Cesc Fàbregas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cesc Fàbregas
Cesc Fàbregas
Fàbregas em 2017
Informações pessoais
Nome completo Francesc Fàbregas Soler
Data de nasc. 4 de maio de 1987 (35 anos)
Local de nasc. Arenys de Mar, Espanha
Nacionalidade espanhol
Altura 1,80 m[1]
destro
Apelido Direitiña
Informações profissionais
Clube atual Como
Número 4
Posição meio-campista
Clubes de juventude
1995–1997
1997–2003
2003
Mataró
Barcelona
Arsenal
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2003–2011
2011–2014
2014–2019
2019–2022
2022–
Arsenal
Barcelona
Chelsea
Monaco
Como
00303 000(57)
00151 000(42)
00198 000(22)
00068 0000(4)
00011 0000(0)
Seleção nacional3
2002–2003
2003–2004
2005
2004–2005
2006–2016
Espanha Sub-16
Espanha Sub-17
Espanha Sub-20
Espanha Sub-21
Espanha
00008 0000(0)
00014 0000(7)
00005 0000(0)
00012 0000(8)
00110 000(15)


2 Partidas e gols totais pelos
clubes, atualizadas até 21 de janeiro de 2023.
3 Partidas e gols pela seleção nacional estão atualizadas
até 27 de junho de 2016.

Francesc Fàbregas Soler (Arenys de Mar, 4 de maio de 1987) é um futebolista espanhol que atua como meio-campista. Atualmente joga no Como, da Itália.

Fàbregas começou sua carreira nas categorias de base do Barcelona, mas em setembro de 2003, aos 16 anos, assinou com o inglês Arsenal. Com jogadores importantes sofrendo lesões na temporada 2004–05, passou a se estabelecer como titular no meio-campo dos Gunners, onde futuramente viria a ser craque e capitão do time. Ele quebrou vários recordes do clube no processo, ganhando a reputação de um dos melhores jogadores de sua posição. Depois de prolongadas negociações de transferência, Fàbregas retornou ao Barcelona em 15 de agosto de 2011, com o clube catalão tendo pago 35 milhões de euros pelo meio-campista.

Retornou à Londres em julho de 2014, dessa vez contratado pelo Chelsea, rival do Arsenal. Logo em sua primeira temporada conquistou os títulos da Premier League e da Copa da Liga Inglesa, sendo o líder de assistências desta primeira.

Pela Espanha, começou atuando pelo Sub-17 na Campeonato Mundial Sub-17 de 2003, realizado na Finlândia. Como resultado de seu desempenho no Arsenal, ele recebeu sua primeira convocação para a Seleção Espanhola principal em fevereiro de 2006. Cesc jogou a Copa do Mundo FIFA de 2006, tendo sido peça-chave posteriormente nas conquistas da Euro 2008, da Euro 2012 e da Copa do Mundo FIFA de 2010, onde deu a assistência para Andrés Iniesta fazer o gol do titulo na final contra a Holanda.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Mataró e Barcelona[editar | editar código-fonte]

Ainda na sua infância, começou a jogar futebol no Mataró, um pequeno clube catalão.[2][3]

Aos 13 anos, foi contratado pelo Barcelona, onde começou como volante.[4] Apesar de na época atuar numa função defensiva, marcou 30 gols pelas categorias de base do clube.[5] No entanto, apesar das boas atuações pelas categorias de base, Fàbregas nunca conseguiu ser promovido ao time principal do Barcelona e, aos 16 anos, recebeu uma proposta do Arsenal e se transferiu para o time inglês.[6] Embora fosse um goleador prolífico, às vezes marcando mais de 30 gols em uma temporada para as equipes juvenis do clube, ele não conseguiu jogar pela equipe principal da equipe catalã.[7] Durante seu tempo na academia do Barcelona para jovens, Fàbregas recebeu de Josep Guardiola, então capitão e camisa 4 do Barcelona, sua camisa como consolo quando os seus pais se divorciaram.[8]

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2003, transferiu-se para o Arsenal. Inicialmente, a vida de Fàbregas na capital inglesa foi complicada, pois, quando se mudou para lá, ainda não sabia falar inglês. Com o passar do tempo, fez amizade com Philippe Senderos que, apesar de ter nascido na Suíça, também fala espanhol, fato que ajudou Fàbregas a estabelecer-se no time.

