Geral, as opiniões divergentes quanto ao objectivo da instituição levaram à saída de cinco membros, que ficaram conhecidos como os dissidentes.


Um deles, José Alvalade, manifestou imediatamente a intenção de formar um novo clube recorrendo à ajuda financeira do seu avô, o Visconde de Alvalade, Dr. Alfredo Augusto das Neves Holtreman, que tutelou a criação do novo clube e disponibilizou os terrenos para o campo de jogos na sua própria quinta.


Cquote1.pngQueremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande como os maiores da EuropaCquote2.pngJosé Alvalade


Fundação[editar | editar código-fonte]

Os dezanove sócios fundadores foram: José Alvalade, José Maria Horta Gavazzo, Frederico Seguro Ferreira, Alfredo Augusto das Neves Holtreman (Visconde de Alvalade), Fernando Soares Cardoso Barbosa, José Stromp, Henrique de Almeida Leite Júnior, John Henrique Scarlett, Eduardo Francisco Quintela Mendonça, Afonso Botelho, António Stromp, Augusto Barjona de Freitas, Augusto Carlos Cruz Seguro, Francisco da Ponte e Horta Gavazzo, Francisco Stromp, Sérgio Rolin Geraldes Barba, José Seguro Borges de Castro, José Cordeiro Ferreira Roquette, João Serrão de Moura. Realizaram a primeira Assembleia Geral em 8 de Maio de 1906 com o objectivo de eleger a direcção. Foi então eleito o Dr. Alfredo Augusto das Neves Holtreman como Presidente da Direção, sendo-lhe conferido o título de "sócio-protector" em virtude de todo o apoio prestado à criação do novo clube.

Os fundadores do Sporting


Nesta reunião, os sócios fundadores estabelecem as suas pretensões para o clube, na ocasião ainda sem nome definido, e o seu ideal de "um grande clube, tão grande como os maiores da Europa". A primeira direção, que se manteria em funções até 1910, era ainda constituída por José Holtreman Roquete, como vice-presidente e pelos primeiro e segundo secretários, respectivamente Frederico Seguro Ferreira e Henrique Leite. A 26 de Maio foi adoptado o nome Campo Grande Sporting Clube por intervenção de José Alvalade, Alberto Lamarão e Carlos Carneiro,[4] mas, a 1 de Julho de 1906, por sugestão de António Félix da Costa Júnior, a Assembleia Geral aprovou a alteração definitiva para Sporting Clube de Portugal. Existiu adesão ao projeto, sendo que a primeira lista de sócios conta com trinta e seis nomes, que no final desse ano ascenderiam a 45. Os primeiros Estatutos são elaborados no ano seguinte.


A equipa de futebol em 1907

Apesar do clube ter sido criado definindo como modalidade prioritária o ténis, a verdade é que a popularidade do futebol depressa mudou essa intenção e rapidamente José Alvalade impulsionou o ecletismo do clube, praticando-se para além de futebol e ténis, ciclismo, críquete, corridas e saltos, e luta de tração à corda. Este fundador viria, em 1947, via Assembleia-Geral, a ser homenageado com a designação do estádio do clube «Estádio José Alvalade», pela maneira como deu vida ao clube do seu coração.


Alteração da data de fundação[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de maio de 1920, reunida a Assembleia Geral, adotou-se por proposta de Nuno Soares Júnior a mudança da data oficial de fundação de 8 de Maio de 1906 para 1 de Julho do mesmo ano. Justificou-se a mudança com o facto de ter sido nessa altura que o clube tomou o nome Sporting Clube de Portugal. Sendo o único clube dos denominados "Três Grandes" que nunca alterou o ano da sua fundação, os sportinguistas defendem que a forma de contabilizar a idade do clube é a mais correta, contrastando com os rivais, uma vez que não se recorre a entidades anteriores que lhes deram origem, nem se contabilizam longos períodos de inatividade para justificar a sua ancestralidade. [5]

Emblema e cores[editar | editar código-fonte]

Primeiro emblema do Sporting Clube de Portugal

O símbolo do Sporting Clube de Portugal foi idealizado numa conversa de verão por José Holtreman Roquette (Alvalade), o seu primo José Roquette, António Rebelo de Andrade e D. Fernando de Castelo Branco (Pombeiro), que se inspiraram pelo anel com brasão da família deste último, um leão rampante (que significaria a força de vontade em construir um grande clube). O verde foi sugerido pelo Visconde de Alvalade, simbolizando a sua esperança no novo clube, todos concordando na escolha, por representar a esperança no futuro da nova coletividade.

Foi oficialmente adotado em 1907 o emblema, que ostenta um leão rampante de cor branca sobre fundo verde, assim como as cores verde e branca que começaram a ser utilizadas desde essa altura, quando D. Fernando de Castelo Branco (Pombeiro) autorizou que o leão rampante do seu brasão fosse utilizado no emblema do Sporting. Deveria ser de cor "prata armado em preto, em campo verde, correspondendo às límpidas, firmes e esperançadas intenções dos seus fundadores".[6]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Pinto, Rodrigo. Livro de Ouro Diário de Notícias - Sporting Clube de Portugal. Lisboa: Diário de Notícias, 2000.


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Sporting Clube de Portugal - História dos fundadores». Consultado em 26 de janeiro de 2017 
  2. «Sporting Clube de Portugal - História dos fundadores». Consultado em 1 de maio de 2013 
  3. «É uma Natureza, foram Intuitos». Consultado em 1 de maio de 2013 
  4. «Sporting Clube de Portugal». Consultado em 1 de maio de 2013 
  5. Livro de Ouro do Diário de Notícias - Sporting Clube de Portugal, Lisboa: 2000, página 16
  6. «Resumo histórico». Sporting Clube de Portugal, site oficial. 2016. Consultado em 26 de janeiro de 2017