Moussa Marega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moussa Marega
Moussa Marega
Informações pessoais
Nome completo Moussa Marega
Data de nasc. 14 de abril de 1991 (29 anos)
Local de nasc. Les Ulis, França
Altura 1,83 m
destro
Informações profissionais
Clube atual Porto
Número 11
Posição Atacante
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2012–2013
2013–2014
2014–2015
2016–
2016–2017
Le Poiré-sur-Vie
Amiens
Marítimo
Porto
Vitória de Guimarães (emp.)
0034 0000(6)
0036 0000(9)
0034 000(15)
0149 000(62)
0031 000(14)
Seleção nacional3
2015– Mali 0024 0000(3)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 3 de outubro de 2020.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 8 de julho de 2019.

Moussa Marega (Les Ulis, 14 de abril de 1991) é um futebolista francês naturalizado malinês que atua como atacante. Atualmente joga no Porto.

Integrou o elenco da Seleção Malinesa no Campeonato Africano das Nações de 2017.[1]

Ataque racista[editar | editar código-fonte]

No dia 16 de fevereiro de 2020, no Estádio D. Afonso Henriques, durante o jogo da Primeira Liga entre o Vitória Sport Clube e o Porto, Marega foi desde o período de aquecimento alvo de provocações e insultos racistas por parte de alguns adeptos do Vitória.

Os ataques tornaram-se particularmente virulentos depois de Marega ter marcado o golo que viria a dar a vitória ao Porto (2 a 1) e o ter festejado, dirigindo-se para quem o insultava e apontando para o seu braço. Isto valeu-lhe um cartão amarelo por parte do árbitro Luís Godinho. Adeptos do Vitória assobiaram-no, atiraram cadeiras para o campo e urraram imitando um macaco.[2] Indignado, Marega pediu para ser substituído e abandonou o campo, 20 minutos antes do fim do jogo.[3]

A maioria do mundo desportivo, social e político condenou o ataque abjecto (incluindo altas instâncias como o Presidente da República e membros do Governo), com as exceções de André Ventura, deputado do CHEGA ("país de hipocrisia em que tudo é racismo"),[4] de Miguel Pinto Lisboa, presidente do Vitória Sport Clube, que teve uma reação ambígua e desculpabilizante dos agressores,[5] e dos White Angels, claque do Vitória, que acusou Marega e Sérgio Conceição de terem provocado os insultos.[6]

O Vitória Sport Clube foi punido com três jogos à porta fechada pelos insultos racistas dirigidos ao futebolista pela Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto.[7]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Porto[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Elenco MLI'17». Consultado em 20 de janeiro de 2017 [ligação inativa]
  2. Bruno Roseiro (16 de fevereiro de 2020). «Marega marcou, festejou a apontar para o braço, fugiu de cadeiras, ouviu insultos racistas e saiu – tudo em dez minutos». Observador. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  3. «Marega critica árbitros por cartão amarelo após cânticos racistas». TSF Rádio Notícias. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  4. «"País de hipocrisia em que tudo é racismo": André Ventura reage a atitudes racistas contra Marega». Correio da Manhã. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  5. «Miguel Pinto Lisboa: «Houve comportamentos provocatórios de profissionais de futebol»». Record. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  6. «Claque do V. Guimarães: «Seremos preto e branco, sempre! Nunca seremos Marega e Conceição»». Record. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  7. «Vitória SC punido com três jogos à porta fechada devido ao 'caso Marega'»