Não se firmou como titular imediatamente. Era uma tarefa difícil, visto que seus concorrentes de posição eram Patrick Vieira, Gilberto Silva e Edu, muito mais experientes que o espanhol, com apenas 16 anos na época. Porém, em 23 de outubro de 2003, o treinador Arsène Wenger poupou os titulares e deu uma primeira chance a Fàbregas no time titular do Arsenal, no empate contra o Rotherham United, pela Copa da Liga Inglesa. Com isso, ele se tornou o jogador mais jovem a atuar pelo time principal do Arsenal, com apenas 16 anos e 177 dias. Logo se tornaria também o jogador mais jovem a marcar um gol pelo clube, na fase seguinte da Copa da Liga Inglesa, onde foi o autor de um gol na vitória por 5 a 1 sobre o Wolverhampton. Embora o Arsenal tenha sido campeão invicto da Premier League naquela temporada (2003–2004), Fàbregas não foi premiado com uma medalha porque não chegou a atuar em uma partida da liga.

Ainda não era no início da temporada 2004–05 que Fàbregas viria a se firmar no time titular do Arsenal, porém, com a lesão de Patrick Vieira, Cesc enfim estreou na Premier League, iniciando como titular em quatro partidas consecutivas e sendo elogiado pelo treinador Arsène Wenger. Conseguiu também mais uma marca histórica dentro do clube, sendo o jogador mais jovem do Arsenal a marcar um gol na Premier League. Com as lesões de Gilberto Silva e Edu, Fàbregas tinha cada vez mais chances de atuar pelo time titular. Na Liga dos Campeões da UEFA, tornou-se o segundo jogador mais jovem a marcar um gol na competição, na vitória por 5 a 1 sobre o Rosenborg. Concluiu a temporada sendo campeão da Copa da Inglaterra, iniciando, como titular, a final contra o Manchester United, que viria a ser decidida em uma disputa por pênaltis, vencida por 5 a 4 pelo Arsenal.

Na temporada 2005–06, após as saídas de Patrick Vieira, para a Juventus, e Edu, para o Valencia, Fàbregas se tornou titular absoluto no meio-campo do Arsenal, ao lado de Gilberto Silva. Atuou num total de 50 partidas por todas as competições durante a temporada 2005–06, tendo grande destaque nos jogos finais da Liga dos Campeões da UEFA, levando o time londrino ao segundo lugar da competição. Com isso, conquistou uma vaga na Seleção Espanhola que foi à Copa do Mundo FIFA de 2006, na Alemanha.

Em 2008, Fàbregas tornou-se o capitão do Arsenal

Capitão do time[editar | editar código-fonte]

Ao final da temporada 2007–08, com as saídas de Thierry Henry, para o Barcelona na temporada anterior, e mais recentemente Gilberto Silva, para o Panathinaikos, William Gallas havia se tornado o capitão do time.

Porém, já na temporada seguinte, 2008–09, em novembro de 2008, após alguns atos de indisciplina do zagueiro francês, Fàbregas foi escolhido como novo capitão do time pelo treinador Arsène Wenger. No entanto, juntamente com a queda do Arsenal na tabela, o espanhol foi afastado por quatro meses devido a uma lesão no joelho, sofrida num jogo contra o Liverpool. Os Gunners terminaram mais uma vez a temporada sem nenhum troféu, em quarto na Premier League e eliminados da Liga dos Campeões nas semifinais, contra um de seus maiores rivais, o Manchester United, que viria a perder a grande final contra o Barcelona.

Fàbregas ao lado de Rio Ferdinand, seu adversário na semi-final da Liga dos Campeões de 2008–09.

No jogo de abertura da temporada 2009–10, Fàbregas marcou e conseguiu duas assistências na vitória do Arsenal por 6 a 1 sobre o Everton, em pleno Goodison Park. O Arsenal garantiu a classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões ao derrotar os escoceses do Celtic nos dois jogos, mas o bom início de temporada foi interrompido por duas derrotas consecutivas, contra Manchester United e Manchester City, com gol de Emmanuel Adebayor, que acabara de sair do clube londrino. Após este revés, a equipe se recuperou fortemente, e com um Fàbregas inspirado, ajudou o Arsenal a se manter invicto nos treze jogos seguintes. Cesc viria a se lesionar em 31 de março de 2010, durante o jogo de ida das quartas-de-final da Liga dos Campeões contra o Barcelona, no Emirates Stadium, o espanhol sofreu uma fratura na perna. O jogo terminou empatado em 2 a 2. Na volta, o Arsenal terminou eliminado frente a um Camp Nou lotado, após uma espetacular partida de Lionel Messi, que marcou os quatro gols do Barça. Na Premier League, o Arsenal terminou na 3ª colocação, onze pontos atrás do campeão Chelsea. Fàbregas finalizou a temporada com 19 gols marcados e 19 assistências somando-se todas as competições, e foi nomeado para a Equipe do Ano pela PFA.

Na temporada 2010–11, vinha novamente sofrendo com lesões, e apresentava um futebol abaixo do esperado. Especulações sobre uma possível saída para o Barcelona, onde jogou nas categorias de base, também tem causado polêmicas. O clube chegou a oficializar uma proposta de 35 milhões de euros pelo jogador, rejeitada pelo Arsenal. Curiosamente, foi exatamente o Barcelona que eliminou, pela segunda temporada consecutiva, o clube londrino da Liga dos Campeões. Desta vez nas oitavas-de-final, após ter vencido por 2 a 1 o jogo de ida no Emirates Stadium, numa virada emocionante, o Arsenal acabou eliminado novamente no Camp Nou após uma derrota por 3 a 1. Em seus últimos jogos pelo Arsenal, Fàbregas chegou à marca de 300 jogos com a camisa dos Gunners.

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Fàbregas se apresentando no Barcelona

No dia 15 de agosto de 2011, após uma longa negociação, o Barcelona desembolsou cerca de 34 milhões de euros e mais 6 milhões de bônus para contar com Cesc.[9][10] Ele retornou ao time onde já jogou pelas categorias de base de 1997 a 2003 para vestir a camisa 4, que por muitos anos foi de Josep Guardiola, que foi seu treinador até o término da temporada 2011–2012.[11][12]

Sua estreia aconteceu no dia 17 de agosto, na decisão da Supercopa da Espanha contra o Real Madrid, no Camp Nou. O jogador entrou aos 40 minutos do segundo tempo, quando o jogo estava 2 a 2, e, mostrando que tem estrela, participou do terceiro gol do time catalão, marcado por Lionel Messi.[13] Este foi o gol do título.[14] O seu primeiro gol aconteceu na goleada frente ao Napoli por 5 a 0, marcando logo o primeiro. O seu segundo gol, e primeiro em jogos oficiais, foi na final europeia, frente ao vencedor da Liga Europa, o clube português Porto, tendo feito o segundo gol, num passe de Lionel Messi. Voltou a marcar na estreia do Barça pela La Liga, contra o Villarreal, novamente goleando por 5 a 0.[15][16]

2012–13[editar | editar código-fonte]

Fàbregas encerrou seu jejum de gols ao marcar contra o Sevilla, em uma vitória por 3 a 2. Em seguida, ele marcou mais três gols no mês de outubro, vindo no campeonato, Liga dos Campeões e da Copa do Rei. Ele marcou novamente em 25 de novembro na vitória por 4 a 0 fora de casa contra o Levante. Em 13 de janeiro de 2013, Fàbregas marcou na vitória por 3-1 fora de casa contra o Málaga. Marcou seu primeiro hat-trick na carreira contra o Mallorca, no dia 6 de abril de 2013, na vitória de goleada por 5 a 0. Os outros foram de Alexis Sánchez, aos 22 e 39 minutos do primeiro tempo. Com isso, Fàbregas encerrou a temporada sendo o terceiro artilheiro do Barcelona, atrás de Lionel Messi e David Villa.[17][18][19] Fez mais um gol em 20 de abril, deixando sua equipe mais perto do título do Campeonato Espanhol de 2012–13, após vencer o Levante por 1 a 0.[20][21] Na última rodada da temporada, Fàbregas marcou na vitória por 4 a 1 contra o Málaga, no dia 1 de junho.[22]

Chelsea[editar | editar código-fonte]

Fàbregas atuando pelo Chelsea em agosto de 2014

Foi anunciado pelo Chelsea no dia 12 de junho de 2014, assinando um contrato de cinco anos com o clube inglês. A transferência custou aproximadamente 33 milhões de euros. Fàbregas recebeu a camisa de número 4, anteriormente usada por David Luiz.[23]

O meia fez a sua estreia no dia 18 de agosto, num jogo contra o Burnley; ele jogou os 90 minutos na vitória por 3 a 1 dos Blues, dando duas assistências.[24] No mês de agosto, Fàbregas foi candidato ao prêmio Jogador do Mês da Premier League, mas o prêmio foi outra vez para o atacante Diego Costa, outro recém-contratado pelo clube.

Em 13 de setembro, depois de dar duas assistências na vitória por 4 a 2 do Chelsea sobre o Swansea, Fàbregas tornou-se o primeiro jogador na história da Premier League a dar pelo menos uma assistência em seis jogos sucessivos; quatro jogando pelo Chelsea e dois pelo Arsenal durante a temporada 2010–11. Quatro dias depois ele marcou seu primeiro gol pelo clube, tendo feito o primeiro gol no empate por 1 a 1 em casa contra o Schalke 04, na primeira partida do Chelsea da fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA.[25]

Seu primeiro gol pelo Chelsea na Premier League foi numa vitória por 2 a 1 sobre o Crystal Palace, no dia 18 de outubro.[26] O espanhol encerrou a temporada como uma das peças fundamentais dos Blues na conquista do quinto título inglês do Chelsea, sendo o líder de assistências na Premier League, totalizando 18 assistências em 34 partidas disputadas.[27]

2015–16[editar | editar código-fonte]

Fàbregas marcou seu primeiro gol da temporada em 16 de setembro, quando o Chelsea derrotou o Maccabi Tel Aviv por 4 a 0 na Liga dos Campeões. Ele, Diego Costa e Oscar foram ridicularizados pela multidão em dezembro após a demissão de José Mourinho, com os torcedores acreditando que a conduta do trio e as performances ruins eram mais culpadas pela má forma da equipe. Fàbregas marcou o último gol do Chelsea na temporada depois de converter um pênalti no empate em 1 a 1 contra o Leicester, novo campeão da Premier League. Encerrou a temporada com 6 gols marcados, sendo 5 pela Premier League e 7 assistências.

2016–17[editar | editar código-fonte]

Com a chegada do italiano Antonio Conte, Fábregas demonstrou novamente excelente desempenho com os Blues, sendo peça fundamental na campanha do 6° título da Premier League da história do clube. Esteve novamente próximo dos líderes no índice de assistências, completando 12 passes para gol ao longo da temporada da Premier League.

Teve papel decisivo na vitória emblemática sobre o Manchester City em pleno Etihad Stadium por 3 a 1. O Chelsea perdia por 1 a 0 quando Fábregas acionou Diego Costa com um passe longo e o mesmo conduziu a bola até finalizar e empatar a partida. Em 25 de fevereiro, Fàbregas fez seu 300° jogo na Premier League com um gol e uma assistência, ajudando o Chelsea a derrotar o Swansea City por 3 a 1. Na mesma partida, ele também chegou a 102 assistências na Premier League, igualando Frank Lampard como o segundo maior fornecedor da liga de todos os tempos.

2018–19[editar | editar código-fonte]

No fim da época Fábregas deixou o Chelsea para assinar contrato por três anos e meio com o Monaco, encerrando sua passagem por Stamford Bridge com 198 jogos com 22 gols.[28]

Monaco[editar | editar código-fonte]

O Monaco anunciou em 11 de janeiro de 2019 a contratação de Fàbregas o tempo de contrato será de três anos e meio, com término previsto para junho de 2022.[29]

Ao final de seu contrato não houve renovação assim despediu-se do Monaco, tendo somado 68 jogos e quatro golos pelo time monesgasco.[30]

Como[editar | editar código-fonte]

Em 1 de agosto de 2022 o Como anuncia a contratação de Fàbregas, clube que atua na Serie B italiana e ao qual chega a custo zero.[31]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Passou por todas as categorias da Seleção Espanhola, desde o Sub-16.

Foi vice-campeão do Mundial Sub-17 de 2003, realizado na Finlândia. Apesar de ter atuado no meio campo, foi o artilheiro e eleito o melhor jogador do torneio, que foi vencido pelo Brasil.

Devido ao seu destacável desempenho pelo Arsenal nos jogos finais da Liga dos Campeões da UEFA de 2005–06, o treinador Luis Aragonés optou por convocá-lo para um amistoso preparatório para a Copa do Mundo FIFA de 2006.[32] No dia 1 de março de 2006, Fàbregas enfim estreou pela Seleção principal, substituindo Xavi Hernández na vitória da Espanha sobre a Costa do Marfim por 3 a 2. Cesc foi bastante elogiado pelo seu treinador e pela imprensa esportiva espanhola, e era muito provável que o jovem meia teria uma chance entre os 23 convocados para o torneio.

Copa do Mundo FIFA de 2006[editar | editar código-fonte]

Em 15 de maio de 2006, Aragonés divulgou a lista dos convocados para a disputa da Copa do Mundo, onde se confirmou o que já era esperado: com apenas 19 anos de idade, Fàbregas havia sido convocado.

Atuou em todas as partidas do torneio, entrando durante o decorrer delas ou iniciando como titular. Iniciou como titular o jogo das oitavas de final contra a França, onde a Espanha viu suas chances de título irem por água abaixo graças a um inspirado Zinédine Zidane, que viria a ser eleito o melhor jogador do torneio.

Eurocopa 2008[editar | editar código-fonte]

Fàbregas comemorando o título da Euro 2008 com a Espanha

Com suas ótimas atuações na Seleção Espanhola, foi convocado para a Euro 2008, torneio que viria a ser conquistado por sua Seleção. Mesmo sendo reserva, foi um dos maiores destaques da equipe, terminando a competição como um dos selecionados pela UEFA para a seleção do torneio.

Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

Foi incluído na lista dos 23 convocados do treinador Vicente del Bosque para a Copa do Mundo FIFA de 2010, e escolhido, por ser uma grande promessa no futebol, para ser o novo ídolo da Seleção Espanhola, vestindo nada menos do que a camisa 10.[33]

Apesar de ser reserva, atuou em quatro dos sete jogos da Seleção Espanhola na Copa, inclusive na grande final, onde entrou aos 87 minutos e participou de toda a prorrogação. Os espanhóis venceram pelo placar mínimo, e foi de Fàbregas o passe que originou o gol de Andrés Iniesta aos 116 minutos de jogo. A Espanha sagrou-se campeã do mundo de futebol pela primeira vez, naquela que é apontada por muitos como a melhor Seleção Espanhola de todos os tempos.

Copa do Mundo de 2014[editar | editar código-fonte]

Foi convocado para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2014, realizada no Brasil.[34]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 21 de setembro de 2021

Clubes[35][editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Liga Copas¹ Competições
europeias
²
Supercopa

nacional

Supercopa

europeia

Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Arsenal 2003–04 0 0 0 3 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 3 1 0
2004–05 33 2 2 8 0 1 5 1 0 1 0 0 0 0 0 47 3 3
2005–06 35 3 5 2 1 0 13 1 1 1 1 0 0 0 0 51 6 6
2006–07 38 2 7 6 0 1 10 2 1 0 0 0 0 0 0 54 4 9
2007–08 32 7 20 3 0 0 10 6 2 0 0 0 0 0 0 45 13 22
2008–09 22 3 10 1 0 0 10 0 6 0 0 0 0 0 0 33 3 16
2009–10 27 15 15 1 0 1 8 4 2 0 0 0 0 0 0 36 19 18
2010–11 25 3 13 6 3 1 5 3 2 0 0 0 0 0 0 36 9 16
Total 212 35 72 30 5 4 61 17 14 2 1 0 0 0 0 305 58 90
Barcelona 2011–12 28 9 10 9 3 2 11 3 3 1 0 0 1 1 0 50 16 15
2012–13 32 11 12 8 2 1 8 1 0 1 0 0 0 0 0 49 14 13
2013–14 36 8 14 10 4 7 9 1 1 2 0 0 0 0 0 57 13 22
Total 96 28 36 27 9 10 28 5 4 4 0 0 1 1 0 156 43 50
Chelsea 2014–15 34 3 19 5 0 1 8 2 4 0 0 0 0 0 0 47 5 24
2015–16 37 5 7 5 0 1 7 1 1 1 0 0 0 0 0 50 6 9
2016–17 29 5 12 8 2 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 37 7 13
2017–18 32 2 4 9 0 4 8 1 1 1 0 0 0 0 0 50 3 9
2018–19 6 0 0 5 1 0 5 0 2 1 0 0 0 0 0 17 1 2
Total 138 15 42 32 3 7 28 4 8 3 0 0 0 0 0 201 22 57
Monaco 2018–19 13 1 0 2 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 15 1 0
2019–20 18 0 3 4 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 22 0 3
2020–21 21 2 3 5 1 3 0 0 0 0 0 0 0 0 0 26 3 6
2021–22 2 0 0 0 0 0 3 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 54 3 6 11 1 3 3 0 0 0 0 0 0 0 0 68 4 9
Total na carreira 498 81 156 99 18 24 120 26 26 9 1 0 1 1 0 730 127 206

¹Incluindo a Copa da Inglaterra, Copa da Liga Inglesa, Supercopa da Inglaterra, Copa do Rei e a Supercopa da Espanha.

²Incluindo a Liga dos Campeões da UEFA.

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

Fàbregas em janeiro de 2008, antes de uma partida contra o Newcastle

[36]

Ano
Jogos Gols Assist.
2006 14 0 4
2007 8 0 3
2008 15 1 7
2009 10 4 5
2010 10 1 2
2011 4 2 0
2012 13 3 5
2013 11 2 3
2014 8 0 1
2015 8 1 4
2016 9 1 2
Total 110 15 36

Títulos[editar | editar código-fonte]

Arsenal
Barcelona
Chelsea
Seleção Espanhola

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Perfil no site do Chelsea
  2. «Cesc Fábregas - ESPN.com». Consultado em 27 de Junho de 2009 
  3. «Arsenal.com - Cesc Fàbregas». Consultado em 19 de Junho de 2009 
  4. «Francesc Fàbregas: Espanhol maravilha as flores fora do mundo dos seus mentores». Consultado em 31 de Agosto de 2010 
  5. «Cuando todo era un sueño». Consultado em 16 de Maio de 2006 
  6. «Cesc Fàbregas faces the Barcelona Dream Team he left behind». Consultado em 31 de Março de 2010 
  7. «UEFA Champions League - NEWS». Consultado em 23 de Maio de 2007 
  8. «The one that got away». Consultado em 1 de Junho de 2010 
  9. «Arsenal e Barcelona confirmam acordo para transferência de Fábregas». GloboEsporte.com. 14 de agosto de 2011. Consultado em 9 de julho de 2019 
  10. «Oficial: Barcelona contrata Fábregas por € 40 milhões». Goal.com. 15 de agosto de 2011. Consultado em 9 de julho de 2019 
  11. «Bartomeu thanks Cesc for his efforts to come to Barça». Consultado em 7 de Agosto de 2012 
  12. «Fabregas arrives for medical». Consultado em 12 de Agosto de 2012 
  13. «Barcelona 3 - 2 Real Madrid». Consultado em 16 de Novembro de 2011 
  14. «Barcelona brisa para quarta UEFA Super Cup». Consultado em 21 de Agosto de 2011 
  15. Com novo show, Barcelona goleia Villarreal em sua estreia no Espanhol ESPN
  16. «Late goal from Cesc Fábregas earns Barcelona a draw with Valencia». Consultado em 1 de Janeiro de 2013 
  17. «Fàbregas marca três em nova goleada do Barcelona». oGol. 6 de abril de 2013. Consultado em 9 de julho de 2019 
  18. «Sem Messi, Barcelona goleia o Mallorca por 5 a 0». O Globo. 6 de abril de 2013. Consultado em 9 de julho de 2019 
  19. «Sem Messi, Fàbregas lidera mais um show do Barça: 5 a 0 sobre o Mallorca». Terra. 6 de abril de 2019. Consultado em 9 de julho de 2019 
  20. «Fàbregas deixa Barça mais perto do título». Consultado em 20 de Abril de 2013 
  21. «Sem Messi e sem brilho, Barcelona sofre para bater o Levante em casa». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2013. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  22. «Barcelona goleia, vai a 100 pontos e iguala recorde do Real Madrid». Estadão. 1 de junho de 2013. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  23. «Cesc Fàbregas é anunciado pelo Chelsea». Superesportes. 12 de junho de 2014. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  24. «Chelsea leva susto, mas vira sobre Burnley na estreia». Folha Vitória. 18 de agosto de 2014. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  25. «Chelsea poupa Diego Costa, se dá mal e toma empate do Schalke em estreia na Champions». ESPN Brasil. 17 de setembro de 2014. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  26. «No 500º jogo de Terry como capitão, Chelsea vence com golaço de Oscar». GloboEsporte.com. 18 de outubro de 2014. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  27. Leandro Stein (22 de dezembro de 2014). «A temporada nem chegou à metade e Fàbregas já igualou seu melhor número de assistências». Trivela. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  28. «Fàbregas deixa o Chelsea e assina contrato com o Monaco até 2022». Consultado em 3 de agosto de 2022 
  29. «Monaco anuncia a contratação do meia espanhol Fàbregas, que atuava pelo Chelsea». Consultado em 3 de agosto de 2022 
  30. «Cesc Fábregas vai jogar na segunda divisão italiana». Consultado em 3 de agosto de 2022 
  31. «Jogador e... acionista: Fàbregas oficializado no Como com dupla função inusitada». Consultado em 3 de agosto de 2022 
  32. «Marcos Senna é convocado para defender a seleção da Espanha». UOL. 24 de fevereiro de 2006. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  33. «Lista de convocados da seleção da Espanha». Terra. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  34. «Espanha anuncia 23 convocados para Copa e mantém Diego Costa». Terra. 31 de maio de 2014. Consultado em 25 de novembro de 2022 
  35. «Cesc Fàbregas» (em inglês). Ogol 
  36. «Player - Cesc Fàbregas» (em inglês). National Football Teams. Consultado em 21 de novembro de 2011 

Links externos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cesc Fàbregas